Mataram o Rei, e?

Há pouco mais de 100 anos os homens – Buiça e Costa – que mataram o rei tiveram direito a um funeral popular, um dos maiores da história do país, que reuniu mais gente que o funeral do rei morto, conta-se. Os poucos que tinham enlutado as casas desistiram de o fazer tal era a sensação geral de alivio e de respeito aos «beneméritos da pátria», cito jornais de então. 100 anos depois uma piada de uns humoristas faz cair o carmo e a trindade. Não sei explicar se é porque os valores democráticos das liberdades e protecção jurídica se reforçaram – o que é bom – se é porque o povo perdeu de vez a noção de conflito colectivo – o que é mau.

A foto, de populares deixando flores nas campas, é do Arquivo da Fundação Mário Soares.

Flores_campa_alfredocosta_e_manuel_buiça

Anúncios
Esta entrada foi publicada em 5dias. ligação permanente.

3 respostas a Mataram o Rei, e?

  1. Nuno Cardoso da Silva diz:

    Já agora, só para esclarecer, achas que foi bom matar-se o Rei e que os assassinos mereciam ser louvados? É que se esquece que a associação de malfeitores que matou o Rei apenas quis, com esse acto, abrir a porta ao domínio da oligarquia burguesa. Com todos os defeitos que os Reis tivessem, eram um obstáculo – no quadro da Carta Constitucional – ao domínio absoluto pela burguesia. Enquanto houvesse Rei a oligarquia estava impedida de tomar o poder de assalto, pois havia um poder que escapava ao seu controlo. Um Rei que dizia que Portugal era um país de bananas governado por sacanas, era uma barreira, ainda que ténue, ao domínio absoluto por parte dos sacanas. Ou julgas que mataram o Rei para implantar a liberdade e a democracia? Por isso cuidado com as análises mais ou menos históricas do evento e da simpatia que os assassinos pudessem ter – que não tinham, senão da parte dos malfeitores a mando dos quais actuaram. O assassinato de D. Carlos foi um crime sem qualquer possibilidade de justificação, nem política nem ética. Tentar justificá-lo é tomar partido pela corja que desde então nos domina. E não é preciso ser-se monárquico para chegar a esta conclusão. Basta ser-se minimamente esclarecido em matéria de política.

  2. Pingback: Apelaram ao homícidio, e ? | O Insurgente

  3. Rogerio Alves diz:

    O único reizinho que vejo na nossa praça é mesmo o Soares…

Os comentários estão fechados.