Quando o liberalismo não rima com capitalismo, o corporativismo dá uma ajuda:

estas coisas até já nem querem dizer nada, ismos para aqui, ismos para acolá, as palavras é só bolinhas de sabão, parole parole parole e o Zé é que se lixa, cá o pintas é sempre o mexilhão, e como quem não quer a coisa o Governo Espanhol privatizou o Sol:

La reforma energética ha caldeado enormemente al sector renovable. “De todos los escenarios posibles, este es el peor”, resume José Donoso, director general de la Unión Española Fotovoltaica (Unef), que representa al 85% de la actividad del sector. “Sin que todavía se haya aprobado nada específico sobre autoconsumo, ya se lo han cargado”, añade. 

(…)

“Hasta ahora, el gasto se podía repartir en un 30% de parte fija y un 70% de parte variable. Se camina al 50%-50% por lo que cualquier iniciativa de generar tu propia potencia se desincentiva”, aporta Ignacio Cruz, investigador de la división de Energías Renovables del Centro de Investigaciones Energéticas, Tecnológicas y Medioambientales (CIEMAT).

“Esto es un rejonazo de muerte al balance neto y al ahorro energético”, opina Javier García Breva, consultor de energías renovables y exdirector del Instituto para la Diversificación y el Ahorro de Energía (IDAE). Este especialista mantiene que se trata de medidas puramente recaudatorias para que las eléctricas ingresen más. Unesa, la patronal de las grandes eléctricas, ha rehusado valorar la situación del autoconsumo hasta conocer mejor los cambios legislativos. El Ministerio de Industria tampoco ha respondido a las peticiones de información de EL PAÍS.

Con los cambios conocidos hasta ahora el tiempo de amortización de las instalaciones fotovoltaicas crece considerablemente. Si antes de la reforma hacían falta 12 años para recuperar la inversión de una instalación en un domicilio de 2,4 kilovatios de potencia ahora harán falta 23 más, según cálculos de Unef.

Para aqueles que acham que a crise é um mar de oportunidades, não se esqueçam das potencialidades lucrativas do sol. E, já que vamos percorrendo este caminho masoquista, absurdo e maquiavélico enquanto civilização ocidental, lembrem-se que quando as fachadas dos edifícios públicos explodirem numa gargalhada chegará a altura onde será pública a lei que as leis encerram.

«Privatize-se tudo, privatize-se o mar e o céu, privatize-se a água e o ar, privatize-se a justiça e a lei, privatize-se a nuvem que passa, privatize-se o sonho, sobretudo se for diurno e de olhos abertos. E, finalmente, para florão e remate de tanto privatizar, privatizem-se os Estados, entregue-se por uma vez a exploração deles a empresas privadas, mediante concurso internacional. Aí se encontra a salvação do mundo… e, já agora, privatize-se também a puta que os pariu a todos.»

(José Saramago, Cadernos de Lanzarote)

Nota: post revisto a 9/08/13 para incluir citações e respectivo link para a reportagem do jornal espanhol El País.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em 5dias. ligação permanente.

42 respostas a Quando o liberalismo não rima com capitalismo, o corporativismo dá uma ajuda:

  1. Dezperado diz:

    José Saramago, o escritor que aconselhado pelo Passos, emigrou…..deu os seus impostos a Espanha….saia mais barato….alé patria alé.

    • Carlos Carapeto diz:

      E como classificar as centenas de milhares dos que nos anos 60 se viram forçados a ter que pagar impostos por essa Europa fora?

      Patriota é Alexandre Soares dos Santos!

      Faz hoje 68 anos que Hiroxima recebeu a bênção da democracia.

      • Dezperado diz:

        O Alexandre Soares dos Santos é liberal…..ja se esperava tal coisa…..Agora de um comuna é muito estranho….

        • Carlos Carapeto diz:

          Quantos sistemas contributivos existem em Portugal?
          Há um para os liberais e outro para os comunistas?

          Se é assim diga que estou interessado em aderir ao sistema contributivo dos comunistas. De certeza que é mais justo e transparente que esse dos ditos liberais.

