Wikileaks sobre o 25 de Abril – “The Kissinger Cables” deixam claro o que alguns não querem ver.

chegada cunhal final

“Por seu lado, o PCP não perderá muito tempo e em breve se relacionará com os diplomatas norte-americanos colocados em Lisboa. Neste caso a iniciativa partiu do embaixador, Stuart Nash Scott, que telefonou a Álvaro Cunhal e, em 11 de junho, relatou esse contacto ao Departamento de Estado, num documento agora divulgado por Wikileaks e que constitui uma novidade em relação aos trabalhos publicados até aqui.

Mesmo sem ter tomado a iniciativa, Cunhal logo aproveitou a oportunidade para dar ao embaixador duas notícias, uma má e uma boa, do ponto de vista deste. Acontece que a má notícia nada tinha de novo para Scott: a de que a “opinião pessoal” (!) do dirigente comunista ia contra a permanência de bases estrangeiras, como a das Lajes, em território português.

A boa notícia, pelo contrário, era que Cunhal “não pensava que este fosse o momento para realizar tais negociações [sobre a retirada da base das Lajes] e que elas deviam ser adiadas até o assunto poder ser tratado no contexto mais amplo da détente entre Leste e Ocidente”. E nisto, notou Scott, ia o dirigente comunista ao encontro da orientação norte-americana, embora com motivos substancialmente diferentes.

É também interessante a impressão que o embaixador transmite sobre Cunhal neste primeiro contacto, por telefone, entre ambos: “Trata-se de um homem impressionante e atraente. Afirma com veemência não ser um diplomata e falar francamente, e parece fazê-lo. Em excelente francês, ele fala com sensatez, com cuidado e em tom contido (…) Na minha inocência, ele deixou-me a impressão de um homem com quem se pode tratar franca e directamente do outro lado da mesa”.

Naturalmente, a Embaixada não fazia o seu juízo apenas a partir de impressões recolhidas numa conversa telefónica e observava atentamente o comportamento do PCP, ao tempo a mais importante força política no terreno, perante a efervescente realidade social do país.

E também aí recolhia indícios que achava abonatórios. Assim, uma outra mensagem enviada ao Departamento de Estado pelo mesmo Scott em 23 de Maio, pouco mais de duas semanas antes da conversa com Cunhal, afirmava que “os esforços do PCP para parecer respeitável levam-no a tentar arrefecer a presente hiperactividade laboral”.

Scott relata a este respeito a primeira conferência de imprensa do PCP na legalidade, referindo jocosamente o retrato traçado por Cunhal sobre a situação dos trabalhadores no tempo do fascismo – “uma recitação melancólica” de factos, seguida por uma “homilia” sobre a justeza das reivindicações operárias e, finalmente, por um ataque à extrema-esquerda, segundo Scott rotulada por Cunhal como o “inimigo fundamental”.”

Destaques meus da notícia da RTP (Abril de 2013). Leaks para o The Kissinger Cables, aqui.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em 5dias. ligação permanente.

54 respostas a Wikileaks sobre o 25 de Abril – “The Kissinger Cables” deixam claro o que alguns não querem ver.

  1. Nuno Rodrigues diz:

    Aquele ponto de exclamação é de quem, é teu? E o que é conta um pensamento dum diplomata dos EUA? Vocês a desligar os pensamentos da realidade são incriveis. Já agora, gostava de ver a mensagem na integra, que ele mandou ao departamento…Aposto que se descobria logo o capuz dos cortes com aspas…

    Grande retanice!

    • Renato diz:

      Wikilúnias, ora pois. A verdade sempre foi “inimiga”, entre outras coisas, da fé.

      • C Vidal diz:

        Aqui acho que o problema foi Cunhal ter sobreavaliado a chamada extrema-esquerda.
        Pouco tempo depois ela desfez-se e foi para o governo. Coisas tristes.

