Semiótica da Estátua, um problema semântico

Segundo o Público a estátua do Cónego Melo foi “vandalizada durante a noite” mas a rua onde a estátua foi construída foi alvo de uma instalação, pasme-se, em pleno dia. Naturalmente que a partir daqui resta aos admiradores do terrorismo de extrema-direita retirar a estátua do Melo, ou arriscam-se a converter o local num destino permanente dos que fazem questão de lhe prestar a devida homenagem.

Imagem e vídeo aqui e aqui.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em 5dias. ligação permanente.

33 respostas a Semiótica da Estátua, um problema semântico

  1. JgMenos diz:

    Providencial iniciativa esta que dá um destino concreto à energia de uma esquerda cansada de confrontar-se com a sua inconsequência.
    A criação e a acção da esquerda requer demónios que a motivem; o quotidiano e os seus enfadonhos problemas esgotam-nos em palavras extraídas dos seus livros de cânticos, que do mesmo passo os conduzem à dissenção e ao desânimo.
    Temos Cónego Melo para uma nova e feliz temporada de Luta! Avé!

    • Paulo diz:

      Sinceramente, “adoro” os tipos como você que se julgam na posse de uma suposta “superioridade moral e ética” algo patética. Como temos memória, não esqueceremos as vítimas desse energúmeno, e muito menos permitiremos que se façam homenagens na “nossa casa” (no espaço público). Caso não saiba, são meia dúzia (literalmente) de saudosos de tempos obscuros, que tentam impor A TODA A CIDADE a estátua desse crápula. Fique “descansado”, que jamais baixaremos os braços até que a insultuosa estátua seja removida.

      • JgMenos diz:

        Avé!
        Até me dizem que o Cónego nunca quis a estátua que tem mais de dez anos, e que o PS até só pretendeu desviar a atenção de mais um negócio do gang do Mesquita Machado numa expropriação (Convento das Convertidas)! Faça-lhe a vontade e dedique-se à Luta!

        • Paulo diz:

          Pois é, nem nunca quis a estátua, nem tampouco a monumental pintura da cúpula do Sameiro, onde se encontra rodeado por quatro papas. Era de facto um santo homem, modesto e humilde. Ó jg, vá dar banho ao cão e deixe de misturar alhos com bugalhos. No que toca às trafulhices do clã Mesquita, também cá estaremos, como sempre, para as denunciar.

          • von diz:

            Ora aí está um bom tema para um protesto amplo e de romagem obrigatória: as trafulhices do clã Mesquita. Porém, não vi nenhum militante de protesto à estátua, com vontade para rumar aos ditos trafulhas e protestar o que o dito clã tem feito aos dinheiros dos bracarenses. Prioridades, é o que é.

          • De diz:

            Prioridades é mesmo o que é.se, bem que não se saiba se von vai também no caso vertente veter lágrimas pelo tempos livres.
            E se se der von ao trabalho verá que o clã mesquita tem sido denunciado, ele e os seus cúmplices PSD PP.

            De resto os troikistas costumam uivar juntos à luz do dia…e pela calada da noite

  2. Argala diz:

    Parabéns aos vândalos! =)

  3. von diz:

    Primo: acho irrelevante a dita homenagem ao dito cónego. As estátuas, ainda por cima de responsabilidade autárquica, devem ter como alvo personalidades convergentes e celebrando inequívocos feitos em pró de um país, região ou localidade. Não é o caso.
    Secundo: acho irrelevante o dito protesto à dita estátua. Alguns dos argumentos dos protestantes tinham a ver com a relação do homenageado com assassinatos e mortes. Reparei que alguns dos protestantes eram militantes do PCP. O partido em causa, apoia regimes cujos líderes têm relação histórica com assassinatos e mortes (em maior número que o dito cónego). Parece-me assim, que um dos principais argumentos de protesto cai por terra… ou então revelam polaridade e/ou hipocrisia.
    Tertio: tal como muitos extremistas religiosos, os protestantes acabaram por prestar um serviço ao dito cónego, alertando potenciais admiradores para a homenagem em forma de estátua. Acho ainda que os potenciais admiradores do dito cónego e os protestantes que continuarem a deslocar-se ao “monumento” têm demasiado tempo livre…
    ps: se fosse erigida alguma estátua, no local onde vivo, a “personalidades” como Mao, Bush, Lenine, Pinochet, Kim, Salazar, Cerejeira ou Melo, Cunhal, Soares ou Carneiro… até Sócrates, Cavaco ou Coelho, a minha reação seria o desprezo absoluto!!!

    • Miguel diz:

      O PCP tem relação histórica com assassinatos e mortes? Fantástica observação.
      Só na cabeça deste “von”… Também, pode incluir Pol Pot, no meio das suas observações. No entanto, alguns investigadores vieram a descobrir que as mortes provocadas por Pol Pot foram antes começadas pela campanha de bombardeamento em massa no Laos pelos EUA.
      Ah! Também falta mencionar os massacres na Indonésia, em 1965. Os comunistas foram sempre os “maus”, de facto.

      • von diz:

        Brilhante, um branqueador de Pol Pot. Inédito.

        • adolfo diz:

          Pois,von.A alqaeda, a irmandade(?) muçulmana,o exército colombiano e as suas milícias,são comunistas.vAITAFIUDER!!!

