Ucrânia, começou a GUERRA CIVIL

Aviões da Junta Fascista envolvidos no ataque ao aeródromo de Kramatorsk

Aviões da Junta Fascista envolvidos no ataque ao aeródromo de Kramatorsk

No Domingo passado a junta fascista tentou organizar uma acção policial para desalojar os insurrectos do sudeste, a operação falhou miseravelmente (aqui, aqui, aqui, aqui e aqui). Antes pelo contrário, durante o próprio Domingo e Segunda, mais localidades juntaram-se à rebelião (aqui, aqui, aqui e aqui). É de sublinhar que essa tentativa de resolver o problema pela força aconteceu ao mesmo tempo que o director da CIA visitou Kiev (aqui e aqui)…

Ukraine’s intelligence agency, the State Security Service, known as the SBU, is so riddled with Russian informers that when John O. Brennan, the C.I.A. director, visited Kiev over the weekend on a supposedly secret trip, Russian state news media swiftly revealed his visit and declared it evidence that Washington was calling the shots in Ukraine and pushing for a crackdown in the east. (NYT aqui)

O comportamento da junta tem oscilado entre o histerismo, a cacofonia, a impotência e a extrema agressividade (aqui, aqui e aqui). No mesmo dia o regime de lacaios da NATO+UE+FMI e fascistas chegou a propor um referendo, uma missão de paz da ONU e anunciaram uma acção “anti-terrorista”… Claramente existem divergências e pressões de vários lados… Mas hoje a Junta decidiu não contemporizar e enviou tanques, aviões e um miscelânea de tropas (polícia, exército regular, guarda nacional e milícias fascistas) para esmagar a insurreição. Já houve vários choques e os populares na zona sudeste estão, literalmente, a dar o corpo às balas (aqui) para parar a ofensiva fascista (aqui, aqui, aqui, aqui, aqui e aqui).

Mesmo alguns jornalistas ao serviço do império, contactando directamente com a realidade, são obrigados a admitir que a resistência à junta fascista tem um carácter genuíno e popular (aqui, aquiaqui e aqui).

On a potholed road into this small industrial town, the authority of the country’s pro-Western government ends abruptly at a stack of tires guarded by a grocery clerk, a young man with a bulldog and a chemicals salesman. (WSJ aqui)

No Domingo já tiveram lugar algumas escaramuças e mortos, mas a situação ainda poderia ser resolvida pela via negocial. Hoje o que se está a passar é bem mais grave. A partir de hoje é claro que as profundas contradições existentes na sociedade Ucraniana serão resolvidas pelas armas. As populações do sudeste, e bem, não estão para ser subjugadas por um governo criminoso de fascistas e lacaios do FMI+NATO+UE. Na zona ocidental da Ucrânia a junta fascista, os seus apoiantes externos (aqui) e uma importante parte da população (aqui) não está disposta a chegar a um compromisso….

Hoje começou a Guerra Civil!

Apesar de falida, a Ucrânia ocupa uma importantíssima posição geo-estratégica, tem uma forte indústria pesada, recursos minerais e é dos maiores produtores mundiais de vários cereais (o preço do trigo já começou a subir…). Este é um conflito que vai afectar profundamente todo o mundo. A economia, a sociedade e a correlação de forças entre classes e blocos geo-políticos…

O que está em causa é saber se o fascismo toma conta da Ucrânia ou não. Se a economia desse rico país é pilhada e destruída pelo FMI ou não. Se as minas continuam nacionalizadas ou se são encerradas e vendidas por “tuta e meia”. Se as fábricas e a indústria pesada é encerrada ou não. Se as terras (que ainda são públicas/nacionalizadas) que produzem vastas quantidades de cereais são privatizadas ou não. Se a NATO se reforça ou enfraquece. Se a soberania reside no povo ou numa junta ilegal golpista.

VIVA A REPÚBLICA POPULAR DE DONETSK!

GLÓRIA AOS COMBATENTES CONTRA A JUNTA FASCISTA!

NÃO PASSARÃO!

FMI+NATO+UE FORA DA UCRÂNIA!

 

 

Os vários textos que fui escrevendo acerca do tema dão um manancial de referências, factos e análise que ajudam a explicar o que está em jogo e como se chegou até aqui. Abaixo está a ligação, título e um excerto de cada um dos artigos.

“Nunca nos renderemos àqueles fascistas de Kiev” – O imperialismo e o nazi-fascismo não passarão na Ucrânia!

Logo após os gangs neo-nazis apoiados pela CIA e pela União Europeia terem tomado o poder em Kiev, houve manifestações anti-fascistas no sul e leste da Ucrânia, sobretudo na Crimeia. Num artigo do Guardian um desses manifestantes anti-fascistas dizia “nunca nos renderemos àqueles fascistas de Kiev“, na revista Time um outro dizia “em caso algum aceitaremos ser governados pela escumalha Nazi que anda de um lado para o outro em Kiev com suásticas nazis“. Tive medo que fosse só “conversa”, felizmente não é. Passada uma semana e com os acontecimentos a sucederem-se em catadupa torna-se cada vez mais claro que os Nazis não tomarão o controlo da Ucrânia, quanto muito ficarão com um enclave a noroeste pobre e sem acesso ao mar…

Crise na Ucrânia. Nada é mais importante que esmagar a ameaça Nazi-fascista.

Muitas das análises geo-políticas feitas por supostos especialistas dão ideia que os manifestantes no terreno são meros “peões”. Mas a verdade é que o ritmo dos eventos na Ucrânia foi muito marcado pelas forças no terreno. (…) A escalada do conflito será ditada pelo que acontece no terreno. A Crimeia e Donetsk parecem estar firmemente limpas de Nazis, mas em Odessa (e talvez Kharkov) a situação não é tão clara. O conflito pode escalar, se no terreno explodir uma disputa pelo controlo dessas cidades. Essa batalha, a intensificar-se, será mais devido às contradições locais, do que fruto da ingerência externa (sendo que, obviamente, cada sector local terá o apoio dos respectivos patrocinadores externos).

