Referendo na República Popular de Donetsk e Lugansk. Uma importante vitória política.

O Putin desmarcou-se, Merkel+Holland balbuciaram umas críticas e vãs ameaças (aqui), os EUA condenaram e a junta fascista de Kiev mandou grupos de homens armados impedirem a votação (aqui, aqui e aqui), em Krasnoarmeysk, mais uma vez, feriram e mataram civis desarmados (aqui). No entanto, apesar de toda a campanha de terror e intimidação da junta de Kiev, a participação no referendo foi massiva.

Na região encontram-se inúmeros repórteres a cobrir os eventos para os mass-media ocidentais, todos eles são unânimes ao afirmar que o referendo foi muito participado (aqui, aqui, aqui, aquiaqui, aqui, aqui, aquiaqui, aqui, aqui e aqui).

Fila para votar em Donetsk

Fila para votar em Donetsk

Votação em Kurakhovo

Votação em Kurakhovo

Votação na cidade Heróica de Mariupol

Votação na cidade Heróica de Mariupol

Obedeceu esta votação a todos os parâmetros jurídicos requeridos? Não. Formalmente os procedimentos seguidos tiveram várias lacunas? Sem dúvida alguma. Aliás, dificilmente poderia ser de outra forma, parte da infra-estrutura burocrática das regiões está contra a República Popular, a junta de Kiev tentou ao máximo intimidar a população e sabotar a logística do referendo. Poderá saber-se com exactidão quantas pessoas foram votar? Não. Foi todo o processo muito “irregular”? Claro, tal como é qualquer acto Revolucionário e é exactamente isto que este referendo foi. Um acto revolucionário de emancipação do jugo do FMI+NATO+UE+Nazis!

Dito isto, politicamente, o referendo foi um enorme triunfo.

  • Contou com uma massiva participação popular, ninguém minimamente sério poderá a partir de agora dizer que a República Popular são meia dúzia de homens armados enviados por Moscovo e que aterrorizam a população local. Ficou demonstrado para todos os interessados, a começar pela própria população, que a República Popular tem uma base de apoio alargada na região. Estou certo que isto irá aumentar o moral da resistência.
  • Apesar de todas as irregularidades e das tentativas de sabotagem, a verdade é que o referendo decorreu num grande número de localidades e no principal centro populacional, Donetsk, praticamente não houve incidentes. A junta de Kiev bem tentou impedir isto, mas não conseguiu.
  • Em termos logísticos e organizacionais esta foi uma enorme façanha. Apesar da oposição dos Oligarcas e de parte do aparelho de estado da região (para não falar da oposição internacional), a República Popular conseguiu convocar vontades suficientes para concretizar o referendo.  Aquilo que começou por ser uma ocupação simbólica de um edifício (quase ao estilo “Acampada do Rossio”), ganhou estrutura e raízes suficientes para organizar um evento desta dimensão, com todos estes obstáculos, em quase todo o território de Donetsk e Lugansk.

Este referendo vem reforçar a legitimidade da República perante a população local, os seus aliados internacionais e até outros actores internacionais. É certo que ninguém irá reconhecer os resultados (se calhar nem a Rússia…), mas a República é agora um agente incontornável neste conflito e seja qual for o tipo de resolução que esta crise tiver, continuação da luta armada, negociação (ou ambas…), a República Popular será uma parte envolvida… É interessante verificar que os repórteres ocidentais que antes invocavam em tom de gozo a “República Popular de Donetsk”, começam agora a mudar de tom e a reconhecer a República como uma realidade política incontornável.

Acima de tudo há que destacar a legitimidade conquistada pela República aos olhos das massas. Há um longo caminho a percorrer, mas a população que resiste no sudeste à agressão da Junta fascista de Kiev, à dominação corrupta dos Oligarcas, aos planos de saque do FMI, à Nato e à UE obteve hoje uma importantíssima vitória política. Falta ainda clarificar muito do que será o programa político desta República (ler isto e isto), mas foi dado um importantíssimo passo em frente.

Para muita gente aquilo que se está a passar no sudeste da Ucrânia é incompreensível… Uma população que se ergue para rejeitar o “sonho europeu”??? A vontade que se vê em tanto povo de reconstruir a “falhada” União Soviética??? “Devem estar a alucinar”, dizem os fariseus ao serviço do Imperialismo e do grande capital… O Ocidente “democrático” e tão “liberal” a apoiar e incentivar Nazis??? “o quê? Não pode ser! Isso é propaganda Russa” dizem os mesmos fariseus, recusando-se a olhar para a realidade…. Como é possível que as praças se encham de gente e se canta a plenos pulmões o hino da URSS e todas as lendárias canções da Revolução Russa e Grande Guerra Patriótica?

Todas essas reacções (diria até dissonância cognitiva) que vejo em analistas, repórteres e muita boa gente que por aí anda faz-me lembrar a reacção das tropas Inglesas quando se renderam em Yorktown aos insurgentes das colónias que lutavam pela sua auto-determinação… Os soldados de sua majestade renderam-se aos “terroristas” liderados por Washington que andavam a aterrorizar os leais súbditos da coroa e que de forma ilegal declaram a independência das colónias pertencentes à coroa… Reza a lenda que aquando da rendição a banda das tropas inglesas tocou uma marcha chamada “O mundo está de pernas ao contrário“, uma velha canção dos tempos da Revolução Inglesa… Pois é, o “mundo está de pernas ao contrário”, quando há uma Revolução é mesmo isso que acontece.

Para quem quer ter acesso a mais informação, a variadíssimas fontes e análises acerca dos eventos em curso na Ucrânia aqui está a ligação à série de artigos que têm vindo a ser publicados neste blog.

Esta entrada foi publicada em 5dias com as etiquetas . ligação permanente.

159 respostas a Referendo na República Popular de Donetsk e Lugansk. Uma importante vitória política.

  1. Joao Pereira diz:

    Muita estranha a excitação louca com o que pode ser o principio de uma Guerra de proporções gravíssimas. O que se passa na Ucrânia passou-ne na Checoslováquia e na Austria nos anos 30 … o actor de bastidores era então a Alemanha de Hitler em vez da Russia de Putin.

    • imbondeiro diz:

      O senhor tem consciência do disparate de dimensões astronómicas que acabou de escrever? O senhor terá a mínima noção do que é o insulto sem nome para qualquer governante russo (ou para qualquer russo amante do seu país) o aproximá-lo das acções da Alemanha nazi? O senhor tão simplesmente acabou de vilipendiar, com o seu inteligentíssimo e informadíssimo comentário, as 1700 cidades, as 70000 vilas, os 6 milhões de edifícios, as 84000 escolas, as 43000 bibliotecas, os 40000 hospitais e os 400 museus que os nazis reduziram a cinzas na URSS. Mas, acima de tudo, o que o senhor acabou de fazer foi achincalhar a memória dos 27 milhões de homens, mulheres e crianças da antiga URSS que foram mortos pelas hordas nazis. Como se atreve?

      • Joao Pereira diz:

        Motivações idênticas, apoiadas por fanáticos de palas (neste caso v.exa. e o caríssimo “Francisco”) idênticos.

        • Francisco diz:

          Vamos a ver, quase 20 textos sobre a crise na Ucrânia. Cada um deles com uma extensa lista de fontes de vários matizes e divulgando visões de vários campos ideológicos. Uma análise baseada nos factos e em interpretações de várias fontes. Mas depois este indigente intelectual acusa-me de “fanático de palas”… Há gente que não tem mesmo um único pingo de vergonha na cara…

        • imbondeiro diz:

          Isso quer dizer o quê? Fanatismo é o quê? Cometer a hedionda estupidez de aproximar Putin a Hitler e de fazer analogias entre o III Reich e a Federação Russa é a sua inteligente contribuiçãozinha para o debate? E o fanático sou eu?!!! Ó caro senhor, não me faça rir que o assunto é sério.
          Lave a boca, meu caro senhor, lave a boca e penitencie-se pelo facto de ter cuspido sobre a memória daqueles cujo sangue derramado e cujos sofrimentos indescritíveis foram o álfa e o ómega da derrota total da Alemanha nazi. Mas, se calhar, é mesmo esse o seu problema…

        • De diz:

          Sejamos objectivos.
          A evidência dos factos reduz este pereira não a um fanático mas a outra bem pior.
          Porque a classificação de”fanático ” deriva geralmente duma atitudo negacionista por parte de quem assim classifica os seus adversários.Negacionismo dos crimes do nazi-fascismo nos idos tempos das décadas dos anos 30 e 40 do século passado e dos crimes da escumalha herdeira dessa mesma canalha insuportável

          E a atitude negacionista origina outra atitude ainda mais abjecta: o colaboracionismo directo ,sem rebuços, sem peias, sem vergonha com os crimes nazi-fascistas.Com o ar de dandies fazem lembrar os que se negavam a ver a serpente sair do ovo na alemanha nazi. Com a tomada do poder por hitler em 33 alguns destes tornaram-se torcionários nas famosas SS.Perderam então o verniz e assumiram por cobardia ou por convicção a saudação da manápula estendida.

          No final da guerra alguns tiveram a sorte merecida.Outros andaram durante décadas a dizer que “não sabiam”

          O pereira depois dirá que “afinal não conhecia os factos?Ou aproveitará a onda para…?

          Matar a serpente ainda no ovo.É a única solução profiláctica para o futuro da humanidade

    • Carlos Carapeto diz:

      Mas foi Putin que despoletou a crise na Ucrânia?

      Esforce-se mais um pouco vai ver que é capaz de fazer um exercicio de honestidade.

      • Joao Pereira diz:

        Não Carlos, as forças anti-nazis (como lhes chama o Francisco) munidas de armas automáticas sofisticadas e caras tapadas são apenas alegres camponeses Ucranianos que estão numa vendeta importante contra as forças radicais da UE+Nato+Kiev Nazi … é isto e comer gelados com a testa.

        • De diz:

          Contra factos não há argumentos.
          As forças anti-nazis( como de facto o são ,por mais que isso doa à sua alma) estão equipadas com armas ligeiras.
          Do outro lado têm o exército e forças mercenárias com o seu equiipamento..

          A realidade é de tal forma patente que os “comentários” desse jaez são cada vez mais reduzidos e limitam-se aos círculos mais boçais dos media. Tal como a serenata pífia das forças especiais russas a combater no leste da Ucrânia ou a contestação ao Kiev parido do ventre de Maidan estar apenas limitado a meia dúzia de saudosistas.

          A imagem das filas de pessoas a votar, com risco da própria vida, fez os comentadores da Voz do Dono não só comerem gelados com a testa mas colocou-os em posições ainda mais ridículas.E humilhantes

          • Joao Pereira diz:

            Independentemente do Governo que assumiu o poder em Kiev ser isto ou aquilo .. sinceramente pouco me interessa … é facto que a Ucrânia foi invadida por um louco com desejos imperialistas chamado Putin. Não consigo sequer compreender o que vos vai na cabeça para achar que esta demonstração de total desrespeito pelo direito internacional é legitima. Também não percebo como é que perante tal aversão ao mundo globalizado, democrático e capitalista, não pegam nas vossas coisas e vão viver para Cuba, Coreia do Norte ou para uma ex-republica soviética qualquer que tenha um Lenine local … era o que eu fazia se isto virasse uma republica socialista, podia era optar por ir para destinos mais simpáticos como Paris, Londres ou NY.

          • Francisco diz:

            É sintomático de quão intelectualmente desonesto és (ou simplesmente ignorante). Esse vídeo é uma reportagem na Crimeia.
            Vê agora os vídeos dos mesmos reporteres em Donetsk e arredores (a que já tinha linkado nos meus posts!!!!!!!!)
            É MESMO A VICE NEwS QUE AFIRMA QUE EM DONETSK E LUGANSK OS HOMENS ARMADOS SÃO LOCAIS OU VOLUNTÁRIOS RUSSOS, NÃO SÃO “AGENTES ESPECIAIS”…Mas enfim aqui em Portugal os lacaios do império recebem tudo em segunda mão e estão uns mesitos atrasados em relação aos seus próprios mestres… Todas estas reportagens dão bem ideia do carácter GENUÍNO E POPULAR da resistência à junta fascista no leste da Ucrânia.

            On Monday, pro-Russia protesters stormed a police station in the eastern Ukrainian city of Horlivka.
            https://news.vice.com/video/russian-roulette-the-invasion-of-ukraine-dispatch-twenty-six

            When Simon arrived, it seemed that the airfield was still under Ukrainian control, but the pro-Russia protesters were outside preparing to seize it. Once the head of the anti-terror operation appeared outside the base, the commander was accosted by the protesters until he retreated back inside — so much for his anti-terror operation.
            https://news.vice.com/video/russian-roulette-the-invasion-of-ukraine-dispatch-twenty-seven

            Elsewhere, a crowd of pro-Russia protesters stopped a column of Ukrainian troops in Kramatorsk and made them disarm. VICE News correspondent Simon Ostrovsky was on the scene as Ukrainian forces disarmed their weapons and vehicles.
            https://news.vice.com/video/russian-roulette-the-invasion-of-ukraine-dispatch-twenty-eight

            Just an hour before he was kidnapped by pro-Russia forces, VICE News correspondent Simon Ostrovsky interviewed two Russian Cossacks in Kramatorsk.
            https://news.vice.com/video/russian-roulette-the-invasion-of-ukraine-dispatch-thirty

            On the morning of May 1, a pro-Russia militia guard post on the outskirts of Krasnoarmeysk was attacked by Ukrainian forces (reportedly Right Sector members) — taking 11 local militia men with them.
            https://news.vice.com/video/russian-roulette-the-invasion-of-ukraine-dispatch-thirty-three

            Halfway through, it was announced that there had been deadly clashes in Mariupol, a port city to the south. VICE News headed down there to investigate the clashes that proved to be another major escalation in the Ukrainian crisis.
            https://news.vice.com/video/russian-roulette-dispatch-thirty-six

            pst…. Estes ignorantes querem “ensinar o pai nosso ao vigário”

          • De diz:

            Facto?
            Qual facto?
            A Rússia invadiu a Ucrânia?
            Mas onde estão os factos?

            Refere-se João pereira à Crimeia? Mas a Crimeia já não foi aqui bastamente discutida para agora vir tardiamente replicar o caso por parte de João pereira?

            Onde estão as tropas russas a invadir o leste do Donbass?

          • Francisco diz:

            Esta gente é tão indigente intelectual que andam uns meses atrasados.

            João, faz um favor, vai ler os textos aqui publicados à coisa de um mês, até te ajudo. Procura aqui:
            https://5dias.wordpress.com/tag/ucrania/

          • De diz:

            “Independentemente do governo que tomou o poder em Kiev”?

            É algo que não interessa ao J pereira?

            Mas era o que mais faltava. Desde quando é que a natureza do poder não “interesa para nada”?
            O poder tomado pelos nazis na Alemanha foi algo que não interessou mesmo nada
            A tomada do poder em Kiev por um bando de extremistas de direita não interessa para nada
            Mas porque motivo quem se vê ameaçado pela besta tem que aceitar golpes de estado em que os nazi-fascistas estão em força e aplicam as suas leis?

          • De diz:

            Demonstração do total desrespeito pelo direito internacional?
            Mas que macacada é esta?
            Mas quem define o”direito internacional”?
            São os EUA? O João Pereira a replicar as mesmas beatices ouvidas em media beatos his master voice?

            Uma voz autorizada, a de Noan Chomsky:
            “Por lo tanto, el crimen internacional más grave de esta era, la invasión de Irak por EE.UU. y Gran Bretaña, no fue una ruptura del orden mundial porque, aunque no obtuvieron apoyo internacional, los agresores no cruzaron líneas rojas rusas o chinas”

            Al oír la crítica de Occidente sobre el retorno de Crimea bajo jurisdicción rusa, Chomsky trae a colación un caso que Washington no reconoce: “El control estadounidense de la bahía de Guantánamo, en el sureste de Cuba. Fue arrebatada a punta de pistola a Cuba en 1903, y no ha sido liberada pese a las constantes demandas cubanas desde el triunfo de la revolución en 1959”.

