Estarão nas sete quintas…

…os que nunca ouvi falar da manifestação convocada pela CGTP nem da de 26 de Outubro – Que se Lixe a Troika, não há becos sem saída, mas que se espraiam em piadolas sobre a decisão de ir sobre rodas, aproveitando para fazer o que mais gostam: esbardalhar a CGTP.

Honra seja feita ao Renato, que mobilizou e agora surripia citações para manifestar a inconformidade com a decisão.

Ainda assim, suponho que nos encontraremos todos na ponte, a pé ou sobre rodas. Ainda assim suponho que a luta que nos motiva ainda é o derrube do governo. Ainda assim suponho que os apelos se multipliquem sejam eles às várias manifestações ou até à desobediência civil. Ainda assim continuamos a ser livres para nos manifestarmos.

Ou se calhar este é ainda um favor maior. Desmobilizar. E escrever nos blogues que não se vai a manifestação nenhuma. Isso sim, serve a quem serve. Em prato bem servido. Esperemos é que não tenham que o engolir sozinhos depois.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em 5dias. ligação permanente.

109 respostas a Estarão nas sete quintas…

  1. Francisco diz:

    A pior consequência da Capitulação da CGTP foi mesmo a onda desmoralizadora que provocou, estavam à espera de quê? A Direcção da CGTP com esta rendição não apenas dá um enorme tiro no seu pé, como fragiliza todo o movimento de contestação. Felizmente há quem não capitule, dia 26 de Outubro estaremos na luta.

    Achas que esta decisão de obedecer ao Macedo foi correcta? Que efeito é que achas que esta capitulação vai ter na luta social?

    Era tão óbvio que o movimento só tinha a ganhar com a manif na ponte, https://5dias.wordpress.com/2013/10/16/dar-com-os-pes-na-ponte-ou-la-como-e-agora-o-mui-motivante-slogan-da-cgtp/, mas a CGTP preferiu a capitulação… Quando a CGTP tem mais medo do conflito social do que o governo como pode estar à espera de mobilizar alguém para lá dos seus fiéis, cujo número se irá continuar a reduzir com atitudes como esta???

    • Lúcia Gomes diz:

      Independentemente da minha concordância ou discordância o que está em causa não deixa de ser a luta contra o governo.

      • tamosf#comoOE diz:

        como é que se luta contra o governo se se acata com as regras do governo? o governo proibiu, a CGTP mudou os moldes. Cedeu, recuou, alterou o que andou dias a fazer braço-de-ferro. ”Não há problema quando é uma maratona, mas por ser uma manifestação já há”: esta é a triste realidade e não há floreados que dissimulem isto.

      • Mas tu e quem vai não vai lutar nada dentro de um autocarro ainda por cima a pagar portagens,

    • A.Silva diz:

      Só capitula quem desiste e desmobiliza, A CGTP alterou a forma, não o conteúdo da manifestação.

      Quem faz o jogo do Macedo é quem obta por atacar a CGTP em vez de continuar a mobilizar para a manifestação que se vai realizar!

      • Lurdes diz:

        falso. alterou por ter medo dos lacaios do macedo e do capital, vão todos de rodinhas (e qualquer dia nem saimos de casa, pomos lenços a janela em protesto e não fazemos nada) quem for por conta propria e, pobres daqueles que não têm viatura, sujeita-se a ser carne picada. é tudo muito bonito mas não se pode estar com deus e com o diabo ao mesmo tempo como se costuma dizer. tudo aquilo que a CGTP andou a dizer até ontem deixou de ser válido a partir do momento em que teme a repressão do estado?

        o jogo do macedo fez a cgtp, e com muita pena digo.

        • A.Silva diz:

          Lurdes as suas afirmações é que são um chorrilho de disparates. Quem faz o jogo do macedo é quem em vez de se solidariarizar com a manif dos sindicatos prefere ataca-los, colocando-se objectivamente do lado do capital.

          • Oh Silva não sejas tonto, desce lá à terra e pára de defender a CGTP.

          • E outra coisa Manif?????????????????????????????? Não é manif é passeio. É uma passeata rídicula dentro de um autocarro.

          • Lurdes diz:

            quem conta acrescenta sempre um ponto. não estou contra a cgtp, e lamento que pense dessa forma porque dá a entender que são seres sagrados que não erram como os comuns homens e mulheres. encaro com muita desilusão este afrouxamento, merece critica. aprende-se com os erros? aprende-se! não é esta a altura para recuos com o OE à porta. A decisão de marchar pela ponte partiu da cgtp, chamar agora aos outros de aventureiros, apelidar a acção de ”aventureirismo” que defenderam A PRÓPRIA ACÇÃO MARCADA E REIVINDICADA PELA CGTP é de uma hipócrisia preocupante.

            Lá estarei, em pé, que em meu nome nem um euro a mais para as ppp’s nem um estrago, por menor que seja, à terra mãe que não tem culpa da toleria dos homens.

          • Lúcia Gomes diz:

            Não apelidei ninguém de aventureiro.
            Acho é interessante que aqueles que não mexeram uma palha para mobilizar para a manifestação se sintam agora tão “indignados”. Só isso. Sobre o Orçamento não falaram, pois não?

          • Lurdes diz:

            e já agora, quem se coloca objectivamente do lado do capital é quem diz amén ao que os seus representantes ordenam.

          • Ou seja, quem não fala em coro connosco, é esbirro do capital.

          • Lúcia Gomes diz:

            leu isso onde?

        • Camarada isso que o Miguel diz é verdade, estão fartos de nos acusar de sermos esbirros do capital. Tem sido um ataque feroz a quem não quer pactuar com este disparate deste recuo. Mais um bocadinho e chamam-nos fascistas, já dizem que somos traidores. Portanto está perto.