Neste momento, a prioridade máxima é impedir a escalada nazi-fascista e derrotar os gangs neo-nazis. Tudo o resto é subordinado a isso. As movimentações populares, a que se seguiu a intervenção das forças armadas Russas, na Crimeia já tiveram o efeito de colocar a escumalha nazi à defesa. Os pogroms e as perseguições a opositores políticos só não se alastraram e intensificaram mais porque na Crimeia houve logo uma resposta firme. As movimentações que ganharam peso este fim de semana no leste e sul da Ucrânia colocaram um travão à ascensão dos nazis ao poder.

Oligarca nomeado pela junta fascista de Kiev expulso de Donetsk. Mais notícias e comentários sobre a crise na Ucrânia.

Para reconquistar o controlo do leste da Ucrânia a junta fascista que tomou o poder em Kiev decidiu nomear dois oligarcas (incluindo o maior milionário da Ucrânia, que vive na Suiça)  para governadores de Donetsk e Kharkov. Os eventos sucedem-se com enorme rapidez, mas convém lembrar que há coisa de uma semana os insurrectos controlados pela extrema-direita em Maindan derrubaram o governo eleito de Yanukovitch porque estavam contra os “oligarcas” e a “corrupção”. (…)

 Em Portugal também temos exemplos dessa hipocrisia. Duarte Marques, o mete-nojo ex-lider da JSD, foi a Kiev incitar à violência fascista. Para esta personagem as manifestações violentas e armadas protagonizadas pelos nazis em Kiev nunca receberam uma condenação, antes pelo contrário, o moço até se congratulou com o derrube de um governo eleito às mãos de uma turba violenta e armada. 

Ucrânia: Anatomia de um golpe, a situação no terreno radicaliza-se e outras notas

Existem múltiplas forças no terreno, com diferentes programas, métodos e interesses. Existem actores locais e internacionais. Como em qualquer situação deste género, existe uma componente trágica, na acepção hegeliana da palavra …

Dito isto, é preciso perceber que existem dois grandes campos em conflito, com todas as contradições inerentes a cada um desses campos. De um lado está a junta fascista de Kiev, suportada por gangs neo-nazis, oligarcas, a Nato e a UE, que também conta com o apoio de vastos sectores populares no Ocidente da Ucrânia, que objectivamente, desempenham o papel de idiotas úteis ao serviço da UE e dos Nazis. Do outro lado existem movimentos anti-fascistas, movimentos pró-Rússia (também ligados a alguns oligarcas), o partido comunista da Ucrânia, o Governo da Federação Russa e muita da população do leste e do sul que tem fortes laços com a Rússia e está, com toda a razão, assustada com a chegada ao poder em Kiev de gangs neo nazis. Há que ter em conta também que enquanto o Ocidente da Ucrânia é mais “camponês”, o Leste é mais “proletário” (é aí que está concentrada a industria). 

Ucrânia Anti-Fascista. Dezenas de milhares nas ruas de Donetsk. Governador pró-junta fascista foge de Lugansk.

Na verdade a “festa” ainda agora começou, os acordos com o FMI e a UE irão implicar um duríssimo pacote de austeridade sobre toda a população, mas esse pacote será especialmente destrutivo para o leste e sul do país. É que a indústria Ucraniana está concentrada aí e já se está mesmo a ver o que o “programa” do FMI+UE vai impor à Ucrânia… o desmantelamento dessas indústrias que serão vendidas a retalho e afogadas por regulações e importações vindas do ocidente… Para lá das questões históricas e culturais é esta batalha económica e social que está por detrás do conflito que divide a Ucrânia. O que está em curso é portanto uma contra-revolução neo-liberal imposta pela força das botas cardadas nazis. Só se fossem parvos ou suicidas é que a malta do leste e sul (+- o operariado Ucraniano) se renderia a esta gente, independentemente da vontade de Putin…

Junta fascista de Kiev censura canais russos, prende inimigos políticos e tenta criar uma guarda pretoriana. Batalha campal em Donetsk. Referendo na Crimeia e protestos por todo o Sudoeste no fim de semana.

Mas no terreno já se assiste a uma guerra civil de baixa intensidade (…). Dadas as manobras da junta fascista de Kiev, parece-me bastante óbvio que as forças anti-fascistas na Ucrânia têm de se armar e organizar. Em grande medida isso já está a acontecer. Parece-me bastante provável que continue a escalada no conflito e que uma guerra civil venha a acontecer. Num cenário destes parece-me que a Rússia deveria apoiar as milícias anti-fascistas Ucranianas (politicamente, nos media, financeiramente, armas, especialistas…), mas não intervir directamente com tropas. No entanto, a situação é demasiado dinâmica para ter uma opinião final acerca dessa matéria.

O Putin e o regime Russo não são nenhuns anjinhos anti-capitalistas. Também não são as bestas que a propaganda imperial papagueia. Defendem os interesses do estado Russo que Putin tem estado a reconstruir e da oligarquia que o rodeia. Acontece que os seus interesses na Ucrânia, neste momento, são opostos aos da UE, FMI, NATO e nazis locais. A população Ucraniana anti-fascista antes de mais tem de confiar em si própria e nas suas organizações, mas seria absolutamente néscia se recusa-se o apoio do regime Russo.

Crimeia junta-se à Rússia… e agora?

