As Barricadas de Donetsk

As Barricadas de Donetsk

As Barricadas de Donetsk

Desde que a junta de Kiev tomou o poder graças à violência nazi-fascista, no sudeste da Ucrânia têm decorrido manifestações, ocupações e protestos contra os nazis e os planos imperiais da NATO+UE+FMI.

Este fim de semana a situação radicalizou-se e tomou claros contornos insurrecionais, em Lugansk, Donetsk e Kharkov manifestantes tomaram o governo regional e a sede dos serviços secrectos. Em Donetsk e Lugansk os edifícios foram fortificados e os manifestantes estão armados. Também há registo de confrontos em Odessa, Nicolaev e Mariupol (pelo menos). (aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aquiaqui, aqui e aqui).

A verdade é que anteriormente houve inúmeros protestos e ocupações, em grande medida, pacíficos… a resposta da junta fascista a esses protestos foi a prisão dos cabecilhas, a revogação de decisões de órgãos locais (por exemplo, a convocação de referendos sobre o estatuto dessas regiões), mentir consecutivamente aos manifestantes, tentar impedir legalmente as manifestações, enviar oligarcas para controlar a situação (aqui) e ameaçar económica, política e socialmente todos os que se opõe ao seu jugo.

Apesar de todas as prisões e intimidações, apesar de já há mais de um mês decorrerem manifestações e protestos quase contínuos (o que poderia gerar algum cansaço), apesar de todas as tentativas de cooptação, a resistência anti-fascista e a luta contra os ditames do FMI+UE longe de amansar, intensificou-se. O exacto contrário do que os “analistas” e “jornalistas” a soldo do imperialismo papagueavam (vale a pena ler, bem filtrado à muita informação nestas peças aqui, aqui, aqui e aqui).

Em Donetsk as barricadas reforçam-se ao som da internacional e do hino soviético (aqui, aqui e aqui). Em Lugansk os manifestantes continuam barricados (aqui). Em Kharkov após uma intensa luta de rua os manifestantes foram desalojados, 70 activistas foram presos, mas os protestos continuam (aquiaqui, aqui e aqui).

A junta fascista de Kiev chama os manifestantes de “terroristas”, acusa-os de incendiarem edifícios, de serem agentes russos e há até deputados nazis do Svoboda que apelaram a que se dispare sobre os activistas… há coisa de dois meses quando eram os gangs nazis a incendiar, destruir e atacar a polícia a tiro não havia problema nenhum, antes pelo contrário, estávamos perante “noble freedom fighthers”… yep… agora quando jornalistas e canais de televisão são censurados (aqui e aqui), quando deputados são agredidos em pleno parlamento (aqui e aqui) e quando milícias nazis são empregues para atacar manifestações (aqui e aqui), os insurrectos é que são um bando de desordeiros. Nos órgãos de propaganda ao serviço do Império os manifestates de maindam eram sempre referidos como “protesters”(manifestantes),  as massas que se levantam no sudeste são descritas como “mob”(ralé)… Estes níveis de hipocrisia são de esperar dos fariseus do regime, mas de qualquer das formas não deixa de ser impressionante.

Junta-se a isto que na Letónia e outros países bálticos uma série de canais russos foram censurados e inclusive deputados ao parlamento europeu estão a ser perseguidos por serem “agentes russos” (aquiaqui e aqui).