      • Lá vem o discurso da treta que a culpa é de quem não quer pactuar com o medo e o erro enormíssimo da CGTP. Já mete nojo.

  2. um anarco-ciclista diz:

    Ganhem mas é vergonha!!!

    Isto é uma palhaçada, mas é!!! Agora telefonam aos sindicalizados a perguntar se querem manifestar-se dentro duma camioneta?!? E porque não dentro duma cabine telefónica?!?

    Se era pra cederem desta maneira no braço-de-ferro com o governo mais valia não andarem a falar desta estória da ponte há não sei quantas semanas!!! SÓ DESCREDIBILIZAM o movimento sindical!!! SÓ DRECREDIBILIZAM A LUTA! SÓ SE PÕEM DE CÓCORAS DIANTE DO GOVERNO!!!

    PODES CRER QUE EU NÃO A MANIF RIDÍCULA NENHUMA EM ALCÂNTARA!!!

    • Lúcia Gomes diz:

      Só descredibiliza a luta quem a não faz.

      • Argala diz:

        Mas ó Lúcia,

        Isto é alguma “luta”? Vá ao dicionário. Chega deste espetáculo de metáforas. Uma manifestação não é uma forma de luta.
        Uma forma de luta é, por exemplo, o que se vai fazer a seguir no porto. Uma greve é uma forma de luta. Ocupação de empresas, espaços devolutos, são formas de luta. Sabotagem é uma forma de luta. Acções armadas são formas de luta.

        Uma manifestação ou uma concentração não são formas de luta, embora possam servir para as preparar – ou não, se depois da quinquagésima manifestação, tudo ficar na mesma e formos todos para casa com a sensação de dever cumprido.

        E agora, finalmente, quando uma manifestação (excepção que confirma a regra) consegue significar um pouco mais do que uma simples passeata de fim de semana, porque há uma contenda com quem a quer proibir, e ainda por cima ilegalmente, os ratinhos fogem.

        Estes ratinhos têm horror ao confronto, isto é, à luta não metafórica. Têm horror. E estão a fatigar e a entorpecer toda a militância honesta e empenhada, de milhares e milhares de trabalhadores. Esta gente mete nojo e tem que ser varrida.

        Cumprimentos

      • Joaquim Agostinho diz:

        Só descredibiliza a luta quem não é coerente!
        Só descredibiliza a luta quem ameaça mas não cumpre!
        Só descredibiliza a luta quem cede vergonhosamente… sem luta nenhuma!!!

      • lince diz:

        agora fazemo-la fechados, dentro dos carros, com buzinas. e vuvuzelas, tachos, música alta e arremesso de catotas? e quem está do outro lado da ponte, vai atravessar, queimar gasoleo, em protesto?

        ainda bem que ainda há quem tenha dinheiro de sobra para queimar em combustivel. pensei que os que se manifestam é porque sentem na pele a austeridade.

        tretas burguesas.

      • Rafael diz:

        Precisamente.Vocês não lutaram para que a manif fosse na ponte.Recuaram.Desertaram.Desistiram.Tudo menos lutar.

    • Victor Nogueira diz:

      antes havia quem não fosse ou desmobilizasse a alinhasse com a propaganda terrorista, intimidatória ou ameaçadora do Governo e da generalidade dos órgãos de comunicação pk poderia haver suícidas, encurralamentos, manifestantes em pânico a atirarem-se da ponte abaixo, provocações de infiltrados, etc, etc,que a cgtp era irresponsável, e depois como passam as ambulâncias ou como vou trabalhar ou como vou à entrevista para arranjar emprego e que a cgtp queria era show-off para as tv’s (qd estas em ocasiões anteriores dão é largo espaço ás “manifestações” e violências fora da segurança da CGTP e silenciem a enorme adesão a estas).

      Agora, há quem não vá ou desmobilize pk a cgtp faz o frete ao governo, que é cobarde, que não vai à luta e enfrentar a polícia de choque e já não se fala nos suicidas, nas âmbulâncias, nos entraves a quem quiser ir trabalhar, todos lembrando os tempos da “revolução a todo o vapor”.

      A resposta será dada na rua e no Porto e em Lisboa . Que 19 de Outubro seja mais um passo para o derrube do governo e do capitalismo, em portugal e no resto do mundo. Até que as mudanças quantitativas deêm vez à necessária mudança qualitativa

      • Frank Teixeira diz:

        Concordo e gosto! A luta continua, nas ruas do Porto e Lisboa. Vamos à manif de 19 de Outubro. É urgente acabar com este bando que (des)governa Portugal

      • Francisco diz:

        Estás a insinuar que quem agora acusa, justamente, a CGTP de capitulacionista são os mesmos que a criticavam por fazer a manif da ponte???? A CGTP cede à reacção e ao medo, reduz-se ao protesto simbólico e inconsequente e depois ainda ficam chateados por haver quem os acuse de ter capitulado.

        Esta rendição perante o governo e a reacção vai marcar a CGTP por muitos e longos anos. Por vezes é preciso ir para o confronto, como e bem a CGTP fez no 1º de Maio de 1982 no Porto. http://chuviscos.blogspot.pt/2010/04/o-1-de-maio-de-1982.html

        Agora a atitude foi outra, foi a de rendição. A CGTP dá o sinal que não tem vontade de realizar protestos que possam minimamente confrontar este governo. Com isso desmoraliza muitos dos que nela haviam confiado e desmoraliza todo o movimento. Se não quisessem desmoralizar a malta não tivessem capitulado.