O movimento das populações do sudeste aparenta ser algo fragmentado. O Partido Comunista Ucraniano parece ter um importante papel, mas o partido das regiões e movimentos nacionalistas russos também estão no terreno. Aquilo que tem unificado o “movimento” é a recusa da legitimidade da junta fascista, a recusa das autoridades locais nomeadas pela junta, a recusa do pacto de austeridade do FMI, da subjugação económica à UE e da subjugação geo-política à NATO. 

É ilustrativo que em Donetsk o “governador do povo” era um desconhecido vagamente ligado a movimentos nacionalistas e em Lugansk era um activista ligado a um movimento dissidente do  Partido Comunista. Ou seja, onde o movimento ousou ir mais longe a direcção que emergiu não era de nenhum partido com grande presença institucional, nem tão pouco associada a “agentes provocadores” da FSB.

Por mais que o PCU seja hostil a acções insurreccionais e queira evitar uma guerra civil, por mais que a Rússia queira evitar uma guerra na Ucrânia, ambos estes actores não podem aceitar uma Ucrânia submetida à UE, FMI e NATO. Nem tão pouco, mesmo que quisessem, me parece que consigam acalmar a população do leste ad eternum perante um cenário desses.

Se a junta fascista se abstiver de provocações a situação poderá acalmar, mas surpreendentemente (ou talvez não) os discursos de fim de semana vindos de Kiev não apontam nesse sentido… antes pelo contrário, a junta fascista parece estar a ganhar balanço para novas agressões… e com isso provocar uma resposta ainda mais forte e radical das populações do sudeste contra o regime nazi-fascista.

Entrevista a anti-fascista preso pela Junta de Kiev. Fascistas retiram tropas da Crimeia, não querem a NATO e afundam-se em contradições.

As contradições dentro da junta fascista podem ser medidas pelo discurso completamente esquizofrénico do pseudo-primeiro ministro “Yats”. No fim de semana fez uma ameaça em tons bíblicos contra os “separatistas”, terça-feira já fez um discurso completamente conciliador onde, em Russo, afirmou que a Ucrânia não se vai juntar à NATO, que irá dar mais poderes às regiões e que os tratados com a UE serão todos muito bem discutidos (aquiaquiaquiaqui e aqui)… Mais, ainda terça-feira a junta fascista tinha autorizado as suas tropas na Crimeia utilizarem as armas para se defenderem de ataques Russos, quarta-feira deram ordens para que todas as tropas Ucranianas se retirem da Crimeia (aquiaquiaqui e aqui).

Entrevista a editor de site de Esquerda na Ucrânia. Questões sobre a “Contra-revolução” de Euromaindan.

Mas enfim, a verdade é que muita gente, inclusive de Esquerda, teve (e tem) posições ambíguas quanto à Junta Fascista e o movimento de massas que a defende. Mas, passado mais de um mês do golpe de estado, quando já foi assinado o acordo com o FMI e divulgado o pacote de austeridade a ele associado (aquiaquiaquiaqui e aqui) impõe-se fazer um certo balanço.

  • Quais as principais propostas e as principais exigências do movimento Euromaindan?
  • Que lideres apoiaram o movimento e que lideranças emergiram desse movimento?
  • Que tipo de Governo surgiu e foi aprovado numa assembleia em maindan por esse movimento?
  • Que outras formas de poder e que outras organizações ganharam protagonismo na sequência da “Revolução/Contra-Revolução/Golpe”?
  • Que medidas e políticas tem esse governo tomado?
  • Que espaço o movimento abriu para a Esquerda, Sindicatos e outras organizações progressistas fazerem política?
  • Em que medida as organizações populares progressistas, a consciência dos trabalhadores e os movimentos de trabalhadores beneficiaram ou avançaram com este movimento?
  • Agora que foi acordado um plano draconiano do FMI que movimentos e forças na Ucrânia se opõe a esse acordo?
  • Que tipo de contestação nas zonas onde o movimento Euromaidan foi mais forte tem havido ao ascenso do Nazismo e ao governo da NATO+UE+FMI?
  • Que movimentos têm combatido na Ucrânia o avanço do Nazismo e o governo de Oligarcas e lacaios da NATO+UE+FMI? Que posição deve ter a Esquerda perante esses movimentos no Sudeste? Que papel tem a Esquerda local nesses movimentos e como é que isso se compara com a situação da Esquerda no Ocidente?

As Barricadas de Donetsk

Apesar de todas as prisões e intimidações, apesar de já há mais de um mês decorrerem manifestações e protestos quase contínuos (o que poderia gerar algum cansaço), apesar de todas as tentativas de cooptação, a resistência anti-fascista e a luta contra os ditames do FMI+UE longe de amansar, intensificou-se. O exacto contrário do que os “analistas” e “jornalistas” a soldo do imperialismo papagueavam (vale a pena ler, bem filtrado à muita informação nestas peças aquiaquiaqui e aqui).

Viva a República Popular de Donetsk!!! A insurreição alastra.

A República Popular de Donetsk, na sua primeira semana de existência, já alcançou várias vitórias. Derrotou o ultimato da Junta Fascista e obrigou o governo de Kiev a anunciar a disponibilidade para efectuar várias cedências, incluindo uma amnistia para os ocupantes e a realização de referendos regionais. Em Lugansk e Donetsk, os insurrectos não foram removidos, antes pelo contrário, as ocupações ganharam força, organização e solidificaram-se. O seguinte conjunto de artigos ordenados por ordem quase-cronológica é bastante revelador da dinâmica no terreno (aquiaquiaquiaqui, aquiaquiaquiaquiaqui, aqui,aquiaquiaqui, aquiaquiaquiaquiaquiaquiaquiaquiaquiaquiaquiaquiaqui,aquiaquiaquiaqui, aquiaquiaquiaqui, aquiaquiaqui).