          Que estupidez.
          Por que carga de água é que o Saramago por ser comunista tinha que pagar impostos em Portugal?

    • Há um provérbio qualquer que diz que temos duas orelhas e uma boca para indicar que devíamos ouvir o dobro do que falamos.

      Dezperado, antes de dizer alguma coisa, certifique-se que diga alguma coisa (um mínimo) que seja correcta. É que ainda por cima isto fica escrito e qualquer um pode ver. Já nem falo na ligação Passos Coelho/Saramago, que é tão absurda que espero que seja uma tentativa falhada de humor. Já no que toca ao pagamento de impostos Saramago pagava sempre os seus impostos em Portugal. E se alguma vez pagou impostos em Espanha pelos seus rendimentos, foi decerto depois de morto e não foi decerto pela vontade dele:

      http://www.dn.pt/inicio/opiniao/interior.aspx?content_id=1629139&seccao=Convidados&page=-1

      http://economico.sapo.pt/noticias/saramago-condenado-a-pagar-impostos-em-espanha_95081.html

      • Dezperado diz:

        Alexandre

        Para falar com tanta certeza sobre impostos, sugiro que primeiro leia um livro de fiscalidade. Não lhe fará mal nenhum.

        Depois, a justificação baseia-se num link que envia, em que o texto é com base nas palavras do advogado do saramago…. (por exemplo, se perguntar ao advogado do duarte lima, este tambem lhe jurará que o seu cliente nunca vez mal nenhum a ninguem…os advogados de defesa servem para isso).

        O saramago pagava impostos em Portugal???? Não me diga que pagava impostos atraves da sua Fundação saramago que está isenta de tributação??? será isso???

        • De diz:

          Ora bem.
          A tentativa desesperada de se fazer de engraçado…ou de ignorante tem destas vias,
          O livro recomendado por desperado tem fundas razões se porventura se tentar encontrar aí as justificações para a saída de Saramago.Que como se sabe bateu com a porta na face deavergonhada de um marialva do governo de Cavaco e na do próprio Cavaco,.
          Que desesperado ignore tal facto é crível.Já este associar o nome do grande escritor ao seu passos coelho só por manifesta má fé.A educação de desperado tem destes hiatos…
          De modo que a questão de saramago e dos seus impostos morre logo aqui.Saramago nunca fugiu aos impostos que tinha que pagar.A primeira vez que vi um neoliberal falar no caso foi o Camilo com os olhos esbugalhados a saírem das órbitas, a careca vermelha de ódio e um fio de baba a transformar-se numa huva de perdigotos a cair sobre quem estava sentado ao pé.Alguém o colocou na ordem e lhe deu o devido puxão de orelhas e foi patético ver o estrebuchar do Camilo qual pe2ueno pulha apanhado com a mão no bote.
          Mas Saramago tem destas coisas.Pela sua grandeza faz cair sobre si os Camiolos desesperados desta vida.

          • Dezperado diz:

            O De parece uma beata de igreja, a cuscar e a meter o bedelho onde ninguem o chamou. Gosta de dar lições de moral, como se alguem ainda ligasse ao que escreve.
            Dá voltas e mais voltas aos textos, esprimido, nao diz nada. Sempre com a mesma ladainha.

            Quem é que chamou o Camilo à razão? O saramago pagou impostos atraves da Fundação???? é isso????
            Em vez de andares com floreados e prosas lindas, responde às questões.

          • Dezperado,

            geralmente quem acusa é que tem o ónus da prova. Foi aliás o Desperado que falou no Saramago pagar impostos em Espanha ao invés de em Portugal.

            Fico à espera de ser esclarecido da fundamentação da sua argumentação, pois do que li e postei aqui, tudo indica o contrário.

          • Dezperado diz:

            Alexandre

            A unica coisa que disse que afinal não é verdade, é que o Saramgo pelos vistos nao pagou impostos em Espanha. A eficiencia da justiça fiscal em Espanha, é parecida com a de Portugal, lenta, parada, nunca chega a lado nenhum.