        AUTO-CRÍTICA PRECISA-SE

        • Lúcia Gomes diz:

          Não manifestei a minha opinião sobre a decisão nem digo que esta decisão não desmoralize. Bem o sei.
          Mas também acho que o caminho não deve ser virar a cara à luta (e as manifestações e aliás, o confronto de classe no dia a dia no meu dicionário são luta) e atacar os sindicatos e os trabalhadores (sim, os dirigentes sindicais são trabalhadores).

          Esta conversa que tomou de assalto o 5 Dias só faz bem a um lado, e não é o lado de quem luta.

          Acho muito bem que a malta diga o que acha da decisão da CGTP, acho hipócrita e rasteiro que quem o faça só o faça nesse sentido, sem antes nunca sequer ter apelado à participação ou ter construído qualquer coisa.

          No meu sofá também me sabe bem falar da luta.

          • kk diz:

            mas acredita que quem critica neste momento a cgtp não vai para a ponte sábado? claro que vão, e ainda vão mais porque ninguém quer ver uma data de gente inocente a ser bastonada pelos cães do governo enquanto que os camaradas da inter assitem no camarote do autocarro ou do popozinho. essa é que é essa. há muita gente que não se dá ao luxo de desperdiçar dinheiro em combustivel para se manifestar pelos cortes e pelos roubos de que temos sido vitimas.

          • Mas ninguém vai virar a cara à luta dos camaradas, e simpatizantes, só não vamos pactuar com esta passeata. Se perguntares a todos os que criticam e são de esquerda dia 26 estão lá batidos. Mas esses também já estão a fazer asneira, também estão a pedir autorização para lutar. Ora por favor, estamos a querer derrubar nazifascistas. Se com as outras manifestações não se conseguiu nada, havia de ser agora dentro de autocarros. Não brinquem comigo.

          • Rafael diz:

            Ninguem está a atacar os sindicatos e os trabalhadores.Não seja assim, faceciosa.Quem está na mira da nossa fúria sao direcções sindicais cobardes para dizer o menos.Seja o Nogueira a trair a classe dos professores há uns meses atrás, seja o Arménio Carlos a cantar de galo para depois piar baixinho para o governo.

          • Lúcia Gomes diz:

            A direcção da CGTP é colectiva. A decisão é dos sindicatos não dos seus coordenadores.

    • Diogo diz:

      Luta, luta, é porrada com a policia, isso é que é luta! Vejam só os avanços que as pedradas no parlamento deram ao… bloco? E as lutas no Brasil que quase estão a transformar aquele país num colosso de justiça social. Isso é que é inteligência a lutar. Agora manifestações da CGTP… arre!

      • Paco diz:

        Intelectual analfabeto. Testa de ferro da direita disfarçado…é o q tu és.
        Mas já há muito que estou vacinado contra esse tipo de lepra. E tenho os olhos bem abertos.

    • A.Silva diz:

      Anarco-ciclista mas tu porventura saberás o que é o movimento sindical??

      Estes idiotas armados em esquerdistóides fazem o que têm mais jeito para fazer, atacar o sindicalismo de classe como testas de ferro dos macedos e coelhos!

      • um anarco-ciclista diz:

        Eu sou sindicalizado e com as quotas em dia, pá! Tu se calhar és um boy qualquer da esquerda patriótica e mais não sei o quê! Não sei, mas “esquerditoide” deve ser a tua tia!

        E acho escandaloso o meu sindicato ter-me telefonado (como o fez a quem já se tinha inscrito pra esta ação) a perguntar se eu ainda queria ir de Autocarrro do Marquês até Alcântara!!!! DO MARQUÊS PARA ALCÂNTARA!!! vÃO MAS É GOZAR COM O CAMÕES!!!

        uMA vergonha, ter uma funcionária sindical qualquer a dizer-me “eu não vou discutir isto com o senhor [o “senhor”, vejam bem!!! nem sequer é “camarada”, que ainda lhe disse que “senhores são os patrões que queremos derrubar!] MAS ISTO pra ela devia ser também “esquerditoide”…

        Ai não discute comigo? Que estou sindicalizado? que pago as quotas com lhe alimento o salário?!? Então discute com quem?!?

        “esquerdistóide” deve mas é ser a tua tia!

        • A.Silva diz:

          “eu não vou discutir isto com o senhor [o “senhor”, vejam bem!!! nem sequer é “camarada”, … você é é ridiculo

        • Victor Nogueira diz:

          A trabalhadora do sindicato não tem que tratar os sócios por camarada. Pk independentemente do partido dela, muitos dos sócios até poderão ficar ofendidos se fossem tratados por … camarada. Esse é um tratamento entre os sindicalistas, entre os militantes do pcp, ainda dentro do PS e nalgumas organizações polítiticas de esquerda.

          Nos plenários em que tenho participado, alguns tratam os activistas sindicais por camarada mas a maioria interpela-los pelo nome e alguns, poucos, até os tratam por senhor

          Na luta de morte em todo o mundo contra o capitalismo, há questões de lana caprina, como essa de ficar ofendido pk a trabalhadora do sindicato usou urbanamente o termo “senhor” e não o de “camarada”

    • samuelquedas diz:

      Estes filhos de uma puta, quando dizem que a manifestação passou a ser dentro das camionetas… acreditarão mesmo no que estão a dizer, ou são apenas maus provocadores? Desde quando é que a manifestação está convocada para dentro das camionetas?
      Não gostar da decisão é uma coisa; isto, É PORCO!

      Compreendo a desilusão por não poderem assistir, NO SOFÁ E PELA TELEVISÃO, a uma carga policial sobre os manifestantes… mas tenham lá paciência! Vejam as claques da bola!