            “Crimea pertenece históricamente a Rusia. Cuenta con el único puerto de aguas cálidas en Rusia y alberga la flota rusa, además de tener enorme importancia estratégica. Estados Unidos no tiene ningún derecho sobre Guantánamo, de no ser su monopolio de la fuerza”, enfatizó Chomsky.

            (Mas que pobreza de argumentação é esta?
            A do readers digest do merceeiro da esquina lido na TV pelo marques mendes em coro com o relvas e sob os aplausos do portas)

          • De diz:

            ” mundo globalizado, democrático e capitalista”?

            Mas onde está este tipo? O mundo globalizado é o democrático?Ou será que democrático é o capitalista?Mas a Arábia saudita onde governam os fanáticos aliados dos EUA são democráticos?São do ocidente?

            Mas um país que espia todo o mundo e mais algum , à revelia do mundo todo e violando o direito internacional ( é preciso pôr maiúsculas ou tal é desnecessario?) é democrático?
            E um país que utiliza a tortura como doutrina de estado,veste as cores da democracia?

            E a identificação do capitalismo com democracia também parece encalhar na posiição ideológica do J pereira e em mais nada.Mas não é o capitalismo que põe em causa a democracia social,económica ,cultural? Mas então onde está a democracia?

            Sobram mais uma vez os múltiplos exemplos de países capitalistas onde reina o teror e a violência anti-democrática.

          • De diz:

            Mas a pesporrência anti-democrática nasce pelos poros dos mais “democráticos” comentadores.

            A opção do J.Pereira era a de aconselhar os demais “a emigrarem”.(Onde já ouvi isto?
            O troikista do primeiro-ministro,logo secundado pelo corrupto relvas, acho)

            Mas porque diacho esta mania caceteira de “afastar” os naturais de uma região, só para conforto dos que querem à viva força manter o seu status quo?
            Porque não aceitar que quem nasce numa terra, tem todo o direito de nessa terra continuar e de nessa mesmíssima terra criar condições para que a exploração duns miseráveis sobre os demais acabe de vez?

            O Pereira pode ir para os destinos que quiser, sejam os da democrática kiev de maidan, seja a democrática colômbia, seja o estado orwelliano dos states. As opções são as dele. Mas que não queira que todos obedeçam ao seu credo ideológico convertido em missa pseudo-turística.

        • Carlos Carapeto diz:

          O Franciso usa o termo certo. Forças anti nazis. Veja se arranja um nome mais adequado.

          Uma pergunta ingenua.

          Porque motivo a uns é permito tapar a cara e a outros não ?

          Protestos pacificos em Kiev, manifestantes com a cara descoberta?

          Se dispõe de imagens com este tipo de brutalidade praticada contra as forças da ordem (assim já lhe soa bem ?) por esses ditos camponeses coloquei-as aqui. Agradeço!

          E não sabe que a Ucrânia vive hoje numa situação de guerra civil aberta. Quer que lhe lembre quem a iniciou?

  2. Nuno Cardoso da Silva diz:

    Muito bem! Apoiado!

  3. Argala diz:

    Resultados de Donetsk à pergunta: “Apoia a declaração de independência da República Popular de Donetsk?”
    Participação de 74.87%
    Sim 89.07%
    Não 10.19%
    Nulos 0.74%

    Governo provisório formado por Denis Pushilin (Chefe de Governo), Ekaterina Gubareva (Negócios Estrangeiros), Igor Kakidzyanov (Exército Popular) e Sergei Ivanov (Comité Executivo).

    Toda a solidariedade com a República Popular de Donetsk !!!

  4. um anarco-ciclista diz:

    Eu só pergunto se o MAS já fez uma revisão das suas posições políticas sobre a Ucrânia, isto é: se reconhece o erro de ter andando a apoiar a revolução neo-nazi da praça maiden e se se retrata de ter caracterizado a reacção chamada de “pró-russa” como um fenómeno reaccionário…?

    • Francisco diz:

      Boa pergunta. Há cerca de um mês que o MAS não diz absolutamente nada acerca da situação. Sinceramente é bem melhor estarem calados do que a dizer barbaridades. Dá ideia que, de facto, deve estar a decorrer uma espécie de “reavaliação/auto-crítica” em relação à Ucrânia…

      • imbondeiro diz:

        Tal como na questão líbia, tal como na questão síria, depois de muito e grosso paleio “revolucionário” saíram de fininho pela esquerda… baixa… Ó anarco-ciclista, ó Francisco, vossemecês não têm tino, pá!!! Não façam barulho, catano! Lá estão vocês a desinquietar o soninho “low-profile” dos meninos rabinos que salivam mal ouvem a palavra “revolução”. Não se faz…

        • um anarco-ciclista diz:

          Eu acho que o MAs tem um problema sério de análise: ainda não percebeu que certas “revoluções” (Síria, Venezuela, Ucrânia) são fruto não da mobilização e acção da classe operária e dos sectores progressitas da sociedade mas, plo contrário, são fruto da acção dos sectores mais reaccionários (fundamentalistas na síria, burguesia estudantil + lumpen na Venezuela ou neo-nazis na ucrânia) apoiados e financiados plos U$A e U€.

          Se dúvidas restassem, a Ucrânia é p exemplo de como os nazi/fascistas podem ganhar as ruas e mobilizar parte da sociedade…

      • imbondeiro diz:

        Caro Francisco:

        “Reavaliação”? “Autocrítica”? O meu amigo anda cá um condescendente… Essa malta não se preocupa com coisas dessas, pois são meninos que “nunca se enganam e raramente têm dúvidas” nas suas afinidades electivas. Do que eles estão à espera é da próxima bernarda num outro sítio qualquer, para verem se, dessa vez, acertam no palpite. É que os meninos gostam muito de jogar à “raspadinha da revolução”.
        Saudações.

        • De diz:

          Mas o que é mesmo grave são as consequências destas “raspadinhas da revolução”.

          Fortalecem o lado do inimigo, depauperam o lado que devia ser o seu e estão-se friamente nas tintas para as consequências que recaem sobre os povos, que são chacinados ao som dos hinos de liberdade made in nato, made in usa e made in coro de hárpias virginais solidário com os verdadeiros torcionários

    • Argala diz:

      Essa bonecada e os estarolas do berloque.

  5. As pessoas que criticam as «irregularidades» deste referendo talvez se devessem lembrar das irregularidades da eleição do senhor George Bush jr, (em 2000 – contra Al Gore) designadamente no Estado da Florida onde, por mera coincidência, o governador era o irmão do dito cujo senhor George Bush jr.

  6. Camarro diz:

    Dois apontamentos apenas:

    1- A expressiva participação popular deveria fazer corar de vergonha as muito respeitáveis democracias ocidentais onde a abstenção aumenta de eleição para eleição;

    2- Aqueles que dizem que os referendos não têm legitimidade são os mesmos que consideram perfeitamente legítimo um presidente eleito ser destituído à paulada por um bando de nazis.

    • De diz:

      E os mesmos que apelavam em vozes críticas e ameaçadoras, logo replicadas pelos media em uníssono, da necessidade de contenção das forças da ordem perante Maidan e que agora acicatam o exército e as hostes nazi-fascistas a “cumprirem o seu dever” de torcionários para com os povos do leste da Ucrânia

  7. kestamerda?! diz:

    tão mas tá tudo parvo, ou quê?!… chegámos à parvónia?!… são assim tão ignorantes que não se conseguem abstrair de todo um pensamento político verdadeiramente idiota?!… tão mas vivem em que século?!… francamente!

    • De diz:

      Pois é mesmo isso.O nazi-fascismo está a renascer, com o apoio devoto dos EUA e da UE.
      E a besta combate-se no seu ninho.Sem contemplações

      • Então De, o que queres dizer com isso? Que estás com vontade de exterminar os indivíduos que desconheces mas que estás certo serem uma encarnação demoníaca dos cavaleiros da SS?
        Pá, vai a um médico ver isso. Enquanto é um problema de saúde dá para resolver. Pior é quando já se torna um problema legal, e aí já é tarde de mais.
        (sim, eu sei que isto é a Internet, e que ninguém pensa no que diz, e que estás anónimo e te podes armar aos cucos fortemente, mas incitação à violência continua a ser um crime, pelo menos da última vez que verifiquei. E normalmente reflecte algum problema mais profundo… e com essas coisas não se brinca).

        • Francisco diz:

          Ui ui que medo! o menino agora anda a fazer ameaças… é bem revelador do teu carácter. És PATÉTICO. Quase tanto como teu ídolo “Yats” o lacaio da Nuland, corrupto até ao tutano, que ameaça por a Gazprom em tribunal porque… porque a Gazprom exige que a junta fascista pague a conta do Gás que consome!!! (aqui)
          Voçês estão mesmo bem um para o outro, tal como o filho do vice presidente dos EUA Biden que imagine-se, no meio desta crise e umas semanas depois do papá ter ido a Kiev dar apertos de mão aos Nazis foi nomeado chefe do departamento jurídico da maior companhia de gás privado da Ucrânia (aqui e aqui).

          Há aqui muitos interesses e negócios em jogo, daí se explica a raiva e o desespero de figuras como o TS que negando a realidade defendem com unhas e dentes os negócios do FMI+UE+NATO+NAzis na Ucrânia…

          Queriam não queriam? Mas foram com muita sede ao pote, essa é que é essa. Donetsk e Lugansk (30% do PIB da Ucrânia e mais de 10% da População) já foi!

        • De diz:

          “Pá? O que queres dizer com isto? Vontade de exterminar os indivíduos
          Vai a um médico?”
          Mas desde quando esta “coisa” tem carta de alforria? Pensará que está em convívio coloquial lá no quintal da agremiação familiar, partidária ou o que quer que seja?

          “Crime? Armar aos cucos? “da última vez que verifiquei?
          Mas ninguém ensinou a esta “coisa” que a lei não é função da verificação ou não do TS nem do conhecimento ( ou ignorância) da dita por parte do mesmo TS?

          Citemos a lei fundamental do país:
          “Portugal reconhece o direito dos povos à autodeterminação e independência e ao desenvolvimento, bem como o direito à insurreição contra todas as formas de opressão”
          Artigo 7º – 3

          ” Não são consentidas associações armadas nem de tipo militar, militarizadas ou paramilitares, nem organizações racistas ou que perfilhem a ideologia fascista.”
          Artigo 46- 4

          Eu vou repetir para que até mesmo o TS perceba:
          “A besta combate-se no seu ninho.Sem contemplações”

          Estas imagens mostrando a execução sumária de um cidadão por elementos do Sector de Direita Ucraniano, são de uma violência extrema.
          http://de.ukraine-human-rights.org/rechter-sektor-hangt-ukrainer/.
          Estes são os assassinos pelos quais TS estremece e chora.

          Agora não me apetece dizer mais

  8. Este blog é uma comédia. Juro que a primeira coisa que faço de manhã quando chego ao trabalho é ler isto: deixa-me bem disposto rir logo de manhã😀

    Vá, tomem lá links que vocês gostam tanto :http://www.aljazeera.com/indepth/opinion/2014/05/ukraine-vs-russia-mafia-state–2014512164523249486.html (cuidado, isto é dos capitalistas da Al Jazeera, esses porcos imundos).

    E vocês também gostam de citações (sei que na maioria das vezes tudo o que venha corroborar o vosso ódio a tudo e todos é bem-vindo, e se vier pela forma de citação para que não tenham que pensar e apenas repetir, perfeito).
    Assim, tomem lá algumas tiradas do mesmo lugar:

    * Although they called it a referendum, it was abundantly clear that the poll was neither fair nor representative.
    * The region is gripped by terror that is sown primarily by the insurgents. They have kidnapped dozens of Ukrainian activists and politicians. Three of them were found in a river near Sloviansk, the epicentre of the insurrection and the main rebel HQ, with signs of torture and their bellies cut open.
    * The insurgents didn’t have access to updated lists of voters, commissions at polling stations were comprised of people appointed by rebel commanders and there were just a handful of polling stations in large cities like Donetsk (population 1 million) and Mariupol (population 500,000).
    * The latter fact combined with the genuine support for unification with Russia by a significant part of the locals (around 30 percent, according to various polls) led to massive crowds forming in front of them. Pictures of these crowds were delivered to the Russian TV audience as a proof of universal support. It seemed that obtaining these pictures was the main reason for holding the vote.
    * Kremlin propaganda is pushing the narrative of “oppressed” Russians rising against “the artificial state” of Ukraine on the lands that “accidentally” became a part of this country as a result of the Soviet collapse in 1991. This image appears to be very far from the truth when you actually travel in Donbass.
    * Educated, middle-class people tend to support a united Ukraine, even though practically 100 percent of them are Russian-speakers. Supporters of separatism are largely comprised of pensioners and state employees craving for paternalist social state, like the Soviet Union. _(Estes capitalistas egoístas, era limpar-lhes o sebo)_. They are mixed with members of local criminal gangs and employees of law-enforcement agencies, which in a highly criminalised region like Donbass is largely the same social group. _(O quê?? Criminosos a apoiarem confusão? Onde já se viu isto? O que vale é que na grande mãe Rússia não há criminosos)_.
    * Western politicians and media accuse Russia of imperialism and revanchism, reducing the extremely complex Russo-Ukrainian mutual history and densely intertwined cultures to the primitive and rather unhelpful empire-colony model. (O quê?? Um jornal capitalista a descrever que o “Oeste” também está a agir mal e não compreende a situação?? Hackaram-lhes o site, é a única explicação!)
    * At the same time, Russian propaganda is peddling a ridiculous grotesque image of Ukraine being taken over by extreme nationalists, who – it claims – want to ban the Russian language and eliminate every bit of Russianness in a country, where at least half of the population speaks Russian in daily life. _(Tudo mentira: não existe propaganda russa. É tudo verdade: a junta faascista é composta por demónios de toda a natureza!)
    * When I was talking to supporters of the separatists in Donbass, they were telling me horror stories about the Ukrainian government planning to introduce special passport stamps for people without ethnic Ukrainian heritage with the view to their further deportation, or about Kiev planning to stage an artificial famine in Russian-speaking regions. Despite the outlandish nature of these accusations, they seemed to sincerely believe that those were genuine threats. _(E são, pá! Não é propaganda russa: é a verdade! Os gajos de Kiev vão matar toda a gente que fale russo! Aliás, já vieram a público dizer isso mesmo, e se não vieram, estão a planeá-los, porque eu consigo ler-lhes os pensamentos!)_.
    * Apart from being deeply flawed, the ethno-political discourse diverts people’s attention from the root of the problem. The essence of the battle under way in Ukraine, as well as in Russia and other former Soviet countries, is best described by arguably the most popular (and definitely the shortest) slogan of the Ukrainian pro-democracy movement. It goes “Bandu get’!”, which means “Down with the gang!”. By the “gang” people mean the extremely corrupt regime, linked to organised crime and backed by a cruel repressive apparatus that benefits from looting businesses and robbing individuals – a mafia state. Different versions of such authoritarian kleptocracy are now in control of all of the ex-USSR countries, except Baltic states and arguably Georgia. _(Outra mentira! Eu conheço bem ambos os países e sei bem que não há corrupção nem máfia, nem um bando de gatunos unidos ao Putin que reinam naquilo através de intimidação! Na mãe Rússia tudo é perfeito!)_

    Bem, isto continua, mas vocês podem ver por vocês mesmos (isto é, poderiam, mas aqui o problema é que essas mentes estão tão fechadinhas que não conseguem).