        • Renato diz:

          Nem toda, mas é verdade que alguma foi. O mesmo no entanto também se passou com o PCP. Ainda assim, não era essa a razão do combate nem a razão pela qual a extrema-esquerda era combatida como “inimiga”. Esse é, provavelmente, o princípio do problema.

          • Gambino diz:

            A extrema-esquerda sempre foi inimiga do PC. A esquerda utópica era inimiga da cientifica, os Jacobinos dos Girondinos, os Jacobinos democratas dos liberais e ambos dos sans-culottes. Todos eles defendem modelos de sociedade diferentes. Podem unir-se para fazer uma revolução, mas depois têm que decidir, ao estalo, qual é o modelo a adoptar. Qual é a novidade? Qual é a especificidade e singularidade do PCP e da extrema esquerda portuguesa? Em que medida é que isso é diferente do que tu estás a fazer?

          • C Vidal diz:

            É verdade, há uma irrequietude que me parece sempre saudável nos extremos (e agora o “extremo” passa por ser o PCP, pois ninguém fala de marxismo-leninismo, mas antes de um marxismo pasteurizado, o que não é o nosso caso). O Trotsky também sempre esteve ou à direita ou à esquerda de Lenine.

      • Nuno Rodrigues diz:

        A fé é coisa que vem nos “livros”. Quem seguiu a biblia dos “leaks” foste tu. O PCP alinhado com a CIA é coisa de ser uma historieta maior que o chefe na cruz. Para quem advogava rigor histórico nuns posts atrás… É um desafio. Põe aqui a carta inteira que o chefe mandou ao departamento. Depois falamos.

  2. chukcha diz:

    ” por um ataque à extrema-esquerda, segundo Scott rotulada por Cunhal como o “inimigo fundamental”.””,

    QED, hoje, aqui e agora!

  3. Tiago diz:

    Só uma pergunta, o que é que este texto, já conhecido… pretende demonstrar? Ah já sei, os revolucionários iriam dizer ao tipo, que se estavam a preparar para lhe cortar o pescoço à primeira? Tu és ridículo…

    Se o que pretendes demonstrar é que o PCP esteve contra o chamado “esquerdismo”, isso é algo óbvio que não merece discussão. Porque o PCP é um partido revolucionário, logo os “esquerdistas” não têm na prática, apesar do verbalismo, uma intenção real de transformar a sociedade.

    Eu não sei de quando data este texto, quando foi divulgado, mas tudo o que lá está escrito já é perfeitamente conhecido. Não percebo… mas quem sou eu, que não sou historiador, nem sociólogo, mas um simples trabalhador sem direito a discutir estas coisas segundo a ideologia dos grandes revolucionários.

    Já agora, para quando um partido, um movimento, qualquer coisa, com um programa concreto com as “vossas” (ou melhor, do vosso patrão) que ganhe influência junto dos trabalhadores… e dê… espera um pequenina ajuda, para mudar o que quer que seja?

    Já agora (espero não ter mais um comentário censurado) gostaria de perguntar… em todo o mundo qual é o movimento com que partilhas ideias que tem alguma influência. Há pouco tempo neste blog vocês aplaudiam o Syrisa da Grécia… é nisso que vocès que revèm?!

    Ou o vocè movimento sáo vocès… e como náo há iluminados que vos acompanhem… estamos condenados ao sistema capitalista para sempre?

    Por favor… guiem-nos!!!

    PS: Por curiosidade no momento em que em todos os país, DIARIAMENTE, existem lutas de trabalhadores, em que se preparara para dia 26 um dia de luta nacional… todos os vossos textos pretendem (embora que de forma ridícula sinceramente) atacar o PCP… será que o vosso inimigo é o capital ou o PCP? Esta era a brincar, não precisas de responder…

    • Renato diz:

      Eu não pretendo demonstrar nada. Isso fica para outros. Parece-me tão somente um documento que contribui para o debate.

    • Victor Nogueira diz:

      ´Discute-se o momento actual, em que sub-humanos governam a vista – quem vier depois que feche a porta – para o lumpen-grande-capital ? Não!

