O PS entalado no seu labirinto

ps 1

Nem os astrólogos conseguirão prever como terminará a semana política que hoje começa, mas um dos temas mais interessantes a seguir com atenção será certamente o que acontecerá ao PS.

O trio de testas de ferro de PSD, CDS e PS começou ontem as reuniões formais, em local desconhecido (não fosse uma grandoldada esperá-lo ao virar de uma esquina?) e emitiu 3xcomunicadosx3 rigorosamente iguais – gente bem comportada é assim.

Mas o Partido Socialista já deu sinais de estar ao seu melhor nível. Roubo ao Francisco da Silva a imagem com o que Carlos Zorrinho escreveu no Twitter, em 12 de Julho.

Entretanto, soube-se que os socialistas vão votar favoravelmente a dita Moção de Censura e que o mesmo Carlos Zorrinho afirmou: «é com toda a normalidade que nós vamos votar a favor da moção de censura apresentada pelos “Verdes”». Ou seja, e relacionando com o que escreveu no Twitter, o líder parlamentar do PS considera que este vai prestar «um irrevogável serviço à coligação de direita»?

Mas tão interessante como ver até onde irá o contorcionismo do PS no desfecho das negociações, é constatar desde já como os zelosos guardadores da «esquerda grande» sofrem com medo que o PS venha a confirmar, de um modo ou outro, que pertence mesmo a este arco da governação; e, ainda que por vezes subliminarmente, verificar como «culpam» o PCP e o Bloco por estes se terem demarcado publicamente do não-convite de Cavaco / convite-pretexto de Seguro para se juntarem à negociata (pelo menos podiam lá ter ido explicar-se, não é?…). Declaram que a esquerda da esquerda só quer entalar o partido indispensável, juntando-se nessa intenção a Cavaco, à coligação, à troika – e talvez mesmo aos deuses, quem sabe…

Parecem esquecer que aquilo que está em causa não é «salvação» do país ou a sua reconstrução, mas apenas uma tentativa desesperada de Cavaco no sentido de reunir tropas para cumprir o que já está acordado e que todos sabemos que não será cumprido. Quando é que se entenderá que há uma linha que separa quem aceita o MoU, mesmo que cosmeticamente negociado, de quem o rejeita e já apresentou (sim, já apresentou) alternativas mais do que credíveis? Teoricamente, o PS teria, neste preciso momento, uma oportunidade única para saltar dessa carruagem onde viajam os que querem levar-nos ao abismo com sucessivos resgates. Mas não o fará. Assine ou não assine o que quer que seja.

(Publicado também aqui.)
Anúncios
Esta entrada foi publicada em 5dias. ligação permanente.