Convém relembrar que enquanto se assiste a uma insurreição no sudeste da Ucrânia, a situação a ocidente também está longe de estar calma. Hoje em Lvov a população tomou o edifício da procuradoria e no Domingo em Kiev os gangs nazis cercaram o supremo tribunal da Ucrânia (aqui e aqui). Os sectores da junta mais ligados à UE+FMI+NATO ordenaram a execução de um dos mais exuberantes líderes dos gangs nazis há duas semanas atrás (aqui), também desalojaram as milícias do hotel que controlavam no centro de Kiev. Estas acções geraram contradições (aqui), mas na verdade os lacaios da UE+NATO+FMI não têm a força, nem tão pouco a vontade, de eliminar esses grupos. O grande capital internacional e os oligarcas semi-nativos sabem que ainda irão precisar destes úteis cães de fila, mas claro têm a consciência que cães raivosos como estes podem ocasionalmente morder a mão do dono e em casos extremos substituírem os próprios mestres…

Entretanto há que não esquecer a luta económica… Dentro desse vasto tema a questão do gás é central. Neste momento a Rússia aumentou quase para o dobro o preço do gás para a Ucrânia e a Junta diz que não aceita (aqui, aqui e aqui). Ainda não estamos no Inverno, mas para o gás fluir da Rússia para a UE nos meses de Inverno grande parte do gás tem de passar pela Ucrânia e mais, ainda antes do Inverno, vários depósitos na Ucrânia que neste momento estão vazios precisam de ser cheios… A crise de 2009 pode parecer uma brincadeira de crianças comparado com o que aí vem. Há quem fale que a Ucrânia pode obter gás a partir da UE revertendo os fluxos, isso é pura palhaçada… maior palhaçada ainda é pensar que o gás pode vir a ser fornecido pelos EUA (talvez daqui a uns 5 anos, mas nunca para agora…).

Barricada em Kharkov, 6 de Abril

Barricada em Kharkov, 6 de Abril

As “barricadas de Donetsk” são dos maiores sinais de esperança que vêm da Ucrânia, o movimento que se tem desenvolvido no sudeste tem sido uma fantástica resposta ao golpe de estado pró-oligárquico, ao serviço do imperialismo e imposto através da botas cardadas nazis. Foi trágico assistir no Ocidente da Ucrânia à formação e desenvolvimento de um amplo movimento de massas controlado por nazis e com um programa completamente reaccionário… é agora reconfortante verificar, que apesar de várias contradições, surgiu na Ucrânia um forte movimento anti-fascista que está a condicionar fortemente as acções da Junta de Kiev e por em cheque o avanço dos nazis.

donetsk_april72

“Agentes russos” em Donetsk. As três velhotas na foto não enganam ninguém!

Para mais análise, opinião, factos e referências relativas à crise na Ucrânia cliquem AQUI, nesse link encontram todos os artigos anteriormente publicados sobre o tema neste blog. Ao longos desses posts inúmeros aspectos da actual crise foram discutidos, desde a questão geo-política até às questões económicas. Mas o principal foque dos artigos é e sempre foi a luta social e as movimentações anti-fascistas que têm tido lugar no sudeste do país.

Advertisements
Esta entrada foi publicada em 5dias com as etiquetas . ligação permanente.

31 respostas a As Barricadas de Donetsk

  1. Censurado diz:

    Agora esta revolta popular já é boa…

    • Francisco diz:

      Exactamente. Regra geral as revoltas populares são boas, mas nem sempre. Por vezes são controladas por uma agenda profundamente reaccionária… e.g. a revolta da vendeia durante a revoluçao Francesa. Aliás já tinha falado nisso em vários posts anteriores. É clicar no AQUI no fim do post e ler.

      Ainda sobre esta questão, para quem está interessado em discutir estas problemáticas de forma séria, aconselha vivamente este texto.

      • imbondeiro diz:

        É muito boa, pois junta ao substantivo “revolta” o adjectivo “popular”. É uma refrescante novidade: depois desses sucedâneos de cerveja sem álcool, de iogurte magro, de manteiga linha zero ou de chouriço de tofu que têm sido as “revoluções” acarinhadas pelos EUA/UE (vulgo NATO) um pouco por todo o lado, finalmente uma revolução com aquele “ingrediente” sem o qual não há revolução que assim se possa chamar – o povo. Ou, como dizem os outros, “back to the basics”. Mas isto é só, evidentemente, para quem gosta de produtos genuínos e é pouco, ou nada, permeável a “modernices” intrujonas, pois há quem se delicie com coisas que os convenceram ser aquilo que não são. Gostos…

    • Carlos Carapeto diz:

      Revolta popular contra a praga nazi é mais que boa é excelente, demonstra um acto de coragem por livrar a humanidade de horrores futuros já vividos no passado.