      Ah… e não vale a pena irem buscar as “etiquetas” para me colar. Não gostei da decisão do acatamento da proibição!

  3. vasco diz:

    Os bios e os granjos só agora falaram. Do lado errado, como sempre. Vendidos, é o que são. Vamos fazer no sábado uma grande acção de massas: contra a troika, o governo, contra o orçamento e contra os que nos querem fazer recuar a 24 de Abril. Com a ajuda de bios e granjos…

    • jose diz:

      Essa do “inimigo comum” e da “frente unitária” há muito que não convence. As nossas diferenças são maiores do que as semelhanças, e mesmo o capitalismo para mim é diferente do que é para a Lúcia; quanto mais a autoridade ou o poder. A luta que me motiva é certamente muito mais interessante do que o derrube do governo de direita e a sua subtituição por um patriótico e de esquerda (i.e., nacional-socialista).
      Ou seja, por muita birra que façam, a CGTP é o que é e não desilude – depois de condenar cada momento que lhe fugiu ao controlo, resolveu apropriar-se e institucionalizar o momento espontâneo de ocupação da ponte Salazar. E, de seguida, quase enganava com tanto finca-pé – seria este um exemplo histórico de desobediência da Central? -, mas no final volta a não desiludir e troca um momento simbólico que podia não o ser apenas por mais um momento piegas. Que terá, certamente, as suas grandiosas declarações de luta e as senhoras das vozes irritantes aos megafones a iniciar os gritos de ordem.
      Sim, presa por ter cão e presa por não ter – a CGTP há muito que é o seu próprio tiro no pé.
      ps: por favor, não respondam com essa do “quem não luta” e afins porque isso de associar a(s) luta(s) com a CGTP também já deu o que tinha a dar.

    • Francisco diz:

      Vendida é a CGTP que traiu as expectativas que ela própria gerou nas massas. O pior cego é aquele que não quer ver.

      • Paco diz:

        Pois…Então ABRE OS OLHOS

        • E você abra o olho e pague portagem, e encha o peito com os elogios que a burguesia faz à postura ordeira da CGTP. Já agora, se quem pensa de maneira diferente “tá no sofá” ou é “esquerdista” que “não mobiliza ninguém” então porquê a raiva por supostamente estarem a “desmobilizar”?

          • Lúcia Gomes diz:

            Nem fiz elogios a posturas ordeiras nem disse que quem pensa de maneira diferente está no sofá.
            Pergunto, se a vontade de desobedecer é tão grande, onde estão então os desobedientes? Na rua não estão.
            E quando desobedeceram, viu-se a quem recorreram e viu-se que afinal o medo de um processo em tribunal calha a todos.

          • Pois, com todo o devido respeito, o que me parece é que discorda da decisão da CGTP, mas infelizmente prefere atacar publicamente quem consigo concorda, do que os autores da decisão da qual parece discordar.
            Ou não têm opinião? Qual é a sua opinião??????????

  4. um anarco-ciclista diz:

    é isso, é! Os outros é que são vendidos e mais não sei o quê!!!

    NÃO DIZIA O ARMÉNIO que isto era pra levar até às últimas consequências? que dava o peito às balas?!? é mais uma grande acção de massas pra preencher calendário e´o que é!

    E entretanto passeia a troika, passam os orçamentos, aguenta-se o governo e a malta a penar enquanto enchemos todos a barriga com grandes “ações de massas” – deve ser uma variante da carbonara essa tua receita das massas

  5. Khe Sanh diz:

    Fazer uma cedência (frete) ao governo era a CGTP enveredar pela via do confronto.

    Felizmente que temos dirigentes sindicais com grande experiencia e sentido de responsabilidade, sabem que brincar com o fogo neste momento e nas atuais condições era imolarem-se ingloriamente.

    Seria cometer um erro de consequências imprevisíveis a CGTP responder às provocações do governo. Se tal acontecesse os órgão de informação tinham “assunto” para muito tempo, e tudo o resto era esquecido. Não havia mais OE, não se falava mais nos cortes das pensões, etc, etc.

    Lanço um desafio aos “corajosos” que estão contra a decisão da CGTP.
    Bloqueiam a coluna de autocarros na ponte, e o pessoal já faz o percurso a pé.

    • kk diz:

      mas não devia ser esse o papel da cgtp: bloquear a ponte? que consequência traz uma data de gente para trás e para a frente dentro de um autocarro? se recuou por o governo decretar ilegal esta manife, está a espera que a cgtp bloqueie o que quer que seja? já não é ilegal?

      ilegal deveria ser esta merda, estão a atirar pessoas como isco para os lacaios de farda que estão inflitrados em todas as manifestações. adiferença agora é que há a elite que protesta sentada e o povo que vai sozinho a pé!

      • Lúcia Gomes diz:

        foi também para evitar a carga policial lida nas entrelinhas do despacho do Macedo que a decisão da CGTP foi a que foi.

        • iceland diz:

          ahhhhhhhhhhh! e os que vão a pé, Lúcia?

        • imolar o arménio ou imolar o passos????????????????

        • C Vidal diz:

          Mas qual carga policial, porra? Lúcia Gomes e Arménio, se a manif mobilizasse entre 80000 ou menos, 50000, ou 100000 (não são números impossíveis para a CGTP), que carga policial adviria daí? Como? Quantos bófias seriam necessários? A PSP do país inteiro? Assim, ficam eles sentados a rirem-se de nós, como hoje andava a besta Coelho não sei onde! É melhor calar a boca e ver o que isto vai dar… pode ser que o Arménio se safe. Não creio, mas pode ser.

