Feito o 3D, poupem-nos o “render”

Quer-me parecer que aquilo que é apresentado como a nova união da esquerda não é mais do que as mesmas pessoas que estavam no BE há dez anos atrás.
Tenho respeito por todos. Sou amigo de muitos. Espero que se organizem e que deixem de se massacrar uns aos outros. A esquerda agradece.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em 5dias. ligação permanente.

21 respostas a Feito o 3D, poupem-nos o “render”

  1. Nuno Cardoso da Silva diz:

    O problema – se assim se pode dizer – da esquerda é ser movida por valores. De movimento para movimento, de partido para partido, há muitos valores em comum mas há algumas diferenças que não são insignificantes. Numa convergência, ou se procura o menor múltiplo comum, ou não há convergência. Mas como é que eu, que sou socialista libertário, vou conviver com partidos ou movimentos que defendem o centralismo (por muito democrático que queiram que ele seja) e a ditadura do proletariado? Ambos queremos acabar com o capitalismo e com a exploração do homem pelo homem, mas a maneira de lá chegar é tão diferente que a convergência só será possível a nível marginal. A direita não tem esse problema. Como se move por interesses, o que interessa é sacar mais algum. O grau de intensidade da exploração pode variar, mas a conciliação de interesses é relativamente fácil.

    Como é que a esquerda vai resolver este problema? Francamente, não sei. Vamos ter de apresentar às pessoas o que cada um pensa e quer, e depois é deixar o povo escolher. E os que não forem bem sucedidos terão de aprender a conformar-se com isso.

    • Tiago Mota Saraiva diz:

      O NCS é um caso mesmo curioso. Em todos os comentários que faz procura sempre desviar o assunto do post a que se refere. De mim, não obterá resposta até porque os seus argumentos fazem pouco sentido. Apenas repete o jargão da direita sobre a esquerda.

      • Nuno Cardoso da Silva diz:

        Se achas que me desviei do assunto é porque não sabes ler. Pedes à esquerda que se entenda, e eu explico porque é que isso é dificil. Em vez de me dizeres como é que se pode convergir quando as propostas políticas são tão diferentes – mesmo se movidas por princípios semelhantes -, foges com o rabo à seringa. Pedes convergência, mas estás ligado a um partido que não sabe o que isso é. Aceitarias uma coligação entre o PCP, o BE, o LIVRE e independentes para o Parlamento Eurpeu?

        • Meu Deus, não sei o que se passa em algumas cabeças… Mas que raio de falta é que faz uma coligação desse tipo para as eleições para o PE que decorrem em circulo nacional e pelo método de Hondt ? E quem é que disse que as coligações ampliam sempre o resultado da soma dos separados quando,as vezes até os podem diminuir ?

        • De diz:

          Hum
          O mister de Nuno Silva.
          Por isso é que, e vou citar “eu, que sou socialista libertário, vou conviver com partidos ou movimentos que defendem o centralismo (por muito democrático que queiram que ele seja) e a ditadura do proletariado?”
          Conviver não…mas integrado nas listas de um partido que diz que defende o centralismo democrático e a ditadura do proletariado, como o MRPP claro que sim.

          Desde que tenha a devida visibilidade mediática.em cima do palco e dos holofotes.E que seja profundamente anti-PC.

          • Nuno Cardoso da Silva diz:

            Eu não me coliguei com o PCTP/MRPP. Cometi um acto de guerrilha, a título individual, numa tentativa para reforçar oposições com dentes. Sim, porque a oposição que te agrada é completamente desdentada. E agora, que me juntei ao projecto do LIVRE, já não tenho razões para voltar a participar em listas do PCTP – o qual no entanto continuo a achar que seria importante estar na AR, como elemento de subversão de um sistema podre. Um Garcia Pereira vale facilmente uma dúzia de deputados do PCP…

          • De diz:

            Nuno Silva.
            Vale mesmo o que você quiser.
            O chover no molhado tem coisas destas.A coerência ou a falta dela é para alguns como a chuva.Têm sempre como justificação o dito popular que só não muda de ideias , etc e tal .

            O que precisamos mesmo é meia dúzia de guerrilheiros como o Nuno Silva.E de um espelho para a fotografia em conjunto

          • De diz:

            Mas enfim percebemos que o porquê de estarmos como estamos se deve única e exclusivamente à falta da dentadura de Cardoso da Silva.
            Um conselheiro Acácio sem amigos … com a raivinha habitual entre os dentes,comum a este tipo de pedantes encartado, quando é exposta a sua peculiar prosápia vazia, oca,gaiteira e “científica”.

        • Tiago Mota Saraiva diz:

          NCS diz que eu não sei interpretar o texto que escrevi. Será isso?

  2. JgMenos diz:

    Quem recusa responsabilidades sobre o real sempre encontra razões ideológicas para discordar no receituário teórico!