      • A.R.A diz:

        CARLOS CARAPETO

        Só gostava de saber quem é que será o pintor Ucraniano que irá pintar a “Guernica” ucraniana porque isto está mais que visto que se anda a fazer uma especie de “experiencias de laboratorio” a semelhança com o da guerra civil espanhola.

        Desta feita o obejectivo é o de “federalizar” uma Europa de pensamento unico que mais apraz aos mercados e sem duvida alguma que o fascismo tem esse condão embora este fascismo seja ainda mais refinado e abrangente aos actores politicos em questão.

        • Carlos Carapeto diz:

          A. R. A.

          Sou menos optimista.

          As pretensões do imperialismo para se aproximar das fronteiras da Rússia e da China com o objetivo de impor o tão almejado governo global, era para nos deixar a todos bastante apreensivos.

          Por isso coloco a questão de outra forma.

          Será que irá sobreviver algum pintor para esboçar aquilo que vai restar da Guernica global se o imperialismo persistir com a guerra perpetua?

          A proposito da situação na Ucrânia e do cerco à Rússia. Há uns anos o general James Cartwight quando era comandante das forças estrategicas dos EUA fez esta afirmação.

          “se conseguissemos localizar os centros de comando das forças estratégicas Russas, em menos de quinze minutos somos capazes de destruir toda a capacidade de resposta”.

          Se isto não representa uma ameaça então o que é?

          Ao contrário daquilo que afirmas, a Ucrânia não é nenhuma experiência de laboratório nem tão pouco tem qualquer relação com a guerra civil de Espanha, o que o imperialismo da NATO está a fazer na Ucrânia já foi testado noutros locais com bastante exito.

          A Ucrânia é uma presa muito suculenta que o imperialismo pretende abocanhar.

          Umas baterias DAM instaladas a menos de 500 Km de Moscovo eliminavam toda e qualquer capacidade de defesa da capital Russa.

          Se tal viesse a acontecer à semelhança de preparativos macabros anteriores , os Americanos não tinham qualquer piedade ” como se soubessem o que isso é” em arrasar Moscovo com um ataque nuclear.

          Aqui:

          http://www.horadopovo.com.br/2003/novembro/11-11-03/pag7g.htm

          http://en.wikipedia.org/wiki/Operation_Dropshot

  2. um homem na aldeia diz:

    A ZON suspendeu a emissão do canal em língua russa RÚSSIA 24. A posição 236 da grelha da ZON tem a informação de que o canal “foi removido”, sem adiantar nenhuma explicação… estranho…

    • Alhegue diz:

      É a Liberdade de Expressão eo Pluralismo, aque temos direito!Bem, dos murdocks,balsemões e,outros passarões..

  3. Argala diz:

    Viva a República Popular de Donestsk !!!

  4. imbondeiro diz:

    Pois é… Agora vamos ver os bons dos EUA/UE (vulgo NATO) a berrarem pela “legalidade”(qual legalidade?) democrática. Aliás, já vimos: aquele supremo hino à indigência política que é John Kerry já veio acusar Moscovo de tudo e mais um par de botas ( um par de botas cardadas, pois claro…). O curioso é que, ao ouvi-lo, pareceu-me mais estar a ouvir a descrição do guião que a Nuland e ele próprio escreveram para aquela paródia de revolução popular que levaram à cena em Kiev há uns tempitos atrás, do que estar a ouvir um retrato fidedigno daquilo que agora acontece no Sul e no Leste da Ucrânia.
    Concluindo: um presidente democraticamente eleito é derrubado por um golpe de estado sangrento de plutocratas, fascistas e nazis e o atento Ocidente chama à coisa “o povo a lutar pela democracia”; o povo mobiliza-se contra um governo ilegítimo que tomou o poder sangrentamente pela força e é amesquinhado pelo atentíssimo Ocidente como sendo “uma marioneta de Moscovo”. Pois é… O excelente Obama, essa magnífica ex- esperança póstuma da Humanidade, e a gentinha terrificamente incompetente que o rodeia ainda não compreenderam que, desta vez, fazem eles as vezes do peixinho na rede: quanto mais estrebucha, mais se estrangula. É no que dão as esperanças insanas de quererem nadar no Mar Negro sem terem barbatanas para isso.