    (lamento, não arranjei a frase em russo – confesso que ainda não tenho um bom domínio da língua – e teve que ser em inglês, a língua dos porcos imperiais. Se precisarem de tradução, o google translator costuma ser porreiro (mas mais uma vez, é dos cabrões do nazis americanos, por isso deve haver outro site desenvolvido pelos livres e perfeitos russos, é uma questão de procurar – novamente, confesso que não procurei, mas há na Rússia bons profissionais na área da informática, alguns dos quais até tenho o prazer de dizer que já trabalharam comigo, e que deverá haver algo semelhante)

    Ah, e tenho a certeza de que nada disto é verdade. Os nazis é que estão a partir aquilo tudo. As milícias do povo ucraniano que são extremamente humanitárias e que, imbuídas pela pureza e força de Lenine, estão a sofrer os horrores e a fazer de tudo para evitarem estragar a vida de quem quer que seja.

    (PS. Como vocês dormem pouco, acho por bem esclarecer que estou a ser sarcástico no comentário inteiro, mas assim falo a língua que entendem e corre tudo pelo melhor. Continuem o bom trabalho deste blog. Já pus todos os meus amigos a ler isto e é interessante juntarmo-nos todos em frente a um computador a rir com isto).

    • Francisco diz:

      És mesmo básico e mais que isso, profundamente desonesto intelectualmente.
      1º – Em que é que todas essas citações contradizem o que quer que seja que eu afirmei no artigo?
      2º – “Os nazis é que estão a partir tudo”, nem mais. Basta ires à Skynews ou BBC e veres as notícias, basta até clicares nos links que disponibilizei no artigo (que linkam na maioria a mass media de “referência” ocidentais). No dia do referendo homens armados pró-kiev atacaram uma cidade e mataram civis desarmados, dois dias antes tinham feito isso em Mariupol. Já agora, as milícias da República de Donetsk em sítio algum dispararam sobre uma multidão de civis desarmados, desafio-te a negar isto.

      Mas enfim, tu não estás aqui para discutir de forma séria. És um ignorante sem qualquer capacidade crítica que regurgita o pior que a propaganda imperial oferece. És um provocador barato que só estás aqui para lançar calúnias e insultos completamente infundados.
      Mas é bom sinal, se escumalha como tu não se senti-se incomodada com as verdades que aqui são ditas então é porque estava a fazer alguma coisa mal…

      • Oh pá! Uma das coisas que até apreciava no blog era que não havia praticamente nenhum erro ortográfico. Mas agora com o “senti-se” deste cabo da cena.
        Por outro lado, deverias ter lido o comentário todo, e não só o final, e perceberias a quantidade de porcaria que escreveste no post. Assim obrigas-me (viste como se faz a hifenização?) a enumerar algumas:

        1. Não houve referendo nenhum. Houve – em poucas cidades – algumas pessoas (que parecem muitas, mas para o Putin tudo o que pareça algo que o favoreça é para passar distorcido em horário nobre) a irem votar numa questão que nem era clara nem fornecia alternativas.
        2. Não foi minimamente representativa (os 90% dão vontade de rir, e tu a vires falar de como a democracia lá funciona bem, e aqui ninguém vota nos libertadores do MRPP, ou ou da CDU, ou do PSOU ou o que raio seja).
        3. Foi feita com as cidades ocupadas por milícias armadas.
        4. Foi feita uma campanha enganosa à população, intimidando-os com mensagens como “os nazis voltaram! vamos fugir!”
        5. A população que não é totalmente desconhecedora da realidade e que não é massacrada com o medo espalhado pela propaganda não tem o menor desejo de se separar da Ucrânia, menos ainda de ser absorvida pela Rússia.
        6. Não existe nenhuma junta nem Nazis a tomarem conta da situação (apesar de sim, haver extremismos ligados a isso que tanto o governo como a população estão a fazer os seus melhores esforços para mitigarem).
        7. Não existe nenhuma camapnha contra os russófonos (aliás, conheço muitos ucranianos que não falam ucraniano, e não conheço nenhum que não fale russo, daí isto ser absurdo). Toda esta confusão começou quando o Putin a instigou, e não por ter havido alguma repressão ao russófonos após a saída do antigo presidente (que era um gajo porreiro😛 )
        8. A propaganda russa está ao nível da deste blog, e continua a debitar tretas á população na tentativa de lhes incutir tanto medo que os leve a ficarem extremistas – assim como vocês, diga-se.
        9. O problema da Ucrânia prendia-se com a gigante corrupção que lá existia (e que se nota em coisas tão pequenas como ir ao notário). Lutaram muito para se livrarem dela: não têm interesse em enfiar-se na Rússia onde a situação é ainda mais alarmante.

        Da próxima vez que me chamares ignorante (pá, novamente, isto é a Internet, podes escrever o que quiseres) deverias informar-te melhor. Este ignorante tem mais conhecimento de causa do que alguma vez hás-de ter e não recebe as notícias dele dos camaradas do partido lá na região que só pensam em partir coisas. E só estou a referir-me aqui ao conhecimento de causa, não à capacidade intelectual e tudo o que a involve, pois nesse campo estou certo de que não terias argumentos nem que juntasses todos os outros indíviduos que, como tu, aqui comentam de forma descabida.

        Mas, novamente, continua com isto. Se por um lado é triste que haja gente que ainda está traumatizada com a Guerra Fria e que não conseguir ultrapassar as ilusões radicalistas vendidas sob forma fanática, dá-me algum prazer ler toda esta prosa e rir um pouco (sou um gajo bem-disposto, gosto de rir: deverias experimentar um dia).

        • Francisco diz:

          A facilidade com que mentes e a tua arrogância são de facto impressionantes.
          1 – Desmentes todos os relatos de repórteres da BBC, Sky news, Telegraph e muitos outros media ocidentais… Se um facto não encaixa na tua narrativa simplesmente ignoras ou mentes.
          2 – Não vi manif nenhuma contra as milícias de Donetsk, já contra as milícias de Kiev a população saíu SEM ARMAS para as confrontar. Porquê? Talvez porque a população esteja do lado das milícias de Donetsk??? Ou melhor, porque essas milícias são o povo em armas da região! Mas se tens um explicação alternativa, diz lá
          3 – Negas que houve um massacre em Odessa em que 40 pessoas foram queimadas vivas? Negas que as milícias de Kiev em várias cidades do leste dispararam e mataram civis desarmados?
          4 – Ao contrário de ti, não acho que a população do sudeste seja básica. Pura e simplesmente está a lutar pela sua sobreviVência e pelos seus interesses.
          5 – SIM ÉS UM GRANDE IGNORANTE. Porque não demonstras não saber a realidade e porque para além de regurgitar informação da propaganda anti-russa pouco mais consegues fazer.

          PORQUE É QUE AS MILÍCIAS DE KIEV SÃO CONFRONTADAS POR CIVIS DESARMADOS E PORQUE É QUE AS MILÍCIAS DE DONETSK NUNCA DISPARAM CONTRA MANIFESTAÇÕES DE CIVIS E OS ÚNICOS TIROS QUE DISPARAM FORAM CONTRA FORÇAS ARMADAS DA JUNTA????

        • kur diz:

          Ouvi dizer q andavas a lamber os colhões ao dias loureiro,ao Duarte lima,aos oliveira costa,dos bankstersaliás,deves ser o gajo q carrega com o balde do mijo do covil do psd/cds.Enfim, ralé!

          P.S.:
          Comichão de muradoures da aldeia da coelha

        • Nuno Cardoso da Silva diz:

          Tiago,
          Quantifique as suas alegações que é para fugir à conversa de café. Diga lá quantos é que realmente votaram. Quantos “intelectuais” não votaram por não quererem ser manipulados. Quantos é que querem manter a ligação com a Ucrânia. Quantos é que foram votar por medo. Etc., etc., etc. E depois diga onde foi buscar esses dados.

          • Gostei deste comentário. Finalmente alguém interessado em conversar🙂
            Agora é tarde e terei que procurar isto melhor amanhã de manhã. Entretanto, o link que coloquei anteriormente já faz uma estimativa, e explica porque são enganadores os resultados apresentados. Se não estou em erro, estima-se que menos de 30% da população de Donetsk queira ser independente da Ucrânia (não me recordo se nesse link dizem qual a última sondagem que realizaram, mas espero que sim).
            E por fim, esse não é certamente o único problema, mas já os enumerei anteriormente, é uma questão de ir ler acima🙂

          • Luis Moreira diz:

            A maioria ( 56%) querem manter a ligação com a UE.

          • Francisco diz:

            “Manter” mas qual é a ligação que hoje existe???

    • De diz:

      Al Jazeera?
      A que apoia a guerra do fascismo islâmico contra a Síria, com o apoio da Nato e da Arábia Saudita?
      A estação do Qatar, um dos financiadores dos terroristas islâmicos aliados do dito ocidente, como exemplo não só de fidedignidade como também de referência para alguma pessoa honesta que escreva por aqui comentários?

      “Capitalista”? “Porcos imundos”?

      Mas este gajo é uma fraude.É um ignorante ou chapinha na mais profunda imá fé? Ou ambas as coisas e mais algumas para rematar o rarmalhete?

      Será um dos boys do coelho ou do relvas, um dos que chega ao “trabalho ” e põe-se a ler as notícias enquanto os demais trabalham?

      Também como o Dantas cheirará mal da boca?

  9. De diz:

    Diz este tiago santos, em abono da sua verdade, que “tem conhecimento de causa” .

    Mas que macacada vem a ser esta?
    “conhecimento de causa”?

    Vejamos outros casos de “conhecimento de causa”. Ponham o cavaco ou o coelho ou o portas ou outro canalha igual a falar sobre Portugal e vejam o “conhecimento de causa com que falam sobre o país

    Não se sabe se a educação do TS radica do esforço univesitário á relvas ou bebe directamente do mais boçal “conhecimento de causa” particular dos papagaios replicadores.

    Faz tanto lembrar um outro tipo, candidato de topo pelo PSD, que em plena campanha eleitoral proclamava que sabia que iria “ganhar as eleiçoes”. E o dito exemplar da direita roufenha afirmava que afirmava tal porque de tal tinha “conhecimento de causa”. E o seu conhecimento de causa era ( não um informático porreiro mas quase) uma velhinha que tinha encontrado no café.

    Será que TS irá invocar os relacionamentos sexuais com eles ou com elas como testemunho do “seu conhecimento de causa”?
    Nõa se enxergará? É destas “cosias” que saem estas “coisas”?
    Descabidos os “comentários” do TS?
    Isso e muito mais.

    Já lá iremos

  10. Censurado diz:

    Tem sido uma galhofa ler este blogue. Tal como nas histórias para crianças, apenas há dois tipos de personagens: os maus (“nazis”) e os bons (“socialistas revolucionários”).
    Para condimentar, não podiam faltar vídeos de massacres cometidos durante a Segunda Guerra Mundial (mas nada de menções ao Holodomor que, como sabemos, foi tudo uma invenção dos capitalistas), coros Soviéticos, etc. Ninguém ainda viu, mas esta malta já percebeu que a URSS está em reconstrução e o povo está preparado para abraçar a economia planificada, rejeitando os fúteis prazeres do capitalismo! Só não o fez antes porque os malvados capitalistas o têm impedido. Mas agora, finalmente, o povo está a libertar-se das grilhetas que o prendem ao capitalismo e, em breve abraçará o Socialismo! Sugiro vivamente que façam as malas e façam umas novas Brigadas Internacionais. Os amanhãs cantam no Leste da Ucrânia, camaradas!

    • Francisco diz:

      Eu sei que dói! LOL LOL LOL

      • Censurado diz:

        Realmente de tanto rir às vezes dói.
        Olha, quando o Socialismo for reimplantado não te esqueças de avisar.

        • Francisco diz:

          Acho que vais perceber logo, nem vou ter que te avisar LOL (ou talvez algum destacamento de guardas vermelhos te vá bater à porta… ehehehe)

    • Joao Pereira diz:

      Este blog é sociologicamente a coisa mais interessante da internet. Pessoas, provavelmente novas, que negam toda a história e que vivem a emprenhar pelos ouvidos toda e qualquer propaganda “socialista” que lhes vendam. Têm o seu valor … vivem uma ideologia e não se deixam levar por nada nem por ninguém. Loucos do séc. XXI. Faz-me sobretudo muita confusão imaginar o que pensam todos os anos quando há eleições e vêm os resultados dos seus partidos … quem vota devem ser tudo boys do Paços e do Relvas ou perigosos nazis capitalistas como gostam de apelidar quem não pensa como eles.

      • Este blog é uma pérola da Internet😀

      • Censurado diz:

        Ler blogues como este é como uma imersão na twilight zone. Para esta malta “fascista” é uma designação que abrange basicamente tudo à direita do PCP. No universo paralelo onde vivem até os liberais são “fascistas”.

        Estes cómicos nem conseguem enxergar que, tirando a questão da propriedade privada e alguns poucos pormenores mais, o Fascismo é quase indistinguível da maioria dos regimes Socialistas Marxistas que existem ou já existiram.

      • De diz:

        Eis o resumo néscio dum J Pereira, misturando as coisas com as loisas e mostrando como a desonestidade vive paredes meias com a ignorância, abençoadas pela propaganda dos media fidelizados.

        -Desde quando o número de votos é contabilizado como boys de quem quer que seja ou de nazis de quem seja o que quer?

        -Desde quando a razão é função directa do número de votos?
        Hitler teve um ror deles e a sua contabilidade não abençoou os seus crimes e o horror nazi.

        Será que a ideia foi apreendida ou é necessário citar Torga:
        “A morte está sozinha contra a vida inteira, e é verdade” ?

      • Carlos Carapeto diz:

        Conheci a URSS. Esclareço já que não fui para lá enviado por qualquer comité.

        Fui trabalhar por conta de uma firma Italiana.

        Se era aquele inferno em chamas como alguns dos seus inimigos proclamam, quando lá cheguei, certamente que há muito que as chamas se tinham extinguido. Nem as cinzas vi.

        Os inimigos do Socialismo ( o comunismo está parsecs de distância do socialismo) hoje deviam ter vergonha de criticar a URSS e os outros países que viveram e prosperam conjuntamente o mesmo sistema politico.

        E porquê. Porque com a restauração do capitalismo, não foi resolvido nenhum dos problemas que diziam existir (se é que esxistiam?) . Pelo contrário agravaram-nos todos e ainda levaram outros desconhecidos até aí.

        Se estou a faltar à verdade agradeço que alguém me corrija.

        Deixo a pergunta que já coloquei variadissimas vezes.

        O que foi que melhorou na vida desses povos nos ultimos vinte anos?

        Qual foi o desenvolvimento e o progresso (em todas as áreas) que se verificou nesses países?

        Costumo colocar a pergunta de uma forma mais simples.

        Quero que me digam o que foi que não se agravou na vida da maioria dessas populações?

        O que foi que não regrediu?

        Por favor dêem-me um exemplo onde tal não tivesse acontecido? Já fico muito satisfeito o conseguirem apresentar !

        Ora a actual situação na Ucrânia é precisamente uma consequencia desse desastre.

        E é aí que o debate deve ser centrado. Para quem estiver seriamente interessado em discutir a crise que a Ucrânia atravessa, claro !

        • Joao Pereira diz:

          Carlos, olhe para os gráficos das economias bálticas. Se não quiser olhar para os gráficos, veja imagens dos países no antes e depois da dissolução da URSS. Se não quiser olhar para as imagens meta-se num avião e vá até Tallin ou Riga e pergunte aos locais se existe sequer alguma parecença com a sua qualidade de vida no antes e no depois de se “livrarem” do jugo Comunista. Se continuar a não querer ver, então não posso fazer mais por si.

          • Francisco diz:

            Já olhas-te para os gráficos dO pib PER CAPITA Ucrânia antes e depois da URSS? E que tal a esperança média de vida?

            http://www.tradingeconomics.com/charts/ukraine-gdp-per-capita-ppp.png?s=ukrnygdppcapppcd&d1=19900101&d2=20141231

            http://www.kon.org/urc/v10/hoeppler.html

            “During 1992–1994 life expectancy at birth in Russia dropped by 6.1 years for men and by 3.3 years for women.”
            http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0305750X98001028

            A queda da URSS foi uma tragédia Humanitária COLOSSAL!

          • Carlos Carapeto diz:

            João Pereira.

            Concordava com aquilo que escreve se fizesse o favor de documentar.