      Condenam-se e denunciam-se as trafulhices para angariar votos e largamente documentadas feitas pelos avós do súcialismo em liberdade e da súcial-democracia que têm nomes e rostos e “pais”: soares, carneiro e amaral ? Não!

      Discutem-se ou debatem-se as propostas “revolucionárias” do ps-psd-cds ou das organizações do grande patronato do comércio-indústria e serviços veiculadas pelos mandaretes e manageiros internos do ps-psd-cds, qualquer que seja a soarenta narrativa sócretina mais ou menos segura em passes de coelho por lebre ? Não!

      Mobilizam-se as vítimas dos ataques dos manageiros/testas de ferro na UE-FMI-BCE incluindo Durão Barroso e Lagarde ? Não!

      Certos posts pela linguagem têm aqui semelhanças com textos da PIDE, do ELP/MDLP de Spínola ou da Maria da Fonte de Paradela de Abreu ou homilias do Cónego Melo da Igreja de Fátima, do Exército Azul e de Braga, a Braga do 28 de Maio de 1926 e do Movimento dos Tenentes e do PS (Mesquita Machado & seguros, sócretinos e alegres sucessores ?) A resposta fica à consciência de quem lê!

      Cada um – mas nem todos nos órgãos de reverência e nas TV’s de Balsemão de certo Clube “filantrópico” e de Belmiro, dos homens mais ricos do mundo – pode escrever o que quiser e travestir como “debate” o que não passa de provocação ! Ou não !?

      Eu sou um simples leitor, um dos privilegiados que ainda tem acesso à net e à blogosfera e às caixas de comentários da imprensa on line, daquela que não exige pagamento, ao contrário do Público de Belmiro modelo- continente-optimus-zon ou sujeita à devassa gratuita da NSA-google-microsoft-facebook-blogs.

      Não ´é no 5 dias “pluralista” ou em blafésmias que se faz o árduo trabalho do contactos cara-a-cara, da mobilização, da argumentação e da contra-argumentação para o o esclarecimento para que os riachos confluam para rio brechtiano cuja violência – espraiando-se – estilhace a violência das margens que o comprimem.

      Repito.

      Discutem-se ou debatem-se em certos posts as propostas “revolucionárias” do ps-psd-cds ou das organizações do grande patronato do comércio-indústria e serviços veiculadas pelos mandares e manageiros internos do ps-psd-cds, qualquer que seja a soarenta narrativa sócretina mais ou menos segura em passes de coelho por lebre ? Não!

      Mobilizam-se as vítimas dos ataques dos manageiros/testas de ferro da UE-FMI-BCE incluindo Durão Barroso e Lagarde ? Não!
      ´
      Discutem-se as propostas do PCP e doutras organizações contra a barbárie ? Não !

      Sem discutir ou debater o momento actual e as alternativas, há quem ataque apenas o PCP. Desenterrando documentos descontextualizados! Esquecendo a marcha chilena das panelas, brande-se o wikileaks mais os escritos do grande revolucionário antecessor de Carlucci, o amigo americano de soares, misteriosamente ausentes nesta pretenso debate – em parte incerta.

      Pelo andar da carruagem ainda por alguém no 5 Dias serão transcritos os relatórios da PIDE e o discurso de Salazar que diziam ter sido o PCP quem assassinara Humberto Delgado em Vila Nueva del Fresno.

      Para esta missa não dou esmolas e admiro-me que haja quem as dê nesta feira das vaidades que é – tal como na vida real – a blogosfera. O que é diferente de debater o 25 de Abril ou o 25 de Novembro ou as propostas para pôr fim à civilização da barbárie. Hoje, aqui e agora e no resto do planeta. Sem que o passado sirva não para abrir caminho mas para tolher o futuro.

