estórias e práticas da “história oral”

portelli

‘A morte de Luigi Trastulli e outros ensaios – Ética, memória e acontecimento na história oral’, de Alessandro Portelli, é um volume organizado por Miguel Cardina e Bruno Cordovil publicado pelas edições UNIPOP. O lançamento em que acontecerá um debate com o autor e Miguel Cardina, será hoje às 18h30, na Casa da Achada.

“Este livro reúne cinco textos escritos por Alessandro Portelli em diferentes momentos do seu percurso de investigador empenhado no uso de fontes orais. Os três primeiros artigos abordam a História Oral a partir das questões epistemológicas e éticas que ela convoca. Os dois textos seguintes tomam como objeto a Itália do pós-guerra, ocupando-se da temática da memória e do modo como ela se relaciona com os acontecimentos – ocorridos ou imaginados – e com as dinâmicas sociais e políticas circundantes. Todos eles entendem a História Oral não tanto como uma mera técnica de recolha de dados a partir de entrevistas, mas como uma prática que foi construindo um campo peculiar de abordagens e problemas.” 

Da introdução do Miguel Cardina aqui ficam algumas palavras:

“Uma linhagem alternativa começará a esboçar-se em meados da década de 1970. Tratava-se agora de assumir as características peculiares da História Oral, ponderando os mecanismos da construção da memória e a especificidade das fontes orais. Luisa Passerini e Alessandro Portelli são dois dos rostos internacionais desta linhagem, caracterizada por uma maior sofisticação teórica e por uma presença lateral à Academia ou exterior aos departamentos de História. Alessandro Portelli é um caso particular a este respeito: o seu interesse inicial no trabalho com fontes orais fez-se por via dos movimentos sociais e do ativismo cultural – inscrito, em boa medida, na referida tarefa de «dar voz» aos silenciados – e a sua inserção académica foi desde sempre num domínio paralelo, o da Literatura Norte-Americana.

Este livro reúne cinco textos escritos por Portelli em diferentes momentos da sua intervenção pública como intelectual empenhado e historiador oral. Dividido em duas partes, a primeira junta artigos que abordam a História Oral a partir das questões metodológicas, epistemológicas e éticas que ela convoca. A segunda parte, tomando como objeto a Itália do pós-guerra, ocupa-se da temática da memória e do modo como ela se relaciona com os acontecimentos – ocorridos ou imaginados – e com as dinâmicas sociais e políticas.

(também aqui)

Sobre paulo jorge vieira

Investigador do Centro de Estudos Geográficos do Instituto de Geografia e Ordenamento do Território da Universidade de Lisboa, fazendo parte do NETURB – Núcleo de Estudos Urbanos. É também pesquisador no Grupo de Estudos Territoriais (GETE) da Universidade Estadual de Ponta Grossa, Paraná, Brasil.
Esta entrada foi publicada em 5dias. ligação permanente.

Uma resposta a estórias e práticas da “história oral”

  1. Pingback: estórias e práticas da “história oral” | Paulo Jorge Vieira

Os comentários estão fechados.