          • Lúcia Gomes diz:

            Carlos Vidal, suponho que esteve na ponte nos anos 90. E viu a carga policial da Greve Geral. Estavam quantos?

          • Não estive na ponte nos anos 90. Era miúdo, acho, e era situacionista, por assim dizer, contrário à espectacularização das lutas e favorável a uma coisa que se chamava “insurreição invisível”. Teorias exóticas, certo. Mas parece-me que a Ponte nos anos 90 foi uma vitória que, a prazo, derrubou o morto-vivo de Boliqueime. Depois, a carga da greve geral – foi sobre uma pequena multidão por comparação com as que a CGTP consegue mobilizar: má comparação. E, além disso, depois de uma primeira ou segunda carga da besta, desiste-se??? Sinceramente! O site do PCP, justa e curiosamente, continua a convocar a manif para a Praça da Portagem. Entendeu?

          • Lúcia Gomes diz:

            Nossa, quanto paternalismo, Carlos Vidal. Entendi, sim. Obrigada por tão clara explicação.

  6. Damas diz:

    Acho que não estão bem a ver o filme
    Trata-se de mais uma ‘abstenção violenta’. Depois do PS temos a abstenção violenta da CGTP. O PS absteve no orçamento a CGTP abstem-se da luta.
    É mais do mesmo

  7. José diz:

    PORQUE É QUE ESTES REVOLUCIONÁRIOS TÃO COERENTES E DE FRANJA DE OLHOS TAPADOS , TAMBÉM ELES COM INTERESSES DE «DURÃO BARROSO E MARIA LUÍS ALBUQUERQUE, APARECEM SÓ PARA ATACAR E SERVIR INTERESSES CONTRA OS TRABALHDORES! ESQUERDISMO DOENÇA INFANTIL DO SOCIALISMO, SERVIU SEMPRE OBJECTIVAMENTE O CAPITALISMO!

    • antifa diz:

      E a CGTP serve quem? Andam desde 74 a fazer procissões e passeatas, isso já mudou o quê? E aliás, o que é que pretendem mudar? Reformar o capitalismo? Tornar a coisa mais fofinha?
      Este recuo é uma vergonha é o que é… Andam 2 semanas num braço de ferro e no final desistem, perdem. Conseguiram, como há muito tempo não o faziam, motivar e juntar sindicalizados e gente que normalmente nem se revê na CGTP para participar num protesto que seria uma luta a sério, e no fim é isto que fazem. Mas não deve espantar ninguem, o maior medo da CGTP sempre foi o de perder o controle das ruas, aliás, basta ouvir Marcelos Rebelos de Sousa e outros reaças que tais a dizerem que preferem 100 manifs da CGTP a uma manif autonoma e independente. Sabem que da CGTP nada têm a temer…

      • A.Silva diz:

        Mentiroso! A CGTP não desistiu, antes alterou a forma do protesto

        Mas antifa, ou antiré, porque é que “revolucionários” como tu não se juntam e criam uma organização sindical, ou politica para revolucionar isto?

        A única coisa que vocês têm é diarreia mental.

    • LEIA DE NOVO O ESQUERDISMO DE LENIN E APRENDA QUEM É O INIMIGO PRINCIPAL, SE O REFORMISMO E A ATRASADA MENTALIDADE SINDICAL SE O ESQUERDISMO.

  8. Paco diz:

    Gostei e subscrevo. Não sou comunista e, portanto, insuspeito no que vou dizer. Preferia que a CGTP não tivesse cedido. Porém, se entendeu ceder, lá terá as suas razões e não posso criticar enquanto as não conhecer. Mas aceito a decisão. Não vou estar lá em corpo, nem num dia nem no outro, pois estou a 18000 km de distância e não sera fácil ir num dia e voltar no outro (rsrsr). Estou a trabalhar em Timor. Mas estarei aí com todos os que participarem. Condeno aqueles que aproveitam o mais pequeno incidente para zurzir na coisa, tecerem as maiores críticas e aproveitem o fato como pretexto para abandoner o barco. Provavelmente só lá estavam porque parecia mal não estarem, ou então nunca estiveram mesmo. Esquerda infantil e inconsequente de gente que já tem idade para ser adulto consequente e se preocupa mais em criticar as pretensas falhas no seu campo do que combater o adversário.

  9. Adolfo Borges diz:

    O Site – Blog – ou raio que o parta é o 5 Dias Net… ou seja este!!!
    Membros identificados do QSLT – (tipos que conheço e que se fizeram conhecidos, diga-se) – mostram a face em vários comentários e respostas em relação á posição da CGTP, cancelar a marcha na ponte.
    Fazem-no num tom de chacota, assim, feiozinho…
    Não!!!
    As lutas não são as mesmas, o QSLT, não luta nem é uma organização de classe ou outra que represente o povo ou os trabalhadores, o QSLT é uma finta burguesa.
    O QSLT é o ópio de muito argumentador – ligado á musica , ás artes, ao jornalismo ou á politica que se servem das massas para se auto -promoverem.
    O QSLT é anti CGTP e anti PCP.
    Em angola dizia-se a propósito da cerveja CUCA propriedade do empresário Português Manuel Vinhas e financiador dos movimentos de independência que: “Quem bebe CUCA ajuda a UPA”
    Caso para dizer quem ajuda o QSLT ajuda o PSD!

    • Lúcia Gomes diz:

      O QSLT não é nada disso, estás muito enganado.
      O QSLT tem gentes de todas as proveniências sociais e de todos os partidos e não é anti-partidos ou anti-sindicatos.
      Se algumas pessoas são? Pois terão todo o direito de o serem.
      Mas o QSLT jamais exprime essa ideia ou objectivo. E tem comunistas que aí participam nas lutas, em unidade.

