Afinal em que é que ficamos? Quanto mais fala mais patina na maionese…

“Devia saber que esclareci, em devido tempo, que nunca tive qualquer relação com o BPN ou com as suas empresas, a não ser a de depositante para aplicação de poupanças, quando era professor universitário. Esqueceu mesmo o esclarecimento que, pessoalmente, lhe foi prestado” (17.10.2013)

A passagem de Cavaco Silva pela Sociedade Lusa de Negócios (SLN), como accionista, foi lucrativa. O Presidente da República (PR) vendeu em Novembro de 2003 as 105.378 acções que tinha da SLN – empresa que até Novembro controlou o Banco Português de Negócios (BPN) -, por €2,4 cada. Tendo em conta que as tinha comprado em 2001 por €1, Cavaco obteve, com este negócio, ganhos de €147,5 mil.
Também a sua filha Patrícia era uma pequena accionista da SLN e vendeu 149.640 acções na mesma altura que o pai, pelos mesmos €2,4. Resultado: mais-valias de €209,4 mil.
Documentos a que o Expresso teve acesso mostram que, a 17 de Novembro de 2003, Cavaco Silva e a filha deram ordem de venda das suas acções, em cartas separadas endereçadas ao então presidente da administração da SLN, José Oliveira Costa. Este determinou que as 255.018 acções detidas por ambos fossem vendidas à SLN Valor, a maior accionista da SLN, na qual participam os maiores accionistas individuais desta empresa, entre os quais o próprio Oliveira Costa.” (03.06.2009)

Anúncios
Esta entrada foi publicada em 5dias. ligação permanente.

9 respostas a Afinal em que é que ficamos? Quanto mais fala mais patina na maionese…

  1. Grevista diz:

    Pois, Tiago. O cavalheiro faz a distinção entre BPN e SLN.

  2. JgMenos diz:

    Não sejas nabo!
    É evidente que os gestores-vigários da SLN/BPN andaram a manipular acções oferecendo ganhos a quem lhes convinha que atestassem a ‘vitalidade’ da companhia.
    Aplicações em aclções é algo que qualquer gerente bancário pode sugerir a clientes sem que este se tornem accionistas no sentido de interventores no negócio.

    Mas dá perfeitamente para a má-língua é que aqui o sentido e objectivo dominante!

    PS: O princípio constitucional aplicável é o mesmo das pensões: quem saco, sacou; quem vier atrás que feche a porta.

    • Tiago Mota Saraiva diz:

      Nabito, o teu cavaquinho baralha-te. Repara que ele só fala no BPN… Não confunde com a SLN.

    • De diz:

      A forma como Menos pontifica no palavreado define-o como um livro aberto.
      Nem sequer vou comentar o desesperado ofício de defesa dos personagens em causa, a saber, cavaco e as mui dignas instituições BPN / SLN . Nem a sua muito oportuna ” é só má-língua” ( a dignidade tem destas coisas e Menos frequentemente resvala para a “pieguice” quando estão em causa passarões deste calibre. Só verbera a dita pieguice quando se trata das vítimas destes mesmos passarões).

      Mas o chamar ao debate e da forma como o faz a Cosntituiçao da Republica portuguesa…é forte.
      É de gajo ressabiado e que sabe a cartilha aconselhada pela troika e pelos seus defensores ultramontanos

  3. francis diz:

    isso hoje é chover posts para esquecer a ida à ponte “sobre rodas”. 1300 euros em portagens para a lusoponte. bom negócio.

  4. Dezperado diz:

    No proprio dia, num post fala mal do expresso…..passado duas horas, o expresso ja é um jornal de referencia….

    Em relação ao Cavaco….nada que não tivessemos conhecimento…..mas fez bem…..para desanuviarmos um pouco sobre a manif.

    • Tiago Mota Saraiva diz:

      É curtinho de testa confundir as capas dos jornais com jornalismo de investigação.

    • A.Silva diz:

      Preferes temas que criem divisão entre quem se opôe aos ladrões que nos desgovernam, não dezperado? Assim ficam os filhos da puta que defendes mais sossegados.

      É ilucitadivo ver em que tabuleiro os reaccionários querem jogar.

Os comentários estão fechados.