Esta entrada foi publicada em 5dias com as etiquetas . ligação permanente.

50 respostas a Ucrânia, começou a GUERRA CIVIL

  1. Djugashvili diz:

    O ‘ataque’ com aviões de combate sobre a população da Cirenaica foi o ‘leitmotiv’ para as forças ‘democráticas” estabelecerem’ um corredor aéreo livre de tais aviões(i.e),porem a aviação da nato a bombardear os militares da Líbia.Bom, oExército Vermelho tem a legitimidade de correr com os fascistas do este da Ucrânia e,recuperar a terra Russa de 1917!!!!E,matar esses fascistas do ‘governo’ ucraniano.Um fascista bom, é um fascista morto!

    • Samantha diz:

      “Um Fascista bom é um fascista morto”, bela citação, um poço de coerência. Agora se vc me permite uma pergunta: Não seriam estes descendentes russos igualmente fascistas por quererem se emancipar da Ucrânia para justamente se integrar ao território russo? Quer dizer que o fascista é mau e deve ser combatido. E só os ucranianos radicais merecem o título de fascistas por serem contrários à entrega do seu país á um outro historicamente e comprovadamente genocida? veja, eu não estou defendendo a postura dos radicais da Ucrânia, mas colocar os Russos ou as colônias pró-russia como santos é um absurdo. Se é para falar de separatismo e defender a emancipação deste território para que este seja um país independente estes 90% tem todo o direito de querer se emancipar de um país ou governo ao qual eles não reconhecem como sendo o deles. Mas emancipar-se para unir-se a outro é no mínimo suspeito. Outra coisa, se os separatistas são tão honestos e estão sendo tão injustiçados por que estes se ofenderam tanto com a queda da estátua de Lênin, já que a derrubada do monumento teria sido um símbolo contra o Comunismo cruel que se abateu sobre os Ucranianos? E o que estaria fazendo um Partido Comunista na Ucrânia? E pior, justamente defendendo os separatistas de descendência russa? Há de se ter muita cautela ao defender certos pontos.

  2. André diz:

    Francisco, hoje tenho um texto de uma zona na Ucrânia! Posso colocar aqui se quiseres!

  3. Luís Marques diz:

    Vocês são engraçados.

    • Franscico I diz:

      Pois!Ouvi dizer q os patetas ucranianos q fizeram manif. aki em Lx, para q o preto(é assim q a oligarquia/plutocracia americana fala do ‘presidente’) invadisse a Ucrânia, se foram embora para a terra deles cientes dos amanhãs q cantam com os Yats e tutti quanti bandidos,fascistas.Que se vayan todos ,incluído o sr.
      Para desanuviar, sempre poderia passar umas férias na Líbia para gozar da democracia ocidental(?????) e,das maravilhas da vida, agora ao dispor dos cidadãos.
      Pode levar uns jornaleiros tb; e uns paneleiros tb…..

  4. Nuno Cardoso da Silva diz:

    A esquerda mais radical tende a ser tão anti-NATO como anti-UE. Mas talvez fosse mais eficaz defender a constituição de uma capacidade defensiva da UE que nos permitisse abandonar a NATO. A posição anti-UE impede que se possa criar uma atmosfera favorável à saída da NATO, pelo que a esquerda talvez devesse optar por aceitar uma união europeia – embora eventualmente diferente da UE – como forma de nos livrarmos da NATO e da dependência face aos EUA. O provérbio que diz que o óptimo é inimigo do bom, aplica-se perfeitamente aqui, e a esquerda devia reflectir sobre o seu significado.

    • Francisco diz:

      Isso é uma ilusão a UE é e sempre será uma instituição subordinada à NATO. Só uma união livre e fraterna dos povos Europeus poderá constituir a base para uma política independente da NATO/EUA.

  5. Carlos Carapeto diz:

    No noticiário das 11 horas ouvi que vários blindados com a bandeira Russa entraram em Slaviansk.

    É completamente falso, é desinformação da antena 1.

    A verdade é esta, a população cercou uma coluna de blindados e seis içaram bandeiras Russas passaram-se para o lado do povo.

    Está aqui.

    http://vognebroda.net/ukrainskie-voennye-utrom-16-aprelya-dvinulis-k-tsentru-kramatorska-no-dostich-svoih-tseley-im-poka-ne-udalos-ih-zablokirovala-tolpa-mestnyh-zhiteley

  6. Carlos Carapeto diz:

    Perdão não foi em Slaviansk mas sim em Kramatorsk, duas localidades próximas servidas por o mesmo aeroporto.

  7. Carlos Carapeto diz:

    Aqui voluntários Cossacos da Crimeia alistando-se para lutar em Donbass.

    http://nsn.fm/2014/04/16/tri-kazach-ih-sotni-iz-kry-ma-otpravilis-v-donbass/

  8. Lino Jose diz:

    Komuno-Fascistas do caralho !!!!!!! Então a Ucrânia, país Independente, livre de tomar as decisões que muito bem entender sobre o seu destino, livre de fazer as alianças com quem o seu Povo quiser, está a ser Roubada no seu território, com acções Terroristas por parte dos Soviéticos e vocês, Komunas de Merda, vocês é que são e sempre foram os Fachos, estão a apoiar o bando de Criminosos do Kremlin ? Vocês são uns porcos !

    Espero que a NATO e os Estados Unidos (e Portugal, porque faz , e muito bem, parte da NATO) responda a esta Agressão Vergonhosa dos Komuno-Fascistas Soviéticos, dê uma resposta MILITAR e implante nos paises que rodeiam a Russia misseis nucleares apontados aos cornos dos russos e, se tiver de ser, que os dispare !!!!1

    VIVA A UCRÃNIA LIVRE !!!1
    MORTE AOS KOMUNO-FASCISTAS PORTUGUESES E SOVIÉTICOS!!!!!!!