            Em Portugal, garanto-lhe que o Saramago nunca depositou um centimo de impostos. Tem a sua fundação, de utilidade publica, isenta do pagamento de impostos.

          • De diz:

            As garantias de Desperado resumem-se a “garantias” desesperadas passe a violência desta afirmação
            As garantias de desperado são falsas
            Foram apresentados links que demostram a falsidade da questão, refugiando-se numa primeira tentativa desperado num descabelado ataque ao advogado de Saramago ( os avogados de defesa servem para isso?..Tudo dito sobre o posicionamento do comentador.Alguém diga ao desperado que as acusações a duarte lima estão noutro âmbito e que duarte lima espelha bem o que é um neoliberal). Posteriormente teve desperado de corrigir a mão e reconhecer que estava errado numa questão por ele referida. A situação era insustentável

            Fala depois, para tentar compor o ramalhete, na ineficiência da máquina fiscal portuguesa.Esquece-se que tal ineficiência nunca o seria se Saramafgo ultrapassasse a legalidade.Só de ouvir o seu nome há quem estrebuche. Como a cada dia que passa se torna patente
            Agora vem dar garantias que “Saramago nunca depositou um centimo de impostos.”
            Ora tal não pode passar.Aguardamos as provas desta afirmação de Desperado.Torna-se patético o pedido de Desperado para que se responda às suas questões, quando o mesmo pedido é ignorado por este quase desde o inicio deste post.

          • Dezperado diz:

            “Foram apresentados links que demostram a falsidade da questão”

            ó De, um dos links, é do advogado do saramgo a dizer que pagou, o outro link é de um jornal espanhol a dizer que o saramago ficou a dever 700 mil euros em Espanha.

            isto é que são provas??????

            provas são isto:

            http://saramago90anos.files.wordpress.com/2013/05/fjs_contas_exercicio_20121.pdf

            eu sei que estou a dar perolas a porcos, mas pede ajuda a alguem com conhecimentos para te explicar o que é um R&C.

          • Dezperado

            ainda estou para entender como é que a Fundação José Saramago, cuja criação data de 2007 e cuja sede foi inaugurada 2 anos depois da morte do homem, pode provar que o homem não pagou impostos em Portugal. Admito a minha ignorância em muito do que são assuntos fiscais, mas o pagamento de impostos é diferenciado para um indivíduo ou para uma entidade colectiva, tendo suponho eu diversas categorias diferenciadas (como é, julgo eu, o caso das Fundações). Como diz o comediante, uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa.

            O link que aqui pões é decorrente do ano fiscal de 2012 da Fundação. O homem morreu no Verão de 2010. Como é que daqui dás o salto da Fundação para o calote do indivíduo?

            Já agora, das notícias que li, nunca foi referido pelo Estado Espanhol ou Português que Saramago não pagava impostos. O Estado espanhol diz que Saramago deveria pagar impostos em Espanha, Saramago (e postumamente, os seus representantes legais) diz que ele sempre pagou os seus impostos em Portugal e portanto seria uma dupla tributação ilegal.

          • Dezperado diz:

            Alexandre

            No link que enviei, conseguirá ver tambem os relatorios e contas desde 2007.

            “Admito a minha ignorância em muito do que são assuntos fiscais, mas o pagamento de impostos é diferenciado para um indivíduo ou para uma entidade colectiva, tendo suponho eu diversas categorias diferenciadas (como é, julgo eu, o caso das Fundações). Como diz o comediante, uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa.”

            O comediante até diz bem….mas neste caso, se as receitas dos livros entram pela fundação, logo estão isentos de pagar imposto. Como as receitas do saramago são os livros, logo, como individual nao paga imposto.

            “Já agora, das notícias que li, nunca foi referido pelo Estado Espanhol ou Português que Saramago não pagava impostos.”

            Não diz, porque o que ele fez é legal, se é etico, depende da consciencia de cada um.

            Alias, a fundação saramago, tem varios aspectos engraçados. Por exemplo, a casa dos bicos esta isenta de pagamento de imi……e falamos de uma fundação que tem 100mil euros de lucro….ja os “velhinhos” que moram ao lado não conseguem escapar.

