Nova Ministra “Gold”?

Ministra Adm Interna

Muitos poderão não acreditar mas assumo (ou se preferirem confesso) que antes do Nuno Crato aceitar integrar o actual governo, tinha alguma consideração por este (como divulgador de Ciência). No entanto lembro-me de, após o anúncio de que Nuno Crato seria Ministro da Educação, ter dito a várias pessoas (nomeadamente a muitos professores com ilusões num eventual bom trabalho deste no Ministério da Educação) que qualquer pessoa que aceitasse integrar um governo com estas características não poderia fazer bom trabalho a serviço da maioria das populações. Certo ou errado, com o mesmo raciocínio (agora fundamentado com três anos de brutais roubos ao nosso povo) é assim que eu vejo a nova Ministra da Administração Interna (após a demissão “Gold” do Miguel Macedo). Não questiono o valor académico desta nova Ministra Anabela Rodrigues no entanto o facto de ter aceite um lugar destacado neste governo não abona a seu favor.

Um governo que tem aumentado a miséria e as diferenças sociais (demonstrando que a riqueza no nosso país existe, esta é cada vez mais mal distribuída); um governo que tem usado e abusado da mentira (mesmo antes de ser governo, mentiu descaradamente com promessas eleitorais e continuou a usar a mentira após ter começado a governação); um governo fora da lei (proibição de reuniões sindicais em locais de trabalho, funcionários públicos que após 3 anos consecutivos de contratos continuam sem vínculo, etc); governo violento (além da brutal violência que representa a fome, a forte violência policial sobre civis como aconteceu a 14 de Novembro de 2012, etc), governo liderado por um primeiro e vice primeiro ministro associados a Tecnoformas e submarinos inconvenientes, etc, etc…

Quem aceita entrar para um governo destes demonstra claramente no que acredita e para o que vai… e como se viu nos últimos anos, não será certamente bom para o nosso Povo mas excelente para quem tem muito “Gold”.

 André Pestana

p.s. Foto de João Relvas (LUSA).

Publicado em 5dias | 1 Comentário

 

Guarani Kaiowas

A liderança Kaiowá, Marinalva Manoel, de apenas 27 anos, foi brutalmente assassinada na madrugada de 1 de novembro. Seu corpo foi encontrado às margens da rodovia BR-163, nas imediações de Dourados, Mato Grosso do Sul, com 35 facadas. Há cerca de 20 dias, Marinalva fazia parte da comitiva que esteve na capital do Brasil (Brasília) em defesa dos direitos territoriais dos Guarani-Kaiowá. Naquela ocasião, ela e outras lideranças indígenas denunciaram diversos casos de violência contra suas comunidades, praticados por fazendeiros da região. Informaram, ainda, em reuniões no Congresso Nacional, no STF e no Ministério da Justiça, que essa situação está cada vez mais grave, diante dos retrocessos aos direitos constitucionais dos povos indígenas nas esferas legislativa, executiva e judiciária.

- Solidariedade com o povo Guarani-Kaiowá e prisão para os assassinos.

- Terras para os índios e para o povo ribeirinho e não para os fazendeiros/latifundiários.

Mais informações: http://migre.me/mGLF8

Publicado em 5dias | 3 Comentários

Condecorar Durão Barroso?!?

Cimeira das Lajes

O Presidente da República Cavaco Silva na próxima segunda-feira, 3 de Novembro, pretende condecorar o Durão Barroso…?!?

Mas não não esquecemos:

a) que presidiu a comissão europeia quando mais se aplicaram medidas de austeridade nos países mais pobres (ex: Portugal, Grécia, etc) em benefício da Alemanha e França;

b) que recebeu em solo português a cimeira da NATO que deu início a uma guerra de ocupação com milhares de civis mortos;

c) que ao contrário de vários primeiros ministros de outros países europeus igualmente convidados para esse cargo, Durão Barroso abandonou o país (apesar de dizer que este estava de “tanga”).

Que o Presidente da República tenha VERGONHA por esta tentativa de branqueamento da história.

Não esquecemos estes e outros factos que agora querem apagar. Dia 3 Novembro, segunda-feira, das 11h30 às 13h à frente do Palácio de Belém.

