A proclamação do fim do Estado Social: Holanda

“O Rei Willem-Alexander disse ao povo holandês que terão de criar as suas redes de segurança social e financeiras e que a perspectiva do Estado Providência é uma “coisa” do Século XX.

Este foi um dos pontos mais importantes do discurso anual do monarca no dia em que o governo holandês apresenta o seu orçamento.

Não é claro se os 100 milhões de euros de despesa governamental na manutenção da Casa Real, e seus castelos e desfiles, seriam incluídos nos cortes de austeridade.

Sondagens recentes demonstram que a confiança no governo está num mínimo histórico e que a maioria do povo holandês acredita que as políticas de austeridade do executivo são parcialmente responsáveis.

A perspectiva económica do país é a de recessão de pelo menos 1% para 2013, com perspectiva de piorar enquanto a recuperação está em monta em França, Alemanha e Grã-Bretanha.”

via Euronews

Anúncios
Esta entrada foi publicada em 5dias. ligação permanente.

20 respostas a A proclamação do fim do Estado Social: Holanda

  1. Rocha diz:

    Mas a disneylandia de putas e ganza há de haver sempre, aí está mais um grande êxito da esquerda moderna. Depois de deslocarem a luta da classe trabalhadora de ser a mais importante luta de esquerda para ser a menos importante das lutas de esquerda, o resultado é este.

    Na Holanda toda a esquerda parlamentar coloca as “causas fraturantes” como mais importantes que a luta de classes. E o resulto é este: demolição do Estado de providência sem resistência que se veja.

  2. JgMenos diz:

    A monarquia tem uma enorme vantagem, as despesas não aumentam com a acumulação de réis.
    Soma ao Cavaco no activo os reformados Sampaio, Soares e Eanes e as viúvas que ainda por aí andem.
    Imagina que só faziam um mandato ou que vão para lá mais novos como se perspectiva.
    Viva a República?

  3. Gambino diz:

    Não foi por causa da caridade, da boa vontade ou mesmo da riqueza das nações que se estabeleceu o Estado Social.
    Foi o pânico provocado pela ameaça da socialização total da economia que motivou a burguesia a abrir mão da lógica mercantilista e a aceitar o estado de providência. A única coisa que verdadeiramente aterroriza o capitalismo e o predispõe a negociar é a expropriação.
    Agora que perderam o medo, não é de espantar que comecem a mostrar os dentes…Welcome to the jungle!

    • Rafael Ortega diz:

      Isto lembra-me aqueles jovens chungosos com aquela frase interessante do género “dá-me uns trocos ou roubo-te a carteira”.

      • De diz:

        A mim não. Completa e de todo não.
        Mostra à evidência outras coisas. Mostra à evidência por exemplo que a socialização dos grandes meios de produção é o único caminho para evitarmos este regresso à selva, Mas também mostra o grau de verticalidade e de “coerência” da burguesia em pânico. Não deixa de ser cómico ver os esforços de alguns para tentar passar o odiento da situação, exactamente para o lado oposto da barricada.

        Os chungosos do capital têm de facto esta característica:roubam os trocos,roubam a carteira toda e ainda se armam em rufias. ameaçando tudo e todos à sua volta.
        Portas,coelho,albuquerque,crato e coisas assim são o testemunho “nacional” destes factos.

        Subscrevo a opinião de Gambino

  4. huy diz:

    É o gajo do bilderberg,n’é?

  5. Desulpe mas no El País a notícia era mais completa e explicava que o discurso do Rei foi escrito pelo governo de coligação de liberais e SOCIAIS-DEMOCRATAS, como assinalei nas «cerejas».

  6. De diz:

    Caro Alexandre de Sousa Carvalho;
    Um tema que merece reflexão e que me trouxe à memória um post do Vitor Dias:
    http://otempodascerejas2.blogspot.pt/2013/09/a-social-democracia-e-defesa-do-estado.html#links

    Cunprimentos (um pouco atrasados, como sabe)

  7. Luís Marques diz:

    Quem escreve o discurso é o primeiro ministro.

  8. Jfs diz:

    Como disse e muito bem o Luís Marques nao significa que seja a opinião do rei mas sim a do governo

  9. Vic diz:

    O Rei da Holanda le aquilo que lhe escrevem

    • Rocha diz:

      E depois? É um gajo porreiro? Em que é que isso muda o significado deste discurso?

      O Rei de Holanda que se foda. É todo regime democrático-burguês que se questiona a partir do momento em que se constata a sua total inutilidade para os trabalhadores e o povo.

  10. Nascimento diz:

    É papagaio?

    • imbondeiro diz:

      Não é papagaio: é boneco de ventríloquo, o que vem a dar ao mesmo. Mas um boneco papagueador a quem nunca chegará qualquer tipo de corte. É este o estado das coisas: há que dizimar os direitos de milhões para que uns poucos continuem a viver como uns sátrapas.

Os comentários estão fechados.