Pela terceira vez em menos de um ano morre um preso independentista basco em prisões dos estados espanhol e francês

1621958_10203783640570594_359556469_n
Arkaitz Bellón era natural de Elorrio, uma pequena vila com forte tradição independista, e foi preso por kale borroka em 2003. Estava prevista a sua saída para o mês de maio deste ano.

A Etxerat, organização de familiares dos presos, recorda que Arkaitz foi vítima de graves agressões ao longo de 2010 e 2013. Agressões essas que deram origem a uma greve de fome na prisão de Sevilha que se generalizou a outras prisões. Acresce que Arkaitz estava preso a mais de 1000 quilómetros de casa.

Há poucos sinais de um novo tempo…

Agur eta ohore eusko gudariak!!

Mais informação aqui e aqui.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em 5dias. ligação permanente.

8 respostas a Pela terceira vez em menos de um ano morre um preso independentista basco em prisões dos estados espanhol e francês

  1. Vai com os porrcos diz:

    A Tortura em regime democrático , não é tortura-são técnicas avançadas de convencimento da superioridade democrática dos serventes dos banksters,face a uma ovelha ranhosa-logo,uma ‘mais valia’ .
    E,que tal olhar para os 5 ou 6 serventuários do Deutche Banke e do JPMorgan que se suicidaram entre o dia 26 e 31 de janeiro de 2014?Nunca vi,tantos em tão pouco tempo (do inner circle, da alta bandidagem) se matarem por saltarem do cimo do JPMorgan em Londres , nos EUA.
    O que se passará no dia 15 de Fevereiro(que sa foda o acordo Hortográfico,ou o caralho q os f***) por parte do Abama….

  2. Argala diz:

    Novos tempos.. tempos de paz.. paz dos cemitérios. Anjel Figueroa, Thierry e agora Arkaitz.
    Agur eta ohore gudari iraultzaileak!!

  3. Surprese diz:

    Não entendi. Este preso não é um homicida?

    • De diz:

      Surprese está surpreso?
      Ou não “entendeu” porque andou a emprenhar com algum dos torcionários da seita assassina?
      Mesmo que fosse um homicida ( o que é falso) defender que isso seja justificação para o acontecido só mesmo de um admirador dos métodos nazi-fascistas
      Cito:
      “Há mais de 13 anos, numa das muitas revoltas que estouram no País Basco, por todos os motivos e mais algum, um jovem independentista foi detido e acusado de incendiar um autocarro. Com nome de rocha oceânica, Arkaitz Bellon foi encarcerado desde então. Contra a legislação europeia que exige a garantia de que cada condenado cumpra a sua pena o mais perto possível da sua residência, o Estado espanhol atirou-o para uma prisão na Andaluzia. Arkaitz Bellon resistiu a uma pena que é a todos os títulos mais dura do que as que aplicam a crimes como o da violação ou o da pederastia e resistiu aos sucessivos espancamentos por guardas prisionais. Arkaitz Bellon resistiu até esta tarde quando o corpo foi encontrado sem vida dentro da própria cela. Morreu a quatro meses de ser libertado. Tinha 36 anos.” – See more at: http://manifesto74.blogspot.pt/#sthash.8AZbax2U.dpuf

      Surprese surpreende-se tanto como a canalha que nos governa se mostra tão “surpresa” com a miséria que provoca.
      O cheiro no entanto denuncia-o(s)

    • Argala diz:

      Por acaso não é, nunca matou ninguém, mas não deixaria de ser homenageado se tivesse eliminado alguns deputados do PP, do PSOE, militares ou guarda civil. Guarda esses macaquinhos de sotão só para ti.

    • Khe Sanh diz:

      Os teus herois são aqueles que assassinam familias inocentes completas a milhares de quilometros de casa ?

      Os que lutam pela justiça são homicidas.

Os comentários estão fechados.