      As revoluções burguesas dos séculos XVIII e XIX – todas elas violentas e sanguinárias – foram gigantescos passos em frente na história da Humanidade. Passos em frente de que não beneficiaram os sans-cullottes ou o pé descalço ou os descamisados, os sem terra nem trabalho com direitos. Violenta e sangrentamente reprimidos pelo Capital, que séculos decorridos ainda não estendeu os seus tentáculos a todo o mundo e a todos os povos, embora para lá tente caminhar. Não se atacam nem se negam os avanços das revoluções burguesas, apesar da burguesia ter reprimido sangrentamente as revoltas camponesas, as dos povos colonizados e a Comuna de Paris.

      Cada um é (aparentemente) livre de “discutir” ou “debater” o que entender. Na certeza de que é fora deste mundo virtual que se forja a revolução dos analfabetos e dos deserdados da sorte, daqueles que comem o pão que o diabo amassou.

      A viagem do comboio é longa e muitos – com boas ou más intenções – tentarão impedir a sua marcha. E rumo ao objectivo final – uma sociedade onde a humanidade seja o principio e o fim – muitos passageiros sairão nos apeadeiros, mal a sua vidinha esteja de volta. Mas a revolução … Ah! Esperemos que com avanços e recuos, dela – no mundo real dos feios, porcos e maus – se possa dizer, como Galileu: “E pur si muove! “

      • Victor Nogueira diz:

        Em tempo – olha, olha, o soares tb subiu para cima da chaimite ! E não parece esatr muito contrariado !

      • Nuno Cardoso da Silva diz:

        Os “descamisados”… Aqui está uma designação interessante. Lá vamos ter de juntar o Peron – ou a Evita – ao rol dos santos, ao lado de Marx, Engels e Lenine…

        • Victor Nogueira diz:

          LOL – Nuno – este teu comentário é de quem não encontra mais nada e está tão impregnado de conceitos religiosos – a fé salva – que vê santos e andores em todos os seus espelhos. Mas que raio, não consegues melhor que isto que escreveste ? E queres que te levem a sério ?

          Mandas barro à parede a ver se pega e dás voltas ao redondel para chamar a atenção. Deixa-te de lateralidades e se quiseres e souberes, debate com inteligência e contra-argumenta mas não com o que parecem ser homilias de padre na sacristia ou conversas da treta. . O mal de certos libertários basistas e personalistas é serem demasiado auto-convencidos e vanguardistas, por mais que o neguem e vejam os argueiros no outro mas não a trave no seu próprio olho.

          Os descamisados era a designação que na Argentina se dava aos pobres e explorados. Aliás, uma das designações que utilizei entre outras no meu comentário. Tu e não eu é que estás a falar de Perón e da Evita e numa de má fé, de ignorância ou de brilharete para a mesa de café é que misturas Marx, Engels e Lenine com Péron. Mas afinal és Livre de misturar alhos com bugalhos, lá saberás porquê !

  4. Antónimo diz:

    A tão famosa foto onde para imitar Lenine na estação Finlândia Cunhal se faz rodear de um soldado e de um marinheiro.

    • Victor Nogueira diz:

      Em tempo – olha, olha, o soares tb subiu para cima da chaimite ! E não parece estar muito contrariado. Para falarem à multidão, soares e cunhal subiram à chaimite pk não haveria nem camião, varanda ou carroça por perto. Olha o que seria se tivessem feito como o chefe da aldeia de asterix e obelix, em cima do escudo e aos ombros dos paisanos !

      • Victor Nogueira diz:

        bi-em-tempo –

        A foto é “objectiva” – Onde está o Wally, sorry, onde está o marinheiro na foto ? Submerso ?

        E Kerensky tb subiu ao lado de Lenine na Finlândia ? Ou terá sido rasurada tal foto in illo tempore ?

    • O homem, vocé está como o Soares: porra, diga-me lá onde está o marinheiro e quanto à imitação leia aqui em http://otempodascerejas2.blogspot.pt/2011/11/ainda-e-sempre-chegada-de-cunhal.html

    • Antónimo diz:

      Era, uma demonstração, senhores. Quis aproveitar a foto para mostrar um ponto.