Mais informações:

https://www.facebook.com/events/324863224382091/?notif_t=plan_user_joined

Publicado em 5dias | 3 Comentários

Afinal há grandes salários em Portugal!

Nos locais de trabalhos onde os baixos salários e a precariedade proliferam e até se limita ao mínimo dos mínimos a ida à casa de banho ou pausas/intervalos reparadores no trabalho, pelos vistos há quem receba grandes salários… só é pena que não seja para a maioria: http://www.noticiasaominuto.com/economia/296421/soares-dos-santos-ganha-108-vezes-mais-que-os-seus-trabalhadores

Publicado em 5dias | 4 Comentários

Protesto à frente da Embaixada da China

A 14 de Outubro de 2014, verificaram-se nas ruas de Hong Kong os maiores confrontos entre polícias e manifestantes desde que começaram os protestos em Agosto devido à decisão do Governo Chinês de impedir a eleição directa por sufrágio universal do governador.

Esta sexta-feira, 17 de Outubro, às 18h30 irá realizar-se uma concentração de protesto frente à secção militar da Embaixada da China, na Rua do Pau de Bandeira, Nº 11-13, pelo simples direito dos cidadãos de Hong Kong ao voto por sufrágio universal e a eleição dos seus governantes. Apelamos a todos os que estão de acordo a ajudarem na divulgação e marcarem presença.

Abaixo a repressão!

Sufrágio Universal em Hong Kong!

Toda a solidariedade com a luta dos estudantes de Hong-Kong!

Mais informações em: https://www.facebook.com/events/276558165873237/

Publicado em 5dias | 31 Comentários

Nas ruas da China também se decidirá o nosso futuro

Protestos Hong KongDia 14 de Outubro nas ruas de Hong Kong verificou-se um dos maiores confrontos entre polícias e manifestantes (com cargas policiais e vários manifestantes detidos). As impressionantes mobilizações da juventude de Hong Kong que duram há várias semanas parecem resistir à forte repressão policial, à pressão/propaganda dos media (pró-governo), à censura na internet (de fotografias/vídeos independentes dos media, etc) e a provocadores violentos enviados pelo governo para tentar incriminar este Movimento pró-democracia. A tentativa do regime do partido comunista chinês em condicionar a já escassa democracia existente em Hong Kong ficou evidente quando em Agosto passado anunciaram querer pré-seleccionar os candidatos para as próximas eleições… era como se em Portugal uma entidade não eleita condicionasse as próximas eleições permitindo apenas que se apresentassem por exemplo os seguintes 3 partidos: PSD, CDS e PS… Uma democracia cada vez mais “faz de conta”. Apesar da forte repressão os manifestantes parecem muito determinados e as preocupações para o partido comunista chinês não param de aumentar quando existem demonstrações que este protesto está a alastrar para além da juventude, como por exemplo os professores. O sindicato dos professores de Hong Kong lançou um comunicado de apoio assinado por cerca de 500 académicos onde denunciam que “o plano da China para permitir que alguns bilionários escolham quem vai governar Hong Kong é antidemocrático… Ele vai consolidar um sistema feudal corrupto onde oligarcas têm todo o poder e os trabalhadores são espremidos entre o custo de vida proibitivos e a ganância de uma pequena e poderosa elite”. Esperemos que tipo de protesto alastre e que rapidamente coloque em causa os mega lucros das multinacionais norteamericanas e europeias que exploram milhões de trabalhadores chineses (com o total apoio do partido comunista chinês que oprime qualquer greve ou protesto).

Para quem possa pensar que o que se passa na China não nos deve preocupar é importante que perceba que talvez não seja bem assim.  O facto de milhões de seres humanos serem sobreexplorados com jornadas de trabalho entre 10 a 14 horas, com salários baixíssimos, sem direito a greve, nem sindicatos independentes do Poder é o que em última instância permite o aparecimento de produtos por exemplo “Made in China” ou de outro local mais ou menos distante, a preços que destroem a viabilidade de muitas empresas em Portugal (e em outras partes do Mundo). Também é importante referir que como necessitam de fazer grandes deslocações para chegar cá  (quando muitos desses produtos já foram ou podiam ser feitos por aqui) representam um muito maior dano ambiental além de pressionarem para baixo as nossas condições de trabalho (a favor da dita “competividade” com esses produtos). Por isso nas ruas da China também se decidirá o nosso futuro.