            Não conheço nenhuma das Républicas Bálticas mas já estive mais que uma vez na Bielorrussia, sei que os Letões e os Lituanos se deslocam à Bielorrussia para comprar todo o tipo de bens (desde alimentos a combustiveis).

            Também sei que mais de um terço da população da Letónia +- 800 000 pessoas lhes são negados todos os direitos de cidadania , como trabalhar em instituições publicas, ou ter direito a um passaporte para se ausentarem do país.

            Desde que não saibam falar o Letão, são considerados não cidadãos.

            Quanto ao “paraíso” que descreve aconselho-o a ler uma reportagem do Jornal Monde Diplomatique de Setembro de 2009, feita na Letónia, garanto-lhe que muda de opinião.
            Se não mudar de opinião, pelo menos não vai insistir mais em vender-me a versão como a está a contar.

            Se estiver interessado em consultar o Le Monde disponibilizo-lhe o contacto.

            Hó João não confunda PIB com a distribuição justa da riqueza produzida.

            No entanto continuo com fortes dúvidas, se o PIB de qualquer desses países já atingiu o nivel de 1991.

            Se tiver dados que o comprovem agradeço que os disponibilize.

      • um anraco-ciclista diz:

        Quem já confessou ter votado PS foste tu, pá!

        Vaite-catar, pá!

    • AlicePoiaresMaduro diz:

      LERDO!queres contabilizar os ‘amanhãs que cantam’ no capitalismo?Vamos lá,palhaço!

    • Carlos Carapeto diz:

      Estou de volta!

      Espero que o possa fazer por alguns dias.

      Vamos à luta, fazendo o ruido que for necessário para calar aqueles que vêem para aqui alçar-se em paladinos da verdade.

      Não basta afirmar algo , têm que prová-lo!

    • Carlos Carapeto diz:

      “Censurado diz:

      (mas nada de menções ao Holodomor que, como sabemos, foi tudo uma invenção dos capitalistas)”.

      O que escreve não pode ter qualquer validade se não for capaz de o provar.

      Se não o conseguir fazer mostrando com factos, só pode ser entendido como um exercicio de propaganda da sua parte.

      Nesse caso é Vc que sai desprestigiado.

      Por favor exiba aqui os elementos que dispõe sobre o assunto. Agradeço!

      • Censurado diz:

        O Holodomor é um facto histórico tão verdadeiro como o genocídio arménio praticado pelos Turcos. É um facto que a URSS exportou 1.8 milhões de cereal enquanto milhões de ucranianos morriam de fome. É um facto que as autoridades da URSS impediram a migração de pessoas a partir das zonas atingidas pela fome. Estaline quis castigar os camponeses ucranianos por considerá-los “contra-revolucionários”.
        Um crime com poucos paralelos em toda a História.

        • De diz:

          Mais uma vez uma tentativa desonesta deste sujeito de nickname censurado
          ( já agora esta escolha faz lembrar um choradinho rasteiro a lembrar o quê?Que censurado foi censurado no tempo do fascismo? Que o foi nalgum blog onde escrevinhava os seus pensamentos e que perpetua o seu lamento desde essa data?
          Que o foi nos media que replicam a canalha governamental troikista e que assume o nick em sinal de protesto? Ou é apenas uma forma ínvia de dizer que por aqui ou ali são uns censores e assim arrasta a asa de comiseração para quem quiser dar para o peditório?)

          E o que há de desonesto ?

          Hollodomor já foi aqui bastas vezes discutido. O Carlos já aqui expôs outros factos. Já se gastaram rios de teclas de computador com o tema. Também no 5 dias. As mais das vezes, quando o tema começa a ser discutido mais profundamente os “censurados” desaparecem pela porta baixa,
          Sem me posicionar agora sobre o assunto ( porque já disse que é desonesto fugir do tema em debate e este em particular trazido em boa hora pelo Francisco) sublinho que quem afirma coisas como “É um facto,…” da forma como censurado o faz se limita ao slogan rasca.e cúmplice

          A prova?
          Quem tiver paciência que faça uma pesquisa sobre o tema.E veja a desonestidade de quem expressa, qual carpideira profissiona,l os juizos semi-histéricos dos “crimes com poucos paralelos em toda a história” ( mas que raio de português e de coerência)

  11. Artur diz:

    camaradas!, alguém pra dividir custos a ir ao Avante este ano na minha toyota Hiace?
    aceito as 7 primeiras respostas.

  12. JOSE diz:

    VAIS DONDE?

    • Artur diz:

      saímos do porto às 9.45h no dia 4 de setembro. Vou um dia mais cedo pra visitar a minha prima Olivia no Cacém.

      • JOSE diz:

        TA BEM. TAMBEM VOU PASSA EM OVAR CALHA EM CAMINHO NA PRACA EM FRENTE A IGREJA GRANDE AS DES E MEIA. TA CERTO?

        • Artur diz:

          lol escreve-se “dez”… mais pareces um capitalista que andou em colégio e aprendeu a falar inglês antes da nossa língua materna. Se és capitalista faz oink oink. E esquece o negócio amigo. (a não ser que queiras comprar a hiace 4500€ e ainda te arranjo um pára-choques semi-novo)

  13. Francisco R diz:

    O blog em si nem é muito interessante, de vez em quando lá vem a Super Hiper Mega Inteligente e dona da razão Sr Professora Doutora Raquel Varela para nos por um sorriso nos lábios.
    Nada que se compare a este Francisco e seus comparsas mais os seus devaneios.

    Nazis vs gente boa, bons contra maus, impolutos contra corruptos.
    Triste é acreditar que em pleno século 21 ainda existam seres que não conseguem se livrar do que a propaganda comunista lhes mete pelos ouvidos a dentro.

    É realmente espantoso como o mundo todo está errado e só esta meia dúzia (estou a exagerar?!) de iluminados por Lenine e Estaline estão do lado certo. E por favor Francisco não venha com a cantilena de ler e reler os seus posts e as suas referencias blá blá bla, sei que existiram exageros e mortes DOS DOIS LADOS, tal como sei quem está por trás de tudo isto. Tudo não passa de uma invasão encapuzada feita pela sua querida Russia que no fim da desgraça vem e fica com o que pode, tal como já fez com a Crimeia. Vir para aqui se vangloriar dos referendos como uma prova de que os ucranianos querem diz tudo sobre a credibilidade das suas palavras. Mas por favor continue que eu preciso de boa disposição. Cumprimentos

    • De diz:

      Béu-béu.

      Ou a inefável muher da vida a passar por virgem púdica enquanto estremecida toma a parte pelo todo , numa daquelas contas de néscios burgueses “com toda a certeza
      e às vezes”.

      O “mundo todo”,proclama naquele espírito de torquemada totalitário, extrapolando os seus desejos de Globalizado Americano, em vias de processo da igreja universal, para o resto do mundo

      A iefável mulher da vida a passar-se por púdica virgem.Mas já com todos os trejeitos dum coelho ou dum portas,tentando condicionar o direito à informação.

      E fazendo-se de pateta alegre com que tenta dar credibilidade ao seu rosnar manso de iluminado. que sabe que sabe na exacta medida que replica o que “eles” dizem saber.

    • Carlos Carapeto diz:

      Desafio aqueles que negam em como não são nazis os que estão a assassinar indiscriminadamente inocentes na Ucrânia que o provem.

      Que eu provo-lhe com tudo que me exigirem em como o são.

      Lenine e Estaline tiveram o grande mérito de transformar em pouco mais de duas décadas o país mais atrasado da Europa devastado por uma cruel guerra civil imposta do exterior, na segunda maior potência mundial sem terem que colonizar ou rapinar as riquezas de outros povos.

      Talvez fosse Putin que desencadeou a crise na Ucrânia? Se foi exibam as provas!

      A Crimeia sempre foi Russa, tal como toda a região do Donbass.

      Fazia cá um jeitão umas baterias DAM Yanques instaladas na Crimeia apontadas ao coração da Rússia? Era maravilhoso!

      Da Crimeia às portas da Zungária era como um passeio numa tarde de primavera.

      E lá ficavam as imensas riquezas da Sibéria colocadas ao serviço da “humanidade” .

      Os Uigures e os Tibetanos viam logo o sol da liberdade.

      Já sabemos há muito tempo quando os referendos são válidos. No Kosovo, no Sudão, na Eritreia.

      Mas no Sahará, em Porto Rico, na Catalunha, Crimeia, Donbass são ilegitimos.

      Já em toda a UE os que são desfavoráveis repetem-se até serem favoráveis através de campanhas maciças de propaganda e intimidação.

      Isto no que toca a referendos tem muito que se diga, tudo o seja favorável aos interesses da burguesia, é legitimo.

      Em sentido contrário passa a ser terrivelmente ilegitimo.

  14. Luis Moreira diz:

    Na Finlândia e na Lituânia, as recordações dos massacres soviéticos ainda ferem muitas sensibilidades.

    • Carlos Carapeto diz:

      “Na Finlândia e na Lituânia, as recordações dos massacres soviéticos ainda ferem muitas sensibilidades”.

      Mas não se está a discutir a situação na Ucrânia ?
      E porque carga de água se tergiversa o assunto com os Soviéticos?
      Se é para recordar, então lembrem-se que os corpos das vitimas da matança de Odessa ainda não arrefeceram.

      Mas se é para desenterrar fantasmas e competir em olimpíadas macabras, vamos a isso.

      Mas que massacres ? Acusar sem apresentar provas é caluniar ?

      E a calúnia é o refugio de quem é desprovido de moral.

      Peço perdão se não estou a compreender bem a questão. Talvez se esteja a referir a estes massacres,

      Ou estas mortes serviram para purificar as almas dos pecadores ?

      Tratou-se de um genocidio hediondo , praticado de forma bárbara contra civis indefesos, que provocou um rasto de morte e terror contabilizando entre 35 000 a 60 000 vitimas, desconhece-se o número exato.

      http://en.wikipedia.org/wiki/Massacres_of_Poles_in_Volhynia_and_Eastern_Galicia

      Há gente que para justificar chacinas crueis de milhões de inocentes têm a indecência de recorrer aos métodos mais desonestos e inimagináveis possíveis.

      Se são vitimas porque motivo não atribuir o mesmo respeito a todas. Ou há umas vitimas mais importantes que outras?

      E se se pretende criar uma escala, então deve começar-se por o numero e a forma como os crimes foram cometidos.

      É prefeitamente compreensivel a finalidade dessa campanha de desinformação.

      Esconder e branquear descaradamente os crimes do nazismo.

      Mas com esse estandarte por aqui “No Pasarán”.

  15. Carlos Carapeto diz:

    Regressando à crise instalada na Ucrânia.

    Por os desenvolvimentos mais recentes parece que a situação está a fugir ao controlo de todos.

    Aqueles que provocaram a actual crise não previram as consequências que daí poderiam advir.

    Preocuparam-se apenas derrubar um presidente em exercício, eleito democraticamente por vontade da maioria do povo. Mas como não foi suficientemente subserviente aos seus interesses ( UE/EUA/NATO) recorreram a todos os meios (legais e ilegais, mais os últimos que os primeiros) para o afastar.

    Inclusivamente altos responsáveis de países com grande poder de decisão na Europa (e no mundo) deslocaram-se a Kiev imbuídos de má fé, para assinar um acordo que sabiam que não era para cumprir.

    Tratou-se de uma fraude, uma farsa ao estilo de Hitler quando afirmava que os acordos só eram válidos enquanto lhe eram favoráveis.

    E para conseguir os objetivos pretendidos os dirigentes do imperialismo não se inibiram em recorrer (e promover) às forças mais retrogradas e violentas que a humanidade já conheceu, cujos efeitos horríveis irão para sempre perdurar na memória da humanidade. Tendo inclusivamente alguns altos dirigentes desses países entrado abusivamente na Ucrânia para ir prestar o seu apoio e solidariedade a esses bandos que estava a espalhar o caos e o terror na capital do país. Pagos obviamente) .

    E mais; por várias vezes dirigiram ameaças ao presidente legitimo para não fazer uso da força advertindo-o que poderia ser levado a julgamento no TPI.

    E o golpe de 21 de Fevereiro foi feito precisamente com esse objetivo. Prender Yanukovich, entrega-lo ao TPI. E posteriormente a esquadra Russa sair humilhada da Crimeia escoltada por navios da NATO.

    Mas para o bem da maioria dos Ucranianos, os planos dos geófagos do imperialismo saíram gorados. Gorados e de que maneira!

    Cont……

  16. Carlos Carapeto diz:

    É bom lembrar que esta estratégia desde o principio não teve qualquer preocupação em resolver as condições de subdesenvolvimento e miséria em que milhões de cidadãos Ucranianos mergulharam após a restauração do capitalismo.

    Há muito tempo que estava em andamento uma campanha de desacreditação da Rússia com distintos objetivos.

    Primeiro; convencer a opinião publica Europeia e Ucraniana que a Rússia pretendia colonizar a Ucrânia se esta aderisse à União Aduaneira, já para aí falavam no sonho de ressuscitar a União Soviética.

    Segundo; impingir aos Ucranianos que se o país assina-se a parceria ( a famosa parceria oriental) com a UE resolviam todos os problemas económicos e sociais que os afectam.

    É sabido que isso é uma aldrabice monstruosa. Se a Europa não tem capacidade de resolver os problemas gravíssimos que tem dentro de casa, como pode salvar a Ucrânia tendo o país no caos. Por outro lado e ao contrário daquilo que afirmam alguns dirigentes Europeus a Ucrânia não tem quaisquer hipóteses de aderir à UE a curto prazo, isto porque a Turquia nunca o irá permitir, está na lista de espera há mais tempo.

    Há outro pormenor muito importante que é bom lembrar àqueles que diabolizam a população que pegou em armas para se opor ao governo ilegítimo de Kiev.

    Uma das primeiras medidas que estes “senhores” tomaram foi proibir o uso de todos os idiomas das ” minorias ” existentes no país (atenção que não foi apenas o Russo interdito, foram todos) .

    E mais; os órgãos de informação que difundiam essas línguas foram encerrados.

    Portanto se há quem cometa hoje ilegalidades, é de salutar importância dizer quem principiou a fazer uso dessas mesmas ilegalidades.

    Se a desobediência e a violência iniciadas na Praça Maidan, subvencionadas com o apoio do imperialismo e seus sequazes, mais tarde se espalhou por as regiões ocidental e norte, dirigida e controlada por grupos neonazis, destruindo estátuas e monumentos de lideres ligados à URSS (mesmo sendo Ucranianos) assaltando, destruindo e queimando edifícios de partidos de esquerda, de sindicatos.

    Era de esperar que as populações de outras etnias se sentissem ameaçadas. E a partir daí coube-lhe toda a legitimidade de pegar em armas para se defenderem. Quando era o próprio governo instalado que estava a promover essa mesma violência.

    Portanto aqueles que iniciaram o ciclo de violência nada fizeram para a parar, pelo contrario continuaram a dar cobertura e proteção a quem a estava promover.

    Para ser mais preciso, os dirigentes Europeus, recebiam (e recebem) os golpistas de Kiev como se de uns anjinhos se tratassem, no entanto rotulam quem se lhe opõe de uns facínoras, uns belzebus, uns demónios ( que é o mesmo) que apenas pretendem espalhar o caos e o terror com ajuda da Rússia.

    Depois viu-se como esta historieta acabou em Odessa. E quem foi que causou esse morticinio e a carnificina? Posteriormente a população de Mariúpol foi submetida ao mesmo terror.

    Portanto aqui já não há direitos humanos a respeitar?

    Como escrevi aí atrás. a Ucrânia está mergulhada num caos de consequências imprevisíveis.

    Como não bastasse a perda de controlo por parte dos golpistas de Kiev de toda a região desenvolvida do Donetsk, Viktor Orban da Hungria (um direitista assumido) veio deitar mais achas para a fogueira ao exigir a autonomia e a dupla nacionalidade para os cerca de 200 000 Ucranianos de etnia Húngara que vivem na Transcarpatia.