            Sinceramente Alexandre, mais do que isto, só mesmo pedindo a declaração de IRS do saramago, para vermos que esta vazia, mas seria pouco etico fazer tal coisa.

          • De diz:

            Infelizmente (para ele) Desperado mostra o que vale.
            Critica as provas factuais .E avança com a sua prova definitiva transformada em “provas” no plural.
            No final ainda se arroga o falar em pérolas a porcos!

            Infelizmente para Desperado as evidências são por demais fortes.
            O autor do post desmontou magistralmente a incongruência absoluta das provas do Desperado.Provas que afinal não o são
            Desperado mentiu. E mentiu desta forma abjecta

          • Dezperado diz:

            “Infelizmente (para ele) Desperado mostra o que vale.
            Critica as provas factuais ”

            ó De, quais provas factuais?? onde estão???

            “Infelizmente para Desperado as evidências são por demais fortes.”

            As evidencias são por demais fortes??? quais evidencias???

            “O autor do post desmontou magistralmente a incongruência absoluta das provas do Desperado.Provas que afinal não o são.”

            Desmontou? onde?

            De, se não sabes o que dizer, mais vale estares calado.

          • De diz:

            Vamos então colocar mais uma vez os pontos nos is:

            – A 19 de Abril de 2013 Desperado perguntava quais tinham sido as causas (objectivas) da saída de Saramago
            (Ver post de Tiago Mota Saraiva : Em mais um dia em que tanto nos envergonha a todos, recordemos o que dele disse Saramago. )
            Não se sabe se Desperado foi estudar o assunto ou não.Sabe-se que a 6 de Agosto deste ano pontificava com a seguinte alarvidade
            “José Saramago, o escritor que aconselhado pelo Passos, emigrou”
            Teve alguns comentários à sua forma de se fazer engraçado ou à sua maneira de ser ignorante.Quem tiver paciência que os veja

          • De diz:

            Desperado fala em seguida dos impostos de Saramago.Nos seguintes termos:
            -“.deu os seus impostos a Espanha….saia mais barato….alé patria alé….
            agora de um comuna é muito estranho”
            -“O saramago pagava impostos em Portugal???? Não me diga que pagava impostos atraves da sua Fundação saramago que está isenta de tributação??? será isso???”
            -“ó Toni Lopes, se a minha estupidez é vasta, ja temos algo em comum…..o Saramago pagava impostos em Portugal??? pagava a quem?? ao partido comunista???? Porque no Estado nunca entrou um centimo de impostos do comuna!”

          • De diz:

            Dois links bastaram e constituem provas factuais:Foram apresentados pelo autor do post:
            1º link http://www.dn.pt/inicio/opiniao/interior.aspx?content_id=1629139&seccao=Convidados&page=-1
            “Saramago pagava os seus impostos em Portugal, naturalmente”

            Um artigo de um jornalista espanhol em que ele especificava:
            “Saramago pagou religiosa- mente os seus impostos,
            José Saramago não faltou nunca aos seus compromissos fiscais.
            Nunca deixou de pagar em Portugal, apesar do seu carácter conceptualmente apátrida
            Mas pagou os seus impostos na sua terra por convicção moral e por obrigação legal
            Concluir que, porque amava Lanzarote e lá passava tempo, Saramago devia pagar impostos em duplicado é um grande atrevimento, pois, além de ser um chiste de contornos chauvinistas, seria extremamente peculiar. A exigência é, pura e simplesmente, uma tentativa para denegrir o seu nome dado o espírito crítico do escritor”

            2º link .http://economico.sapo.pt/noticias/saramago-condenado-a-pagar-impostos-em-espanha_95081.html
            Lá se lia que :
            “A ruptura de Saramago com o governo português em 1993 não significou o rompimento dos laços vitais e económicos que o uniam ao território português” defendeu o advogado Andrés Sanchez
            “Saramago apresentou anualmente as suas declarações de rendimentos para efeitos de IRS e declarou a totalidade dos seus rendimentos, até ao último euro, o que não foi questionado pela inspecção tributária de Espanha”