      Podia ser que por absurda (é olhar para a foto) a afirmação levasse alguns a questionarem-se quanto à sistemática e mistificante referência à existência do bendito marinheiro que sistematicamente em jornais e debates toda a gente diz que lá está.

      Para já, só caíram, os que já conheciam a foto.

      • Antónimo diz:

        tirar segunda vírgula em “Para já, só caíram, os que já conheciam a foto.”

        eu sei onde são as vírgulas, mas faço tantas vezes isto que acredito que seja freudiano.

  5. Don Luka diz:

    Nos jornais de hoje: China dá pequeno passo em frente e acaba com “reeducação pelo trabalho”.

    Estou chocado! Mas onde é que isto vai ter? Na volta ainda vamos ver a Coreia do Norte deixar de fuzilar leitores da Bíblia.

    É isto o comunismo na prática: lixo fascizante, opressão e triunfo sempre dos mesmos, da mesma forma, com os mesmos vícios! Ninguém com juízo quer destas merdas para si e para os seus.

    A Raquel num post por aqui, cita uma senhora que dizia que só a política nos move como o amor. Não comentei lá, porque um assalariado do Fidel monopolizou o puta espaço com uma sucessão de merdas que só ele e o Che vão ler. Mas comento aqui, com a tua licença: foda-se, não! Política é a impotência da intolerância, não é paixão. É divisão, não é cooperação. É agressão, não é respeito. É soberba, não é receptividade. Política é nós e depois os outros, em tudo o que façamos. É maniqueísmo. É fonte de violência e de terror. É merda, será sempre merda, apesar de alguma gente decente andar metida nela! Raquel, deixa lá o amor fora disto.

  6. JgMenos diz:

    O Penetra do Soares estragou a fotografia para sempre!
    Toda esta treta vem ao caso que o PC fez o milagre de pôr o Verão Quente em 1975 quando os esquerdistas o queriam em 1974; lá ficava a descolonização toda ensarilhada e os patrões soviéticos furiosos!

  7. Rocha diz:

    Então Renato vais começar a escrever livros também? E se fosses masé trabalhar ó?

    O Ricardo Araújo Pereira (apesar de ser um revisa) condensou toda a extrema-esquerda numa bela síntese de filosofia popular: “eles falam, falam, eles falam, falam, mas ninguém os vê a fazer nada”!

    E o resto é letraaaa! Mainada!

  8. O bom esquerdalho na sua sede de atacar o PCP é assim, não se importa de citar e usar como boas as palavras e as impressões que os representantes do imperialismo tiveram sobre os acontecimentos da nossa Revolução.
    É sempre bom vê-los a citar os amigos que na época financiavam as organizações que defendiam o mesmo que os Renatos de hoje defendem.

  9. Rocha diz:

    Álvaro Cunhal foi um grande dirigente, um grande estratega e um grande militante comunista. São qualidades de um revolucionário apesar de não ter atingido a desejada revolução socialista. Há três momentos principais em que devemos muito a Álvaro Cunhal: na luta antifascista vitoriosa, no que de positivo trouxe o processo revolucionário aberto pelo 25 de Abril e na derrota da maré anti-comunista (em Portugal) que se seguiu à destruição da União Soviética (o PCP manteve os seus ideais e não se tornou social-democrata como outros).

    Hoje em há uma versão oficial do 25 de Abril (no PCP) de que eu sou crítico dizendo que o 25 de foi uma revolução incompleta e cabe a nós completá-la. Eu sou da opinião que o que ficou incompleta foi a digestão do PCP da derrota clara e inequívoca a 25 de de novembro, o facto que o resultado final do processo revolucionário falhado é a democracia burguesa (goste-se ou não) e que é preciso virar a página e adequar a estratégia à nova fase em que estamos.

