5dias que abalaram o país (*)

Começou assim, a convite do Nuno, a minha participação no 5dias.
Ao longo destes cinco anos fomos, a maior parte do tempo, um blogue que combateu – e tantas vezes assustou – todas as formas que a direita tomou. Conseguimos ir juntando gente de todas as esquerdas, sem papas na língua. Colectivamente, e ainda que não se escondessem as diferenças, construiu-se um dos blogues políticos mais lidos em Portugal – com a particularidade de disparar o número de visitas sempre que a luta subia às ruas. Além da opinião, transmitia-se informação que não passava nos telejornais.
Mas a pouca participação de uma parte significativa dos autores elencados na coluna da direita e o afastamento da maioria dos que estão activamente no combate sindical ou na vida partidária fizeram com que deixasse de ser um blogue em que me interesse participar.
Não acabo a minha participação deixando os agradecimentos da praxe pela simples razão que espero que o 5dias se recomponha, que volte à luta diária e que alguém me convença a regressar a esta que senti como minha casa.
Deixo aqui muitos companheiros com quem continuarei a estar nas ruas. Gente que conheci, gente que reencontrei. Gente que, apesar das diferenças de opinião que possa haver, nunca fica a ver as lutas de fora. Gente que espero que retome a luta no 5dias não o deixando vazio de sentido.
Por agora vou andar no facebook [o link já funciona] – numa página acabada de criar e que creio também poder ser vista por quem não está nessa rede social -, no twitter e num cantinho de benfiquismo. Aos sábados continuarei a escrever no i.
Deixo-vos com uma daquelas músicas que nos dá força para continuar.

(*) Título gentilmente inventado pela Rita Veloso

Anúncios
Esta entrada foi publicada em 5dias. ligação permanente.

26 respostas a 5dias que abalaram o país (*)

  1. Antónimo diz:

    Fica portanto a esquerda blogosférica com grande impacto público reservada ao Tempo das Cerejas, aos Ladrões de Bicicletas e aos solilóquios da Doutora Raquel (há por cá gente estimável, mas quase não escreve). Isto sim, é mais grave que o Livre e o 3D não convergirem com o sítio de onde divergiram.

  2. JgMenos diz:

    Vai por aí uma epidemia desabillitante do ‘argumentário’ de esquerda.
    Há uma remota possibilidade de que tal resulte de finalmente se entender que a Revolução não vai nascer de uma acção de massas mobilizadas por tretas e chavões.
    Por outro lado, aparece uma esquerda que parece querer construir um discurso que seja caminho para o poder por via eleitoral.
    Os que não terminarem num qualquer pantanal tipo PS vão ter de produzir um novo léxico, pelo que se justifica plenamente uma reflexão prolongada, ainda que temperado com umas caminhadas e ajuntamentos vociferantes, in memorium dos velhos tempos..

    • Tiago Mota Saraiva diz:

      JgMenos, surpreendente. Um comentário pleno de vocabulário erudito. E logo agora que só me sai um enorme inconseguimento…

  3. Argala diz:

    Sniff-sniff.. o momento da despedida comove-me. Até amanhã minha gaivota de Abril, vemo-nos nas gloriosas jornadas de luta. Os Banda Bassotti é que não mereciam ter sido chamados para aqui. Deixo-te outra banda sonora: http://www.youtube.com/watch?v=4Spy3Nd2D6w

  4. De diz:

    Um dos poucos lugares arejados que restava ao 5 Dias…

    Um abraço

  5. Rocha diz:

    Deixar aqui o Vilela sozinho não se faz…. mas partilho da tua esperança, espero que um dia se retome a luta no 5 dias, que por sinal foi guiada por outras marés de luta que infelizmente estão muita caladas.

  6. Caetano diz:

    O roque e a amiga deram cabo do blogue, ele partiu, quem sabe à procura de outro para esfanicar, ela vai-se arrastando por cá varrendo os cacos. A direita imparável, sorri, o terreno é fértil, bem estrumado, vai cantando e rindo. Vemo-nos por aí numa esquina qualquer do tempo que já fomos.

  7. José Monteiro diz:

    Não pertenço “a coisa nenhuma” mas sou de esquerda, e só há pouco tempo descobri, por acaso, este blogue. Já fiz um ou outro comentário aqui. E em 10 de Janeiro fiquei “chocado” com a despedida do “Renato”, mais ainda com a frase que ele então escreveu – ” …Com o tempo o 5dias tem vindo a transformar-se num espaço onde poucos arriscam uma crítica forte com receio da reacção de outrem, a provocação inteligente passou a ser vista como um acto canalha…”

    Mas mais chocado fiquei ainda com o facto de este post (do Renato) não ter merecido, até hoje (!…), um único comentário … Nem de quem agora também se despede. Também pergunto, mas eu por que não sei mesmo e por outras razões que não desenvolvo “quem é o roque?”

  8. Quem é o Roque? E quem matou a Laura Palmer?

  9. JP diz:

    Tal como na política, a extrema esquerda rebenta com tudo aquilo em que mexe. São tão revolucionários, tão revolucionários, tão revolucionários que mais ninguém os atura!

    Saem os bons, ficam os restos.
    Por mim, também fico por aqui.

    Saudações
    JP

  10. A esquerda à esquerda do PS é mais individualista do que a direita. E menos tolerante…

  11. Pingback: Há vida para além do 5Dias | cinco dias

  12. ansomilo diz:

    Também os bons deste blogue estão a “emigrar”.

Os comentários estão fechados.