  5. von diz:

    Tudo serve para justificar a repetição da ocupação soviética. Por um lado, aplaudem a anexação de regiões por um país, por outro, aplaudem a tentativa de independencia da Catalunha. No entretanto salivam com a “unanimidade” Norte Coreana. As vossas escolhas seriam caricatas se não fossem dementes.

    • imbondeiro diz:

      Uma perguntinha inocente e muito singela: tivesse o governo de Madrid (um governo, note-se, democraticamente eleito e não um executivo fruto de um golpe de Estado sangrento como o é o de Kiev) abolido a Constituição Espanhola, posto fora da Lei os partidos que lhe não agradassem, proibido o uso da língua catalã e basca e abolido unilateralmente as autonomias basca e catalã e o senhor chamaria a isso o quê?
      O trazer à liça do caso independentista catalão só serve um propósito: o de provar à saciedade a inenarrável estupidez da UE que semeia uma situação que leva ao conflito étnico e nacionalista no quintal dos outros, enquanto mantém intra-portas casos tão potencialmente desastrosos como os do País Basco, da Catalunha, da Bélgica ( Valões e Flamengos amam-se deveras…), da Itália… É ver longe, é ver muuuuuito longe!

    • Carlos Carapeto diz:

      Escreve aquilo que a União Soviética ocupou?

      A União Soviética nunca teve sob o seu dominio qualquer território desligado das suas fronteiras.

      Se sabes de algum diz?

      E o que tem a ver a Coreia do Norte com esta questão?

      E porque não te lembraste também da democrática e livre Arábia Saudita, ou do Afeganistão.

      Não sabes que o povo Norte Coreano é mais instruido e tens melhores condições sociais que o povo do teu país, apesar de ter que destinar mais de 20 % do PIB à defesa?

      Fala da Ucrânia e porque chegou a este estado de penúria. Convives mal com a verdade?

      Diz as condições maravilhosas em que vivem os Romenos e os Bulgaros com um ordenado minimo de 160 € mês. Os Lituanos e e Letões com pouco mais.

  6. Joao Pereira diz:

    Francisco, a “junta fascista” como lhes chamas não será a última barreira que impede a Ucrânia de cair na anexação Russa?

    • Alhegue diz:

      Deve ser um marciano que agora acabou de descer dos céus,ou um solipsista que tem uma outra ‘realidade’….

    • Carlos Carapeto diz:

      E prova tu como não são fascistas?

      À Rússia era mais vantojoso e menos arriscado invadir e anexar o Uzbequistão que a Ucrânia.

      O drama economico e social da Ucrânia não foi criado por a Rússia, pelo contrário, os preços da energia a custos reduzidos serviu que a situação não tivesse despoletado há mais tempo.

      Foram as receitas economicas de orientação neo liberal aceites por os sucessivos governos Ucranianos e em particular o paleo-nazi Yushenko que levaram a esta situação.

      A oligarquia corrupta Ucraniana é filha legitima dos financiamentos massivos disponibilizados por os bancos Ocidentais. Em 1991 ninguém dispunha de capitais para comprar grandes empresas.

      A Rússia até hoje nunca representou qualquer ameaça para os seus vizinhos, portanto é um acto de pura desonestidade afirmar-se que pretenda anexar a Ucrânia.

