Aristóteles, um prócere da ‘esquerda radical’?

 

AristotleJá que a direita e uma certa esquerda alcatifada continuam a insistir no dever ‘moral’ de pagar a ‘dívida’, apelidando de ‘irresponsável’ a ‘esquerda radical’ que defende que ela deve ser repudiada se não queremos ter o mesmo destino dos servos da gleba, que foram tendo de entregar a terra, o seu meio de sobrevivência, aos senhores, muitas vezes através da prática da usura (empréstimo a juros), recordemos o que dizia, há 2350 anos, o filósofo Aristóteles sobre esta:

«Que há de mais odioso do que o tráfico de dinheiro, que consiste em dar para ter mais e com isso desvia a moeda da sua destinação primitiva? Ela foi inventada para facilitar as trocas; a usura, pelo contrário, faz que o dinheiro sirva para aumentar-se a si mesmo; assim, em grego, lhe demos o nome de tokos, que significa usura, porque as coisas geradas parecem-se com as que as geraram. Ora, neste caso, a moeda que torna a trazer moeda é um género de ganho totalmente contrário à natureza.»

Esta entrada foi publicada em 5dias. ligação permanente.

Uma resposta a Aristóteles, um prócere da ‘esquerda radical’?

  1. xatoo diz:

    o camarada Aristóteles é filosoficamente fixe e foi traduzido para o Ocidente pelos Árabes, os quais convém não esquecer sempre advogaram permutas comerciais sem juros. Mas o mistico Aristóteles acreditava que resolver as imoralidades do mundo era obra dos deuses, não da pequena minoria do “povo Grego” que não era escravo, mulher ou meteco. E esse conceito do “deus dará” ainda está hoje 2350 anos depois perfeitamente arreigado no povo. Pelo menos neste povo que eu conheço

Os comentários estão fechados.