A Insurreição Armada de Outubro

Red_Guard_Vulkan_factory

Foi a 7 de Novembro de 1917 (25 de Outubro no calendário Juliano), há 96 anos que teve lugar a Revolução de Outubro. Uma insurreição armada organizada pelo Soviet de Petrogrado, que entregou o poder ao Congresso de Soviets de toda a Rússia e dissolveu o governo provisório. Foi um momento decisivo na Revolução Russa (que não se resume a este episódio) e por isso mesmo é a data marcada para celebrar/evocar (aquiaqui ou aqui) a Revolução que constituiu um dos eventos mais importante do século XX, se não o mais importante.

Há uns anos, num destes aniversários, escrevi um texto sobre o seu significado e a razão pela qual deve ser evocada esta data sem mas nem meio mas. VIVA A REVOLUÇÃO!

Agitação, Provocação, Desobediência, Violência, União… Não foi só com isso que se fez a Revolução, mas sem isso nunca teria acontecido.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em 5dias com as etiquetas , , , . ligação permanente.

6 respostas a A Insurreição Armada de Outubro

  1. Argala diz:

    Aventureirismo pequeno-burguês!! Temos que esperar pelas “massas” e pela carne, Kamarada!!!

  2. m. diz:

    Ainda hoje estive a falar com comerciantes da zona onde vivo, nunca falámos tanto como nesta altura porque todos nos sentimos agredidos, estamos muitíssimo mais unidos e falamos como nunca falámos entre nós e mesmo com pessoas de fora e que entrem na conversa.

    Estava um grupo de pessoas que se conhece há muito tempo e chegou uma altura da conversa que eles, embora já com 60 anos, mas bem vividos, alguns com experiência na guerra das colónias, disseram: se fôr preciso, não tenho medo em pegar na minha arma e defender a minha família. Parece-me óbvio, mas foi preciso bastante tempo de conversa para que isto viesse ao de cima.

    Isto para dizer que, no fundo, as massas, o povo português, a população portuguesa que se sente ameaçada está consciente, mas à espera do momento para entrar e dar a «cartada». Não têm paciência é para desperdiçar «munições», mas estão muito mais atentos do que parece. Dão sempre o ar de não ser nada com eles. Mas, olha lá! Do que eu vi e ouvi hoje, fiquei espantada!

  3. proletkult diz:

    As coisas são como são, e a verdade é que foi a partir de uma palavra de ordem “radical” (“todo o poder aos sovietes”) lançada 2 meses antes e numa situação de clara minoria dos Bolcheviques no Soviete, que o partido de Lenine começou a sua caminhada implacável até ao golpe final. Em 2 meses deixa de ser um partido anacrónico para se tornar na vangarda revolucionária dos trabalhadores e soldados Russos. Acima de tudo, realce-se a clarividência política e estratégica de Lenine e dos Bolcheviques, que mandaram às malvas os compromissos que poderiam fazer (os SR’s e demais reformistas propunham, durante o golpe de Kornilov, um governo de coligação onde os Bolcheviques poderiam ter lugar), mandaram às malvas a “representatividade popular”, não quiseram saber de “aventureirismos”, “provocações” e outros considerandos do género para conduzir os trabalhadores ao poder. Em 2 meses mudaram a “correlação de forças” através da intensificação da luta de classes e da prática revolucionária. Elementar.

  4. Gambino diz:

    O verdadeiro herói da estratégia revolucionária foi Trotsky.
    À boa maneira Blanquista, mas armado com uma ideologia sólida, conseguiu derrubar o regime pequeno burguês saído da Revolução de Fevereiro com um número extremamente reduzido de operacionais. É uma lição para todos aqueles que esperam um orgasmo das massas!

  5. anonimo diz:

    1917? Passados quase 100 anos vive-se bem hoje na Rússia. Melhor até que em Portugal.

  6. Como é que vossa excelência que quer falar bem da Vitória de Outubro se permite a partilhar uma ligação em que está escrito este enorme disparate: “Desfigurada pelo terrorismo burocrático-estalinista”

    Assim não vamos lá não.

Os comentários estão fechados.