          • De diz:

            Perante estes factos desperado argumenta duas coisas:
            Que pelo facto de ter sido o advogado de Saramago a dizer o que disse tal desclassifica-o ( dá até um exemplo a propósito que sublinha bem o carácter de Desperado ).
            Engana-se redondamente Desperado.Não só não o desclassifica como é passivel de procedimento criminal se tiver mentido.
            Mais .Nunca ninguém contestou as afirmações do advogado.Mais ainda.Nunca ninguém colocou em causa o pagamanto atempado das obrigações fiscais em Portugal por parte do grande escritor.
            Não é plausível que o fisco tivesse deixado passar tal facto.Mesmo assim Desperado ainda lança mais uma aleivosia.Cito: “A eficiencia da justiça fiscal em Espanha, é parecida com a de Portugal, lenta, parada, nunca chega a lado nenhum.”.
            A ausência de provas constitui uma porva.Já a presença de provas não constitui prova porque vem de quem vem.
            Mais um vislumbre de Desperado.

          • De diz:

            A segunda coisa que argumenta é que o jornalista espamhol diz que Saramago ficou a dever 700 000 euros a Espanha.
            Factualmente o tal escrito diz isso.Mas factualmente diz muito mais.Desonestidade pura e dura resumir as coisas como desperado o faz

          • De diz:

            -Desperado é obrigado perante as evidências a reconhecer que “o Saramgo pelos vistos nao pagou impostos em Espanha”.
            Mas em vez de reconhecer que mentiu e voltou a mentir (já lá vamos), Desperado afirma que esta afirmação foi a ” unica coisa que disse que afinal não é verdade”.Mais uma vez Desperado se engana e nos engana

          • De diz:

            Desperado desorienta-se e puxa do seu suposto trunfo.As provas, diz naquele tom peremptório:
            As contas da Fundação José Saramago

            A Fundação José Saramago, cuja criação data de 2007 e cuja sede foi inaugurada 2 anos depois da morte do homem,.

            Não vale a pena sequer discutir as contas da Fundação nem o raciocínio de Desperado a esse respeito.Interessa sim, porque o desmascara por completo, dizer o seguinte:
            Saramago esteve em Portugal quanto tempo? Saramago escreveu quanto tempo antes de ter surgido qualquer fundação? Mas como é possivel alguém com base nisto dizer :
            “Em Portugal, garanto-lhe que o Saramago nunca depositou um centimo de impostos”
            Desperado dixit

            O que dizer disto?
            Foi pedido a Desperado que apresentasse alguma prova que Saramago não pagava impostos. em Portugal.Não o fez.Não se conhece nenhum documento público ou privado credível, que o diga.
            Mas mesmo assim Desperado tem esta pérola:
            ” só mesmo pedindo a declaração de IRS do saramago, para vermos que esta vazia, mas seria pouco etico fazer tal coisa”
            Arroga-se uma afirmação tola e descabida?Não só.Arroga-se uma insinuação que é no mínimo pouco honesta,porque não há mesmo qualquer evidência que Saramago não tenha pago os impostos em Portugal.E o que resta é este atirar o barro à parede patético e triste.

            Mas há mais.
            O autor deste post diz:
            ““Já agora, das notícias que li, nunca foi referido pelo Estado Espanhol ou Português que Saramago não pagava impostos.”
            Responde Desperado:
            “Não diz, porque o que ele fez é legal, se é etico, depende da consciencia de cada um.”

            Como?
            Não pagar impostos é legal?

          • De diz:

            José Saramago nasceu em 1922 e morreu em 2010..Pelo meio uma vida de trabalho.Escreveu como poucos e teve honras excepcionais em vida. É sobre este personagem impar que desperado diz o que diz.Nunca ninguém disse de forma sustentada que o escritor não pagava impostos.

            “Desperado mentiu.E mentiu desta forma abjecta”.
            Porque o digo?

