Totalmente ilegal, intolerável socialmente

É totalmente ilegítimo cortar as pensões e reformas. Nunca é demais lembrar que o Estado não é dono da segurança social e portanto não pode apropriar-se destes recursos. O Estado é depositário das contribuições e está obrigado a pagar as pensões. Tudo o resto é roubo. Vou repetir, assumindo exactamente o valor desta palavra – tudo o resto é roubo. Portanto os portugueses devem reagir e resistir aquilo que é desnecessário do ponto de vista económico, imoral do ponto de vista social e, finalmente, totalmente ilegal.

protocolo jorda¦âo_bookII_2

Anúncios
Esta entrada foi publicada em 5dias. ligação permanente.

6 respostas a Totalmente ilegal, intolerável socialmente

  1. JgMenos diz:

    As reformas NÃO são capitalização de descontos!
    São valores fixados pelo Estado segundo critérios políticos que projectam objectivos de política.
    Abaixo da capitalização é roubo, o que vai acima é retirada de benefícios!

  2. Mas que estamos a ser (des)governados por LADRÕES é algo que já sei desde 1974. E “bibó 25 d’abril!!!

  3. Pingback: A Segurança Social, numa realidade alternativa perto de si | O Insurgente

  4. E o dinheiro que o Estado roubou aos fundos de pensões que os trabalhadores e entidades patronais tinham instituído? Para poder pagar as reformas que prometia e que não podia pagar?

  5. Elmano diz:

    Seria ilegítimo se a Segurança Social seguisse o regime de capitalização. Como não é assim, as contribuições dos trabalhadores no activo pagam as reformas dos aposentados. Como há mais aposentados que activos a falência do actual sistema irá acontecer. Só não acontecerá que o orçamento de Estado transferir fundos. Como o país está falido não há dinheiro para transferir. Logo, para ainda se paguem reformas o único caminho é reduzir o seu valor. Cortar. Não há volta a dar.

  6. Ricardo Sebastião diz:

    Hum, contudo o que se passa é exactamente o contrário: a Segurança Social é que tem roubado o Estado ao longo dos anos, na exacta medida das transferências anuais do orçamento de Estado para o sistema de segurança social…

Os comentários estão fechados.