    • Francisco diz:

      Ora aqui está um bom exemplo dos Nazis que tomaram conta da Ucrânia Ocidental. Eis a razão pela qual combatemos e pela qual não pode haver o mínimo de hesitação face à agressão Nazi-fascista. É uma questão de SOBREVIVÊNCIA.

    • Carlos Carapeto diz:

      Hó excremento fascista.

      Eu sou comunista, e não fiz esta opção por prazer , ou carolice. Fi-la porque os ladrões do seu bando me começaram a roubar os direitos desde que nasci.

      Seu energumeno prove como são só os comunistas que estão a lutar nas ruas das cidades Ucranianas para se defenderem dos nazis de Kiev impostos por os criminosos da NATO ?

      Foram os comunistas que mergulharam a Ucrânia na miséria e no atraso nos ultimos vinte anos?

      Será que 75% de uma população é uma minoria?

      Além de ignorante é mentiroso. Não fosse ele fascista.

      A Russia é diferente da Jugoslavia, Afeganistão, Iraque , Siria e Líbia. Por isso os seus amigos burgueses nem em sonhos se atrevem ameaçar a Rússia militarmente. E se o fizessem pode ter a certeza que também Vc ficava feito num churrassco.

      É que a Rússia herdou da gloriosa URSS estes brinquedos que assustam os paleo- nazis da NATO. E essa canalha além de cobarde tem mais amizade à vida e à conta bancaria que tem à familia.

      http://es.wikipedia.org/wiki/R-36M

      • Samantha diz:

        Eu não sei como é a realidade de vocês, sou brasileira. E o que eu vejo no Brasil é todo um discurso anti-fascista e pró-socialista que em nada condiz com a realidade dos fatos. Alguém aqui já se informou sobre Cuba? Cuba é comunista há 50 anos, o povo vive oprimido em condições de miséria, a coisa piorou por lá quando acabou a URSS ( Cuba era “sustentada” pelos soviéticos pois era o país aliado mais próximo dos EUA durante a Guerra Fria). Depois que Cuba deixou de ser sustentada pelos soviéticos, a miséria aumentou ( e a miséria já não era pouca), passado uns anos, logo no começo da Era Chavez quem passou a sustentar Cuba foi a Venezuela. A coisa funcionava assim: Venezuela entrava com investimentos e licitações favorecendo o Regime de Castro e o Regime de Castro além de aconselhar Chavez, ainda disponibilizava médicos cubanos para a população e um exército treinado para os interesses do Chavez e seus aliados. Ocorre que este exercito especial com o tempo teve um poder de FBI ou Inteligência, de modo que até mesmo um passaporte era emitido por eles. Sabem o que é pior? A mesma coisa está ocorrendo no Brasil: alta-inflação, corrupção, financiamentos que saem do bolso do brasileiro para a construção de portos em Cuba ( sem a aprovação do Congresso), o povo brasileiro reivindicou por melhorias na saúde e o governo ao invés de melhorar nossos hospitais contratou médicos de Cuba ( que cometem erros de diagnósticos ou medicação) e para piorar, o governo aprovou uma lei que permite sob a solicitação do Presidente a vinda de exércitos de outros países para atuar no Brasil, ignorando o nosso próprio exército. Em relação aos protestos da Venezuela o governo contrariando os brasileiros deu apoio ao Maduro segundo carta aberta do PT. Em relação à Ucrânia, o embaixador pediu para que o Brasil se posicionasse: contra ou á favor. O Congresso inteiro se calou. Nas Universidades brasileiras, assim como nas escolas, muitos falam que: o fascismo é mau, é perverso. Mas poucos admitem ou defendem o fracasso do socialismo. Em uma universidade de filosofia no Brasil Lênin é um santo, só que ninguém ali fala das mortes, das torturas, da corrupção socialista/capitalista. Sabe quem é o principal partido político aliado ao Governo do PT no Brasil? É o Partido Comunista. O mesmo partido que defende abertamente Cuba, que defendem a postura do presidente da Venezuela, que aprovam leis ridículas que contrariam os interesses do povo brasileiro, que se envolvem com corrupção e chamam a população que protesta pacificamente no Brasil de fascista. Quem se opõe ao Governo venezuelano é tido pelo Presidente de lá como fascistas. No Brasil é a mesma coisa. Me desculpem, eu não sei qual é a situação do país em que vocês vivem, mas da mesma forma que políticas fascistas devem ser combatidas, as políticas socialistas também precisam.

    • Alhegue diz:

      Facho de merda,o mesmo é dizer o lacaio dos lacaios,o boçal dos boçais,o capacho dos capachos que servem a ‘elite’ de gananciosos e criminosos- a Rússia, não é a Líbia(aliás,fazia bem ires passear por Trípoli).
      Olha só, esta maravilha da técnica——->velocidade Mach 21,ou seja de Moscovo até ao olho do teu cu em 9 minutos!!!!

      🙂🙂

    • imbondeiro diz:

      O amigo fará a amabilidade de disponibilizar algum desse material que anda a fumar? É que, a julgar pelo exemplo, a coisa dá cá uma destas “mocas” que vai lá, vai…

    • Alhegue diz:

      PALHAÇO: http://politikus.ru/
      Os cabrões americanos ficaram CAGADOS!!!!Chupa e Engole Abama http://politikus.ru/

  9. Carlos Carapeto diz:

    São estes os Russos que estão a “invadir” a Ucrânia.

    Aí por diz: A maior manifestação de sempre realizada por anti-Maidan em Kharkov.

