Protesto de desempregados obriga a fechar Pingo Doce


995575_488883764561438_1174081131_n

Este sábado o Pingo Doce, do Rossio em Lisboa, foi invadido por um grupo de 30 desempregados e trabalhadores precários, que exige que esta empresa lhes entregue um cabaz de produtos, como fez com Nelson Arraiolos há três semanas.

A loja foi fechada e um cordão policial impediu que qualquer pessoa entrasse na loja, mesmo os clientes. Cerca de 30 pessoas protestaram dentro da loja preenchendo as suas reclamações muito devagar. Os restantes aguardam sentados no chão, e fora da loja distribuiram-se panfletos.

“Os milhões acumulados pelo dono do Pingo Doce, Soares dos Santos, poderiam servir para milhões de pessoas viverem despreocupadamente.” (retirado daqui)

Comunicado da Maria Cabaz 

Amigos e amigas, obrigado a todos os que participaram e ajudaram à mobilização. No último Sábado antes do Natal, quando os nossos exploradores esfregam as mãos a pensar em todo o dinheiro que lhes vai entrar no bolso, demos uma pequena ferroada nos seus lucros e ajudámos a lembrar que para 1.500.000 pessoas que estão no desemprego e subemprego, o Natal está longe de ser uma época de celebração.

Esta crise só é crise para quem trabalha ou está desempregado. Para quem vive do trabalho dos outros, tem sido uma oportunidade espectacular, tanto que o número de multimilionários cresceu em Portugal de 2012 para 2013 de 785 para 870. Isto permite-nos responder a uma questão interessante que Almeida Garret colocou há muito tempo atrás “Quantos pobres são precisos para fazer um rico?”. É só pegar nos 2.6 milhões de pessoas em risco de pobreza e exclusão social em Portugal em 2012 e dividir pelos 785 multimilionários no mesmo período. Agora já sabemos: 3312. Sempre que ouvirem um multimilionário a dar xarope aos pobres sobre serem empreendedores, lembrem-se sempre deste número. 3312. É o número de pessoas na miséria para que ele possa mandar postas de pescada à nossa custa.

1483313_10152076346580040_2126144924_n

Supermercado de Lisboa «invadido» por desempregados

Pingo Doce invadido por desempregados e precários

Protesto de desempregados obriga a fechar Pingo Doce

993504_10153626875435296_1503337064_n

Anúncios
Esta entrada foi publicada em 5dias. ligação permanente.

31 respostas a Protesto de desempregados obriga a fechar Pingo Doce

  1. M.Almeida diz:

    Só falta dizerem que este foi um protesto espontâneo. O Protesto anda a ser organizado dede o dia em que o Nelson foi roubar arroz a este mesmo Pingo Doce e a loja lhe ofereceu um cabaz. Enfim Sò quem não esteja atento é que engole esta cena como espontanea quando há dias que vejo aqui pelo 5 dias ser organizdo este protesto. Já chega de nos tentarem fazer de estúpidos.

    • Francisco diz:

      Ó palhaço de merda, lacaio do capital e do governo de traidores. Mas quem é que disse que isto era espontâneo???? Esta corja para defender o patrão e seus senhores é capaz de tudo, mentira insinuação, meias verdades… é o vale tudo. O Soares dos Santos dá te uma avença para fazeres este trabalho?

  2. Joao Bettencourt diz:

    “Os milhões acumulados pelo dono do Pingo Doce, Soares dos Santos, poderiam servir para milhões de pessoas viverem despreocupadamente.”

    E quando os milhões do Soares dos Santos acabassem, gastos pelos que vivem despreocupadamente, onde é que iam buscar mais milhões para continuarem a viver
    sem preocupações?

    Ao Belmiro?

    • Francisco diz:

      Why not? De qq das formas a questão central é que o capital acumulado pelo Soares dos Santos e outros que tais podia ser posta a muito mais bom uso do que o que tem actualmente. Uma concentração de capital dessa escala nunca podería estar nas mãos de um só indivíduo ou ser canalizada apenas para benefícios privados.

      • Joao Bettencourt diz:

        E quando acabarem os Soares dos Santos e os Belmiros? O que é que vai acontecer à vida despreocupada?

        • Francisco diz:

          A questão central é que o capital acumulado pelo Soares dos Santos e outros que tais podia ser posta a muito mais bom uso do que o que tem actualmente. Uma concentração de capital dessa escala nunca podería estar nas mãos de um só indivíduo ou ser canalizada apenas para benefícios privados.