    A Roménia está a afiar as garras para reaver a faixa de Izmail, Transcarpatia e toda a Bessarábia que lhe foi retirada. Inclusivamente a Moldávia. Até porque há poucos anos a Ucrânia teve que devolver a ilha de Snake (frente a Izmail) à Roménia. Região com grandes reservas de petróleo e gás.

    Porque se prosseguirem em resolver o conflito por via militar ( que já não conseguem) a Ucrânia estilhaça-se, depois são a Republica Checa e a Polonia a reivindicarem as parcelas que lhes foram retiradas.

    Um general Russo na reforma (que não me recordo o nome) deu recentemente uma entrevista a uma jornal, onde afirmava que se a crise na Ucrânia for bem conduzida, pode desencadear o fim da UE e a desagregação da NATO.

    Ainda volto ao tema.

    • Volta rápido, Carlos!
      Gosto tanto de ler o que escreves: mal posso esperar. De preferência tenta escrever menos e ameaçar mais. Gosto mesmo é quando queres exterminar os… mmm… já não me lembro bem, é sempre tão vago, mas acho que são os burgueses, nazis, imperialistas, e outros que tais. (A verdade é que eu devo viver na parvónia, porque nunca me cruzei com uns gajos destes na rua… mas é natural, acho que estão a andar de limosine dentro das suas mansões enquanto mandam chicotas pela janela aos trabalhadores que os alimentam. Vai-se a ver e às tantas estes porcos capitalistas até o seu país roubaram para terem as tais mansões. Pior ainda, aposto que o antigo presidente da Ucrânia não se enquadra nesta categoria).
      Bem, resumindo o texto todo: volta depressa!

  17. Com tanta crítica à União Europeia, estou curioso para ver como vai ser a campanha para o Parlamento Europeu por parte do PCP. O que vão dizer? “Por favor, não votem em nós que nós abominamos aquilo”. Ou será “por favor arranjem-nos lá uma posiçãozinha que aquilo até é um trabalho porreiro e nós vamos minar aquilo por dentro!”

    • De diz:

      TS mostra que afinal o seu poder argumentativo cabe na cabeça dum alfinete, esquecido na fralda que ainda usa como lenço atávico.

      Desonesto , trafulha e manipulador. Agora volta-se para o parlamento europeu e para as eleições, num desesperado volte face com que tenta esconder o vazio feito de propaganda boçal e néscia, que replica duma forma tão primária.

      Confrangedor.E se bem que as eleições para o PE sejam de facto importantes, não caiamos no jogo de malabarista manhoso de TS, com que este tenta fugir ao tema que é aqui central e para o qual o Francisco tem dado uma contribuição notável

      • Eh pá. Menos insultos e mais informações.
        Estava a tentar ter duas conversas ao mesmo tempo, achas que consegues acompanhar? Já se fala da Ucrânia bastante nos outros comentários, neste estava eu a interrogar-me sobre qual seria a posição do PCP sobre as Europeias. Até posso estar a ladrar à àrvore errada, e vocês serem de outro partido qualquer, como, digamos, o MRPP, (confesso que não sei mesmo), mas caso me pudessem elucidar ficaria agradecido🙂

        • De diz:

          Mas que javardice é esta?

          Argumentos e factos.Ou vice-versa.
          Ucrânia.
          E este quer brincar agora ao que é acessório?.
          Não quererá também o BI ou o cartão de cidadão ou o bilhete de lotaria premiado dum boy governamental?

          Santa paciência

          • Estou a ficar com a ideia de que só escreves palavras aleatoriamente😦
            Se mais alguém além do De me souber elucidar sobre a posição do PCP em relação as eleições para o Parlamente Europeu, agradeço🙂

          • De diz:

            Uarf! uarf!
            Agradece o TS mas eu, por mais que isso doa ao riso néscio dum néscio personagem, não estou interessado em . .

            TS parece :
            -que só tem tempo para ir à net no seu “emprego” ( porque será?)
            -Que quer arranjar um derivativo para derivadamente mudar de assunto

            Ora para tais derivações que derivam dum derivacionista quase que pro, eu pessoalmente não tenho nem tempo nem pachorra.
            Ele que saia da sua zona de conforto, tal como aconselha um canalha de nome coelho (que agora anda a fazer o peditório do costume da corja governamental) e que vá procurar.
            Valeu?

    • De diz:

      Com um pedido de desculpas ao Francisco, permito-me transcrever um elucidativo texto de James Petras:

      “Nunca, desde que os EUA e a UE capturaram a Europa do Leste, incluindo os países bálticos, a Alemanha oriental, a Polónia e os Balcãs, e a converteram em postos avançados militares da NATO e em vassalos económicos, nunca os poderes ocidentais se movimentaram tão agressivamente para se apoderarem dum país estratégico, como a Ucrânia, ameaçando a existência da Rússia.

      Até 2013, a Ucrânia era um ‘estado almofada’, basicamente um país não-alinhado, com laços económicos à UE e à Rússia. Governado por um regime estreitamente ligado à oligarquia local, ligada à Europa, Israel e Rússia, a elite política foi um produto duma sublevação política em 2004 (a chamada “Revolução Laranja”), financiada pelos EUA. Subsequentemente, durante a maior parte de uma década, a Ucrânia sofreu a experiência fracassada de uma política económica ‘neoliberal’ apoiada pelo ocidente. Depois de quase duas décadas de penetração política, os EUA e a UE ficaram entrincheiradas profundamente no sistema político, através do financiamento regular das alegadas organizações não-governamentais (ONG), partidos políticos e grupos paramilitares.

      A estratégia dos EUA e da UE foi instalar um regime flexível que levasse a Ucrânia para o Mercado Comum Europeu e para a NATO, como estado cliente subordinado. As negociações entre a UE e o governo ucraniano decorreram vagarosamente. Acabaram por fracassar por causa das condições onerosas exigidas pela UE e pelas concessões económicas mais favoráveis e subsídios propostos pela Rússia. Depois do fracasso em negociar a anexação da Ucrânia à UE, e por não estarem dispostas a esperar pelas eleições constitucionais já marcadas, as potências da NATO activaram as suas ONG, bem financiadas e organizadas, líderes políticos seus clientes e grupos paramilitares armados para derrubarem pela violência o governo eleito. O golpe violento foi um êxito e a junta civil-militar nomeada pelos EUA assumiu o poder.

      A Junta foi formada por ‘ministros’ neoliberais e chauvinistas submissos. Os primeiros foram escolhidos pelos EUA, para administrar e impor uma nova ordem política e económica, incluindo a privatização de empresas e de recursos públicos, cortando os laços comerciais e de investimento com a Rússia, eliminando um tratado que permitia a base naval russa na Crimeia e acabando com as exportações militar-industriais para a Rússia. Foram nomeados para posições ministeriais neofascistas e sectores das forças militares e policiais, a fim de reprimir violentamente qualquer oposição pró-democracia no ocidente e no leste. Supervisionaram a repressão dos bilingues (russos-ucranianos), de instituições e de práticas – transformando a oposição contra o golpe de estado apoiado pelos EUA-NATO numa oposição étnica. Fizeram uma limpeza em todos os detentores de cargos opositores no ocidente e no leste e nomearam governadores locais de confiança – criando assim um regime de lei marcial.

  18. http://globalpublicsquare.blogs.cnn.com/2014/05/15/dont-ignore-whats-happening-inside-russia/

    A reter:

    1. The authorities [ of Russia] have blocked or essentially took editorial control over a number of independent news portals and are pushing new laws to stifle freedom of expression. Just a week ago, President Vladimir Putin signed a law requiring Russian bloggers with significant followings to register with the authorities and comply with the same regulations as media outlets without the same protections and privileges. The same law requires blogging services and social networks to store user activity for six months.

    (tradução: Aumento das restrições à liberdade de expressão na Rússia. O que é uma pena, num país tão democrático e espectacular)

    2. Another legislative proposal reportedly prompted by independent media coverage of the crisis in Ukraine would introduce administrative and criminal offenses for editors who publish “false anti-Russian” information or offer media support to “anti-Russian extremist and separatist forces.” Another new draft law introduces a ban on publishing negative information about the Russian government and military.

    (tradução: Qualquer meio de comunicação russo que diga mal da forma como a Rússia está a agir em relação à Ucrânia está a cometer um acto ilegal)

    3. Also, amendments presently under review by the State Duma, the lower house of parliament, would enable the authorities to throw people behind bars for up to five years for repeated participation in unauthorized public protests.

    (tradução: quem se manifestar vai preso. O que vale é que a Rússia é um país tão perfeito que ninguém se manifesta. Eu já vi isto em vários sítios, incluindo no Estado Novo. Só que no Estado Novo eram os porcos fascistas, e aqui é apenas para não perturbar a ordem pública de uma democracia bonita.)

    Qual a vossa opinião, iluminados da democracia?🙂

    • De diz:

      A minha oipnião pessoal francamente é que este tipo é uma fraude:
      Um ignorante..
      Ou um tipo contratado para dizer javardices.
      Ou um avençado a soldo de qualquer “ONG” ou “OG”
      Ou um “animador Kultural” a tentar fazer o seu “trabalho” , a saber, o branqueamento do nazi-fascismo,e o insulto abjecto a quem o derrotou, à custa de enormes sacrificios de vidas humanas. O que conduz inevitavelmente ao papel sinistro mas real de cumpliicidade e conivência com os criminosos.

      Repare-se que estas hipóteses não são mutuamente exclusivas.

      Mas o que é mais uma vez essencial são os factos e a reflexão que fazemos sobre eles. Após os dados apresentados, após os testemunhos reais chocantes, após a visualização pasmada das imagens da barbárie nazi a actuar, após voltas e mais voltas, TS tira do saco umas míseras linhas duma “fonte” conhecida pela sua “imparcialidade” e apresenta o que apresenta.

      Não se sabe se há falta de vergonha ou de escrúpulos. Mas francamente será que este TS leu o que se escreveu?
      A Rússia? Mas este tipo nem sequer ainda enxergou que o que apresenta são peanuts quando comparado com o aqui denunciado?
      Ainda não enxergou que “a luta na Ucrânia não é entre os EUA e a Rússia, é entre a Junta imposta pela NATO, formada por oligarcas neoliberais e fascistas de um lado e os operários industriais e as suas milícias locais e conselhos democráticos por outro. Os primeiros defendem e obedecem ao FMI e a Washington; os últimos baseiam-se na capacidade produtiva da indústria local e reflectem a maioria.”

      Há mais.Mas por agora basta

  19. JOSE diz:

    VOCE ANDA A GOSAR COM AS PESSOAS. VOCE E DOS CAPITALISTAS

  20. De diz:

    Os alvos estratégicos da NATO-Junta

    “A tomada de poder, violenta e de alto risco, da Ucrânia pela NATO foi motivada por diversos objectivos estratégico-militares, que incluíam:

    1) A expulsão da Rússia das suas bases militares da Crimeia – transformando-as em bases da NATO às portas da Rússia.

    2) A transformação da Ucrânia num trampolim para a penetração no sul da Rússia e no Cáucaso; uma posição avançada para gerir e apoiar politicamente os partidos liberais pró-NATO e as ONG no interior da Rússia.

    3) A destruição de sectores fundamentais da indústria de defesa militar russa, ligados às fábricas ucranianas, acabando com a exportação de maquinaria crítica e sobressalentes para a Rússia.

    A Ucrânia foi durante muito tempo uma parte importante do complexo industrial militar da União Soviética. Os estrategas da NATO por detrás do golpe sabiam muito bem que um terço da indústria de defesa soviética se manteve na Ucrânia depois do desmantelamento da URSS e que quarenta por cento das exportações da Ucrânia para a Rússia, até há bem pouco tempo, consistiam em armamentos e maquinaria com isso relacionada. Mais especificamente, a instalação Motor Sikh na Ucrânia de leste fabricava a maior parte dos motores para os helicópteros militares russos, incluindo um contrato em vigor para fornecer motores para mil helicópteros de ataque. Os estrategas da NATO orientaram imediatamente os seus lacaios em Kiev para suspender todas as entregas militares à Rússia, incluindo foguetões de médio alcance ( Financial Times, 4/21/14, p.3). Os estrategas militares dos EUA e da UE encararam o golpe em Kiev como uma forma de sabotar as defesas russas no ar, no mar e nas fronteiras. O presidente Putin acusou o golpe mas insiste que a Rússia poderá substituir internamente a produção interna de peças críticas dentro de dois anos. Isso significa a perda de milhares de postos de trabalho especializados na Ucrânia de leste.

    4) O cerco militar da Rússia com bases avançadas da NATO na Ucrânia, equiparáveis às do Báltico, até aos Balcãs, da Turquia até ao Cáucaso e depois a partir da Geórgia até à Federação Russa autónoma.

    O cerco dos EUA-UE à Rússia destina-se a acabar com o acesso russo ao Mar do Norte, ao Mar Negro e ao Mediterrâneo. Cercando e confinando a Rússia a uma massa continental isolada sem ‘saídas para o mar’, os construtores do império EUA-UE procuram limitar o papel da Rússia enquanto potência rival central e, possivelmente, contrabalançar as suas ambições imperialistas no Médio Oriente, norte de África, sudeste de Ásia e Atlântico norte. “

  21. De diz:

    O golpe na Ucrânia: da expansão integral à imperial

    “Os EUA e a UE pretendem destruir governos independentes, nacionalistas e não-alinhados em todo o mundo e transformá-los em satélites imperialistas sejam quais forem os meios. Por exemplo, a actual invasão mercenária da Síria, armada pela NATO, é dirigida para o derrube do governo nacionalista e laico de Assad e para o estabelecimento de um estado vassalo pró-NATO, independentemente das consequências sangrentas para os vários povos sírios. O ataque à Síria serve múltiplos fins. Eliminando um aliado russo e a sua base naval mediterrânica; enfraquecendo um apoiante da Palestina e um adversário de Israel; cercando a República Islâmica do Irão e o poderoso Partido Hezbollah militante no Líbano e estabelecendo novas bases militares em solo sírio.

    A conquista da Ucrânia pela NATO tem um efeito multiplicador que se estende ‘para cima’ na direcção da Rússia e ‘para baixo’ na direcção do Médio Oriente e consolida o controlo sobre a sua vasta riqueza petrolífera.

    As recentes guerras da NATO contra os aliados russos ou seus parceiros comerciais confirmam este prognóstico. Na Líbia, destacavam-se as políticas independentes, não alinhadas do regime de Kadhafi em forte contraste com os servis satélites ocidentais como Marrocos, o Egipto ou a Tunísia. Kadhafi foi derrubado e a Líbia destruída através de um maciço ataque aéreo da NATO. A rebelião da massa popular do Egipto contra Mubarak e a democracia emergente foram subvertidas por um golpe militar e acabaram por fazer regressar o país à órbita dos EUA-Israel-NATO – sob um ditador brutal. Todas as incursões armadas de Israel, amigalhaço da NATO, contra o Hamas em Gaza e contra o Hezbollah no Líbano, assim como as sanções EUA-UE contra o Irão, são dirigidas contra potenciais aliados ou parceiros comerciais da Rússia.

    Os EUA foram obrigados a desistir de cercar a Rússia via ‘eleições e mercados livres’ na Europa de Leste, e a confiar na força militar, nos esquadrões da morte, no terrorismo e nas sanções económicas na Ucrânia, no Cáucaso, no Médio Oriente e na Ásia. “

  22. De diz:

    Mudança de regime na Rússia: de potência global a estado vassalo

    “O objectivo estratégico de Washington é isolar a Rússia do exterior, sabotar a sua capacidade militar e corroer a sua economia, a fim de reforçar os colaboradores políticos e económicos da NATO no interior da Rússia – levando à sua maior fragmentação e ao regresso a um estatuto de semi-vassalo.

    O objectivo da estratégia imperialista é colocar no poder em Moscovo amigos políticos neoliberais, como os que dirigiram a pilhagem e a destruição da Rússia durante a vergonhosa década de Yeltsin. A tomada do poder na Ucrânia pelos EUA-EU é um grande passo nessa direcção.”