      A verdade é que ninguém pode negar à Rússia a legitimidade de reaver os territórios que lhe foram retirados. Leste e Sul oferecidos por o “malandro” do Estaline nos anos 20.

      É também conveniente lembrar àqueles que não conhecem a história, que a Ucrânia nunca existiu como país independente, excepto num curto período durante a guerra civil quando as potencias ocidentais invadiram o Sul daquilo que era o imperio Czarista e mais tarde a URSS. Os Ucranianos etnicos estavam circunscritos à região dos Cárpatos na fronteira da Polónia.

      Portanto a Ucrânia foi uma criação dos comunistas. E também não foram os Russos que se deslocaram para territorio Ucraniano, foi precisamente ao contrário.

      Por isso deixem-se de parolices.

  7. Tiago L diz:

    Agora que o povo está a ver o pacote de austeridade que a Merkel e o FMi querem impor, é altura mesmo de se revoltarem, poças-

  8. ASD diz:

    A Ucrânia é apenas o princípio.

    Os fascistas polacos, checos e húngaros que se preparem pois vão sofrer uma enorme derrota.

    Há que derrotar este regime fascista que se chama UE.

    E voltar a dividir a Alemanha e colocá-la sob tutela internacional.

    • absurdo diz:

      “E voltar a dividir a Alemanha e colocá-la sob tutela internacional.”

      Fantástico!

      • Carlos Carapeto diz:

        “absurdo diz:
        “E voltar a dividir a Alemanha e colocá-la sob tutela internacional.”

        Fantástico”

        E se entregassem o Alasca aos Esquimós ?

        • Francisco diz:

          “voltar a dividir a Alemanha e colocá-la sob tutela internacional.”
          Já muito boa gente que não é de extrema esquerda (soromenho marques) sugeriu isso, ou melhor, afirmou que pode ser algo bem real a médio prazo. Historicamente uma Alemanha unida equivale a uma guerra europeia…
          Aliás nem o Reino Unido nem a França queriam a reunificação Alemã, a URSS foi até bem mais compreensível..

    • Carlos Carapeto diz:

      Assim fosse.

      Se alguma vez chegar esse dia estou disposto a largar tudo para participar na eliminação da burguesia genocida.

      Os pobres hoje nada mais têm a perder que a dignidade de viver e mesmo essa condição já nos estão a roubar.

      • von diz:

        Essa eliminação consiste ir de casa em casa, executando esses vis burgueses?…

        • Carlos Carapeto diz:

          “von diz:

          Essa eliminação consiste ir de casa em casa, executando esses vis burgueses?”

          Sem dúvida.

          Eliminar essa classe parasitária! Se fosse erradicada trazia segurança e paz à humanidade.

          • von diz:

            É um método eficaz. Mas já não é novo. Lembra-me algo em Varsóvia. Ó Carapeto, o seu uniforme tem a caveirinha na lapela?

  9. Carlos Carapeto diz:

    A democracia que os fascistas de Kiev pretendem impor no país está na tolerancia que têm demonstrado com os outros partidos.

    Ainda no dia 8 de Abril quando P Symonenko discursava no parlamento foi interrompido e agredido por fascistas do Sbovoda, ora este partido teve 10 % de votos enquanto o Partido Comunista teve mais de 13 %.

    http://kprf.ru/international/ussr/130113.html

    E para aqueles que defendem que na Ucrânia não há fascistas. Se isto não é o fascismo à solta nas ruas então o que é?

    Беспредел нацизма Правого сектора во Львове 20 03 2014

    A legenda que está por baixo do video diz isto.

    ” brutalidade nazi do setotr de direita em Lvov 20.03.2014.

    Mas há outra situação mais grave. É um governo ilegitimo de carater provisório, assinar acordos de longo prazo, que comprometem o futuro do país.

    Os governos dos países da UE que estão a participar nesta fraude, não estão a fazer mais que a promover o fascismo na Europa.

