Detidos 4 militantes do MAS por pintura de mural …

murais

Artigo completo em: http://mas.org.pt/index.php?option=com_content&view=article&id=691%3Abraga-detidos-4-militantes-do-mas-por-pintura-de-mural&catid=135%3Ajuventude&Itemid=597

O número de escândalos do chamado “crime de colarinho branco” é enorme e o prejuízo/roubo atinge valores de milhares de milhões de euros que se traduz em degradação de serviços públicos fundamentais, corte nos salários e destruição de milhares de empregos. No entanto esses “senhores” não são detidos mas sim (por exemplo) quem pinta murais em viadutos… Assim se vê cada vez mais o carácter deste governo/regime… brando para uns (poderosos), duro para outros (ativistas e populações). Quando o governo/regime reprime cada vez mais as liberdades individuais e coletivas é fundamental a solidariedade entre as organizações/movimentos/partidos progressistas e de esquerda. Em junho passado quando militantes da JCP foram detidos em situação semelhante o MAS demonstrou prontamente a sua solidariedade: http://www.mas.org.pt/index.php?option=com_content&view=article&id=633:chega-de-repressao-solidariedade-com-os-militantes-da-jcp-detidos-no-porto&catid=135:juventude&Itemid=597 Por muitas diferenças políticas que possam existir entre as forças de esquerda, sobretudo nestas situações, o sectarismo e a não solidariedade entre nós, ajuda e reforça efetivamente o governo.  Por isso, o MAS está ao lado de quem sofre um ataque antidemocrático deste governo/regime (independentemente se o visado é dos movimentos sociais, do PCP, BE, etc).

A esquerda em Portugal (e por consequência o país) estaria melhor ou pior se todos fizessem o mesmo?

André Pestana

Anúncios
Esta entrada foi publicada em 5dias. ligação permanente.

12 respostas a Detidos 4 militantes do MAS por pintura de mural …

  1. Rafael Ortega diz:

    Isso é um mural?

  2. De diz:

    Os sinais avolumam-se.A detenção do desempregado que a 5 de Outubro protestava diante da canalha, é outro e também preocupante

  3. Nuno Cardoso da Silva diz:

    A título individual não quero deixar de manifestar a minha solidariedade com as vítimas da arbitrariedade, e a sugerir que todas as noites saiam muitos militantes do MAS e outros para a rua, em Braga, a pintar murais por todo o lado, até a polícia acabar com a repressão, ou as cadeias ficarem cheias de presos políticos… Eu, se estivesse lá, era o que fazia.

  4. si diz:

    e queres o quê Pestana?

    • pestanandre diz:

      Caro “si”, queria uma esquerda que pelo menos quando este governo/regime reprime a liberdade de expressão das pessoas (independentemente da pessoa visada ser do PCP, BE, MRPP, MAS, etc) se mostrasse mais unida e solidária entre si…

      • Digamos que tenho algumas dúvidas quanto ao Bloco ser de esquerda. Um partido que beija muito o cú de um dos partidos fascistas da união nacional (pspsdcds) de hoje, não pode ser um partido de esquerda.

        • pestanandre diz:

          Caro Pedro, apesar de infelizmente o BE de facto, ter feito já inúmeras coligações/unidades com o PS (Câmara de Lisboa 2009, Presidenciais 2011, etc) não considero que o BE deixou de ser de esquerda. Pela mesma lógica, apesar de não concordar com os acordos pós-eleitorias que o PCP fez por exemplo com o PSD na Câmara de Coimbra nos últimos anos (com direito a um pelouro), não questiono que o PCP seja um partido de esquerda. Por muitas diferenças que possa ter com as direcções do BE e do PCP/PEV, objectivamente têm sido os únicos partidos no parlamento a votar contra as medidas da troika que nos têm levado para a miséria que temos…

          • Estás a comparar realidades não comparáveis. As autarquias não são mesmo de todo iguais às legislativas e presidenciais. Se nas câmaras em que a CDU faz coligação com o PSD fossem da mesma laia, ou prosseguissem as mesmas políticas que a direcção, não haveria coligação ou acordo algum entre a CDU e o PSD.

          • pestanandre diz:

            Caro Pedro, começou a dizer que tinha dúvidas em considerar de esquerda o BE porque “beija o cú de um dos partidos fascistas da união nacional (pspsdcds) de hoje” mas no entanto, já não tem dúvidas relativamente à CDU ser de esquerda mesmo que esta faça coligação durante longos anos em algumas das principais câmaras do país com partidos que define como “fascistas”… Argumenta que se estas Câmaras dirigidas pelo PSD “prosseguissem as mesmas políticas que a direcção não haveria coligação ou acordo algum entre a CDU e o PSD” no entanto se assim fosse, porque não existiu uma crise entre o PSD nacional e os PSD dessas cidades (nomeadamente Coimbra) se estas não “prosseguiram as mesmas políticas que a direcção”? ou porque (e bem) o PCP denunciou nestas eleições autárquicas os candidatos do PSD/CDS por este país fora (incluindo Coimbra) como os candidatos do governo e da troika? Pedro, apesar de tudo isto, continuo a considerar o PCP e o BE como partidos de esquerda, no entanto partidos de esquerda que muitas vezes deixam muito a desejar… infelizmente!

Os comentários estão fechados.