  23. De diz:

    “Avaliar a estratégia do cerco e da conquista

    Até aqui, a conquista da Ucrânia pela NATO não tem avançado como planeado. Primeiro que tudo, a conquista violenta do poder pelas elites abertamente pró-NATO renegando abertamente os acordos e tratados militares com a Rússia sobre as bases na Crimeia, forçaram a Rússia a intervir em apoio da população local, de esmagadora etnia russa. Na sequência de um referendo livre e aberto, a Rússia anexou a região e assegurou a sua presença militar estratégica.

    Enquanto a Rússia mantinha a presença naval no Mar Negro… a Junta da NATO em Kiev desencadeou uma ofensiva militar de grande escala contra a maioria de língua russa, a favor da democracia e anti-golpe, na metade oriental da Ucrânia, que tem exigido uma forma de governo federal, reflectindo a diversidade cultural da Ucrânia. Os EUA-UE promoveram uma “resposta militar” à dissidência popular de massas e encorajaram o regime golpista a eliminar os direitos civis da maioria de língua russa através de terrorismo neonazi e a forçar a população a aceitar os dirigentes regionais nomeados pela Junta em vez dos seus líderes eleitos. Em resposta a esta repressão, nasceram rapidamente comissões populares de autodefesa e milícias locais e o exército ucraniano foi inicialmente forçado a recuar com milhares de soldados a recusarem-se a disparar sobre os seus compatriotas por ordem do regime instalado em Kiev pelo ocidente. Durante algum tempo, a Junta de coligação neoliberal e neofascista, apoiada pela NATO, teve que lutar contra a desintegração da sua ‘base de poder’. Ao mesmo tempo, a ‘ajuda’ da UE, do FMI e dos EUA não conseguiu compensar o corte do comércio russo e dos subsídios à energia. A conselho do director da CIA, Brenner, de visita, a Junta de Kiev enviou as suas “forças especiais” de elite, treinadas pela CIA e pelo FBI para executar massacres contra civis pró-democracia e milícias populares. Enviaram criminosos armados para a cidade de Odessa que encenaram um massacre “exemplar”: Incendiaram a sede do principal sindicato da cidade e assassinaram 41 pessoas, na maioria civis desarmados que ficaram encurralados dentro do edifício com as saídas bloqueadas pelos neonazis. Os mortos incluíam muitas mulheres e adolescentes que tinham procurado abrigo dos ataques dos neonazis. Os sobreviventes foram brutalmente espancados e detidos pela ‘polícia’ que assistira impassível enquanto o edifício ardia. “

  24. De diz:

    “O futuro colapso da junta golpista

    A tomada do poder na Ucrânia, por Obama, e os seus esforços para isolar a Rússia provocaram alguma oposição na UE. Nitidamente, as sanções prejudicam grandes multinacionais europeias com profundas ligações à Rússia. O golpe militar dos EUA na Europa de Leste, nos Balcãs e no Mar Negro desperta tensões e ameaça uma conflagração militar de grande escala, prejudicando importantes contratos económicos. As ameaças dos EUA-UE na fronteira da Rússia aumentaram o apoio popular ao presidente Putin e reforçaram a liderança russa. A tomada estratégica do poder na Ucrânia radicalizou e aprofundou a polarização da política ucraniana entre as forças neofascistas e pró-democracia.

    Enquanto os estrategas imperialistas alargam e aumentam a sua posição militar na Estónia e na Polónia e despejam armas na Ucrânia, toda a tomada de poder assenta em bases políticas e económicas muito precárias – que podem desabar dentro de um ano – no meio duma guerra civil sangrenta e/ou massacre interétnico.

    A Junta da Ucrânia já perdeu o controlo político em mais de um terço do país, para movimentos pró-democracia e anti-golpe e milícias de autodefesa. Ao cortar exportações estratégicas para a Rússia para servir os interesses militares dos EUA, a Ucrânia perdeu um dos seus mercados mais importantes, que não pode ser substituído. Sob o controlo da NATO, a Ucrânia vai ter que comprar “hardware” militar especificado pela NATO, o que levará ao fecho das suas fábricas, viradas para o mercado russo. A perda do comércio russo já está a levar ao desemprego em massa, principalmente entre operários industriais especializados no leste que podem ser forçados a imigrar para a Rússia. O grande aumento dos défices comerciais e a erosão das receitas do estado conduzirão a um colapso económico total. Em terceiro lugar, em consequência da submissão da Junta de Kiev à NATO, a Ucrânia perdeu milhares de milhões de dólares em energia subsidiada da Rússia. Os altos custos de energia retiram competitividade às indústrias ucranianas nos mercados globais. Em quarto lugar, a fim de assegurar empréstimos do FMI e da UE, a Junta concordou em eliminar os subsídios aos preços dos alimentos e da energia, afectando gravemente os rendimentos familiares e mergulhando os pensionistas na pobreza. Cada vez há mais falências, à medida que as importações da UE e de outros locais desalojam as indústrias locais anteriormente protegidas.

    Não se verificam novos investimentos, por causa da violência, da instabilidade e dos conflitos entre neofascistas e neoliberais no seio da Junta. Só para estabilizar as operações correntes do governo, a junta precisa rapidamente de um reforço de 30 mil milhões de dólares, sem juros, dos seus patrões da NATO, uma quantia que não vai aparecer nem agora nem no futuro imediato.

    É óbvio que os ‘estrategas’ da NATO que planearam o golpe estavam apenas a pensar em enfraquecer militarmente a Rússia e não se preocuparam com os custos políticos, económicos e sociais de sustentar um regime fantoche em Kiev quando a Ucrânia estava tão dependente dos mercados, empréstimos e energia subsidiada da Rússia. Além disso, parece terem menosprezado a dinâmica política, industrial e agrícola das regiões do leste do país, previsivelmente hostis. Em alternativa, os estrategas de Washington podem ter baseado os seus cálculos na instigação à divisão, ao estilo da Jugoslávia, acompanhada por uma maciça limpeza étnica no meio das deslocações e massacres das populações. Sem se impressionar com os milhões de baixas civis, Washington considera que a sua política de desmantelamento da Jugoslávia, do Iraque e da Líbia foram grandes êxitos político-militares.

    A Ucrânia, quase com certeza, vai entrar numa depressão prolongada e profunda, incluindo um declínio precipitado nas exportações, no emprego e na produção. Possivelmente, o colapso económico levará a protestos e desassossego social por todo o país: espalhando-se de leste para oeste, de sul para norte. Motins sociais e miséria generalizada podem aprofundar ainda mais a corrosão da moral das forças armadas ucranianas. Kiev já tem dificuldade em alimentar os seus soldados e tem que confiar nas milícias de voluntários neofascistas que podem ser difíceis de controlar. Os EUA-UE não deverão intervir directamente com uma campanha de bombardeamentos ao estilo da Líbia, dado que iriam enfrentar uma guerra prolongada na fronteira da Rússia numa altura em que a opinião pública nos EUA está a sofrer com a exaustão da guerra imperialista, e os interesses empresariais europeus com ligações a empresas de recursos russos estão a resistir às sanções em consequência.

    O golpe dos EUA-UE deu origem a um regime fracassado e a uma sociedade minada por violentos conflitos – em espiral para uma violência étnica aberta. O que de facto se tem seguido é um sistema de poder dual em que os contendores são transversais às fronteiras regionais A Junta de Kiev não tem coerência nem estabilidade para servir de elo militar fiável da NATO no cerco à Rússia. Pelo contrário, as sanções dos EUA-UE, as ameaças militares e a retórica belicosa estão a forçar os russos a repensar rapidamente a sua ‘abertura’ ao ocidente. As ameaças estratégicas à sua segurança nacional estão a levar a Rússia a rever os seus laços com bancos e empresas ocidentais. A Rússia pode ter que recorrer a uma política de expansão da industrialização, através de investimentos públicos e de substituição de importações. Os oligarcas russos, depois de perderem as suas posições além-mar, podem tornar-se menos centrais para a política económica russa.

    O que é claro é que a tomada de poder em Kiev não resultará numa ‘faca apontada ao coração da Rússia’. A derrota final e o derrube da Junta de Kiev podem levar a uma Ucrânia autónoma radicalizada, baseada nos crescentes movimentos democráticos e na crescente consciência de classe dos trabalhadores. Isso terá que surgir da sua luta contra os programas de austeridade do FMI e contra a espoliação de recursos e empresas da Ucrânia, feita pelo ocidente. Os operários industriais da Ucrânia que conseguirem libertar-se do jugo dos vassalos ocidentais em Kiev não têm intenção de se submeterem ao jugo dos oligarcas russos. A sua luta é por um estado democrático, capaz de desenvolver uma política económica independente, livre de alianças militares imperialistas. “

  25. De diz:

    Epílogo:
    1º de Maio de 2014: Poder popular dual no leste, fascismo em ascensão no ocidente

    O previsível falhanço entre os parceiros neofascistas e neoliberais na Junta de Kiev ficou evidenciado por motins de grande escala, entre gangues de rua rivais e a polícia no 1º de Maio. A estratégia dos EUA-UE pretendia usar os neofascistas como ‘tropa de choque’ e os combatentes de rua para derrubar o regime eleito de Yankovich e depois verem-se livres deles. Como exemplificado pela famosa conversa gravada entre a secretária de Estado adjunta, Victoria Nuland, e o embaixador americano em Kiev, os estrategas da UE-EUA promovem os seus amigalhaços neoliberais escolhidos a dedo para representar o capital estrangeiro, impor políticas de austeridade e assinar tratados para bases militares estrangeiras. Em contraste, as milícias e partidos neofascistas favorecem as políticas económicas nacionalistas, conservando as empresas estatais e provavelmente serão hostis a oligarcas, especialmente os de cidadania dupla “Israel-Ucrânia”.

    A incapacidade da Junta de Kiev para desenvolver uma estratégia económica, a tomada violenta do poder e a repressão de dissidentes pró-democracia no leste levou a uma situação de ‘poder dual’. Em muitos casos, as tropas enviadas para reprimir os movimentos pró-democracia abandonaram as armas, abandonaram a Junta de Kiev e juntaram-se aos movimentos de emancipação no leste.

    Para além dos seus padrinhos no exterior – a Casa Branca, Bruxelas e o FMI – a Junta de Kiev foi abandonada pelos seus próprios aliados de direita por ser demasiado subserviente à NATO e sofre a resistência do movimento pró-democracia no leste por ser autoritária e centralista. A Junta de Kiev está entre a espada e a parede: falta-lhe legitimidade entre a maior parte dos ucranianos e perdeu o controlo de tudo, com excepção duma pequena faixa de terreno ocupada pelos gabinetes governamentais em Kiev e mesmos esses estão cercados pela direita neofascista que aumenta à custa dos seus antigos apoiantes agora desiludidos.”

  26. De diz:

    “Sejamos claros, a luta na Ucrânia não é entre os EUA e a Rússia, é entre a Junta imposta pela NATO, formada por oligarcas neoliberais e fascistas de um lado e os operários industriais e as suas milícias locais e conselhos democráticos por outro. Os primeiros defendem e obedecem ao FMI e a Washington; os últimos baseiam-se na capacidade produtiva da indústria local e reflectem a maioria.”

    Daqui;
    http://resistir.info/petras/petras_07mai14_p.html

    • Carlos Carapeto diz:

      De:

      Força, não se pode dar treguas a este bando de fascistas acobardados que nem sequer têm coragem de assumir aquilo que são.

      Os verdadeiros comunistas são pessoas dotados de uma moral superior.

      Em tempo algum os comunistas espalharam a violência nas ruas contra pessoas comuns com o sentido de as atemorizar. Os Comunistas lutam por causas nobres.

      E ainda há quem tenha o descaramento de vir aqui a defender estes vandalos nazis.

      • Micael J. diz:

        “Em tempo algum os comunistas espalharam a violência nas ruas contra pessoas comuns com o sentido de as atemorizar. Os Comunistas lutam por causas nobres.”

        toma lá pá:
        http://en.wikipedia.org/wiki/Hungarian_Revolution_of_1956

        de nada.

        • Carlos Carapeto diz:

          Não tenha quaisquer duvidas que os comunistas sempre lutaaram por causas nobres e em parte alguma espalharam o terror “gratuitamente” contra civis idefesos.

          E a Hungria não foi excessão. Impediram o renascimento prematuro do nazismo, como já está a acontecer.

          Agradeço que me prove o contrário.

          Consegue provar que os comunistas cometeram barbaridades desta natureza contra as populações em alguma parte do mundo?

          http://www.informationclearinghouse.info/article10907.htm

          http://en.wikipedia.org/wiki/Fallujah,_The_Hidden_Massacre

          As tropas do Pacto de Varsóvia entraram na Hungria para abafar uma sublevação nazi com o objetivo de tomar o poder.

          E o mais grave é que esse levantamento foi preparado com ajuda dos ditos países democráticos que inclusivamente os armaram , como acabaram de fazer agora na Ucrânia.

          Na Hungria as tropas do Pacto de Varsóvia não dispararam contra civis desarmados, e ainda menos arrasaram indiscriminadamente cidades e aldeias, nem um edificio sequer deitaram abaixo.

          Quantas pessoas morreram na Hungria? Quantas morreram no Vietname? E quantas no Iraque, no Afeganistão, na Líbia ?

          Qual é o vosso sentido de democracia ?

          http://www.rebelion.org/hemeroteca/imperio/040607hpolo.htm

          • LGF Lizard diz:

            Bem, toda a gente sabe (com excepção dos estalinistas) que a Hungria foi invadida para evitar que um poder democrático tomasse o poder e mandasse o partido comunista local para a obscuridade onde definham os partidos comunistas ocidentais.
            E sim, dispararam sobre tudo o que se mexesse. Civis, particularmente.
            A sua versão da História está mais do que provado que é uma mentira. E você sabe disso. É apenas propaganda barata. Nada tem a ver com a realidade do que aconteceu.
            A revolução húngara de 56 foi foi uma “sublevação nazi”. Nem nada que se pareça. Apenas sim uma revolução para devolver a liberdade aos húngaros.

            Só com a força bruta conseguiram esmagar a libertadora revolução húngara. Em 1968 foi a vez da Checoslováquia sofrer na pele uma invasão. Os polacos evitaram uma em 1981 à custa da imposição da lei marcial.

            “Consegue provar que os comunistas cometeram barbaridades desta natureza contra as populações em alguma parte do mundo?”
            Esta barbaridades não, porque não são barbaridades. Tal como é indicado, não foram utilizadas quaisquer “armas químicas” no Iraque. Talvez se os autores do “documentário” soubessem o que é uma arma química não teriam dado barraca…
            “Critics of the film point out that white phosphorus is not considered a “chemical weapon” under the Chemical Weapons Convention but an incendiary weapon, making the distinction that white phosphorus does not poison but burns its subject. White phosphorus is also commonly used and accepted by many military powers around the world”.

            Mas sim, consegue-se ver barbaridades cometidas pelos comunistas. Assim de cabeça e sem querer ser muito extensivo:
            – Holomodor
            – Grande Salto em Frente
            – Revolução Cultural
            – Killing Fields cambodjanos
            – A luta contra os guerrilheiros bálticos após a II Guerra Mundial
            – A utilização de gás mostarda contra os chineses na década de 30
            – A repressão militar dos protestos na Alemanha Oriental e Polónia nas décadas de 50 e 70 (onde os militares abriram fogo contra civis)
            E há mais. Muito mais. Também não admira, dado que o comunismo conseguiu a triste proeza de ser a ideologia mais assassina da História da Humanidade. Ou seja, exemplos de barbárie não faltam.

          • Censurado diz:

            Sublevação Nazi na Hungria de 1956??!! Você não tem vergonha de propalar estas abjectas distorções da verdade histórica?
            Fala em barbaridades e não tem vergonha de querer ignorar um dos mais tenebrosos mecanismos de terror jamais criados pelo Homem: o GULAG?!!

