As duas federações mundiais que representam estivadores falam a uma voz em solidariedade com os portugueses

1607041_10152115320074303_1824067285_n

No dia 8 de Janeiro, representantes do IDC-E (Conselho Internacional dos Estivadores, Zona Europeia) e da ETF (Federação Europeia dos Trabalhadores dos Transportes) reuniram-se em Lisboa para discutir a situação alarmante que afecta os portos Portugueses. O encontro realizou-se na sequência da decisão de organizar uma campanha internacional e acções para protestar contra a reforma portuária implementada em Portugal desde 2012. Como consequência dessa reforma, as condições de trabalho nos portos Portugueses, e em particular no porto de Lisboa (e Aveiro) deterioraram-se progressivamente. Ambas as organizações concordaram em iniciar uma campanha conjunta de solidariedade com início em Janeiro de 2014.

O conflito Português é uma consequência directa das devastadoras medidas de austeridade impostas pela “Troika” (CE – Comissão Europeia, BCE – Banco Central Europeu e FMI – Fundo Monetário Internacional) como uma condição para que o governo Português obtivesse assistência financeira. Os sindicatos de estivadores Europeus têm repetidamente condenado estas medidas, as quais fazem parte de um processo de desregulação mais extenso que está a afectar portos Europeus.

Entre as maiores preocupações dos sindicatos está a falta de vontade das associações de empregadores em entrarem num diálogo significativo com os sindicatos. Pelo contrário, continuam a criar uma “pool/bolsa de trabalhadores” alternativa de estivadores com o objectivo de substituir trabalhadores sindicalizados por uma mão-de-obra destreinada e não sindicalizada. Desde a entrada em vigor da nova lei, 47 estivadores empregados no porto de Lisboa foram despedidos sem motivo.

Os sindicatos condenam ainda o facto de a nova lei Portuguesa do trabalho portuário violar a Convenção 137 (Trabalho Portuário) da OIT – Organização Internacional do Trabalho, que Portugal ratificou.

A campanha de solidariedade envolve medidas de solidariedade tanto políticas como legítimas que instam o governo Português a promover um diálogo significativo entre sindicatos e empregadores. Os sindicatos filiados na ETF e no IDCE irão enviar/entregar declarações nas embaixadas dos seus respectivos países durante as próximas semanas. As preocupações dos sindicatos sobre a situação em Portugal também serão apresentadas durante uma audição sobre a proposta de Regulamento/Directiva dos Serviços Portuários na UE que irá decorrer no Parlamento Europeu a 29 de Janeiro de 2014.

Publicado originalmente no IDC (International Dockworkers Council) – em inglês, espanhol e francês. 

Anúncios
Esta entrada foi publicada em 5dias. ligação permanente.

3 respostas a As duas federações mundiais que representam estivadores falam a uma voz em solidariedade com os portugueses

  1. Pingback: Resumo da estratégia de comunicação do Governo e do Patronato para virar a população contra a luta dos estivadores, cada vez que estes anunciam novas formas de luta | L´obéissance est morte

  2. Pingback: Resumo da estratégia de comunicação do Governo e do Patronato para virar a população contra a luta dos estivadores, cada vez que estes anunciam novas formas de luta | L´obéissance est morte

  3. Rocha diz:

    Só a luta pode vencer as injustiças e a exploração. Quanto mais sindicatos, quanto mais sectores profissionais, quanto mais camadas populares se juntem à luta mais a luta pode vencer.

Os comentários estão fechados.