Lobo com nome de Cordeiro


Imagem daqui

Em Cascais o patrão das farmácias não é candidato pelo CDS-PP. O texto sobre a candidatura de João Cordeiro à Câmara Municipal de Cascais deve começar assim, com um desmentido. Isto porque, visivelmente, não há qualquer tentativa de não ter ter um discurso de direita para a edilidade. A candidatura tem como mote “Liderar Cascais“, o seu mandatário é Ramalho Eanes e borbulha em milhões (qual Cavaco Silva).
Consta que o cabeça de lista terá sido imposto por Seguro a um fragilizado PS Cascais (que entretanto parece ter debandado), ainda saudoso da glória dos tempos em que governou e vendeu o município aos A. Santos deste país.
«Sei muito bem aquilo que posso fazer, o que não posso e o que me recuso a fazer. E – pode ter certeza – política é uma das coisas que me recuso a fazer. Não me entusiasma.» disse João Cordeiro em 2005 à Visão. Agora, com mais de 30 anos de política activa à frente da Associação Nacional de Farmácias, e não tendo qualquer hipótese de vencer as eleições é importante que não haja ninguém, à esquerda, a enganar-se no dia de ir votar.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em 5dias. ligação permanente.

10 respostas a Lobo com nome de Cordeiro

  1. «El mono» diz:

    «Aunque el mono se vista de seda, mono es y mono se queda».

    • «El mono» diz:

      A minha mãe vive em Cascais. Acabei de falar com ela. Chegou do chá com as amigas delas não sei bem se foi na Garrett ou no Palácio «y que charlaran muchísimo». Disse-me que combinaram entre elas se o «El mono» for eleito em Cascais querem que ele se dedique mais às escolas, aos hospitais, as «caridades» e às pessoas pobres.

      Disse-me também que está fartinha de «festarolas» dos «chicos» do CDS/PSD/PS (acho que ela não disse nada sobre o BE) e que não percebem nada de «castañolas». E que sim, que o Casino «está una lástima». E que ela e todas as amigas vão mudar o voto para o PCP.
      Fiquei espantada!

      Perguntei-lhe porquê? Ela respondeu-me: «hija mía» por uma razão muito práctica. Agora vou voltar ao português para ser mais fácil. O meu pai (Conservador mas não sem coração, já morreu) soube de um caso de um Ucraniano que estava no Algarve a viver nos cartões.

      Pois bem, o meu pai era muito prático.

      Foi ao Algarve e dirigiu-se ao PCP e que ficou tudo resolvido: o meu pai trouxe o Ucraniano para cima, mexeram-se todos para lhe arranjar um emprego porque o Ucraniano era um Eng. de primeira; acabou por arranjar trabalho na Madeira. Quando telefonou ao meu pai – falava muitas vezes para casa dos meus pais -, ele já tinha morrido. O Ucraniano fartou-se de chorar ao telefone com a minha mãe.

      Gosto sempre de dar exemplos prácticos para fundamentar as opções.

      P.S. Não quero que NINGUÉM se atreva a mandar «bocas» sobre este assunto. Porque sei bem como fazer uma «amarração». Para quem não saiba do que se trata, consultar a Internet.

    • «El mono» diz:

      Já escrevi um comentário que «Tiago Mota Saraiava» não editou neste post.

      Queria agradecer ao mesmo, o facto de não o ter editado porque me expunha demasiado.

      Como sou mesmo «passada«, é bom saber que tenho aqui, neste blogue, há pessoas sérias que tratam de me proteger quando eu me «passo demais dos carris». É que às vezes fico mesmo «marada».

      Muito, muito obrigada, «Tiago Mota Saraiva».

      P.S. Como sou uma novata nestas coisas, também serve de exemplo para outros que dizem que os donos do blogue não deixam passar os comentários.

      A mim não me interessa muito que os meus comentários passem ou não passem porque de testes conheço bem.

      Tenho a natureza do Escorpião; ando sempre a dar-me picadas a ver se me consigo «acordar» e «transformar» a minha própria Rã. Daí eu ser mesmo «passada» e de vez em quando passar dos limites e ficar «marada» (mas eu não dou conta).

  2. Herberto diz:

    «Famous last words» de um homem que concorreu a um lugar partidário:

    «Sei muito bem aquilo que posso fazer, o que não posso e o que me recuso a fazer. E – pode ter certeza – política é uma das coisas que me recuso a fazer. Não me entusiasma.»

  3. Augusto diz:

    Ao contrário do que escreve, o Cordeiro, pelo que tenho observado no terreno, tem até muitas hipoteses de vencer as autarquicas em Cascais, como o Basilio em Sintra, não são é homens de esquerda nem merecem os votos da esquerda,mas isso é outra questão.

    • Antónimo diz:

      Pelo que já ouvi da personagem, é mais um tipo que não rejeita usar ameaças que sugerem o uso de métodos corleonescos.

Os comentários estão fechados.