          O confisco do capital que está açambarcado por Belmiros e soares dos Santos é uma necessidade, se queremos uma democracia real, vida com dignidade para todos e ter hipóteses de sair da crise.

          Estamos a assistir a um enorme retrocesso civilizacional, esta crise e estas políticas estão a destruir milhares de vida e a expropriar os rendimentos da generalidade da população… Entretanto uns quantos acumulam riqueza e esse ciclo reforça-se. Só quebrando este ciclo podemos sair desta situação.

          Na minha opinião a frase vale pelo contraste, um único indivíduo controla uma fortuna que seria suficiente para garantir condições de vida dignas a milhões. Significa isso que para garantir essa dignidade basta expropriar e depois viver de “papo para o ar”. Na minha opinião, não. É preciso resgatar o capital que está nas mão de meia dúzia? Sim, se queremos que todos possam ter a hipótese de ter uma vida digna e uma democracia real.

        • Carlos Carapeto diz:

          Quando conseguir-mos acabar com os Soares dos Santos e os Belmiros e todos os labregos como tu, o povo Português vai viver melhor e o país vai desenvolver-se.

  3. henrique pereira dos santos diz:

    Mas o Soares dos Santos paga alguma avença ao 5 dias para estarem sempre a fazer propaganda dos supermercados dele? Se não paga é injusto, porque têm feito um bom trabalho de promoção da marca.
    henrique pereira dos santos

    • Francisco diz:

      Somos atacados por criticar e agora por apoiar? Os lacaios do capital usam todos os truques e demagogia imaginável para defender os seus amos…

    • Carlos Carapeto diz:

      “João Bettencourt diz:
      Dezembro 22, 2013 às 8:25 pm

      Como aconteceu na URSS? Ou na Coreia do Norte? Ou em Cuba?”

      Meteste-te na boca do lobo.
      Vou fazer minhas as palavras e Robert Fisk acerca de Bush “gosto de esmagar patifes”.

      Apraz-me desmascar aldrabões fascistas e nazis e a escória associada. Com esses gosto de discutir tudo o que se relacione com a URSS.

      Têm ainda esta gente a desfassatez de nos dias de hoje falar sobre URSS depois da hecatombe que o capitalismo lá provocou?

      Qual foi o desenvolvimento verificado nestes ultimos vinte anos em qualquer desses países?

      A Rússia herdeira da URSS o que foi que apresentou de novo ao mundo?

      Qual destes países já atingiu o PIB de 1991 ? Exceptuando a Bielorrussia!

      A Ucrânia quando do desmembramento da URSS era a 10 ª economia a nivel mundial. Hoje o país definha no subdesenvolvimento , e a maioria da população está mergulhada na pobreza extrema.

      Algumas das Republicas da Ásia Central regrediram para condições de vida a antes de 1917.

      Não pergunto o que foi que melhorou depois da restauração do capitalismo.

      Quero que me digam aquilo que não piorou.

      Eu conheci esse maravilhoso país. E sei muito bem naquilo que estão transformados os países que faziam parte da União Soviética.

      Por esse facto mesmo sinto que tenho o dever moral de repor a verdade, em nome dos muitos milhões de pessoas que viram mergulhar as suas vidas em condições terceiro mundistas.

      Quanto à Coreia do Norte, aqueles que criticam o seu modelo politico e social para mostrarem que o fazem com honestidade e sem a intenção de pretender fazer demagogia à custa de quem sofre situações de carencia e miséria de toda a ordem, devem também mostrar preocupação com situações mais degradantes de miséria, atraso e exclusão social noutros países ali bem perto da Coreia do Norte.

      Sabemos que nunca o vão fazer, porque o objetivo deles não é dizer a verdade. Vivem da mentira.

      Aqui; http://www.youtube.com/watch?v=U6BltjL8sm4

      Atenção; no caso da Coreia do Norte são conhecidas as causas da situação. Perigo das ameaças externas há mais de meio século.

      Ao contrário das Filipinas que depois da II GG não sofreu qualquer tipo de ameaças.

      Sobre Cuba; os Bettencourt desejam e almejam é que o povo Cubano viva nas mesmas condições dos Haitianos e da maioria dos povos da America Latina.

      É preciso ter descaramento e ser-se desprovido de um pingo de vergonha na cara para falar sobre Cuba e omitir as condições miseráveis e de subdesenvolvimento em que vivem mergulhados a quase totalidade dos Haitianos.

      Atreve-te escudar-te atrás da falácia dos “presos” politicos que sais de rabo ripado.

      • João Bettencourt diz:

        Então mostre-me um país comunista com os níveis de desenvolvimento económico e de vida similar aos países ocidentais, onde vigoram democracias liberais que respeitam a propriedade privada e a livre iniciativa.