  10. Carlos Carapeto diz:

    Força Francisco. Como a dizia Eurico Corvacho. A luta é de morte contra o capital.

    Esta noite não me deitei. Dormi cerca de duas horas pela manhã. Estive sempre em contato com amigos na Rússia e a recolher informações.

    Os amigos de de Lugansk não consigo contatá-los.

  11. Simão diz:

    Acompanho, com interesse, o meritório trabalho de pesquisa e análise sobre a situação na Ucrânia feita pelo Francisco mas, permita-me, apontar algumas discordâncias com a sua análise:

    1 – O Francisco parece sobreestimar Putin e o seu poder (o que não me parece estranho visto que o próprio Presidente russo se sobrestima a si mesmo à saciedade) como se fosse “100% à prova de bala”. Olhe que não, olhe que não. A oligarquia russa, que fez fortuna anos a fio em negócios com o….Ocidente, não vai ficar nada satisfeita se a situação se descontrolar e lhes “lixar” as chorudas fontes de rendimento.

    2 – Embora compreendendo porque utiliza esse “tom”, reduzir o actual governo (chamemos-lhe assim) de Kiev a uma hipotética “Junta Fascista” (num tom “tout court) parece-me um raciocínio algo hiperbólico e não realista. Porquê?! Bem….não divido que andem p’ra lá uns “fachos” (a tentar aproveitar a “onda”) mas o governo em si não é “fascista/nazi” no sentido estritamente histórico e ideológico do termo. Basta andar (com o nariz tapado :)) por algum dos sites nazi/fascistas parra percebermos que estes dizem da NATO+UE+FMI+EUA o que Maomé não disse do toucinho. Mas: se compararmos o palavrório fascista sobre a NATO+UE+FMI+EUA com o que os sites marxistas dizem destas “instituições” acabamos a admirar (por comparação), a moderação e assinalável contenção semântica dos marxistas. O ódio tremendo que os fascistas têm a estas “instituições” é feroz pos é tudo “ai-que-é-tudo-anova-ordem-mundial-o-mundialismo-o-governo-mundial-e-a-degeneração-liberal e tal e tal e, comme il faut, é tudo obra dos maçons e judeus e judeus e maçons e blá, blá,blá…a cantilena racista, xenófoba e conspirativa mantem-se a mesma.
    Mutatis mutandi, o actual governo em Kiev está, salvas as diferenças, a fazer de tonto útil como fez o governo de Tiblisi há uns tempos em que o Presidente da Geógia, coitado, com certeza mal aconselhado (por quem seria?!) e já se imaginando em sonhos de heroismo e grandeza, foi meter embater directamente com a Rússia. Apesar de os georgianos (como é seu apanágio) terem combatido com tenacidade e bravura era cristalinamente óbvio (para quem tivesse dois neurónios a funcionar) que a coisa ia acabar mal para a Geórgia que acabou apenas por servir de “carne p’ra canhão” para aborrecer os russos que só não foram mais além porque, a 50km de Tiblisi, deram meia volta, pois também perceberam que não lhes era conveniente, nem inteiramente justo, humilhar a Geórgia.

    3 – Parece ter-lhe passado despercebido que nos EUA, o Congresso, num pouco habitual “low profile”, durante esta crise na Ucrânia, levantou (inusitadamente) todas as restrições á exploração e………EXPORTAÇÃO de…..Gás Natural. Para bom entendedor…….
    (os americanos até dariam pulos de contentamento só de pensar em fornecer a Europa)

    4 – Acho que não valorizou o facto de todo este “chavascal” na Ucrãnia acontecer pouco tempo depois de os EUA e seus “compagnons de route” terem tentado uma “intervenção” na Síria. Ora acontece que os russos, que “fecharam os olhos” na Líbia, desta feita franziram o sobrolho e deram um sonoro murro na mesa e um concludente: NIET! Os EUA e seus apaniguados, coitados, deram meia volta com o “rabo entre as pernas” mas, é claro…..a “vingança” serve-se fria e parece que se encontrou na Ucrãnia um bom sítio para a servir e arreliar Moscovo.

    Peço desculpa se o macei mas estes parecem-me pontos interessantes a ter em conta nesta questão da Ucrânia. Espero, naturalmente, que continue com este seu trabalho de grande nível embora as minhas algumas “discordâncias”.

    PS – A despropósito, ou talvez não, o que me diz aos desenvolvimentos em Cuba expressos no link seguinte e que comunistas que conheço confirmam?:
    http://rt.com/op-edge/cuba-economic-reforms-market-852/

    (em meu entender, e no de muitos outros, Cuba é já um sistema económico “Social-Democrata”, que se aproximará do que vigora (ou vigorou?!) na Europa do Norte durante décadas,)

  12. Isabel Sintra diz:

    O primeiro erro disto, foi ter deixado haver tantos fascistas. Quando há muitos fascistas, nem que sejam enganados, o povo perde sempre soberania. A democracia é sempre atacada,
    Não se devia ter deixado haver tanto Fascismo à solta, as forças democráticas deviam ter actuado antes, até esclarecendo ou fosse como fosse. E nem menciono os gangs neo-nazis

    • Alhegue diz:

      Cara,
      o Fascismo é o Capitalismo mais extremo . Taxa de lucro =infinita!!!! O Santo Graal dos sociopatas

  13. Simão diz:

    Este link é também ele interessante. Não tanto pela notícia mas mais pelo “slideshow”, sobretudo a foto nº 13 em que vemos o Presidente da Coreia do Norte, na sua secretária a trabalhar, tendo em frente um computador…..de uma conhecida (e até “icónica”) multinacional dos EUA.
    E esta hein?!
    http://edition.cnn.com/2014/04/15/world/europe/uk-barbers-kim-jong-un-bad-hair/index.html?hpt=hp_mid

    Nada (mas mesmo NADA) me surpreende já. Já passei a idade da “inocência” e da “fé” (seja política ou religiosa).
    Muito do que parece, NÃO é.

