Quem não quer, que se lixe. Quem quer, Podemos!

Chegou a altura de sermos consequentes!

Temos que criar um partido novo, que não tenha medo de ser governo e que seja uma ferramenta de poder para os que não têm voz. Realisticamente, em 5 anos. Mas para que isso seja possível precisamos de ir às eleições de 2015 conseguir o máximo de votos (e quem sabe eleger alguém) que nos permita ter visibilidade e recursos. Assim, poderemos criar bases sociais – locais, regionais, nacionais e internacionais –, círculos de discussão e actuação, tal como se fez em Espanha. Isto consegue-se com um partido. Com movimentos ou associações, a minha experiência diz-me que é muito difícil.

Continuar a dizer que não podemos, que somos poucos, mal preparados e que os espanhóis são super-heróis é, a meu ver, errado e apenas beneficia a casta corrupta governante.

(ler o artigo completo no Público P3)

Scott Cresswell / Flickr

Anúncios

Sobre João Labrincha

Agora escrevo no Botequim.info em http://botequim.info/author/jl4br1nch4/
Esta entrada foi publicada em 5dias com as etiquetas , , , , , , , , , . ligação permanente.

8 respostas a Quem não quer, que se lixe. Quem quer, Podemos!

  1. llopes49 diz:

    Que venha e rápido,mas sem aldrabices Sff.

  2. Augusto diz:

    Os desempregados da politica, muitos deles apoiantes do PS, querem um novo partido, resta saber para quê?

  3. zecavieira2014 diz:

    Para que esse mesmo partido politico, qual a sua linha ideologica , sera que o “PODEMOS”, abriu filiais:
    Sejam bem Vindos, terão mais tempo de antena que nos, logo mais votos. Mas calirifiquem o vosso Anti Comunismo, Pois o PCP Tem Historia , linha ploitica e propostas claras.

  4. Não sei porquê mas dá-me para pensar que grande parte do sucesso dos «Podemos» e «Syrizas» e outros movimentos similares que vai havendo por essa Europa, se deverá ao «falhanço» (relativo…) ou à menor organização no terreno dos PC’s lá dos sítios… Não ponho as mãos no fogo por essa hipótese de explicação, mas não deixo de pensar nisso… Estou sempre aberto a que me expliquem o contrário ou algo diferente…

  5. Os principais interessados em que não surja uma plataforma política nova no país são BE’s e PC’s. Ao se moverem contra ela por dentro e fora dela acabam por em última instância fazer o jogo do PS em toda a linha, até no facto de deixarem o espaço vazio para ser preenchido por LIVRES e Marinhos, as futuras muletas do PS.

    O que é deveras interessante são os diversos tipos e matizes, e ha-os de todos os tipos e credos, que querem que isto não tenha pernas para andar, ou pelo menos andar para o sítio certo. Falo aqui dos PC’s, dos que orbitam o PC ou dos que simplesmente são acríticos à sua política. Há também os movimentistas que não querem sair do conforto do clube fechado que fala mas não faz.Todos diferentes, todos iguais. Acabam por marchar juntos como se o país e o povo tivesse tempo para esperar por daqui a 4 anos. Alguns dizem que só pode ser feito quando houver condições, que condições são essas? É para quando houver descontentamento? Quando as pessoas se divorciarem dos partidos do regime?

    Essas condições não existem agora? Em que país vivem?para criar uma ferramenta para sair do poço sem fundo que PS/PSD e CDS nos meteram. Deixem-se de medos porque para isso já basta o Governo e os seus papagaios na comunicação social.

    Podemos falar, mas devemos agir. Agora é o momento, agora PODEMOS.

  6. cristof9 diz:

    Quem gosta de historia tem uma oportunidade de visitar o inicio da democracia após 74 e perceber como esta proposta do post vai terminar. Tinhamos na altura PC “agregados” ao PSD (AOC) ao PS (PCP.ml) a UDP (PCP.R) o MRPP e o PCP. Revolucionarios de intervenção cidadã havia… bem o melhor é consultar e perceber que estas propostas são como os carroceis.. volteiam e de tempos a tempos reiniciam a mesma volta.

  7. JgMenos diz:

    Juntos e Juntas Podemos!?
    Ajumte-mo-nos!
    …sem a bolha intelectual-vanguardista-urbana, fermento de toda a cisania e irrealismo

  8. Zoelae diz:

    Eu acho que deve haver, neste momento milhares de portugueses, nas suas casas a questionarem-se de como poderão contribuir activamente para melhorar o país, acabar com a corrupção, repor a justiça social e uma governação para a pessoas e não contra as pessoas.
    Haverá milhares de portugueses prontos para contribuir de alguma forma, mas não sabem como! Milhares portugueses fartos de serem espectadores de um drama interminável, para serem os próprios actores e mudarem o rumo dos acontecimentos.
    Portanto, chegou o momento de agir!
    Tudo o que é necessário é organização, perseverança, motivação, trabalho, pensamento estratégico. É necessário criar uma equipa multidisciplinar hiperinclusiva. Um partido aberto às pessoas ao estilo de Podemos. Toda a gente terá algo para dar algo para dar ao movimento de acordo com aquilo que melhor sabe fazer.
    Chegou o momento de agir!
    Contem comigo!

Os comentários estão fechados.