        • Francisco diz:

          A China é um país onde as condições de vida para a generalidade da população são muito acima das da Indía. O mesmo pode dizer-se de Cuba em relação aos outros países das caraíbas e América Central.
          Não se pode comparar alhos com bugalhos, um país como a China com a Holanda ou Cuba com os EUA (embora em vários indicadores Cuba até esteja à frente). É preciso fazer uma comparação séria e não demagógica como voçê insinua. É preciso comparar países com dimensões semelhantes, com História e circunstancias minimamente próximas. Não é sério comparar um país colonizado com países que foram metrópoles imperiais, nem países de dimensão continental, com países pequenos.

          Os regimes políticos não se instituem por decrecto e as soluções que deram resultado x num lado, podem dar y noutro. Quantas democracias liberais blá blá blá existem em África, Ásia e outras zonas fora da Oceania, América do Norte e Europa Ocidental??? A Índia ou o Brasil seguindo esse modelo conseguem chegar aos calcanhares da China? Quer em desenvolvimento económico, quer em desenvolvimento humano? Os vastos territórios que até há 50-40 anos eram colónias da Europa conseguiram-se libertar-se como? Quem apoiou a sua luta de independência? Qual o papel das democracias liberais nesses países? Bombardeá-los com napalm?

          Os regimes e países da Europa Ocidental, América do Norte (excluindo méxico) e ANZACs tiveram à sua disposição uma série de instrumentos e caminhos para se desenvolverem que estavam simplesmente barrados a muitos outros… a começar pelo facto de que em parte se desenvolveram porque colonizaram outros! Capitalismo não existiria sem Imperialismo!!!!
          How did the rich countries really become rich? In this provocative study, Ha-Joon Chang examines the great pressure on developing countries from the developed world to adopt certain ‘good policies’ and ‘good institutions’, seen today as necessary for economic development. Adopting a historical approach, Dr Chang finds that the economic evolution of now-developed countries differed dramatically from the procedures that they now recommend to poorer nations. His conclusions are compelling and disturbing: that developed countries are attempting to ‘kick away the ladder’ with which they have climbed to the top, thereby preventing developing counties from adopting policies and institutions that they themselves have used. This book is the winner of the 2003 Myrdal Prize, European Association of Evolutionary Political Economy.(aqui e aqui)

          Bettencourt antes de repetir qual eco as perguntas demagógicas e básicas anti-comunistas devias para para reflectir e ter algum sentido crítico. Mas quando o objectivo é a provocação percebo que a seriedade na discussão seja coisa irrelevante…

          • De diz:

            Parabéns a ambos.Pelo conteúdo e e pelo espírito combativo.

            (Espero que o Carlos esteja melhor dos seus problemas de saúde…)

          • João Bettencourt diz:

            Então eu recolho-me à minha ignorância e peço-lhe que me indique um país comunista próspero mas sem economia de mercado e sem Belmiros nem Soares dos Santos.

          • Francisco diz:

            Eu respondi a todas as suas questões , já voçê nunca se dignou a responder ou abordar nenhuma das questões que eu fui levantando neste debate. Mostra bem a sua má fé e/ou ignorância.

            Próspero? em relação a quê, para além de ignorante voçê parece surdo. Não leu o meu comentário anterior? É Cuba mais próspera que os seus vizinhos nas Caraíbas e América Central? E o que é Prosperidade? Os indíces de condições e desenvolvimento social mais altos da América Latina não pertencem à Venezuela?

            “Livre iniciativa” e “mercado livre” são histórias da carochinha. Não existe nenhum mercado completamente livre, nem perfeita concorrência onde quer que seja. Mais, como descobrirá se ler as referências que fui dando, os países ditos “desenvolvidos” só chegaram onde chegaram, porque em momentos chave da sua história adoptaram políticas opostas aos modelos liberais e de “livre comércio” que voçê idolatra como uma vaca sagrada. O caso de várias economias do extremo oriente também é bem exemplificativo disso mesmo.

          • De diz:

            (Esclarecimento necessário:
            parabéns ao Francisco e ao Carlos)

  4. Carlos Carapeto diz:

    O outro link que coloquei no comentário anterior não se consegue abrir .

    Talvez aqui se consiga.

    Se também não se conseguir abrir, basta ir ao youtube e pesquisar.

    POBREZA,MISERIA EXTREMA EN EL MUNDO

    • Carlos Carapeto diz:

      Joáo Betencourt.

      Não tem nada a dizer sobre o filme que coloquei sobre as condições de vida nas Filipinas?