Concluindo, não só por questões de direitos humanos e em defesa do ambiente mas também pela viabilidade da nossa economia devemos apoiar quem se levanta contra a ditadura e a sobreexploração em qualquer parte do nosso Mundo. Todas as conquistas democrática e laborais desses povos influenciarão positivamente as nossas condições de vida. Nesta como em outras lutas, está mais actual do que nunca dizer: “Proletários de todo o Mundo uni-vos!”

Publicado em 5dias | 14 Comentários

Diferenças de opinião ou ataques sem razão?

Protesto Prof
Podemos considerar “normal” que os tradicionais dirigentes sindicais por exemplo dos professores não apreciem que surjam novos movimentos na base que na prática (bem ou mal) questionam os seus métodos e formas de luta. Até aqui tudo minimamente compreensível. No entanto quando o principal dirigente sindical dos professores, Mário Nogueira, critica um protesto dinamizado por um Movimento de Professores com afirmações do género: “Além disso, quando pensamos em pessoas que perseguiam as outras à porta das suas casas, lembramo-nos de tempos que não gostamos de recordar.” será isso “normal”? Afirmações no artigo do DN: http://www.dn.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=4166984
Das duas, uma: ou o Mário Nogueira falou sem se informar devidamente dos contornos do protesto em causa (onde facilmente verificaria que era um protesto para ler quadras ao Ministro pedindo a sua demissão:  https://www.facebook.com/events/1468636030076851/) ou então Mário Nogueira conscientemente tentou assustar os professores insinuando que esse movimento de professores usaria métodos que lembram o Fascismo ou a Inquisição. As duas possibilidades (total ignorância ou má fé) são muito graves e não podem voltar a repetir-se a bem da própria imagem da Federação de Sindicatos que representa. Como se verificou na prática durante o protesto (como a imagem deste artigo demonstra), este protesto não foi uma perseguição ao Ministro ou algo violento mas simplesmente o que estava previsto (leitura de quadras com pedidos de demissão de um Ministro que tanto mal tem feito à Escola Pública). Mas será que mesmo assim o Mário Nogueira poderá ter alguma razão e este tipo de protesto está associado a forças extremistas? A realidade mais uma vez demonstra o contrário. Podemos legitimamente discordar, mas por todo o mundo há vários exemplos de protestos não violentos à porta de políticos sem qualquer conotação com o fascismo ou afins. Alguns exemplos no Mundo e em Portugal:
Protestos dos utentes da A22 à frente da casa de férias do Passos Coelho e Cavaco Silva: http://www.dnoticias.pt/actualidade/pais/400046-utentes-da-a22-marcam-protestos-em-frente-as-casas-de-ferias-de-passos-e-cav
  • Concluindo, podemos ter legitimamente diferenças de opinião entre nós e é positivo que se troquem argumentos (mas não ataques sem razão que podem ter efeito boomerang para quem os atira).
André Pestana (professor desempregado).
p.s.1 Infelizmente não é a primeira vez que se usam métodos deste nível contra professores do Movimento Nacional de Professores Boicote&Cerco. Para os mais cépticos ver por exemplo as calúnias no site da FENPROF aqui: http://5dias.wordpress.com/2014/02/10/resposta-ao-texto-no-site-da-fenprof/
p.s.2 Até hoje, passado mais de 6 meses nem a direcção da FENPROF nem a direcção do SPGL, apesar dos meus emails e da minha carta registada ao meu sindicato da FENPROF, não me responderam a um pedido de esclarecimento sobre se essas direcções tinham conhecimento e/ou concordavam com este tipo de texto calunioso publicado no site da FENPROF contra um professor contratado e sindicalizado (por parte de uma dirigente nacional da FENPROF e do SPGL e publicado no site da FENPROF sem qualquer direito de resposta)…
Publicado em 5dias | 10 Comentários