  10. Lenine diz:

    Estalinstas nojentos!! Há 92 anos a contruir…derrotas!! O que me alegra é que o vosso “tempo” está a acabar. Vocês são um pilar deste regime.

  11. João. diz:

    Não entendo porque razão os que querem que a manifestação continue como uma marcha a pé pela ponte, depois do governo ter proibido, ou seja, avisar que vai estar lá a polícia de choque para que não passe ninguém, não a fazem eles? Não acredito que seja por quererem mulheres, crianças e reformados para se esconderem depois de atirar umas pedras à polícia de choque que com certeza lá estará.

    A manifestação da CGTP não é para ir andar à porrada com a polícia – é uma manifestação que convoca trabalhadores, desempregados, reformados E SUAS FAMÍLIAS – SEUS FILHOS, SEUS NETOS.

  12. Damas diz:

    Os PC’s continuam iguais a eles próprios. OS mesmo argumentos, sempre o mesmo carnaval, mas sempre nas suas lutazinhas, muito bem comportados…ele há coisas que nao mudam

    “Uma nêspera estava na cama, deitada, muito calada, a ver o que acontecia. Chegou a Velha e disse: olha uma nêspera e zás comeu-a! É o que acontece às nêsperas que ficam deitadas, caladas, a esperar o que acontece!”

  13. PJorge diz:

    Esta decisão da CGTP certamente que foi desoladora para muitas pessoas que tinham esperança que esta manifestação, por ser no local que seria e pela proibição imposta, poderia ter um impacto mediático claramente superior a qualquer manifestação feita na Av. da Liberdade ou mesmo em Alcântara.
    Claro que esse impacto mediático só aconteceria se existissem desacatos, se as forças policiais fossem obrigadas a intervir ou se as televisões transmitissem a manifestação em directo, mas aí teria de ter o patrocínio do Continente e um concerto do Toni Carreira em pleno tabuleiro da ponte.
    Temendo esses desacatos, que poderiam servir de arma de arremesso anti-CGTP e anti-sindicalistas, a decisão tomada pela CGTP acaba por ser acertada, apesar de ficar mal na fotografia em primeira instância, pois todas as declarações anteriores não anteviam uma decisão do tipo “irrevogável” de Paulo Portas.
    Apesar disso, julgo que a proposta apresentada pelo governo, de fazer a manifestação na Ponte Vasco da Gama, teria mais impacto mediático do que fazer em Alcântara. Só vejo essa recusa por duas hipóteses: ou receio de não encher a ponte dada a maior dimensão da mesma ou receio de estarem a aceitarem uma sugestão do governo.
    De qualquer forma, não deixa de ser curioso ler os comentários neste e noutros locais, de pessoas do mesmo espectro político, com tanto fel em relação a outras do mesmo espectro, só porque fazem parte de movimentos diferentes ou de tertúlias diferentes, revelando nestes pormenores que será muito difícil, um dia, existir algo parecido com um consenso estratégico político de esquerda neste país.

  14. Victor Nogueira diz:

    Não é nas redes sociais e na blogosfera que se mobilizam, esclarecem e consciencializam a maioria que se quer trazer para. luta essa dum comboio em marcha com muitas estações e apeadeiros onde os passageros vão saindo em detrimento do juízo final. É na rua, nos locais de trabalho, no café, que se esclarecem e mobilizam as pessoas.

    Já noutro comentário escrevi sobre os “senhores” da revolução, os iluminados, os que querem que a sua verdade prevaleça sobre as decisões do colectivo. As decisões da CGTP são colectivas e resultam tb da opinião dos sindicatos, melhor ou pior espressas. O fllme na blogosfera e nas caixas de comentários dos jornais on-line é sempre o da cassete de que acusam os outros, aqueles de quem discordam. Os objectivos da manifestação não se alteraram – estão lá no site da cgtp. Mas a cgtp é presa por ter cão e presa por não ter, tal como na história do velho, da criança e do burro. A CGTP desmobilizou ? Não. O PCP e o Bloco desmobilizaram ? Não. O PS, PSD e CDS mobilizaram ? Não.

    A decisão da CGTP corta as manobras de intimidação e desmobilização feitas pelo Governo mais reacionário desde o 25 de Abril. AGORA.

    A CGTP marcou a manif, tentou negociar com o Governo, este apresentou como alternativa a ponte vasco da gama, a cgtp recusou, o governo disse que a decisão final era da cgtp, esta manteve a travessia da ponte, o governo proibiu e a polícia estaria lá não para garantir a segurança mas para impedir a manifestação.

    O governo mostrou a sua face fascizante e a cgtp desarmou o governo transferindo a concentração para alcantara. Não só o Governo não impediu a manifestaçção como nada impede que os autocarros dos manifestantes atravessem a ponte.

    A manifestação e os seus objectivos mantêm-se. È preciso que seja uma grande manifestação, uma manifestação que seja mais um passo para correr com a corja:

    Já havia muitas pessoas com receio de participarem devido à barragem de informação intimidatória e terrorista do Governo e dos órgãos de informação. O balão terrorista do governo esvaziou-se Esta é a verdade

    • Victor Nogueira diz:

      Há quem não queira ou não consiga perceber.

      Por vezes é necessário recuar um passo para avançar ou retomar o balanço. Uma das técnicas de autodefesa pessoal é não oferecer resistência ao agressor, que no seu impulso conta com essa resistência. Não a encontrando, estatela-se e torna-se vulnerável a nossa contra-ofensiva

      A Polícia de intervenção está treinada para intimidar, aterrorizar e dispersar manifestantes. A maioria dos participantes duma manifestação que se pretende grandiosa não sabe técinicas para neutralizar as cargas policiais e não perder o sangue frio.

