Lucros milionários não justificam despedimentos colectivos

Lisconte recorde 2013

É curioso que, face a uma notícia positiva, relativa ao recorde de movimentação de contentores no terminal de Alcântara, concessionado à Liscont (Mota-Engil), seja o seu sócio minoritário alemão (Eurogate) a divulgar os excelentes resultados operacionais de 2013, ano em que se iniciou, no Porto de Lisboa, o despedimento faseado e planeado dos estivadores.

Este registo recorde da performance da Liscont contraria tudo o que tem vindo a ser dito por esta empresa, nomeadamente o cenário catastrofista sistematicamente agitado pelos seus responsáveis nas muitas notícias vindas a público, como forma de justificar a chantagem da ameaça de despedimentos exercida contra os estivadores, tentando assim condicionar o seu direito à greve.

Como entender o bullying constante praticado contra os profissionais que estão na origem das dezenas de milhões de euros de facturação que anualmente a Liscont atinge? Como entender o comportamento de uma empresa que trata desta maneira os principais responsáveis pelo seu sucesso financeiro?

É inaceitável que empresas altamente lucrativas pretendam, sem qualquer preocupação social, continuar a avançar com este projecto ideológico de despedimento colectivo dos trabalhadores portugueses e a sua substituição por precários, sem direitos e com salários de miséria, apenas para maximizar os seus lucros milionários.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em 5dias. ligação permanente.

8 respostas a Lucros milionários não justificam despedimentos colectivos

  1. Joao Pereira diz:

    De que parte da noticia se retira que a empresa é altamente lucrativa? Ajude-me que não consigo perceber …

  2. JoaoR diz:

    Li a post mais que uma vez mas nao consigo encontar um valor referente aos lucros da empresa.
    Porranto,deixo a pergunta:
    Qual foi o lucro da liscont em 2013?

  3. Pingback: E nacionalizar a Mota-Engil, não? Ou só se pode nacionalizar os prejuízos do BPN? | L´obéissance est morte

  4. santos diz:

    Os resultados anuais da Mota-Engil de 2013 ainda não foram divulgados, por consequência os da Liscont também permanecem como desconhecidos.

    Aumento do resultado operacional não quer dizer aumento de lucros. É certo que a empresa teve que se reajustar devido às greves e tornou-se mais eficiente para obter esses 15%.

  5. santos diz:

    desculpe-me mas a notícia do post faz menção ao aumento dos TEU em 2013 (em comparação com o ano de 2012).

    Em nenhum momento na notícia são mencionados os lucros.

    De uma forma simples, os TEU serão o volume de venda da Liscont.
    Ora numa empresa, o volume de vendas não é igual ao lucro.

    Para o apurar terá de diminuir os custos (como salários, etc) e proveitos (investimentos que tenham dado retorno como depósitos).

Os comentários estão fechados.