    Tal como o camarada Álvaro temos o dever de revolucionários de estar um passo à frente das massas e não um passo atrás, relembro que a estratégia do derrube do fascismo do PCP era de um levantamento popular e não da tomada do poder por militares progressistas. A estratégia revolucionária não é feita para adivinhar exactamente o futuro mas como comunistas repito, temos o ver de estar um passo à frente das massas e isso é obrigatório estar na estratégia.

    • Conheço como os meus dedos da mão a frase constante do Programa do PCP de que «a revolução de Abril foi uma revolução INACABADA». Mas nele em nenhum lado se diz que a tarefa é acabá-la e não se diz e a meu ver muito bem e deliberadamente porque a história não se repete e há novas situações e circunstâncias.

  10. samuelquedas diz:

    Pelos vistos, ainda há imbecis a insistir na cassete da fotografia a imitar o Lenine e blá blá blá… 🙂 🙂 🙂
    Quanto ao post, em si… ??? 🙂

    • Antónimo diz:

      Ai, Samuel, Samuel, ler mais acima, fáxavôr. Tanta gente que olha para a foto e não estranha que se refira um marinheiro onde ele não existe.

  11. xatoo diz:

    Carlos Vidal,
    não é correcto dizer que “a extrema esquerda” seja lá o que isso for, por exemplo o comunismo marxista-leninista à séria, se desmanchou por ela mesma). Se faz favor, foi abatida a golpes de repressão. Já ninguém se recorda que o Copcon, segundo sugestão do P”C”P, prendeu 400 militantes do MRPP (Movimento Reorganizativo do Partido do Proletariado, porque considerávamos que o dito partido revisionista nada mais organizava a não ser a si próprio). Esses foram os primeiros presos politicos no pós 25 de Abril sendo que na sequência da decapitação do movimento o MRPP foi proibido e impedido de apresentar candidaturas às primeiras “eleições livres”. Que ironia; livres de quê? de ideias perniciosas para a democracia burguesa que o P”C”P engoliu sem um ai?
    os resultados estão à vista, não compete aos historiadores elaborar novelas sobre como teria sido o futuro, mas estes factos não podem ser ignoradas. Coisa que nunca vem à baila nas conversas promocionais da miss Varela, tampouco da troupe idealista trotskysta

    • samuelquedas diz:

      Aquilo foi uma tragédia! Foi mesmo um massacre!!!
      Os grandes dirigentes da classe operária, depois de decapitados, desataram correr, como correm as galinhas e perus igualmente decapitados… e por não saberem para onde iam, foram parar aos governos do PS, aos governos do PPD, às bancadas parlamentares de um e outro… à Comissão Europeia…
      Foi uma tragédia daquelas de morrer… a rir! 🙂

      • Argala diz:

        Será assim tão tosco para não perceber a dimensão dos telhados de vidro que pairam sobre a sua cabeça? Vital Moreira, Mário Lino, Pina Moura, José Luís Judas, Barros Moura, Zita Seabra, Carlos Brito e um longo et cetera. Em todos os partidos entrarão militantes, e gente que se faz à vida. O que é que isso prova?

        Agora volte lá para a escolinha da JCP, onde lhe ensinaram a babar essas coisas e prepare-se como deve ser para entrar em debate com gente crescida.

        Cumprimentos

        • samuelquedas diz:

          Ah…Sim?!!! E em que é que o facto de haver gente que traiu o PCP (entre tantos outros, que apenas saíram) altera o que eu disse do grande, grande “massacre” do MR PUM PUM?

          Quanto ao resto do seu discursozinho insolente do “volte lá prá escolinha” e o “babar coisas” e a “gente crescida”… se é então por aí que quer ir, vá prá real puta que o pariu!!! Tá bom assim pra si?

          Passar bem!

          • proletkult diz:

            Os que saem do PCP é porque traem, os que saem dos outros partidos é porque os partidos são isto ou aquilo. Mas que grande partido esse, que formou dezenas de quadros traidores desde há 40 anos. E se formos por esse país fora, a todas as autarquias e a todas as listas do PS, PPD ou “independentes”, o número ascende às centenas. O espeto de pau do PCP vai de uma ponta à outra da Atalaia.