          • De diz:

            Nem lizard nem censurado têm neste momento carta de alforria para merecerem qualquer discussão sobre o que quer que seja.que não seja a Ucrânia
            Percebe-se a angustia do lizard, um sionista fanático apologista do estado-pária de israel e defensor dos crimes contra a humanidade levados a cabo pelos sionistas e seus capangas.Ele que fique com o povo eleito e com as suas afirmações xenófobas onde tenta meter tudo e mais alguma coisa.
            Até o palavreado em inglês servido pelas publicações distribuídas aos sionistas de serviço ( agora Israel até dá dinheiro a universitários para o fazer) permite marcar processos e hábitos.

            Quanto ao Hugo-censurado, a resposta não é a mesma mas é paralela
            A medição dos horrores com que alguns peralvilhos tentam camuflar os crimes inenarráveis tem destas coisas.
            Se quiserem que se discuta o que quer que seja que o façam nos locais próprios e nos posts adequados.
            Porque estas “manobras” de, pelo cansaço e pelo constante desvio do que se discute, para outras discussões e outras questões é aquilo que geralmente a canalha faz.Desvia o assunto, queima cartuchos e paciência e no final saem com o rabo a dar a dar , de contentes pelo objectivo atingido .E o objectivo é o de impedir que se debata o que se se está a debater e chafurdar em tutti quanti menos o que se debate.Formas de debater que geralmente permitem classificar quem assim debate para no fim nada debater

            E para esse peditório já dei o que tinha a dar

            Tanto mais…tanto mais que muitas destas discussões já foram processadas, ainda por cima com os mesmos intervenientes muitas vezes nos mesmos locais , nos mesmos blogs, quantas vezes é que …com outros nicks.

            E o que sobra é a desonestidade pura e dura. Pela camuflagem real do que não se quer debater, pela tentativa torpe de reduzir os temas a slogans propagandistas tão evidentes na lista seriada dum lizard ou no tom a passar por histérico do censurado
            ( esquece-se este que já o vimos fazer estes números e que estes já tiveram no local justo a sua resposta.Pretende encher espaço com fugas para o outro lado?Sorry mas não passa)

            Pim !
            ( Como dizia o outro a propósito dum outro, useiro e vezeiro em.)

      • E mais ainda, Carlos. Vai ler todos os comentários daqui e vê se alguém defendeu nazis (e não, quem se esteve a manifestar em Maiden não foram nazis, foi o tal povo que tu tanto dizes defender e que não queria um país corrupto onde o presidente tem uma casa de 60M€ e que também condena a violência que foi levada a cabo por um bando de extremistas).

        • Carlos Carapeto diz:

          Alto aí nada de balburdias.

          Yanukovitch porquê ? Alguém aqui já defendeu esse “senhor” ?

          ” Carlos. Vai ler todos os comentários daqui e vê se alguém defendeu nazis (e não, quem se esteve a manifestar em Maiden não foram nazis,”

          Nem coisa que se pareça. com nazismo.

          E quem se atrever a fazer tal afirmação só pode ser considerado calandreiro e caluniador.

          Até porque estas imagens são de uns pacificos democratas a exigirem paz na Ucrânia.

          • Carlos Carapeto diz:

            São estes nazis e são aqueles que os ajudam e tentam encobrir em qualquer parte do mundo.

        • Carlos Carapeto diz:

          Não são nazis? Nem eles próprios o negam!

          O oficial da policia que aparece no video ao lado dos nazis e a dar orientações aos mesmos. Tem o posto de coronel (polkovnik) prestem atenção que esse nome (polkovnik) é mencionado mais que uma vez.

        • Carlos Carapeto diz:

          Não são nazis nem violentos?

          Tem sido o povo a manifestar-se expontâneamente sem interferencias externas?

          Essas caras bem conhecidas que aí aparecem não mexeram uma palha?

          • Carlos Carapeto diz:

            “Censurado diz:

            Sublevação Nazi na Hungria de 1956??!! Você não tem vergonha de propalar estas abjectas distorções da verdade histórica?”

            Outro vómito!

            Tem duvidas? Já respondi ao Lizard.

            Consulte o artigo do inteletual Belga Ludo Martens que coloquei nesse comentário.

            Ou então leia o livro do jornalista Húngaro Ivan Boldizser ” O Imperialismo Americano Contra o Povo Hungaro”

            “Fala em barbaridades e não tem vergonha de querer ignorar um dos mais tenebrosos mecanismos de terror jamais criados pelo Homem: o GULAG?!!”

            Que GULAGs?

            Os GULAGS onde foram encarcerados milhões de nativos Norte Americanos chamados reservas?

            Ou os outros da Florida em que os deportados para lá chegarem eram forçados a percorrer milhares de Kms a pé, mais de dois terços morriam por o caminho?

            Será o GULAG dos Estados do Sul onde viviam mais de 25 milhões de cidadãos negros aprisionados em guetos?

            Situação que perdurou até 1968, só terminou com uma revolta da população negra e depois de algumas cidades ficarem reduziadas a cinzas?

            Um cidadão por ser negro era-lhe negado todos os direitos civicos, arriscavasse a ser queimado vivo ou enforcado impunemente na via publica em rituais macabros.

            Perca agora a sua honrosa vergonha e diga se tal aconteceu na União Soviética.
            Sabe se algum cidadão da URSS foi descriminado, por motivos raciais, religiosos, os filhos de presos policos foram impedidos de frequentar estabelicimentos de ensino ou qualquer outro organismo do Estado?

            Talvez se tivesse a referir também a estes GULAG . Do apartheid Sul Africano ? Sahará Ocidental? De Gaza?

            Afinal quem não tem vergonha para esconder coisas tenebrosas?

            Da sua parte já não se trata de falta de vergonha, é canalhice nazi na tentativa inglória de esconder e branquear estas monstruosidades, atribuindo aos comunistas crimes que não praticaram.

            Delicie-se com esta lista.

            http://pt.wikipedia.org/wiki/Anexo:Lista_dos_campos_de_concentra%C3%A7%C3%A3o_nazistas

        • Carlos Carapeto diz:

          “LGF Lizard diz:

          Bem, toda a gente sabe (com excepção dos estalinistas) que a Hungria foi invadida para evitar que um poder democrático”

          Não tinha visto este vómito.

          Não admito que regurgitem no meu prato os excrementos que engolem na Wikipédia ou nos Livros Negros se o pretendem faze-lo façam-no na vossa gamela.

          Têm que provar com factos aquilo que escrevem.

          Com que então tratou-se de um levantamento popular para instaurar o poder democrático? Têm que provar as fontes e os autores dessa informação.

          Eu provo por escritos de intelectuais e historiadores de reputação mundialmente reconhecida que se tratou de uma tentativa de golpe encabeçado por servidores do poder nazi durante a ditadura de Miklós Horty.

          Ludo Martens.
          http://www.marxists.org/portugues/martens/1991/veludo/cap04.htm

          Do intelectual Húngaro. Ivan Beldizsar.
          http://www.priceminister.com/offer/buy/184055744/l-imperialisme-americain-contre-le-peuple-hongrois-de-ivan-boldizsar.html.

          “Em 1968 foi a vez da Checoslováquia sofrer na pele uma invasão.”

          Isto aconteceu precisamente nos mesmo mês e nos mesmos dias em que milhões de negros Norte Americanos eram reprimidos brutalmente por exigirem o fim da segregação racial.

          Neste caso já era permitido reprimir e assassinar pessoas por exigirem os direitos cívicos mais elementares, como por exemplo não ter que ceder o lugar num transporte publico a um cidadão branco?

          “Os polacos evitaram uma em 1981 à custa da imposição da lei marcial.”

          O JP II explicou isso melhor.

          “- Holomodor”

          Está aqui quem tem autoridade para desmistificar essa fraude.
          Vai custar-lhe engolir estas verdades?

          http://rationalrevolution.net/special/library/tottlefraud.pdf

          http://www.mariosousa.se/MentirassobreahistoriadaUniaoSovietica.html

          “- Grande Salto em Frente
          – Revolução Cultural “

          E o massacre de Nanquin ?

          “Esta barbaridades não, porque não são barbaridades. Tal como é indicado, não foram utilizadas quaisquer “armas químicas” no Iraque. Talvez se os autores do “documentário” soubessem o que é uma arma química não teriam dado barraca…”

          Com que então na cidade de Falljujah não foram usadas armas químicas?

          Os autores do comentário que viveram a situação e as vitimas que mostram no corpo as consequências da utilização dessas armas, são todos uns grandes filhos da puta que pretendem fazer propaganda anti Americana.
          É o espertalhão de um Português perito no assunto a desmontar essa mascarada?

          “- Killing Fields cambodjanos”

          É preciso ter descaramento para ser capaz de mergulhar na javardice imunda.

          Quem foi que criou as condições para os Khmer tomarem o poder.
          Quem patrocinou o golpe de Lon Nol ?

          Quem foi que os escorraçou de Phnom Phen no dia 7 de Janeiro de 1979?

          Quem depois os financiou, forneceu armas, estações de rádio e Santuários na Tailândia, os continuou a reconhecer como representantes do Camboja na ONU até 1985?

          Quanto ao resto que escreve, tratasse de excrementos regurgitados por o mesmo vómito.

    • Carlos Carapeto diz:

      Isso mesmo.

      A melhor maneira de os vergar é escarrapachar-lhes a verdade na cara.

  27. Carlos Carapeto diz:

    Para quem sabe Francês, este video explica quem apoiou o golpe nazi na Ucrânia.

  28. Carlos Carapeto diz:

    Esta rapaziada nem se identifica com o nazismo.

  29. António diz:

    O senhor Tiago Santos tem muita sorte de este ser um blog ponderado e frequentado por camaradas tranquilos. Se fosse espalhar a sua verborreia imperialista noutros sítios perceberia bem como às vezes funcionam as coisas. É ou não é camaradas?

  30. Carlos Carapeto diz:

    Consegui encontrar o Site de um jornalista Inglês que está a acompanhar os acontecimentos de libertação do povo na Républica de Donetsk.

    http://grahamwphillips.com/

  31. António diz:

    Este senhor Tiago Santos realmente precisa de saber de onde é que apareceram o martelo e a foice…

  32. Carlos Carapeto diz:

    São neste momento 02:15 e a praça Lenine em Donetsk está completamente às escuras.

    http://velton.ua/ru/webcams/Wide2HQ.shtml

    A Webcam de Sloviansk está desligada.

    Este é um video dos fascistas. Mas é só para mostrar a natureza dos combates que se têm travado na periferia de Slaviank nos ultimos dias.

    Tenho recebido informações que durante toda esta noite se têm travado violentos combates neste região por o controlo do monte Karachun onde estão instaladas as antenas de televisão, nos ultimos dias este local tem mudado de mãos várias vezes.

    Os fascistas hoje perderam o controlo da cidade de Kramatorsk a pouco mais de trinta Km daqui.

    Já por duas vezes esta semana houve troca de tiros entre os pára quedistas e os mercenários da Guarda de Kiev, no aédromo de Kramatorsk.

    Há alguns dias manifestei aqui a minha aprensão pelo facto de as forças fascistas fazerem uso em grande escala de meios blindadas, o meu receio era que os democrátas não disposessem de armamento capaz de os enfrentar, até afirmei que só ficava tranquilo quando visse os blindados explodirem envoltos em chamas, mas para meu grande contentamento isso já aconteceu, já vi dois tanques e um BTR calcinados.

    Portanto os fascistas já tinham perdido o dominio dos ares quando uma unidade de defesa anti-aerea euipada com os temiveis misseis portáteis IGLA, estacionada na região de Lugansk se passou para o lado do povo.

    Agora alegra-me bastante saber que as forças populares democraticas já dispõem também de grande quantidade de armas portáteis anti tanque.

    A aviação está praticamente inoperante, porque os pilotos se recusam levantar voo, já perderam 6 helicopteros dois deles pesados M I 24.

    A partir de amanhã dia 18 a Republica Popular de Donetsk vai abrir as fronteiras com a Rússia.

    Continuam a chegar todos os dias boas noticias. Alguns generais do exercito e da policia estão a passar-se para o lado das forças populares.

    Espero e desejo que consigam aguentar a investida dos nazis até ao dia 25 porque se conseguirem a farsa eleitoral não vai ter qualquer validade.

  33. Carlos Carapeto diz:

    Mesmo vivendo uma situação grave, ainda há disposição para brincar.

    .

    A torre de transmissões de Slaviansk que menciono num comentário anterior é a que aparece nestas imagens.

  34. Carlos Carapeto diz:

    “E mais ainda, Carlos. Vai ler todos os comentários daqui e vê se alguém defendeu nazis (e não, quem se esteve a manifestar em Maiden não foram nazis, foi o tal povo que tu tanto dizes defender”

    O povo que defendo é ordeiro e pacifico, nunca recorre à violência mesmo tendo razão , quando protesta contra aqueles que lhe pretendem negar (e roubar) os mais elementares direitos.

    Que causas estão estes bárbaros a defender? Melhores condições sociais ? Trabalho? Cultura ? Liberdade ? Democracia? Nada disso a exigem nos seus cânticos.

    Usam a violência gratuita para intimidar cidadãos pacificos na rua , pedem a morte de quem consideram inimigo, glorificam antigos lideres nazis, exibindo os simbolos dessa ideologia em desfiles publicos.

    Foram estes mesmos que provocaram os maiores desacatos na Maidan.

    E ainda há quem tenha o atrevimento de negar que não são nazis.

  35. Carlos Carapeto diz:

    Quero esclarecer que esse “senhor” que aparece a fazer a saudação nazi no video que coloquei acima é Oleg Tiagnibok dirigente do partido Svoboda ( Liberdade ).

    Este partido tem onze membros seus no governo, cinco ministros ocupam pastas chave.

    http://www.voltairenet.org/article182504.html

    Depois da farsa eleitoral do dia 25 eles de certeza que vão apresentar a factura do trabalho prestado, falta saber a quantia que pretendem cobrar, não vai ser pouco, na medida em que já conseguiram integrar (infiltar) milhares de elementos seus na força de choque recém criada, a chamada Guarda Nacional.

    O cenário mais provável é os golpistas engalfinharem-se uns com os outros para disputarem os despojos que sobram da Ucrânia.

  36. Miguel Direito diz:

    O novo Primeiro-Ministro da República Popular de Donetsk, o moscovita Aleksandr Borodai é o mesmo Aleksandr Borodai que foi director dos serviços secretos russos e responsável pela política de informação e projectos especiais?

    • Joao Pereira diz:

      E a única apoiante de Putin é a Marine Le Pen …. mas criminosa e perigosa é a UE e a NATO. L O L

      • De diz:

        A desonestidade da direita é sintomática.
        E elucidativa.

        Depois de ter sido posta a nu a miséria argumentativa de Pereira, eis que este volta com um lol,estranhamente entranhado na nata e no discurso.

        Marine le pen é a única apoiante de Putin?
        Falso.Há por aí muita gente que.

        Também não encontrei muita gente por aqui a dar vivas a Putin.
        Favor ler de novo e tentar perceber desta vez.

        Quanto aos crimes dos neo-nazis na Ucrânia é escusado estas figurinhas de Pereira.Estão por aqui bem documentados.Mais do que os amores da le pen ou os ódios de putin.
        É mais uma vez consultar os dados e as fontes

        • imbondeiro diz:

          Eu a pensar que desde que a crise ucraniana começou (gentileza do maravilhoso quarteto apocalíptico EUA/UE/NATO/FMI) a taxa de aprovação de Putin entre os seus concidadãos tinha subido para cima dos 70% e, na verdade, tudo não passava do “efeito Conchita Wurst”: afinal de contas, todas essas almas russas que aprovam a política de Putin em relação à Ucrânia são travestidos clones da… Madame Le Pen. Como é bom, caro De, vermos a negras trevas ideológicas em que vivemos serem rasgadas pelo luminoso, mui esclarecedor e agudíssimo raio da sapiência direitista e sermos esclarecidos da verdade verdadinha: afinal, havia outras, muitíssimas outras… madames Le Pen… a apoiar o novel Hitler (LOL!!!) que é Putin. Está explicado…

      • Carlos Carapeto diz:

        “E a única apoiante de Putin é a Marine Le Pen …. mas criminosa e perigosa é a UE e a NATO. L O L”

        Isso mesmo. Involuntariamente confessou-se. A criminosa e perigosa UE/NATO.