    • Francisco diz:

      Epá Simão, quase tudo isso que dizes já foi aqui discutido várias vezes. FAz o favor de consultar os posts e as discussões nos comentários aos posts que fiz. Faz o que te digo lê os meus artigos anteriores e os comentários. Responderia em três pontos a algumas questões chave:
      1- Comete o erro básico típico de se centrar no “Putin” e não no genuíno movimento de massas existente na Ucrânia. Lei isto e aprenda um pouco:
      http://www.foreignaffairs.com/articles/141182/keith-darden/how-to-save-ukraine
      http://www.spiegel.de/international/europe/tensions-in-eastern-ukraine-rise-as-kiev-offensive-begins-a-964333.html
      Um dos pontos em que tenho batido imenso é de que a questão não é apenas geo-política e isto não é apenas uma luta entre grandes potências. Há actores locais com vontade própria!
      2- Isso da exportação de Gás Americano, é uma ilusão. Se acontecer vai levar uns 2-5 anos. Os EUA e grande parte da Europa não têm as infraestruturas de transporte e transformação do gás! A logística necessária seria imensa e será sempre muito mais caro do que o gaz vindo da Russia.
      3 – O pano de fundo disto tudo é a crise mundial, tb chamada “grande depressão” em que o sistema-mundo se encontra desde 2008. A verdade é que como resultado desta crise a credebilidade da UE ccaíu a pique. Talvez à dez anos toda a gente na Ucrânia ficaria feliz de entrar na UE, hoje isso já não é assim. Muitos Ucranianos percebem que a entrada do FMI e da UE no país será o mesmo que deixar um grupo de piratas salteadores pilhar o país… a verdade é que tb já por duas vezes o FMI foi lá e a Ucrânia sempre interrompeu os programas a meio… Resumindo, do ponto de vista económico o bloco UE+NATO+FMI não tem nada para oferecer à Ucrania, antes pelo contrário!

  14. Só um comentário a propósito de Cuba e de «social-democracia»…
    A questão é sistematicamentre mal colocada e isso acontece porque mesmo muito pessoal que se reclama do marxismo, simplesmente não pensa dialécticamente. Normalmente pensam em termos estáticos de uma escolha num «catálogo de opções políticas».
    A questão, quer em Cuba, quer na China ou no Vietname – assim como a questão da «social-democracia» – não é uma questão de se escolher entre «este» ou «aquele» modelo de gestão da economia. A econo9mia real (ela mesma) «está-se bem nas tintas» para as questões de gestão macro-económica comparativa. A economia real tem uma dinâmica própria.
    O «truque» está em perceber essa dinâmica e tentar orientar o seu devir permanente num sentido ou noutro. É uma questão mais de «arte política» do que de «engenharia social».
    Trocando em «miúdos»: a questão é saber QUEM (e com que objectivos!…) está no poder efectivo de comando da economia a tentar fazer a tal gestão macro-económica: se os representantes (efectivos, genuínos…) das classes trabalhadoras, ou se – pelo contrário – são os mandatários do Capital.
    Nos casos concretos da URSS (e países aí federados) o Gorbatchov cometeu o erro fatal de alienar o partido comunistas ou de, em alternativa/complemento, ter dado «todo o poder aos sovietes». Foi o regabofe de oportunistas plutocratas que se sabe. No caso da China (e agora – pelos vistos em Cuba…) é um movimento arriscado. O risco está em saber se os «representantes das classes trabalhadoras» que iniciaram o processo são capazes de manter o seu controle….
    Até porque pode acontecer – como foi o caso na URSS – que os tais «representantes das classes trabalhadoras» já estejam «infectados» pela ideologia capitalista.

    • Carlos Carapeto diz:

      Fonseca-Statter.

      Concordo plenamente com aquilo que escreve. Recentemente assisti (participei) numa reunião onde estavam alguns Cubanos, disseram precisamente isso.

      Abordaram a questão do grande porto maritimo para contentores e das energias alternativas com participação Brasileira. A exploração de petróleo.

      O setor do turismo, em particular com a participação de empresas Espanholas por a grande experiência que têm nessa área.

      Também colocamos a questão da abertura à iniciativa privada em algumas áreas laborais.

      Destina-se a libertar mão de obra que estava a sobrecarregar os quadros do Estado.

      Não há “perigo” de se acumularem fortunas, pelo facto de se tratar apenas de empresas individuais, familares ou pequenas cooperativas.

      No entanto já havia quem apregoa-se que Cuba tinha liberalizado a economia.

      • Pois, ainda bem… Mas infelizmente o que mais falta neste país é um mínimo de informação isenta sobre o que de facto se vai passando nesses países… Só de «boca-em-ouvido» ou por maio destes «media» alternativos,
        Ainda hoje recebi de uma mão amiga um boletim emitido pela embaixada da Venezuela relatando – entre outras coisas – a realização de uma conferência de paz, esclarecendo o que se está a passar.
        Na nossa imprensa de referência – apesar do boletim ter sido dado a conhecer numa conferência de imprensa – ainda não vi nada. Mas os distúrbios são notícia a toda a hora….

  15. Joao Pereira diz:

    Da mesma forma que se trata um lado por “lacaios fascistas da UE + NATO + EUA” não se devia tratar o outro por “lacaios, marionetas da Oligarquia musculada de Puttin” ?