        • De diz:

          Von anda de facto distraído.Não se sabe se por falta de tempo livre se pela pressa em tresler o que lê ou se pelo ímpeto de escrever antes de reflectir um pouco.
          Repare lá no que o Carlos escreveu e veja se isso é branquear pol pot.Pol pot o amigo e aliado dos EUA na luta contra o Vietnam e o Cambodja
          Henry Kissinger is the War Criminal who engineered the final stages of the US’s genocidal campaign against the people of Vietnam and Cambodia. It has been argued that his directives were responsible for as many deaths in Southeast Asia as the mass exterminations launched by Pol Pot. Está escrito e subscrevo.
          Mas há muito mais.
          Por exemplo

          http://www.globalpolicy.org/component/content/article/190/39190.html

        • Miguel diz:

          Retirei de Domenico Losurdo, “Stalin. História crítica de uma lenda negra”. Devia ler para retirar esses macaquinhos que tem na cabeça.

        • Carlos Carapeto diz:

          Quem está a branquear Pol Pot é o von.

          Pol Pot foi um membro da sua tribo.

          Quer que lhe demonstre ?

          • von diz:

            Quero. Claro que a dificuldade é você acertar na minha tribo. Vou dar-lhe uma ajuda: não é laranja, nem azul, nem rosa, nem vermelha.

    • De diz:

      Von
      Os seus tiques à von de vez em quando saltam-lhe pelos bofes fora
      O seu molho de heróis ou de anti-heróis, tanto faz, é uma curiosa mistura de coisas e loisas próprias de vons desta e doutras épocas.Espécie de pilatos hipocritas e/ou bipolares com mais algo à mistura?
      Salta aí um desprezo absoluto à moda do von

      Agora vá dar banho ao cão enquanto se passeia com o seu “von” Eu bem vi “vons” de outrora apoiar regimes cujos líderes não só têm relação histórica como participaram em assassinatos e mortes (em maior número, bem maior que todos os participantes portugueses em território nacional desde século e no século passado)
      Parece-me assim, que um dos principais argumentos do seu protesto cai por terra… embora no caso vertente não revele polaridade e/ou hipocrisia.
      Revela outra coisa mais própria.do abjecto.
      Será que percebeu ou quer que lhe faça um desenho para lhe reexplicar os traumas dos vons desta e doutras histórias?As suas conclusões revelam-se tão apressadas como as minhas neste post.

      Já agora, deixe de se armar em peralvilho quando comenta o “putativo tempo livre ” dos outros .Era só mesmo o que faltava,”vons” a tentarem fazer o controlo deste tempo.Isso já tentaram outros vons à boa maneira germânica.

      • Dezperado diz:

        ó Von, o PCP apoia regimes cujos líderes têm relação histórica com assassinatos e mortes???? Opa onde foste tirar essa ideia?? Isso é tudo mentira….são mentiras que só vêm nos livros, mas a realidade foi bem diferente…estes comunas de facto, tem um bom paleio.

        Por exemplo, é totalmente mentira que em 2011, o PCP tenha enderessado as mais porfundas condolencias aquando da morte do Kim Jong-il…que como todos sabemos, era um lider que todos os dias lutava pela democracia…..

        Se calhar, trocavam a estatuta do Melo pelo Kim e ficava tudo bem, todos contentes!

        • von diz:

          E não insista na vertente alemã. Já cansa. Von também pode ser holandês, belga, austríaco… e veja, lá, português, visto sê-lo.

          • De diz:

            Isso mesmo.Parece que percebeu apesar de me parecer que não o compreendeu em todo o alcance pretendido Releia lá o penúltimo parágrafo.

        • De diz:

          Se calhar trocavam o kim jong il por uma estátua em tamanho anão.
          Do desperado desesperadamente à procura da …família…

          Fica para mais tarde o resto

      • von diz:

        Eu comento o que me apetecer, e não de acordo com a autorização de uma cartilha qualquer, seja vermelha, rosa ou laranja.

        • De diz:

          Com todo o direito.E é criticado de acordo com os mesmos critérios.
          🙂

          Mas por favor veja se o tempo livre está a ser contabilizado de acordo com os seus peculiares critérios

    • Carlos Carapeto diz:

      “ps: se fosse erigida alguma estátua, no local onde vivo, a “personalidades” como Mao, Bush, Lenine, Pinochet, Kim, Salazar, Cerejeira ou Melo, Cunhal, Soares ou Carneiro… até Sócrates, Cavaco ou Coelho, a minha reação seria o desprezo absoluto!!!”

      Se é assim porque razão sai à liça todo lampeiro a criticar quem se opõe à colocação da estátua? Estranho!

      Assuma-se. Com essa atitude está a fazer figura de Salazarista capado.

    • heil diz:

      Von B(r)osh!!!

  4. O que queres dizer com instalação?

  5. José Sequeira diz:

    Já agora, para esta história terminar com a cereja em cima do bolo, só faltam os eleitores de esquerda irem engolir o sapo (mais um) do voto útil no PS de Braga, apenas para evitar que o Ricardo Rio ganhe a Câmara. Também já estão habituados; em 2009 até a aventesma do Carvalho da Silva, perdão, Doutor Carvalho da Silva, fez campanha descarada pelo Costa em Lisboa, desconsiderando (é a palavra mais branda que encontro) o seu camarada e excelente pessoa e ainda por cima excepcional autarca, Ruben de Carvalho.
    Desta bela cidade do Minho, célebre pelos seus três “pês”, prefiro “O Idólatra passeia-se por Braga”, daquele que, em vida, fez o favor de me aceitar como 100amigo, o grande Luís Pacheco.

Os comentários estão fechados.