“O Bom Selvagem”

PR, Cavaco Silva visita Ilhas Selvagens

Vejo muita gente indignada com a viagem de Cavaco Silva às Ilhas Selvagens, são claramente pessoas pouco atentas e que, mais uma vez, se deixam ficar por uma análise superficial dos factos. Cavaco, na verdade, está a tentar dizer-nos alguma coisa, como naquelas adivinhas antigas. Falar de forma enigmática é um apanágio dos mais sábios. E Cavaco Silva tornou-se, de facto, um mestre nessa antiga arte.

Vale a pena atentar no título e na notícia do Público para percebermos um pouco melhor essas subtis, mas reveladoras metáforas do nosso presidente. Diz o título: “Cavaco, o primeiro presidente a pisar a Selvagem Pequena, a pegar num calca-mar e a anilhar uma cagarra“.

Comecemos pelo início: “Cavaco, o primeiro presidente a pisar a Selvagem Pequena“. Trata-se sem dúvida de uma metáfora ao futuro do País, àquilo em que ele se está a tornar: um território selvagem e desabitado (onde aves (e)migratórias vêm nidificar uma vez por ano, presumo que em Agosto). E depois “…a pegar num calca-mar e a anilhar uma cagarra“. Trata-se de uma outra metáfora, desta feita, à actual situação política e ao “governo de salvação nacional”. Senão, vejamos, e peço a vossa atenção que o exercício é difícil!

O “calca-mar” só pode ser Paulo Portas, com referência certa ao seu gosto pelo mar e por submarinos. Diz a sua descrição: “Esta ave passa a maior parte de seu tempo no mar, alimentando-se de plâncton e raramente é vista a seguir barcos. Apenas visita a terra para nidificar e durante noite, silenciosamente“. Querem melhor descrição do futuro-ex-vice-primeiro-ministro?

E a “cagarra”? Só pode ser Passos Coelho, que outra pessoa poderia ele estar a anilhar? E note-se que o jornal refere o à vontade que Cavaco Silva demonstrava em anilhar a bicharada (referência óbvia ao PSD). De notar, também, o espanto que o Presidente demonstrou pelo facto da “cagarra”, segundo o director da Reserva Natural, ter apenas um parceiro para toda a vida. Algo que pareceu surpreender o Presidente, tendo este ainda perguntado se havia casos de coligações, oh…desculpem, quero eu dizer, relações a três entre as “cagarras”? Sabe-se lá o que irá na cabeça do nosso Presidente!

Fica porém a dúvida, como fica sempre nestas adivinhas, cuja verdade é sempre um doloroso e penoso labirinto: quem é, nesta fábula selvagem, António José Seguro? A resposta a essa pergunta está, contudo, no site da Reserva Natural, que nos diz: “A lagartixa «Teira dugesii mauli» é o único réptil terrestre que habita estas ilhas, sendo uma subespécie endémica das Ilhas Desertas“. Ora cá está.

Por fim, neste site, também ficamos a saber que um das ilhas desta magnífica Reserva Natural das Selvagens e das Desertas chama-se “Bugio”. Ora cá está aquela última ponta de ironia, ou de cinismo, que faz parte de todas as adivinhas. Pois que outra coisa nos estaria a dizer o presidente senão: “Ide, mas é Bugiar“! Tomem lá e embrulhem!

—-

Notícia do Jornal Público:

http://www.publico.pt/politica/noticia/cavaco-o-primeiro-presidente-a-pisar-a-selvagem-pequena-a-pegar-num-calcamar-e-a-anilhar-uma-cagarra-1600596

Esta entrada foi publicada em 5dias. ligação permanente.

2 respostas a “O Bom Selvagem”

  1. Santos.se diz:

    O Sermão ás Alcagarras do Rei da Coelha, dos Algarves e das Selvagens, mostra mais uma vez um miserável responsável pelo estado ao que chegou este pais.

  2. Rocha diz:

    Só mesmo nas selvagens é que ninguém chama o Cavaco de palhaço.

Os comentários estão fechados.