    • Francisco diz:

      Não, só um básico é que aplica um pensamento binário como esse. 0 ou 1. preto e branco. Se em em de fazer provocações baratas se desse ao trabalho de ler os textos e perceber o que lá se passa perceberia que a situação é muito mais complexa do que “Putin vs Odama”

      • Carlos Carapeto diz:

        Será que Putin foi capaz de trair a luta do povo Ucraniano ?

        Fico esperando o que vão dizer aqueles que o viam como um perigoso comunista nostálgico da URSS, e dos outros que o acusavam de estar na cama com Marine le Pen.

        Como escrevi em tempos Putin é Putin e ninguém melhor que os comunistas sabe quem ele é.

    • Alhegue diz:

      Eh pá:hoje há futebol-vai para o sofá!|

    • CIN GORI diz:

      João Pereira.

      Absolutamente de acordo! Se os de um lado são lacaios e marionetas, os do outro merecem o mesmo tratamento.

      E como considerar aqueles que ocupam o poder ilegitimamente, mandam tanques, aviões, esquadrões de choque e mercenários estrangeiros reprimir civis desarmados (velhos e crianças) por se manifestarem nas ruas exigindo unicamente que se seja reposta a legalidade democratica validada em eleições?

      Aviões em voo rasante para amedrontar civis pacificos desarmados não deve ser considerado crime ?

      Aos 9 segundos o efeito da deslocação do ar que o MIG provoca no cimo da árvore

      Os criminosos que autorizam estas ações têm que prestar com à justiça.

      Afinal quantos padrões existem de domocracia?

  16. Carlos Carapeto diz:

    Elementos da junta fascista raptaram uma dirigente do movimento patriotico em Mariupol, Olga Seletska com 42 tinha dois filhos.

    A situação nesta cidade (Mariúpol) está complicada. Dizem-me que já há mortos e feridos, quem está a fazer o assalto à cidade são elementos do setor de direita e uma unidade militar de Lvov , berço do nazismo.

  17. André diz:

    Alguém disse aqui Morte aos Soviéticos, aos Comunas? Na minha terra houve jovens que foram para espanha em 1931 após a Implantação da república. E se defender o povo de leste e sul contra a junta ilegitima de Kiev (com as votações que oscilão entre os 300 e os 228 deputados – A rada tem cerca de 450, onde estarão os outros? -), tiver de ser soviético, que seja. Em 1936 combatemos o fascismo em Madrid e na R. DE Espanha, Combatemos na Resistencia Anti-Fascista e Nazi, não esqueci o legado dos soviéticos na II guerra mundial, nunca esqueci o apoio do povo soviético que deu aos portugueses, e após 91 chegaram a Portugal milhares de cidadãos de leste, fui dos anónimos que ajudou alguns por respeito ao seu legado histórico e hoje, Combato pelo mesmo! A Luta Continua. Fascismo nunca Mais!

  18. Alhegue diz:

    Tenho a dizer que no dia 12 de Abril(QUE SE FODA O ACORDO ORTOGRÁFICO!!!!!!) o navio da Oligarquia americana (donald cook)no Mar Negro foi sobrevoado por um SU-24(mais qq coisa…) ,cujo sistema AEGIS ficou TOTALMENTE ANULADO e,que(gozo)uma data de marinheiros corsos ficaram absolutamente terrorizados com o dito Abama ,vai para o c*******!,mais estes lacaios europeus-TRAIDORES!!!!!!

    • Carlos Carapeto diz:

      Uma informação.

      Existe um acordo em que os navios dos países que não fazem parte da bacia do Mar Negro, podem apenas permanecer 21 dias (ou 25?)

      Portanto os Yanques nesse ponto já estão a desrespeitar os acordos internacionais.

  19. Carlos Carapeto diz:

    Os oito “observadores da OSCE que os orgãos de informação dizem ter sido “sequestrados” em Slaviansk são sete oficiais de países da NATO e um da Suécia. quatro Alemães. um Dinamarquês, um Checo, um Polaco e um Sueco. Deslocavam-se num mini autocarro acompanhados de cinco oficiais dos Serviços de Inteligencia Ucranianos, entre eles um coronel do Estado Maior.

    Por outro lado sabe-se que num base militar próximo de Kiev estão instrutores de países da NATO a treinar elementos da extrema direita. Isto porque há poucos dias foram capturados dois desses elementos próximo de Donets oriundos de Lvov que confesseram ter sido treinados nessa base miitar.

    Em Odessa centenas de nazis enviados por os golpistas de Kiev patrulham as ruas e montam barricadas para controlar o transito. Situação que já levou a um protesto da policia local. Ainda ontem à noite (25) foi atirada uma granada contra uma dessas barreiras.

    Em Kramatorsk foi abatido um helicoptero MI-8 das forças nazis.

    Na proximidade de Slaviansk estão concentrados mais de uma centena de blindados e cerca de mil elementos de forças pró-fascistas. Estão a ser enviados reforços das forças populares de Donest.

    Também em Slaviansk no dia 25 foram recuperadas todas as posições perdidas no dia de Páscoa em que morreram seis patriotas.

    Os fascistas de Kiev bloquearam as bases de dados dos eleitores do Leste para impedir o referendo que pretende decidir o estatuto da região.

    Tenho informações de que às 11:40 (08:40 aqui) vários helicopteros estavam a sebrevoar os arredores da cidade de Slaviansk.

    Aqui: http://slavgorod.com.ua/News/Article/901

  20. Carlos Carapeto diz:

    Um SITE dos patriotas Ucranianos em Inglês.

    http://rusvesna.su/english

  21. Carlos Carapeto diz:

    Nunca é demais lembrar aos falsificadores da história que a derrota do nazismo foi alcançada com muita coragem, sacrificios e determinação do Exercito vermelho.

  22. Pingback: A Ucrânia morreu em Odessa | cinco dias

Os comentários estão fechados.