Largas lutas têm cem anos

Anúncios

Sobre Ivo Rafael Silva

Mestre em Tradução e Interpretação Especializadas; Licenciado em Assessoria e Tradução; Investigador de História e Etnografia; Investigador do Centro de Estudos Interculturais (CEI) do ISCAP; Tradutor freelance; Secretário administrativo; Militante do PCP desde os 18; Membro da JCP desde os 16.
Esta entrada foi publicada em 5dias. ligação permanente.

4 respostas a Largas lutas têm cem anos

  1. Argala diz:

    Mais uma operação de charme, carregadíssima de emoção hagiográfica.
    Cortina de fumo que visa reabilitar o reformismo perante a sua falência. Quarto de hora da minha vida a ouvir uma voz a ruminar encómios, a bajular o senhor, a vaca na Índia, e não se discute quase nada (um pouco de reforma agrária talvez) sobre pensamento e obra de um homem que esteve mais de 30 anos à frente do PCP e até tem contribuições/inovações teóricas.

    O homem que montou as traves-mestras, que fez a escola do partido. Cunhal é o pai de uma estratégia que amarrou a classe operária à democracia burguesa, concebeu a aliança com a burguesia liberal por trás dessa expressão aclassista das “liberdades democráticas”, o terreno que ia dar a vitória aos trabalhadores. Ninguém quer fazer uma apreciação mais substantiva das opções estratégicas?

    Cunhal retirou os instrumentos teóricos para a sublevação em situações de barbárie como a que vivemos hoje. Hoje respeitamos a barbárie em silêncio, por respeitinho à legalidade; o programa dos trabalhadores é a CRP, tamos um partido que diz que a liberdade política já está conquistada e falta a liberdade económica (sic). E esse é um legado de Cunhal.

    Cumprimentos

    • De diz:

      Mais uma operação de charme?
      Um minuto da minha vida vida a ler um ruminar de um sujeito,desaparecido em combate (falo de argala) e que, qual vero revolucionário, vem tentar ensinar o b-á-bá do revolução aos seus confrades perdidos no rumo à vitória de Álvaro Cunhal.
      Não se percebe onde vai buscar a vaca de que fala,se à India ou à Espanha, donde cronicamente remete os seus escritos..

      Não gosta argala do trajecto seguido pelo PC e por Álvaro Cunhal.Magnânimo concede-lhe até inovações teóricas.O pior é que não correspondem aos anseios deste argala que tenta duma forma bastante pueril repetir os feitos daquele Argala que tentou mudar algo na ETA,com os resultados à vista.

      Artgala não gosta do que viu e repete o mesmo discurso cansativo de sempre.Já o disse e repito.As discussões teóricas com coisas como Argala e o seu apelo quase que patético a coisas substantivas esvai-se na recusa de conceder a esta figurinha mais tempo do que o necessário para lhe devolver o seu ruminar.

      E o motivo para proceder com argala da forma como o faço é que não são toleráveis disparates e baboseiras deste calibre .Já nem falo da “estratégia que amarrou a classe operária” (pobre classe operária que não ouviu os conselhos do fiel representante da classe operária em não se deixar amarrar).
      Falo sim nessa pequena ignomínia, própria de um barroso (agora sim,está feita a associação) quando diz que “Cunhal retirou os instrumentos teóricos para a sublevação em situações de barbárie”
      Arglala é tonto, faz-se ou é apenas um provocador? Instrumentos teóricos retirados? Mas porque diabo o são? Mas desde quando instrumentos “teóricos” são retirados por um homem ou por um partido?Mas desde quando a teoria é vertida como impeditiva,quando a mesma teoria pode ser convertida sempre noutros processos teóricos desde que tenha genica para tal?
      Ou o que se esconde atrás deste paleio é a impotência de alguém que despojado de armas, que despido de munições, vem choramingar e acusar outros pelas suas fraquezas e incapacidades?
      A teoria forja-se até pela pena de um Homem só.Basta deste rastejar auto-justificativo com que argala tenta ir à pesca

      “Tamos” a ver,não tamos?

      Prescinde-se do “cumprimentos” final.Os tiques dos tratamentos burgueses nunca foram do meu agrado

  2. De diz:

    Este comentário é um comentário à parte. Deixo ao critério do Ivo a sua publicação ou não.
    Isto porque não diz respeito ao seu post.Diz respeito a uma outra questão.
    Raquel varela escreve um post que considero vergonhoso sobre os fura-greves, associando-os até ao PC.Num texto em que não esconde o rancor por Álvaro Cunhal, manipula e demonstra falta de seriedade.
    Escrevi um comentário sobre o tema. Fui buscar até o próprio documento de autoria de Álvaro Cunhal, para o contrapor ao que é dito por Varela.
    Esta simplesmente “censurou” o meu comentário.Entretanto a fina flor do entulho lá está, com os seus comentários adequados e parece que ao jeito de Varela.Incluindo como é evidente o “espanholito ” argala mais o seu desejo de identificar o PCP como PCE e os seus bem explícitos desejos.

  3. Ivan Panfilov diz:

    Os teus revolucionários têm feito mais pelos trabalhadores e excluidos do sistema burguês?

    Onde e quando?

Os comentários estão fechados.