            Cito-o de novo:
            -”.deu os seus impostos a Espanha….saia mais barato….alé patria alé….
            agora de um comuna é muito estranho”
            -”O saramago pagava impostos em Portugal???? Não me diga que pagava impostos atraves da sua Fundação saramago que está isenta de tributação??? será isso???”
            -”ó Toni Lopes, se a minha estupidez é vasta, ja temos algo em comum…..o Saramago pagava impostos em Portugal??? pagava a quem?? ao partido comunista???? Porque no Estado nunca entrou um centimo de impostos do comuna!”
            -“Em Portugal, garanto-lhe que o Saramago nunca depositou um centimo de impostos. Tem a sua fundação, de utilidade publica, isenta do pagamento de impostos.2

            Uma única prova era o que se pedia a Desperado.Sobrou este nada.
            Que cada um avalie os processos ( e não só) de desperado

            ( e nem vale a pena referir outros pequenos procedmentos como o “oérolas a porcos” ou o otário”.)

            Acabou

          • Gabo-lhe a paciência De.

            Cumprimentos

  2. JgMenos diz:

    Autorizar, licenciar – não é privatizar!
    Privatizar – não é abandonar ou perder o controlo!
    A anarquia é sonho que sempre acabou em desordem e autoritarismo.

    • Carlos Carapeto diz:

      A Anarquia é uma utopia politica e social maravilhosa. Um sonho saído dos grandes pensadores indignados com a desordem social, basta ler Bakunine, Kropotkine. E quem não sonha? O sonho anda sempre uns passos à frente do homem.

      Desordem, autoritarismo , pobreza, desigualdades, atraso e obscurantismo é o que o sistema capitalista desde sempre contemplou a humanidade.

      Faz hoje anos que o sistema capitalista mostrou a sua melhor faceta com a destruição de Hiroxima, assassinando selvaticamente milhares de civis inocentes, a grande maioria crianças, mulheres e idosos.

      • JgMenos diz:

        Utopia sem dúvida, o que se traduz por não ter lugar entre os humanos!
        Quanto a Hiroxima, é mera aritmética dos ‘mortos a sofrer/ mortos a infligir’ que sempre esteve presente em guerras, que como bem diz nos reportam à selva.
        Vai-me dizer que as guerras são um produto do capitalismo; e o capitalismo é produto do….e por aí vamos até ao australopitecus … e além, numa selva sempre presente, que sempre tem lugar e que não desaparece pelo acto voluntarista de a ignorar. Bem pelo contrário, ignorá-la é abrir caminho a que se manifeste por ínvios caminhos e sem controlo; o humano, na sua desigualdade, livre arbítrio e inevitável desordem, permanece, por muito que os amantes das luzes concebam os armários mais exaltantes!!

        • Carlos Carapeto diz:

          Hiroxima justifica-se? E que opinião tem acerca de Katyn?

          Portanto a devastação do Vietname, a participação no golpe militar de Lon Nol no Camboja que abriu a porta a Pol Pot para a tomada do poder, As orgias de sangue na Indonesia e Timor, o apoio prestado às ditaduras na América Latina, as agressões ao Afeganistão, Iraque, Libia, só para lembrar estes casos. Não são um produto do capitalismo?

          Portanto o progresso da humanidade acontece só onde mais interessa? Na barbárie tudo como nos primórdios do ser humano.
          O homem não se consegue separar das suas origens selvagens, é isso que pretende dizer? No seu entender são essas as causas das guerras. Não existem outros interesses subjacentes?

          Com essa ladainha não está a dizer nada de novo. Está apenas e só a tentar justificar os crimes hediondos praticados por o sistema em que se revê.

        • De diz:

          Inevitável desordem, livre arbítrío e desigualdade.A que se associam os “amantes das luzes” e os armários (exaltantes?São onde Menos pratica os seus exaltantes actos?)
          Por outras palavras a confissão solene e desavergonhada dum facto há muito sabido.
          Os defensores de selva na socidedade humana não só a defendem como inevitável como também a protegem da interferência da razão humana,
          Até Hiroshima parece ter justificação para tais seres
          Uma outra face do horror .Uma outra face da necessidade de,para que Humanidade levante a cabeça, colocar no seu devido lugar quem tudo faz para manter a canga da exploração

    • Já agora que se regule também a rotação da terra antes que os mercados fiquem tontos.

