Estaremos em Alcântara, mas estaremos contra o pacto social e para derrubar o governo

Este Orçamento de Estado é uma declaração de guerra social a todos os que em Portugal vivem do trabalho, a todos os que estão no inferno do desemprego. Merecia, da parte da CGTP, uma atitude corajosa, de enfrentar de cabeça erguida um Governo insustentável, ilegal, inaceitável, que não tem qualquer legitimidade para proibir a travessia da ponte a pé, que seria uma imensa manifestação de força social. Quem devia dar o exemplo de força – a direcção da CGTP – mostra-se submisso perante o Estado e o Governo.

Estaremos em Alcântara este Sábado, mas estaremos contra o pacto social, porque acreditamos que há força social em Portugal em muitos sindicatos e, sobretudo, em muitos dos trabalhadores sindicalizados, precários, desempregados. Estaremos em Alcântara apesar da nossa discordância com a direcção da CGTP. Estaremos pela suspensão da dívida pública, pela defesa do Estado social, pela defesa do pleno emprego e pelo direito a que todos tenham trabalho digno, com menos horas por trabalhador e com salários que permitam uma vida que valha a pena viver. Rejeitamos as côdeas que atiram para a mesa da concertação e juntamos a nossa voz a todos os que estão na rua a lutar contra o governo e a troika.

Juntamos também a nossa voz à dos estivadores que se vão reunir em plenário na Gare Marítima de Alcântara, também no próximo Sábado, no final da manif da CGTP, e às decisões que ai forem tomadas para fazer avançar a luta. Não é tempo para contemporizar nem para ceder. É tempo para ir até onde for preciso ir, atravessar as pontes que forem necessárias, até que os únicos a ceder sejam aqueles que nos governam.

Colectivo Rubra, 17 de Outubro de 2013

Anúncios
Esta entrada foi publicada em 5dias. ligação permanente.

3 respostas a Estaremos em Alcântara, mas estaremos contra o pacto social e para derrubar o governo

  1. M.Almeida diz:

    Perdão senhora dôtora????? Governo ilegal? Isso deve ser lá para a Coreia do Norte, aliás regime que o seu companheiro de partido dBernardino Soares diz não ser uma ditadura(rir é o melhor remédio!) onde não se realizam eleições ou lá para a Venezuela onde na capa de democracia os ditadores impõem-se ao povo mesmo que ele não queira. Agora aqui, que eu saiba foram milhares de votantes, cerca de 3 milhões que deram uma maioria ABOSLUTA ao centro direita, portanto não percebo onde está a ilegalidade. Ilegal minha senhora é a actividade da oposição que não aceita a democracia e não sabe usar o local próprio para fazer oposiçao que se chama “casa da democracia”. Senhora dótôra deveria ter um bocadinho mais de senso, já que aspira a qualquer coisa um dia neste País. E já agora como comenta ter recebido um prémio de um perigoso capitalista da área da banca, que explora os trabalhores diariamente? Côdeas??? deve ser com as côdeas que recebe que a senhora dòtôra compra os lindos colares de pérolas e as ropitas que enverga ao estilo burguesóide. Devem ser côdeas muito boas!

  2. Herberto diz:

    Quanto mais conheço e leio a Raquel Varela neste blog, mais gosto da Angela Davis. Essa, sim, é uma grande mulher. Não posso comparar com as contradições e fraquezas da Raquel Varela. Pelo caminho que percorre, ou acaba como dirigente política do PS ou do PSD. Boa sorte!

  3. albano diz:

    Por Abril e por Portugal. Já agora vão em carro próprio porque assim são mais veiculo a passar e sempre é mais dinheiro a entrar nos cobres do estado. E com mais dinheiro reduzimos a divida e quem sabe um dia é possível deixar de aumentar impostos e diminuir salários. Por mim uma manif todos os dias, de preferência à noite que aquilo tá vazio e assim aumentava a circulação e a receita. PS (se preferirem PC vá) Façam a manif na vasco da gama que é mais cara e assim dá mais receita ao estado.

Os comentários estão fechados.