        Porque enquanto Madame Le Pen (extrema direita) apoia Putin sem provocar quaisquer consequências nefastas.

        Os “democratas” cá do burgo apoiam, financiam e instigam os nazis de Kiev seguidores das hordas hitlerianas a massacrar barbaramente a própria população.

        Se tivesse sossegadinho não tinha apanhado com este trapo encharcado.

    • De diz:

      Será?
      Mas se é assim porque a insinuação e a pergunta tola?
      Porque não a afirmação frontal e não cobarde?
      Porque não a indicação das fontes?

      O que é indesmentível são os dados referentes aos governantes da governança de Kiev:

      “Por estes dias Kiev não é um local agradável para estar. A emoção revolucionária acabou, e a esperança por novos rostos, o fim da corrupção, e a melhoria económica, secou. A revolta da praça Maidan e o golpe que se seguiu apenas tornaram a baralhar as mesmas cartas marcadas, sempre à volta do mesmo poder.

      O novo presidente em exercício era primeiro-ministro em exercício e ex-chefe do SBU (KGB ucraniano). O novo primeiro-ministro interino foi ministro dos Negócios Estrangeiros. O oligarca mais provável de ser “eleito ” presidente dentro de dias foi também Ministro dos Negócios Estrangeiros, presidente do banco estatal, e tesoureiro pessoal de dois golpes de Estado, em 2004 (a instalação de Yushchenko) e em 2014 (a instalação dele próprio). O seu principal concorrente, Julia Timoshenko, foi durante anos primeira-ministra, até à sua derrota eleitoral em 2010.”
      (cont)

    • De diz:

      “Estas foram pessoas que trouxeram a Ucrânia para o seu abjecto estado actual. Em 1991, a Ucrânia era mais rica do que a Rússia, hoje é três vezes mais pobre por causa da má gestão e roubo dessas pessoas. Agora planeiam um velho truque: obter empréstimos em nome da Ucrânia, embolsar o dinheiro e deixar o país endividado, venderem activos estatais a empresas ocidentais e pedir à NATO para entrar e proteger o investimento externo.

      Jogam um jogo duro, soqueiras e tudo. A Guarda Negra, uma nova força armada tipo SS, do neo- nazi Sector Direita, ronda o país, prendem e matam dissidentes, activistas, jornalistas. Centenas de mercenários americanos, da empresa ” privada” Academi (anteriormente Blackwater ) estão espalhados pelas províncias do Leste e do Sudeste. As reformas impostas pelo FMI cortam as pensões para metade e duplicam as rendas da casa”
      (cont).

    • De diz:

      O novo regime de Kiev deixa cair o último disfarce de democracia, expulsando os comunistas do parlamento. Com isto ficam ainda mais bem vistos junto dos EUA. Expulsar comunistas, candidatar-se à NATO, condenar a Rússia, e tudo é possível, até mesmo queimar dezenas de cidadãos vivos, como fizeram em Odessa.

      Israel Shamir

      (ler continuação do artigo, aqui: http://bit.ly/1jWU6ee )

    • Carlos Carapeto diz:

      “O novo Primeiro-Ministro da República Popular de Donetsk, o moscovita Aleksandr Borodai é o mesmo Aleksandr Borodai que foi director dos serviços secretos russos e responsável pela política de informação e projectos especiais”.

      Se fosse PIDE, Cavaco Silva atribuia-lhe uma generosa pensão vitalicia por o reconhecimento dos serviços prestados ao país , mas paga por todos nós, claro.

      E na América podia atingir voos mais altos. Chegar a ministro (secretário) ou mesmo até ser presidente.

      A vida tem destas coisas!

  37. De diz:

    Este ultimo texto foi retirado do “A essência da `pólvora” ( J.Eduardo Brissos)

  38. LGF Lizard diz:

    Percebe-se a angustia do De, que simplesmente não passa de mais um nazeco de extrema-esquerda. E ainda dizem que o anti-semitismo não grassa na extrema-esquerda…
    Sorry, isso é que não passa. nem aqui nem em lado nenhum.
    Só gostaria de saber quem é que falou em Israel nesta conversa. Estava-se a falar da Ucrânia, da Hungria e dos crimes do comunismo.
    Até que aparece um De a espumar-se a falar em sionistas, Israel e “crimes contra a Humanidade”…. mas sem conseguir rebater ou adicionar algo à conversa. Facilmente se percebe o porquê….. contra factos não há argumentos.
    Isto sem falar no “fantástico” comentário do James Petras, outro idiota de extrema-esquerda cujo vocabulário parece tirado a papel químico do partido nazi americano. Apenas se dá ao trabalho de substituir “judeus” por “sionistas”, pois parece mal a alguém de Esquerda ser conotado como anti-semita.
    Enfim, é o que temos.

    • De diz:

      A previsibilidade do Lizard chega a ser cansativa.
      Mas foi na mouche.
      Lol

      Lizard não percebeu que foi de propósito?
      Que foi o isco atirado para alguém ofegante que se afadigava em falar na Hungria, nos holodomores, nas checoslováquias, no cambodja ( o do pol pot , o aliado do aliado de israel, os EUA) na revolução cultural, na grande marcha?

      A separação das águas foi cirúrgica.

      Porque não fazer o coitado do lizard provar da sua própria veia argumentativa e da sua forma desonesta de “fugir” envolto nas suas próprias vestes?
      O resultado é este. Lizard “sem conseguir rebater ou adicionar algo à conversa” sobre a acusação de crimes contra a humanidade por parte do estado-pária de Israel. Está certo assim?

      E eis o resultado.Patético mas previsível
      “Crimes do comunismo” grita de forma um pouco a destempero numa rota de ampificação depois com o pequeno insulto e com a grande asneira.
      Espuma e chama idiota ao James Petras, .E aldraba naquela tentativa peçonhenta de confundir os semitas com os sionistas .Semitas são também os próprios palestinianos que como se sabe são perseguidos pelo governo israelita como o eram os judeus pelos nazis

      Daí que e mais uma vez…não passa.
      Sorry
      A tentativa de misturar conceitos de forma um pouco bovina identificando os anti-semitas com os anti-sionistas não passa. A simples consulta duma qualquer enciclopédia faz derrocar o argumentário do ´pobre lizard
      Afinal ao que parece, parece mesmo que liizard se assume como e vou utilizar a sua paleta de expressões: Um “nazeco”, com um discuros tirado a papel químico do partido nazi americano que como se sabe o tira do partido nazi orignal

      ( afinal parece que há nazis nos nossos dias….que afirmação espantosa,lol)
      É o que temos.

      Feito este trabalho ,podemos regressar à Ucrânia, sem estas manipulações grosseiras?

    • De diz:

      A previsibilidade de Lizard é de tal forma que se torna muito fácil demonstrar pelo exemplo a desonestidade argumentativa do pobre lizard.
      Confesso que lhe estendi uma pequena armadilha .Eis os resultados tão magnificamente exemplificados pelo exemplo magnífico da escrita lizardiana
      Lol

      Os derivativos sobre as checoslováquias, húngrias, cambodjas ( a do pol pot, a aliado precisoso do aliado dos israelitas, os EUA?) indo até ao grande salto e à revolução cultural evidenciam uma cultura própria já desmontada aqui.
      Que fazer então? Porque não fazer provar a este próprio lizard o seu próprio desvario discursivo e apresentar-lhe outra versão?

      Eis os resultados.Como Lizard, poderia dizer que este tenta mas não consegue “rebater ou adicionar algo à conversa”.
      Lol
      Mas assisto ao vero espectáculo de ver Lizard confessar que afinal o que se discutia eram os “crimes do comunismo” (era? e eu que pensava que era a Ucrânia e os crimes do nazi-fascismo aí )
      E assisto ao vero espectáculo de ver lzard arremeter contra James Petras e falar no partido nazi americano ( sim? E eu que pensava que não havia já destas coisas à face da terra?
      E assisto ao vero mas deprimente espectáculo de ver o esforçado esforço de lizard de tentar confundir anti-semitismo com anti-sionismo.Ele sabe mas esconde-o.Os palestinianos também são um povo semita.Alguém que esta do lado dos palestinianos contra o estado-pária de Israel não pode ser anti-semita
      Valeu?

    • De diz:

      Hum…
      A previsibilidade de Lizard é de tal forma que se torna muito fácil demonstrar pelo exemplo a desonestidade argumentativa do pobre lizard.
      Confesso que lhe estendi uma pequena armadilha .Eis os resultados tão magnificamente exemplificados pelo exemplo magnífico da escrita lizardiana. A separação das águas resultou em pleno
      Lol

      Os derivativos sobre as checoslováquias, húngrias, cambodjas ( a do pol pot, a aliado precisoso do aliado dos israelitas, os EUA?) indo até ao grande salto e à revolução cultural evidenciam uma cultura própria já desmontada aqui.
      Que fazer então? Porque não fazer provar a este próprio lizard o seu próprio desvario discursivo e apresentar-lhe outra versão?

    • Carlos Carapeto diz:

      Os revisionistas sempre trabalharam intensamente sem diferenciarem os aliados nem os meios para alcançar os seus objetivos mais obscuros , como por exemplo, inventando numerosas teorias tenebrosas daquilo que nunca aconteceu nos Estados Socialistas, que têm como fim combater a unidade marxista-Leninista, no entanto isso tem mostrado que é uma manobra que lhes tem sido mortal.

      Por isso mesmo , nós para desmascarar-mos esses farsantes devemos continuar a levantar bem alto a genuína e grande bandeira do Marxismo/Leninismo.

      A bandeira da férrea unidade proletária internacional e desbaratar toda a pretensão de propaganda revisionista.

      Isto vem a propósito da opinião de alguns comentadores(supostamente de esquerda) pretenderem atribuir um carater de espontaneidade aos acontecimentos da Ucrânia.
      Embora aparentemente esses acontecimentos pareçam reduzir-se. Primeiro; a um levantamento popular contra um presidente que se opunha em satisfazer os anseios da população (alianças com a EU) .
      Segundo; que só depois de consumado o afastamento do presidente surgiram as disputas de ordem geoestratégicas , motivadas por a “intromissão” da Rússia na situação.

      Isso é absolutamente falso.

      Quem se atrever a defender isto, está a fazer um exercício de pura demagogia e de perversão da verdade. Isto porque omitem que o problema foi criado única e exclusivamente com o objetivo do alargamento da NATO para as fronteiras da Rússia, portanto com fins geoestratégicos.

      E mais; esses que atearam fogo à Ucrânia tinham consciência que não dispunham de meios nem de recursos para tirar o povo Ucraniano da agonia que em está mergulhado. Pelo contrário estão a sugerir medidas que ainda vão agravar mais a situação económica e social da população.

      O mais grave de tudo, foi terem-no feito recorrendo a bandos de ideologia nazi. Promoveram-nos, armaram-nos, colocaram-nos no poder e estão a tolerar os actos brutais e cruéis que praticam contra cidadãos pacíficos.

      Estão a praticar castigos coletivos em povoações no Leste da Ucrânia. Destruição de estações de abastecimento de água, cortes de energia electrica, negar acesso à informação, execuções sumárias, raptos, assassinato seletivo de opositores políticos, destruição e ocupação de sedes desses partidos , os seus deputados são expulsos arbitrariamente do parlamento.
      Perante tal cenário de desrespeito por os mais elementares direitos dos cidadãos, se ainda há quem se atreva em considerar o moderado James Petras um extremista de esquerda.
      Como será que devemos qualificar quem assim pensa? Nazi não, porque isso seria uma forma de desqualificar Hitler.

    • Carlos Carapeto diz:

      “Estava-se a falar da Ucrânia, da Hungria e dos crimes do comunismo.”

      LGF Lizard, disrtaiu-se?
      Mas o assunto que estamos a discutir não é sobre a situação actual na Ucrânia?

      Já que levantou a lebre, vamos soltar os cães.

      Consegue ser mais especifico? Diga o que sabe sobre a Ucrânia e a Hungria?

      Essa patranha já está nos arquivos mortos.

      Quere que lhe lembre o “paraíso” Líbio e o “inferno” do Zimbabué?

    • anonimus diz:

      Chamar o que este Lizard chama ao James Petras só mesmo algum nazeco de extrema-direita, com ligaçoes directas ao governo israelita.
      James Petras é um Professor aposentado (Emérito) de Sociologia da Universidade de Binghamton, em Binghamton, Nova York e professor adjunto da Universidade de Saint Mary, Halifax, Nova Escócia, Canadá.
      Cidadão com obra respeitável e conhecida. Cidadão que combate todos os fascismos e todos os nazismos.E que não se cala perante os crimes dos dirigentes de Israel.
      Por isso cai sobre si o ódio sionista.
      Mas que se rebatam os seus argumentos em vez de se seguir outro preceito nazi que é o dos autos-de-fé a quem não lhes bebe as águas

  39. De diz:

    É o que dão os problemas com a informática…Comentários que “não entram” mas que afinal estão a ser registados.

    Erros meus, má fortuna…

  40. Carlos Carapeto diz:

    Esta madrugada travaram-se combates encarniçados de artilharia para o controlo da torre de transmissões do monte Karachum , próximo de Slaviansk.

    Aqui:

    Ouve-se perfeitamenet bem a intessidade do fogo de armas pesadas.

    Os fascistas tiveram que recuar, perderam dois blindados BMP.

    Em redor de Kramatorsk, hoje durante o dia também de travaram combates violentos, as forças populares não cederam terreno.

    Também hoje ao cair da noite proximo de Marriúpol foi avistada uma coluna de blindados fascistas.

    A partir de quarta feira é esperada uma ofensiva geral por parte dos fascistas de Kiev.

    Se os patriotas aguentarem até domingo dia 25 têm a vitória assegurada.

    As forças progressistas para poderem ser ouvidas no mundo inteiro têm que se unir contra o imperialismo, se o não fizer-mos estamos condenados ao fracasso.

    Aqui também podemos lutar por o povo Ucraniano e contribuir para a derrota do imperialismo/nazi que o está a massacrar. Se não o fizer-mos é a nossa civilização que está em causa.

  41. Carlos Carapeto diz:

    Os fascistas a noite passada 19/20 maio bombardearam indiscrinadamente a cidade de Slaviansk, destruindo várias habitações.

    Veja-se o pânico e o desespero que estas pessoas estão a viver.

    Обстрел домов Славянск = Destruição de habitações em Slaviank .

    A velhota diz que se estivesem em casa tinham morrido todos, por precaução há algumas noites que vão dormir na cave de um vizinho só assim se salvaram.

    A outra Senhora mais à frente diz, chama-nos terroristas e separatistas, não somos nada disso queremos pão e viver em paz. Temos o direito de defender a nossa lingua e a nossa cultura.

    É um horror a situação que uma parte do povo Ucraniano está a viver, a juntar aos bombardeamentos “cegos” já começam a faltar bens essenciais.

    E nós aqui temos o dever moral de fazer alguma coisa por eles .

    Denunciar as ações criminosas que o imperialismo/nazi está a praticar contra pessoas inocentes.

    Mais do que nunca as palavras proféticas de Eurico Corvacho fazem sentido ” A luta é de morte contra o capital”.

  42. Carlos Carapeto diz:

    Aqui mais imagens das casas destruidas.

  43. Carlos Carapeto diz:

    Украинские женщины идут в ополчение на защиту своих городов= As mulheres Ucranianas estão na frente de batalha para proteger as sua cidades.

  44. Pingback: Revolução Social em Donetsk. República, Oligarcas e Operários. | cinco dias

Os comentários estão fechados.