          • samuelquedas diz:

            Errado, prolet não sei quê!!!
            O PCP também é isto e aquilo. Quiçá, aqui e ali… aqueloutro!

      • xatoo diz:

        Quedas vê lá não caias
        c`os revisas do teu partido
        dele saíram muitos mais
        o que é um facto fodido

        São inimigos do povo
        cuja conversa não engana
        não distinguires o pinto do ovo
        torna-te a ti um sacana

        os comunistas de esquerda
        são o teu alvo principal
        e nessa politica lerda
        és igualzinho ao Cunhal

      • xatoo diz:

        Quedas, vê lá não caias
        c`os revisas do teu partido
        dele saíram muitos mais
        o que é um facto fodido

        São inimigos do povo
        cuja conversa não engana
        não distinguires o pinto do ovo
        torna-te uma galinha sacana

        os comunistas de esquerda
        são o teu alvo principal
        e nessa politica lerda
        és igualzinho ao Cunhal

        • samuelquedas diz:

          Boa malha Xatoo… mas se está a pensar encetar uma carreira de versejador… não largue ainda o emprego. É apenas um a ideia… 🙂 🙂

    • Argala diz:

      Caro xatoo,

      Eu também discordo do Carlos Vidal nesse ponto. O grosso da culpa recai obviamente sobre quem absorveu o movimento operário, o conduziu para a alucinação institucional-burguesa e ao mesmo tempo que limpou o campo à sua esquerda. Mas o MRPP existe há mais de 40 anos. 43 anos.. é muita fruta.. e não há nada para apresentar, pelo menos do foro revolucionário. Oxalá as coisas mudem, e o MRPP me surpreenda um dia, pela positiva.

      Cumprimentos

      • Ivan Panfilov diz:

        Vc deve dormir acordado, para não ser surpreendido?

        As cambalhotas do Barroso, do grande educador e outros da mesma trupe não o surpreenderam?

        Nada como uma pessoa prevenido para nada a surpreender!

        • Argala diz:

          Vocemessê sabe ler?
          Ora devagarinho: “Oxalá as coisas mudem, e o MRPP me surpreenda um dia, pela positiva”. Agora pausa. Pense um pouco.

          Oxalá o MRPP me surpreenda, ou seja, oxalá o MRPP faça qualquer coisa que eu não estou à espera que ele faça. Se eu não estou à espera que o MRPP faça qualquer coisa, concretamente que desenvolva tarefas do foro revolucionário, é porque isso nunca aconteceu em 43 ano de existência. Daí que fosse uma surpresa. Agora descanse, para não queimar o processador.

    • Argala diz:

      Para não parecer tão injusto, realço que pelo menos os murais e as músicas estavam no ponto.

    • proletkult diz:

      De qualquer forma,xatoo, convenhamos que o MRPP era um partido bastante duvidoso. Se a denúncia do revisionismo do PCP era justa, a verdade é que o MRPP acabaria por fazer do combate ao PC a sua única estratégia, à semelhança da generalidade dos grupos maoístas. Além disso, era um partido cuja popularidade assentava num lastro fraco, o da moda estudantil ultra-esquerdista do Maio de 68. Tudo isso impediu, por exemplo, que o MRPP fosse um partido com influência no operariado e nos quartéis. Na prática, e sobretudo a partir da prisão dos seus membros, passou a desenvolver actividades contra-revolucionárias.