    A realidade dos ultimos tempos tem provado que estes “democratas” que dominam a Europa convivem muito bem com o extremismo de direita, tanto assim que até arranjaram nomes muito suaves para designar os fascistas e nazis que estão de regresso. Nacionalistas.

    No entanto os comunistas e outros partidos de esquerda que não se vergam aos interesses da burguesia brindam-nos com o epiteto de extremistas.

    • imbondeiro diz:

      Pois é, Carlos Carapeto, é por demais sabido que, um simples mortal querendo, os nomes têm uma plasticidade incrível: “nazi” e “fascista” transformam-se nos nossos “media”, tendo-lhes conveniente e previamente caído o “ultra”, em “nacionalista”; já aqueles que, prezando a legalidade, no Sul e no Leste da Ucrânia se opõem às criminosas ordens de um “governo” sangrentamente golpista são apodados de… “rebeldes”. Deveras extraordinário! Tudo isto (a propaganda mais desavergonhada que alguma vez se tenha imaginado) faria o seu curso e daria o seu proveitoso prémio não fosse interpor-se-lhe de permeio a dura realidade das coisas: não é por chamarmos mil vezes um burro de ave-do paraíso que ele ganha penas de lindas cores e nos brinda com um mavioso canto.

    • Carlos Carapeto diz:

      “von diz:
      Abril 12, 2014 às 1:16 pm

      É um método eficaz. Mas já não é novo. Lembra-me algo em Varsóvia. Ó Carapeto, o seu uniforme tem a caveirinha na lapela?”

      A minha compreensão é muito lenta, ainda funciona a vapor.

      Importa-se de descodificar isto. Só consegui perceber Varsóvia. E o resto?

      Como comunista, só posso usar a foice e o martelo.

      A caveira usam aqueles que estoicamente aqui se esforça por minimizar os actos criminosos que praticaram.

  10. imbondeiro diz:

    Esta história está cada vez mais parecida com um “remake” de uma velha e, à data, muito recorrente história dos tempos “da outra senhora”: o romance do magala e da sopeira. Ao magala sabia-lhe bem o atletismo sexual com a esperançosa sopeira, mas quando ela ficava grávida de outra coisa que não só de esperanças… “adeus Maria Ivone”! Assim estão os EUA/UE (vulgo NATO): a rebaldaria de Kiev foi a maravilhosa e gostosa concretização dos seus mais húmidos sonhos, mas quando toca a pagar a conta… esperem aí só um instantinho, que nós já voltamos…
    É claro que, ontem como hoje, o futuro ex-papá do indesejado rebento tinha sempre um último truque na manga do fardamento: passar a sopeira e o petiz dentro da mesma ao primeiro tanso que se pusesse a jeito. É claro que a coisa nem sempre saía a contento do magala: por vezes o tanso, sendo-o de início, abria a pestana a meio do processo e lá se esfumava o muito útil pai (como hoje é de bom tom dizer) “afectivo”. Azares…
    Assim está a NATO: fez o “menino”, mas é pouco (melhor dizendo, nada) dada a dispender um chavo que seja na criação do mesmo, pelo que vai de arranjar um pai substituto – o povo ucraniano. Contudo, e pelo que se tem visto, o povo ucraniano está muito pouco inclinado a fazer o papel de tanso nesta história toda e tem mostrado violentas reticências a entrar num casamento forjado (por outros que não por ele) no Inferno e cujos promissores alfa e ómega são aqueles já tão bem conhecidos de outros casamentos feitos à má-fila: austeridade e reformas estruturais (dois eufemismos que, em língua de gente, significam “miséria ad aeternum”).
    Indo ao cerne da questão: as barricadas em Donetsk mais não são que a materialização de um sonoro, decidido e sentido grito -“Vão chamar pai a outro, pá!!!”

  11. Pingback: Ucrânia, começou a GUERRA CIVIL | cinco dias

Os comentários estão fechados.