Oportunidade a não perder!

Image

O historiador luso-brasileiro Valério Arcary estará amanhã, Sábado, dia 29 de Março, num debate sobre os 40 anos do 25 de Abril na Voz do Operário (na Graça em Lisboa). Esta sessão promete ser muito interessante porque além dos seus conhecimentos históricos, o Valério Arcary viveu ao vivo a Revolução de Abril em Portugal. O debate que começará às 16h30 está integrado na Festa do Movimento Alternativa Socialista (MAS) a que se seguirá um jantar, intervenções políticas (com a apresentação da candidatura às eleições europeias) e festa até ao final do dia. Este novo partido (o MAS) é o único que defende:  – PRISÃO e CONFISCO dos bens de quem roubou e endividou o país; – FIM dos privilégios dos políticos e do financiamento público dos partidos; – REFERENDO ao Euro.

O debate é aberto a tod@s os interessados. O jantar está praticamente esgotado com mais de 350 pessoas confirmadas.

Vídeo com o Valério Arcary: http://www.youtube.com/watch?v=qKs1P9oCnXU

 

 

Esta entrada foi publicada em 5dias. ligação permanente.

4 respostas a Oportunidade a não perder!

  1. Carlos diz:

    Essa do fim do financiamento publico dos partidos, é elitista no pior dos sentidos, que é para não dizer fascista.

    Os partidos que defendem os trabalhadores, nunca tem apoio de empresas.
    Os partidos de direita, tem sempre apoio de empresas e não faltam escandalos.
    Se não houvesse financiamento público, desapareciam os partidos do povo… ou quase.
    Essa opinião não faz sentido histórico, e não é por acaso que tanta gente de direita defende a redução de deputados, a redução do apoio publico dos partidos, para serem eles a mandar.

    (será que publica isto?

    • pestanandre diz:

      Caro Carlos, não são só os partidos de direita (PSD-CDS) mas também os que governam à direita (PS) que defendem a redução dos deputados algo que o MAS é contra: http://www.mas.org.pt/index.php?option=com_content&view=article&id=466:resposta-do-mas-a-antonio-jose-seguro-acabar-com-os-deputados-ou-com-os-privilegios&catid=86:nacional&Itemid=537

      Ou seja, concordo no geral consigo nessa parte. No entanto são também esses mesmos partidos (PSD-CDS e PS) que defendem o financiamento público dos partidos: http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?id_news=50095

      Será que é justo, particularmente com o desemprego, precariedade e miséria crescente no nosso País, os principais partidos recebam por ano aproximadamente: 6,5 Milhões de euros (PSD), 5 Milhões (PS), 2 Milhões (CDS), 1,5 Milhões (CDU) e 1 milhão (BE) pagos pelos nossos impostos? Isto sem contar com os milhões que já recebem para as campanhas eleitorais,para os grupos parlamentares, salários de deputados, assessores, etc. É legítimo que os partidos possam ter funcionários no entanto esses funcionários partidários devem ser pagos pelas quotas dos seus militantes e não por dinheiro dos impostos das populações. Carlos, espero que mesmo que não concorde que compreenda melhor a posição do “fim do financiamento público dos partidos” que o MAS defende.

  2. Tiago diz:

    “Este novo partido (o MAS) é o único que defende: – PRISÃO e CONFISCO dos bens de quem roubou e endividou o país; – FIM dos privilégios dos políticos e do financiamento público dos partidos; – REFERENDO ao Euro”

    São estas as propostas base do MAS? Qual a diferença em relação ao PNR?

    • pestanandre diz:

      Caro Tiago, o PNR defende precisamente o contrário do MAS por exemplo no financiamento público dos partidos políticos (o PNR defende que estes devem ser financiados, única e exclusivamente, pelo Estado). Tiago, que eu saiba também o PNR não defende um Referendo ao Euro ou a a Prisão e confisco dos bens de quem roubou e endividou o País. Se o Tiago duvida que verifique pelos seus próprios olhos: http://www.pnr.pt/ideario/programa-politico/ Ou tem provas que o PNR defende o que não se encontra no seu próprio programa?

Os comentários estão fechados.