    • De diz:

      O auto-retrato chapado de Menos.
      Se bem que ele se limite geralmente a um receituário ideológico pobre.Tipo slogan matraqueado até à exaustão, aprendido na teoria de um goebbels

  3. B Aranda diz:

    No PCP Carvalho da Silva já é um indivíduo que há 10 anos atrás estava no Bloco com o Henrique Sousa? Aliás, nem consta que haja alguma fotografia deles na Festa do Avante… 🙂

    • Tiago Mota Saraiva diz:

      Oh Ber… há 10 anos não sei bem onde estava o Carvalho da Silva. E também ainda não percebi bem se ele está no 3D.

      • Vanessa diz:

        Há 10 anos o Carvalho da Silva era membro do Comité Central do Partido Comunista Português, aliás como outras pessoas ligadas ao chamado Manifesto 3 D, por muito que isso desagrade ao Tiago Mota Saraiva, há gente ainda há pouco MILITANTE do PCP nesse movimento.

        • Tiago Mota Saraiva diz:

          Assim de memória diria que Carvalho da Silva não era membro do CC há 10 anos, mas vou investigar. Numa pesquisa rápida encontrei este texto do Pedro Correia de Novembro de 2004:

          “Entre estes militantes, contam-se só dois presidentes de câmara: Manuel Coelho, autarca de Avis, e José Pós-de-Mina, que encabeça o município de Moura. Este foi, de resto, o único presidente de câmara que passou a integrar um Comité Central quase inteiramente «expurgado» de autarcas. José Carreira Marques (Beja), Rogério de Brito (Alcácer do Sal), Carlos de Sousa (Setúbal), Maria Emília Sousa (Almada) e Modesto Navarro (presidente da Assembleia Municipal de Lisboa) são autarcas que continuam fora do Comité Central, onde vários deputados comunistas – como Rodeia Machado e Luísa Mesquita – também não têm assento. Tal como o secretário-geral da CGTP, Carvalho da Silva.”
          http://www.dn.pt/inicio/interior.aspx?content_id=591016&page=-1

        • De diz:

          Vanessa é?
          Carvalho da Silva membro do CC do PC?
          Por muito que tal desagrade a Vanessa que não sei se é militante de alguma coisa (perdão MILITANTE), tal nunca aconteceu.”O eurodeputado(Miguel Portas considera, por outro lado, uma “diferença significativa” que Manuel Carvalho da Silva se tenha mantido sempre como militante de base do PCP,…”

          Pena Vanessa. Há gente e gentinha.
          Percebeu ou quer explicações sobre as contabilidades que parece andarem a atazanar-lhe a objectividade?

  4. Amadeu Melo diz:

    Vá-se lá entender isto…saem do Bloco para, dada uma volta ao bilhar grande, pretenderem lugares de destaque pela porta do cavalo. Como exemplos de respeito pela democracia e de submissão ao sufrágio deixam muito a desejar.
    Mas calma, pode ser que isto não fique por aqui e, mais dia menos dia, ainda vamos ver o Gil Garcia a, ele também a mais a rapaziada do MAS, pedir uma “plataforma” comum com o BE, que isto por mais agitado que esteja o mar, é sabido que os cagalhões dão todos à costa.

  5. rogério diz:

    “não é mais do que as mesmas pessoas”? Pois, assim à primeira vista lembro-me dum tal carvalho da silva, então com lugar nas reuniões da soeiro pereira gomes ou dum josé reis secretário de estado no governo de guterres.O pior cego é mesmo aquele que não quer ver.

    • Tiago Mota Saraiva diz:

      Rogério, falamos do José Reis que participou na discussão/elaboração do programa político do BE em 2009 e que apoiou a candidatura cidadã apoiada pelo BE à autarquia de Coimbra?

      • Tiago Mota Saraiva diz:

        Na verdade, não tem mal nenhum, até acho que demonstra uma evolução no sentido positivo do ex-governante de Guterres. Agora não nos estejam a tentar enfiar a toca que “isto é uma coisa nova”, cheia de gente de várias áreas políticas que não é.

        • A.R.A diz:

          Tiago Mota Saraiva

          Não entendo o busilis da questão 3D? Aliás, não entendo porque não puxa o PCP para si a responsabilidade em renovar uma Nova Aliança Povo Unido? O Partido serve para servir o povo e não o oposto ou será que estou errado?

          Sou eleitor do PCP desde que me conheço por eleitor e subscrevi o manifesto 3D pois nunca entendi as tricas de pai e filho entre o PCP e MDP, que antes das divergencias representavam quase 19% do eleitorado de outrora mas que no presente apontaria para mais de 20% …

          Até quando este mais que gasto saco de gatos que insiste em ser perpetuado pelas gerações vindouras das “jotas”?

          Ao 3D recomendo um outro para ganhem tino:
          Movimento 3R/ Responsabilidade/ Respeito/ Revolução

          A.R.A

Os comentários estão fechados.