      Estes manifestantes não são guerrilheiros urbanos. E por alguma razão um governo do PSD/Cavaco acabou com o serviço militar obrigatório, não por amor à paz mas pelo oposto.

      Repito o que atrás escrevi:

      antes havia quem não fosse ou desmobilizasse a alinhasse com a propaganda terrorista, intimidatória ou ameaçadora do Governo e da generalidade dos órgãos de comunicação pk poderia haver suícidas, encurralamentos, manifestantes em pânico a atirarem-se da ponte abaixo, provocações de infiltrados, etc, etc,que a cgtp era irresponsável, e depois como passam as ambulâncias ou como vou trabalhar ou como vou à entrevista para arranjar emprego e que a cgtp queria era show-off para as tv’s (qd estas em ocasiões anteriores dão é largo espaço ás “manifestações” e violências fora da segurança da CGTP e silenciem a enorme adesão a estas).

      Agora, há quem não vá ou desmobilize pk a cgtp faz o frete ao governo, que é cobarde, que não vai à luta e enfrentar a polícia de choque e já não se fala nos suicidas, nas âmbulâncias, nos entraves a quem quiser ir trabalhar, todos lembrando os tempos da “revolução a todo o vapor”.

      Há quem malhe forte e feio na CGTP. Mas perguntar ofende ? Naturalmente o PS PSD CDS nao mobilizaram. E a UGT, essa do Secretário Geral orgulho do banqueiro Espírito Santo, mobilizou ? Se não mobilizou, não vale a pena zurzir num morto. Mas na CGTP, que está viva, aí sim, toca a bater ? Ora vão à manif e depois lá nos vossos sindicatos e em plenários confrontem, e argumentem. O resto é treta !

      A resposta será dada na rua e no Porto e em Lisboa . Que 19 de Outubro seja mais um passo para o derrube do governo e do capitalismo, em portugal e no resto do mundo. Até que as mudanças quantitativas deêm vez à necessária mudança qualitativa

  15. Adolfo Borges diz:

    O Adolfo não está muito enganado Lúcia.
    Sabe perfeitamente o que diz e qual a dinâmica desse grupelho aos quais se juntam comunistas que tentam lavar a mão dada a contradição, dado o antagonismo, dado o sapo da pseudo-moda-esquerdista -populista da exaltação e da validação forçada e anti-democrática dos movimentos e cívicos e sociais que têm de engolir.
    Muita da participação é vaidade, não há orientações politicas precisas por parte das organizações do PC ou da CGTP para integrar estas manifestações de um grupo que se afirma como tal e que nunca foi sufragado no estado direito português.
    A nível legal são um limbo, quem é que se pode identificar caso haja graves alterações á lei e ordem publica por parte do QSLT…Ninguem!!!
    Andam pôr merda á frente da ventoinha para depois os militantes do PCP vossos camaradas que não têm nem querem ter nada a ver com este “bandinho” de jovenzinhos -ultra-revolucionários-tendência Guevarista de Corroios , apanharem com a dita no focinho.
    Lúcia, Lúcia, tu não te lembras, mas há uns anos estivemos juntos numa iniciativa da minha concelhia sobre o aborto, foste tu a a convidada para falar sobre o tema e eu era o responsável da Org., tem como certo que nessa altura acreditei no fulgor e na sapiência das tuas palavras.
    Quanto a isto não, não acredito.
    O que não impede de achar que os camaradas que participam no QSLT não deviam participar nem promover este género de manif.
    Ainda assim são os meus camaradas, por isso me preocupo!

    • Lúcia Gomes diz:

      O que aqui está é de tal forma inacreditável que nem vou dizer uma palavra sobre o assunto. Não aqui.

  16. Gambino diz:

    Jogar Poker é tramado! Que o diga o Arménio Carlos que, quando apostou as suas fichas, não estava à espera que o governo subisse a aposta. A moral da história é simples, se não queres ir a jogo, o melhor que tens a fazer é guardar as tuas fichas. De qualquer forma, a solidariedade de toda a esquerda impõe-se. A CGTP não é o inimigo e é extremamente perigoso que saia mais humilhada do que já foi com este episódio. Assim sendo, lá estarei em Alcântara.

  17. Augusto diz:

    A CGTP está á nora.

    Esta tarde , quarta-feira, na Costa da Caparica , uma carrinha da CGTP apelava á participação NA MARCHA.

    Qual Marcha?

  18. António Fonseca diz:

    à malta que critica: epá façam. A CGTP n faz? porque n fazem vocês? mobilizem os trabalhadores ávidos de confronto. Serão certamente muitos. Façam pá. Ninguém vos obriga a ir à manifestação da cgtp. façam vocês. porque não fazem?

  19. proletkult diz:

    Os comentadores afectos à CGTP têm posto a tónica numa putativa carga policial, usando-a como desculpa para cancelar a marcha na ponte. Mas isso é uma história da carochinha. Desde logo porque tenho dúvidas que a polícia carregasse sobre uma manifestação da CGTP, muito menos depois da novela dos últimos dias (a menos que houvesse uma situação extraordinária, daquelas que o serviço de ordem faz questão de impedir). Seria um passo que o governo não quer dar, mais que não seja porque perderia imediatamente a própria CGTP (o tal “parceiro imprescindível na consertação social”), dando azo a uma agudização da conflituosidade social, que a burguesia não quer. Mas há mais. Se é verdade que isso esteve em cima da mesa nas reuniões entre CGTP e MAI, então porque razão a CGTP não o denunciou imediatamente? E aí a saída airosa, sem perder prestígio, seria desconvocar de imediato qualquer acção para o dia 19, colocando no governo um rótulo que nem com lixívia saía. Assim, perdemos todos, menos a CGTP, que continua a ser muito elogiada pela burguesia pela sua posição “ordeira”. E pelo PCP, que lhe atribui “sentido de estado” neste contexto.