  12. xatoo diz:

    o MRPP, apesar dos reveses contrarevolucionários que sempre se abateram sobre o Partido, existiu sempre e continua a existir. Mas foi e é continuamente segregado nos Media. Uma das ultimas situações foi o não acesso aos debates nas televisões em periodo pré-eleitoral, apesar da Constituição ser bem clara que “deve existir igualdade de tyratamento a todas as candidaturas”. Mas só os partidos com assento parlamentar o tiveram e nenhum deles se levantou contra isso: há que liquidar a concorrência. o MRPP convoca uma conferência de imprensa e nem um único jornalista aparece. O MRPP foi o único partido que desde a eclosão da crise sempre disse que o pagamento da Dívida deve ser imediatamente suspenso – apontando a banca e o subimperialismo alemão como os grandes responsaveis. Passaram cinco anos e agora já andam todos, alguma direita incluida, a dizer o mesmo e a assumir a Alemanha como responsável. Ao contrário, tanto o P”C”P como o Berloque advogam a “renegociação da Dívida”, isto é mais tempo e mais dinheiro para pagar mais juros. E nisso são iguais ao P”S”, por exemplo, do funcionário da banca europeia João Cravinho quando este vem dizer que Portugal deve pedir, “no mínimo dos mínimos”, mais 40 anos para pagar a dívida, no quadro do fundo de redenção europeu”. Parabéns!. e no meio da censura que barra ferozmente o esclarecimento das propostas realmente comunistas, como pode a população em geral conhecer as propostas do MRPP?

    • Argala diz:

      “Mas foi e é continuamente segregado nos Media.”

      Claro, mas para um comunista isso é um dado de partida.

      O meu comentário referia-se a outras coisas. Um partido para ser revolucionário, não lhe chega afirmar que disse primeiro que os outros X ou Y. Isso equivale a nada.

      As tarefas de um partido revolucionário são a preparação das condições subjectivas para a Revolução. São aquelas tarefas árduas, duras e arriscadas, que ninguém quer fazer. E é também por isso que consideramos que esse partido é a vanguarda do proletariado.

      Ora, o MRPP tem 43 anos e a ficha em branco.

      O PCP não tem, nem teoria revolucionária, nem prática revolucionária. E isso parece-me mais honesto do que ter a teoria revolucionária e deixar a prática para o dia de S. Nunca. Basta ouvir o Garcia Pereira aqui: “neste momento trata-se de salvar o país?”. O que é que esta merda quer dizer?!? O Garcia Pereira quer-me convencer que anda há 43 anos a empilhar metralhadoras algures na Serra de Montejunto, à espera do dia D? Grupos muito menos coesos e mal amanhados em termos teóricos e orgânicos tiveram prática revolucionária em Portugal. O MRPP nicles. A última coisa que soube deles foi o apoio ao poeta triste.

      Cumprimentos

      • Victor Nogueira diz:

        Mas o MRPP existe para além das campanhas eleitorais e da confusão com a foice e o martelo ? Bem sei que a burguesia persegue e silencia os revolucionários consequentes, mas, com mil diabos, atendendo à “Liberdade” da Internet, apesar de vasculhada em tempo real pela NSA e quejandas, basta ver o site do MRPP e o da Luta Popular. É um estendal de comunicados e tomadas de posição diárias, “revolucioinárias” e autónomas que impressiona. É uma agitação impressionante e quotidiana à cabeça da luta dos trabalhadores e das populações. E na minha vida quotidiana encontro gente de todos os partidos e de muitos movimentos. Mas, salvo os tempos da universidade e os subsequentes a 19874, nunca vislumbrei quem quer que seja do MRPP. Apenas ex-, em abono da verdade em todos os partidos representados na Assembleia da República, com especial notoriedade para psd-ps e “independentes”, de cabelos brancos ou acinzentados.

        Ou o MRPP, salvo em períodos eleitorais, está mudo e quedo nos intervalos e na clandestinidade ?

  13. Pereira Jm diz:

    ….Cunhal entendeu-se com a cia no vero quente!!!!

    Os revisas entendem-se com os trotsquistas na blogosfera ( e no s)….este blog “cinco dias” um espelho disso. mas ltimamente muita loia tm partido. as comemoraes do centenrio do cunhal puseram a nu as “paredes de vidro” duns e doutros. ah!ah!.

Os comentários estão fechados.