      E este imposto sobre o consumo do sol está bem longe do autoritarismo e é uma clara defesa do interesse comum…das empresas de energia.

  3. carlos diz:

    Acha mesmo que isso é verdade?

    há com cada um que acredita em tudo o que lê no facebook

    • Meu caro,

      antes de postar alguma coisa aqui faço a minha pesquisa. Não sendo jornalista tenho algum conhecimento do que fazer com a verificação e validação da fiabilidade da informação. O carlos não me conhece e portanto pode duvidar da minha competência e seriedade, mas com o passar dos posts espero que isso seja ultrapassado.

      Fazendo uma generalização algo grosseira, também a dita “era de informação” frequentemente adopta o modelo de sociedade de consumo desenfreado de notícias e de propaganda e contra-informação, e facilmente uma notícia fabricada pode dar a volta ao mundo enquanto a verdade veste as calças se o código deontológico não for respeitado. Como lhe disse, não sou jornalista, mas pode acontecer um dia eu “cair” na esparrela também. Estarei aqui para reconhecer o erro.

      Agora o Carlos pode continuar a não acreditar. Mas que os há (os impostos), há…

      Se não acreditou em mim, talvez acredite no El País (o de Espanha, e não o da Costa Rica onde a notícia começou a ganhar fulgor):

      http://sociedad.elpais.com/sociedad/2013/07/20/actualidad/1374338420_206181.html

      Se não acreditar neste insólito, faça você mesmo uma pequena pesquisa no Google e perceba que esta ideia afinal não é tão “insólita” assim. A ganância e a sede de lucro nunca conheceram fronteiras.

  4. Oh fascista desesperado, para que saibas, pois a tua inteligência é limitada e a estupidez é vasta, o camarada, Nobel da Literatura, vivia em Espanha, exilado por força do esbirro de Boliqueime e do seu ajudante, mas pagava os seus impostos em Portugal, país que o maltratou mas do qual nunca renunciou. Para a próxima esclarece-te melhor para não dares coices com as tuas opiniões.

    • Dezperado diz:

      ó Toni Lopes, se a minha estupidez é vasta, ja temos algo em comum…..o Saramago pagava impostos em Portugal??? pagava a quem?? ao partido comunista???? Porque no Estado nunca entrou um centimo de impostos do comuna!

      • De diz:

        Mais uma vez a face visível de Desperado a mostrar o nível da educação que teve.
        De facto Portugal recebeu impostos de Saramago.O rapaz pode perguntar aos seus progenitores desesperados o significado de tal afirmação.
        A idiotia não merece mais esclarecimentos

        • Dezperado diz:

          ó meu grande ótario, mas alguem te chamou para a conversa?

          • Dezperado,

            até ver ainda não tinha ‘censurado’ nenhum comentário. Insultos já vão para lá do tipo de discussão que pretendo ter aqui. Este vai passar, como aviso. Cortesia que não se vai voltar a repetir.

          • Dezperado diz:

            Tem toda a razão Alexandre e por isso peço desculpa.

            Mas otário, parece-me mais brando que “fascista desesperado”

          • De diz:

            Ainda não é desperado que condiciona a participação no debate,mesmo que tenha apresentado desculpas pela sua grosseria.
            Mas o que esperamos de desperado é também outra coisa.Que nenhum pequeno insulto pode fazer esquecer

          • Dezperado diz:

            ó De, espero que com a tua inteligencia acima da media, e como dono da verdade que julgas ser, tenhas tido a capacidade para perceber que as desculpas são pedidas ao autor do post, não a ti. Agora vai la continuar o trabalho de bobby que pode ser que um dia te ofereçam um espaço aqui no 5 dias como blogueiro.

          • De diz:

            ?
            Que desespero é este?
            Que educação esmerada a deste rapaz

Os comentários estão fechados.