    Enfim, é o sindicalismo que temos. O espelho de uma “esquerda” cada vez mais frustrante e, sobretudo, do partido que não é contra o lucro. Só contra o lucro obsceno.

    • Lúcia Gomes diz:

      A CGTP impediu alguém de ir para a ponte? Não estão os enfurecidos livres para o fazer? O que os pára?

      • A II Internacional impediu algúem de de combater a guerra dentro do seu próprio país? O que os parou?

      • proletkult diz:

        Essa conversa já satura. Sejamos directos, ninguém em Portugal mobiliza trabalhadores como a CGTP, ninguém tem o aparelho logístico, organizativo e político da CGTP e ninguém tem a cobertura mediática da CGTP. Qualquer acção de trabalhadores (ou desempregados e reformados) só tem um mínimo de sucesso garantido se tiver a CGTP por trás. O monopólio das mobilizações massivas de trabalhadores pertence à CGTP. Não há dúvidas nenhumas quanto a isso. Nesse sentido, sendo a CGTP a legítima representante dos trabalhadores (e desempregados e reformados), ou seja, uma organização chave no combate ao capitalismo e à exploração, é legítimo que todos nos sintamos traídos por (mais) uma capitulação da CGTP ao capital. É legítimo que todos nos sintamos desmoralizados.

        Mas a questão central é que qualquer acção independente da CGTP está destinada ao fracasso. A começar logo pela questão numérica da coisa e a acabar na condenação da própria CGTP, que limpa as mãos para receber os elogios da burguesia. E isto não é válido apenas para manifestações ou outras acções. Se um grupo de pessoas quisesse agora lançar uma plataforma sindical de tendência vermelha ou anarco-sindicalista, que acham que a CGTP ia fazer? Não é preciso ser bruxo.

        O problema da CGTP é preferir os elogios da burguesia à união de esforços com os sectores mais combativos do proletariado. E deixar esses sectores entregues às feras.

        Por último, muitos defensores da CGTP têm referido que a manifestação levará famílias e que isso cria uma questão de segurança. Pois é, é a noção histórica de “jornadas de luta” da Inter: passeatas inofensivas, procissões carregadas de bandeiras e cartazes, com palavras de ordem bolorentas e fazer das mega-manifestações um fim, nunca um meio. A “luta”, para a CGTP, é a confraternização das famílias, com os putos que vêm de todo o país para passear “em Lisboa”, tirar fotos ao stand da Lamborghini da António Augusto Aguir (isto vi eu) e fazer piqueniques. É isto.

  20. Herberto diz:

    Sábado vai ser um grande dia, Lúcia, apesar dos anti-manifestantes e dos provocadores que por aqui aparecem. É um dia de Lua cheia. Vamos estar atentos e com todos aqueles que se exprimirem contra o governo. A CGTP foi proibida de marchar na ponte, mas muita gente está decidida a não acatar a ordem dada pelo governo. Por isso, todos à ponte!

    • Blá, blá, blá. Que raio de ladaínha que tinha que vir agora. Pronto quem está contra esta decisão de medo, e cobardia é fascista, pronto a seguir querem o quê matar os camaradas por pensarem pela sua cabeça e não quererem pactuar com este disparate. E dizer que são fascistas, traidores, e que não lutam. E que mais? Vão mas é para o raio que vos parta mais esse discurso da treta de que quem está contra esta fantochada não é lutador e é anti-sindicalista e esses disparates todos com que andam a agredir os que não concordam.

  21. Catarina diz:

    Boa! Com o que aqui li, pode o Passos Coelho dormir descansado, que há de governar até cair de alguma cadeira, lá para os oitenta. Os papalvos que ele governa estão tão ocupados a saltar à garganta uns dos outros que nem vêm mais nada… Vai-se a ver e merecemos mesmo o que nos está a acontecer…

  22. Acho que o Arménio fez uma aplicação genial do marxismo-leninismo-estalinismo adaptado às condições concretas da luta concreta e quem não concorda é esquerdista e tá no sofá

  23. Caetano diz:

    E se a polícia desviar o trânsito de pesados da ponte o que virá a Lúcia proclamar a seguir?

  24. Rita Governo diz:

    Então mas afinal é o governo que nos ataca a todos ou agora é a CGTP? Serão vocês assim tão ingénuos ao ponto de se deixarem apanhar pela armadilha de nos colocarem uns contra os outros, ao invés de nos unirmos todos contra quem realmente nos faz mal? Trabalhadores do sector público contra os do privado, agora a virar o alvo contra a CGTP… E o governo? Afinal não era contra esse que tínhamos de estar? Sai impune disto tudo? Não tarda são os coitadinhos, ou não interessam para o assunto.

    Está a acordar! A luta continua e nós estamos do mesmo lado. Ou não estamos?

  25. CR diz:

    Lutemos contra as politicas de direita e do Capital,a pé, ou sobre rodas a luta faz-se todos os dias nas empresas e locais de trabalho…pena é que nunca tenha visto alguns “postantes” deste blogue a distribuir/contactar trabalhadores nos locais onde o braço repressivo do Capital e dos patrões assume a sua forma mais bárbara – nas fabricas,nas empresas…dia 19, a pé, de autocarro, lá estarei !

Os comentários estão fechados.