Até já, em qualquer esquina.

Ao longo da história, sempre houve quem tentasse engavetar Karl Marx nas academias. Foi uma tendência que sempre me repugnou porque anti-marxista. O que a Raquel Varela vem aqui dizer sobre o debate em torno de Álvaro Cunhal revela o pedantismo habitual com que se veste de cada vez que bolsa ataques contra o PCP. Por muito que venha agora negar que é sinónimo de arrogância e pedantismo alguém que se diz de esquerda querer discutir só na academia um tema que diz respeito à classe trabalhadora, está mais do que claro com quem prefere debater Raquel Varela. É com aqueles com quem convive regularmente nos fóruns televisivos e que têm o mesmo alvo em comum. Por muito que Renato Teixeira e Raquel Varela escondam, quase metade do que escrevem aqui dedica-se a alvejar os comunistas. Aconselhá-los-ia a abandonar o Cinco Dias para abraçarem a academia, onde há génios à sua altura e onde, pelo que parece, há gente imune à ideologia dominante… Mas não. Sou eu que abandono um espaço onde durante muito tempo gostei de escrever porque o entendia como uma arma útil para os combates que travamos. Dentro da blogosfera, era mais uma pedra na engrenagem. Já não o vejo dessa forma pese respeitar e gostar do que escrevem alguns dos que aqui estão. E um blogue não é mais do que isso, uma ferramenta. Os combates continuarão a ser travados em qualquer esquina, onde estiver a primeira linha.

Obrigado a todas e a todos os que gastaram parte do seu tempo a ler o que escrevi. Como dizia um gajo de que gosto muito, “a luta é o único caminho”.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em 5dias. ligação permanente.

13 respostas a Até já, em qualquer esquina.

  1. José Corvo diz:

    Não se vá embora para que o Blog não se transforme numa ruminação permanente.

  2. Pedro Pinto diz:

    Deixai-os a falar sozinhos – ou com a «academia» que tanto apreciam, onde pululam os Costa Pintos (arguente da tese da Varela que tanto elogia, ele – um fascista). Viva o PCP e o Álvaro Cunhal, que sempre mas sempre preferiram o povo e os trabalhadores, porque é para eles que cá andam (os). Abraço.

    • proletkult diz:

      Chamar “fascista” ao Costa Pinto é manifestamente exagerado. Nem o considero de direita, sequer. As suas análises sobre as “elites” são até bastante progressistas.

  3. João diz:

    De qualquer modo e por muito que se ponha em bicos de pés, a Raquel Varela terá na História o lugar que ela própria, no recato solitário de um olhar para o espelho, não deixa de intimamente reconhecer. Quanto aos saneados, a blogosfera é ampla: abram para aí uma outra janela, s.f.f.

  4. Ganha juízo. Não faças isso. Anda lá, contínua a escrever. Nós merecemos que contínues, tu mereces continuar, e a discussão, e a escrita é necessária. E quanto a eles, se eles mijarem fora do penico é malhar neles. Assim não.
    Não fico nada satisfeito com a tua saída, e em dois dias, já são 3 camaradas que deixam de postar, dois aqui e um no aventar, não há direito.

  5. m. diz:

    Muito obrigada por todos os seus posts. Gostei e aprendi muito também.

    Muito obrigada.

  6. PCG diz:

    há um Renato em todas as esquinas da vida, não adianta fugir. ou, “malandro que é malandro, não estrabucha, muda de esquina”. ou, tu não és um malandro, Bruno.

  7. Guilherme diz:

    O seu abandono será a morte intelectual deste blog! Por favor não se vá embora.

Os comentários estão fechados.