      Não me leve a pensar que é um instrumento comandado por cordelinhos.

  5. E depois há também a considerar que há pessoas – como parece ser o caso de João Bettencourt – cujos comentários fazem lembrar o «fim da História»…
    Como se a evolução da Humanidade parasse agora com a emergência e sucesso de «coisas» como o Pingo Doce e/ou o Continente…
    A seguir não há mais nada.
    Chegámos aqui e agora é só «enjoyar» como diziam os emigrantes portugueses na África do Sul.
    Os que podem, claro… Os outros, bom, esses lá se hão-de desenrrascar.
    Ou não…

  6. Dezperado diz:

    Excelente pergunta Joao Bettencourt!!!!

    Quando esse dinheiro dos Soares do Santos acabar, confisca-se outra fortuna. É a especialidade na ideologia que o Francisco defende. Uns tem de trabalhar e criar empregos, para os Franciscos desta vida, estarem sentadinhos no sofa a mandar postas de pescada.

    Basta notar, que em todo o tecido emrpesarial, não há nenhum patrão comuna, em nenhuma empresa deste país. É que falar na teoria é muito facil, o pior seria terem de gerir uma empresa da forma facil e simples como falam.

    • Francisco diz:

      LOL e quem é que paga agora para voçê estar sentado no sofá a dizer asneiras e absurdos? E que eu saiba a fortuna dos merceeiros ainda não foi confiscada… quando for será posta a muito mais bom uso do que tem hoje em dia.

    • De diz:

      Excelente pergunta diz desperado,enquanto fala daquele tecido de que gosta tanto. Um tecido que vive à custa da exploração da mão-de-obra barata e que se concentra cada vez mais num cada vez menor número de mãos.
      Mas espanta de facto a ignorância de desperado.Fala em patrão como se falasse num deus.Parece que nem sequer sabe que o trabalho não precisa de patrão.O tal patrão, a quem diz amén, é um elemento espúrio na equação.Fala em teoria mas nem sequer sabe desta.Fala em praxis mas a que conhece é a que reproduz as relações de classe da sua classe sem classe nenhuma.
      Espanta de facto o saber deste desperado.Espanta de facto que os espantalhos com que ameaça a humanidade pela eventual expropriação de quem detém os meios de produção, não passem ainda disso mesmo .De espantalhos ainda não concretizados. O que assistimos é pelo contrário os mais ricos ficarem ainda mais ricos para gáudio dos seus serventuários e dos que vivem das migalhas dos seus donos.
      Espanta de facto que o que lhe sai é este amontoado de lugares comuns de burguês bem instalado no sofá a solfejar a catequese aprendida nas beiças dos belmiros ,soares dos santos e jonets de opereta.
      Não espantará que perante o outro lado da vida,perante o lado dos que são explorados reaja da forma como o faz.
      Desperado já nos habituou a coisas do mesmo género: Da calúnia ao insulto.Da habitual boçalidade de malcriado até aos trejeitos de alguém que cumpre o seu papel do lado negro da humanidade.
      Sobra-lhe estas coisinhas tristes a que só apetece de facto responder com LOls..

      • Carlos Carapeto diz:

        De, obrigado por te interessares por a minha saúde.

        As coisas não vão como seria desejavel, embora lentamente mas vou recuperando.

        Saiu-me muito caro.
        Tive que pagar para ser operado num hospital privado, porque no publico demorava alguns meses a resolver a situação, consulta no H. S. José só a partir de Janeiro, portanto antes de Março não via o problema resolvido, se conseguisse chegar até lá.
        É este o estado a que chegaram os serviços de saúde deste país.

        A pergunta que deixo é esta. Eu pude pagar , então e aqueles que nem ganham para comer?

        Morrem com falta de assistencia no silencio das suas casas!

        É por saber que existem pessoas que lhes são negados os mais elementares direitos para que possam ter uma vida digna (saúde, educação, cultura, proteção na infância e na velhice) que nunca deixarei de lutar para que um dia esses mesmos direitos sejam concedidos gratuitamente a todos e deixem de ser um negócio só para poucos desfrutarem.

        Vivem enganados aqueles que pensam que a riqueza acumulada por poucos satisfaz a necessidade de todos.

    • Carlos Carapeto diz:

      “É que falar na teoria é muito facil, o pior seria terem de gerir uma empresa da forma facil e simples como falam”.

      Também os há e dos bons.
      Mas é quase como encontrar um magarefe protetor dos animais.

      Pior que saber gerir uma empresa é ter que trabalhar para produzir riqueza.

      Não lhe ensinaram que só o trabalho produz riqueza?

      Pois eu já vi comunas com o ensino básico gerirem Cooperativas com melhores resultados que muitos administradores dotados de cursos superiores.

      Deposita tanta fé nos patrões e não acredita que os trabalhadores organizados em Cooperativas podem obter os mesmos resultados?

  7. Dezperado diz:

    “Parece que nem sequer sabe que o trabalho não precisa de patrão.”

    óh De não me avisaste que estávamos a falar no abstrato….

    “Um tecido que vive à custa da exploração da mão-de-obra barata e que se concentra cada vez mais num cada vez menor número de mãos.”

    Nesses países que aqui se fala, tipo Cuba ou Coreia, quem concentra a riqueza??? é o povo??? ou é o vosso querido líder?????

    Em vez de falarem em teorias…quando forem a Cuba, perguntem a um cidadão cubano como é viver lá, pode ser que aprendam alguma coisa, em vez de estarem a defender o que nem o próprio povo cubano defende.

    • Carlos Carapeto diz:

      “Nesses países que aqui se fala, tipo Cuba ou Coreia, quem concentra a riqueza??? é o povo??? ou é o vosso querido líder????? ”

      E quando é que a concentração de riqueza é considerado um bem social ou um indicador de desenvolvimento?
      Nesses países existe justiça na repartição da riqueza produzida, que se traduz em beneficios sociais, tanto assim que Cuba destina 54 % do orçamento de 2014 aos serviços sociais.

      Fidel há alguns anos quando a revista Forbes num esforço para o tentar denegrir lançou uma campanha de desinformação acusando-o de possuir uma fortuna de milhares de milhões de dolares (cerca de 10 m M) em contas no estrangeiro.
      Desafiou publicamente ” se alguém encontrar qualquer conta em meu nome ou de algum familiar meu em qualquer banco ofereço 99,9% desse dinheiro”.

      Também disse que o Mercedes oficial em que se deslocava já com vinte anos, fora oferecido por Miterrand. E o fato civil que vestia fora-lhe oferecido por Andrez Perez.

      Quanto à Coreia do Norte fico grato que dê a sua opinião sobre esse filme que coloquei aí atrás.

      Se aquilo acontecesse na Coreia do Norte era um acepipe de comer até babar-se.

      Compare os padrões sociais e de desenvolvimento da Coreia do Norte, permanentemente ameaçada, por isso tem que destinar à defesa uma parte significativa do orçamento, com estes dois países que coloco aí por baixo.

      São informações prestadas por a rapaziada de Langley. Mesmo assim vamos admitir que sejam verdadeiras (que não são).

      http://www.indexmundi.com/pt/coreia_do_norte/

      Filipinas que não sofrem qualquer ameaça, pelo contrário têm a proteção dos EUA.
      http://www.indexmundi.com/pt/filipinas/

      Republica Democrática do Congo o país com as maiores riquezas minerais de toda a África. Sem falar das extensas terras ferteis e das enormes florestas.

      http://www.indexmundi.com/pt/congo-kinshasa/

      Têm que se convencer que esse tempo de desencadear temporais de trapalhadas para espalhar a vossa propaganda já lá vai.

      • Dezperado diz:

        ó Carlos, não perca tanto tempo a querer mostrar-me que Cuba e a Coreia são uma maravilha só porque se passa o que mostra esse filme nas Filipinas. Cada um acredita no que quer e nas fontes que acha crediveis.

        “Nesses países existe justiça na repartição da riqueza produzida, que se traduz em beneficios sociais, tanto assim que Cuba destina 54 % do orçamento de 2014 aos serviços sociais.”

        Ja esteve em Cuba??? ja falou com algum Cubano??? Para ele lhe explicar ” a maravilha que é viver num país onde não ha liberdade”.

        Em relação à Coreia nem vale a pena alongar….toda a gente sabe o que é a Coreia do Norte.

        “Compare os padrões sociais e de desenvolvimento da Coreia do Norte, permanentemente ameaçada, por isso tem que destinar à defesa uma parte significativa do orçamento, com estes dois países que coloco aí por baixo.”

        Não leve a mal Carlos, mas sinceramente este seu paragrafo é de bradar aos ceus.

        Mas em vez de usar expressões como as suas, do tipo: “Vou fazer minhas as palavras e Robert Fisk acerca de Bush “gosto de esmagar patifes”, prefiro respeitar a opiniao de cada um, porque nao me acho o supra sumo da historia mundial.

  8. Pingback: 2013, um ano de luta social em análise | cinco dias

Os comentários estão fechados.